Quem tá chegando agora nesse blog deve achar que eu vivo só fazendo essas coisas maneirinhas pra criança, né mesmo? Ah, doce ilusão. Mas, para quem proibiu a televisão há duas semanas, é necessário inventar coisas pra distrair os pequenos. Aliás, sobre a TV: é claro que liberei algumas vezes. Algumas pra eu poder trabalhar,Leia Mais

Não se sinta dummie ao ler isso, por favor. A dummie-mor sou eu, aquela que não tem habilidades manuais, aquela que nasceu com duas mãos esquerdas, aquela que não sabe cortar papel em linha reta ou mesmo pintar dentro da linha. Além da destacada falta de talento, eu não compareci às aulas de arte daLeia Mais

Abri um grande portal de notícias hoje. Logo no alto da página, em destaque: Mulheres como objeto, mulheres como adorno, hipersexualização, despersonalização. NOJO. Rolo a página: Machismo, violência contra mulher, tortura, crime (bater em filho é crime, só pra lembrar). Olhei pra notícia do lado: Fosse feia mereceria ser roubada, certo? Desisto dessa coluna eLeia Mais

flagra da Alê Rocha Quando Lucas mamava no peito, ele tinha uma certa regularidade na coisa. Talvez por ter usado chupeta até os dois anos, não chegou a associar fortemente peito a carinho/sono/tédio/dodói/crise do dólar/golpe do temer. Mamou até os dois anos e nove meses e tudo bem. Passam-se 6 meses, nasce Luiza. Mamadora selvagem.Leia Mais