Não se sinta dummie ao ler isso, por favor. A dummie-mor sou eu, aquela que não tem habilidades manuais, aquela que nasceu com duas mãos esquerdas, aquela que não sabe cortar papel em linha reta ou mesmo pintar dentro da linha. Além da destacada falta de talento, eu não compareci às aulas de arte da escola. Vai vendo.

Só que aí virei mãe. Tive que desenrolar algumas fantasias pra escola do Lucas (cês já conhecem essa história, vai), tive que me reinventar. Some-se a isso a crise, a grana que ABUNDA e a vontade de não dar mais presentes plasticudos que só se amontoam na minha casa.

Pois aí um belo dia o Lucas veio me pedir um laptop para ele trabalhar igual à mamãe. Encheu o saco pra eu procurar na internet e lá fui eu. Encontrei modelos feios, cheios de publicidade de personagem, tudo trabalhado no plástico, no excesso de telas e eletrônicos. Fora que o mais baratinho custava uns 200 reais (os mais caros chegavam a 700!!).

Falei: NÃO. Não vou comprar isso. Se quiser eu faço um pra você.

(cara de decidida, cagaço por dentro, vai que ele topa?)

Óbvio que ele não topou, amarrou a cara, me chamou de mãe horrível, chorou, escorreu pela parede sofrendo.

Luiza, que rondava por ali, disse que topava. Daí eu, do alto da minha maturidade, falei bem alto:

– TÁ BOM LUIZA, VAMOS LÁ FAZER UM COMPUTADOR SUPER MANEIRO S-Ó P-A-R-A V-O-C-Ê.

 

Um tanto desesperada, catei a minha musa Estéfi Machado na internet. Musa assim só de admirar, porque fazer coisa dela mesmo eu nunca fiz. Mas tinha chegado o dia. Achei o manual pra fazer o laptop de papelão e fui conferir se eu tinha o material em casa (torcendo pra não ter e abortar a missão, é lógico).

Eu tinha! TU-DO.

E aí, gente, a mágica aconteceu: eu fiz tudo sozinha (mentira, com a ajuda dos pequenos – a essa altura Lucas tinha se empolgado muito e me ajudava ativamente). Não ficou lindo como o manual da Estéfi, mas eu achei que ficou bem digno.

O melhor foi que o Lucas, aquele que outrora me odiava, passou a tarde me agradecendo, dizendo que estava muito feliz com o computador novo, que queria levar pra escola, brincar pro resto da vida e mostrar pra todo mundo (deixa que eu faço isso, Luquinhas!).

Usei:

  • Papelão bom (durinho)
  • Tinta guache branca e preta
  • Pinceis
  • Fita crepe
  • Fita adesiva transparente
  • Fita dupla-face
  • Um moldezinho impresso pra fazer o “logo” atrás
  • Tesoura
  • Adesivos pra fazer o teclado
  • Duas dobradiças pequenas

Fiz assim:

  • Cortei dois papelões do tamanho que queria, arredondando as pontinhas,
  • Fiz um molde pra tela com fita crepe e pintei a área isolada de preto,
  • Enquanto esperava secar, fiz o teclado com adesivos (como eles estavam meio velhinhos, depois que montei colei tudo com fita adesiva transparente),
  • Quando a “tela preta” ficou seca, colei o logo impresso na parte de trás e pintei tudo de branco;
  • Depois de seco, tirei o logo e ficou só a marca d’água
  • “Instalei” as dobradiças com fita dupla face (tava sem cola quente em casa, como a Estéfi ensina)

As crianças participaram de todas as etapas, foi lindo! O acabamento não ficou lá essas coisas (ah, que simpática, ficou uma bosta na verdade), mas o importante é que eles gostaram de verdade.

Se for fazer em casa, sugiro seguir o manual original que tá aqui, ó: Laptop de Papelão da Estéfi Machado.

4 respostas em “Como fazer um laptop de papelão – manual para dummies

  1. Carol, ficou muito legal!
    E sabe que me deu ainda uma idéia ao ver a tela preta? E se você colar um saco plástico transparente (como aqueles de fichário) por cima da tela? Aí dá pra colocar programas diferentes na tela do computador!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *