O assunto do momento aqui em casa é “nome do Segundinho”. Eu tava toda segura que já tínhamos definido, mas daí fui falar em voz alta e.. não sei, não casou com o sentimento.

Mas que sentimento, né? Visto que eu ainda não sei o sexo, não sinto mesmo é nada. Aliás, quase todo mundo do meu convívio já sabe e já aceitou que não vou saber o sexo até o nascimento (menos meu pai), então as perguntas agora são mais ou menos assim “ok, você não sabe, mas o que você sente?”. Com ênfase na palavra “sente” e acompanhadas de uma cara enigmática, como se eu sozinha estivesse guardando um segredo. E eu devolvo uma cara abestalhada, porque instinto materno é coisa sumida por aqui, tipo esse avião aí que ninguém sabe onde tá e tem 26 países procurando. Bota 26 países pra procurar o que eu sinto e ninguém vai achar. Tipo o avião.

Aí eu perguntei pro Maridón o que ele achava sobre essa coisa de nomes e ele disse “não sei”. Como assim não sabe? “Ah, não fico pensando sobre isso”, o digníssimo me responde. Olha, vou te contar. Se cada vez que ele dissesse “não fico pensando sobre isso” eu ganhasse uma moedinha, tava rica hoje, viu. O moço não pensa sobre nada que eu pergunto, daí eu fico cá com os meus botões, me indagando: “sobre o que ele pensa então?”. Não se sabe. Nem isso, nem onde tá o avião, nem onde tá meu instinto materno, nem onde tá o nome desse bebê que me habita, cujo sexo desconhecemos.

Tá ficando puxada a coisa.

Resolvi então pensar em como foi que imaginamos o nome do Lucas (olha o post aqui) e me lembrei que grávida de primeira viagem é uma coisa toda mágica e fofolética. A de segunda (ou terceira e por aí segue) é mais desligada, desconectada, sujinha mesmo, uma pessoa remelenta e gasosa que corre atrás do primeiro (ou primeiros) filho (s) e de vez em quando lembra que, ó, tem uma barriga extra acoplada ali. Essa grávida também não consegue ficar num assunto só, visto que vai escrever um post sobre NOMES e fala sobre qualquer coisa (e aviões sumidos), menos boas ideias de nomes.

Phoda.

Mas olha, Lucas é um nome fofo, eu acho. Teve todo um trabalho pra escolher. E hoje penso “WHY, GOD?”. Eu chamo o minino de tudo, menos de Lucas. Luqui-licious, Delício, Xuxuzão, Bebezão, Lindo, Pechuguita de Pollo (e tô rindo imaginando Lucas aos 15 lendo isso aqui. Ou Lucas aos 15 sendo chamado de Pechuguita). Enfim. Mãe serve mermo pra causar trauma, tô apenas fazendo um excelente trabalho.

Enquanto isso, Segundinho segue Segundinho. Sem nome.

(e sem sexo sabido e sem avião encontrado – pelo menos até o fechamento desta edição)

***

E vocês, gents? Penaram pra definir nome do Segundo (terceiro, etc)?

22 respostas em “Sobre nomes (a segunda vez)

  1. Carol,
    Ao contrário de você, eu sei o nome e o sexo do meu segundo filho (na verdade, é filha)! Agora só falta engravidar!
    Mulher é um bicho doido! Rsrsrs…
    Mas tô curtindo essa sua fase tranquilona em relação ao segundinho. Curta muito!
    Bjs…

  2. Rindo alto no trabalho com seu post ! Eu fico imaginando o quanto deve ser engraçado conversar com voce. Adorei o post, alegrou minha tarde…..adoro sua forma engraçada de escrever.
    Meu mais novo se chama Mateus (eu sempre tenho que explicar que é sem H, saco), O mais velho seria Lucas, só Lucas, mas cedi à pressão do pai e ficou Jorge Lucas (porque o pai é Mario Jorge), cedi porque grávida de primeira viagem é toda romântica né não ? No Segundinho não teve muita pressão, ficou Mateus mesmo….e a gente chama ele de Teteu, Teuzinho, Teteco, Teu, Mateusinho, Fofurissimo, Delicious, dificilmente o chamo de Mateus….hahahahaha

  3. Lembro bem que a Luiza Diener, do Potencial Gestante passou pelo mesmo. Exatamente a mesma coisa! Achei tão bonito esse "desprendimento" de curtir a gravidez ao seu tempo, sem pressão. Ela precisou refletir pra se "conecta" com o bebê.
    http://potencialgestante.com.br/cade-o-vinculo-gente/
    Acho que você tem mais é que ouvir seus instintos mesmo! Curtir tudo e mais um pouco, fazer tudo ou não fazer nada, fazer só o que quiser!
    Claro que morremos de curiosidade pra saber do segundinho, mas só de saber que tá tudo bem, já morremos de amores!

  4. kkk Marido aqui é igual o marido ai. kkkk Não ta pensando em nada, tudo é "depois a gente ver". Por aqui é o primeirinho, e mãe de primeira viagem quer logo tudo pronto né? Eu pelo menos quero ter tudo pronto antes de 8 meses pois depois não quero preocupação, quero apenas curtir a barriga.
    Marido não quer correr atrás do berço, ta nem ai pras roupinhas, tudo tudo é "depois agente ver"… Eu sei que ta cedo, 13 semanas e 4 dias, mas sei também que passa voando e tenho que aproveitar folga do marido pra ir em outra cidade comprar tudo (por ser mais em conta).

    Acho muito engraçado essa sua fase "mãe rilex", eu queria ser assim, quem sabe no segundinho eu seja. kkkk
    Vai curtindo o segundinho, se o nome aparecer antes tudo bem e se não aparecer aproveita que o sexo será surpresa e deixa pra escolher o nome quando olhar pra carinha do bebê, assim que ele nascer.

    Beijoss

  5. carol, você-é-muito-engraçada! leio sempre seu blog e vibrei quando soube da segunda gravidez. meu marido perguntou quem tava grávida? e eu respondi: a carol!
    essa cyber-vida é engraçada, a gente se sente tão íntima de quem a gente "não conhece"!
    mas passo aqui para dizer que fiquei super feliz pela gravidez e mando um abraço grande para você e sua família linda!!!

  6. Fizemos uma lista e para hora do parto eram dois os nomes. Olhamos para cara do moleque e escolhemos. O melhor definir o nome é que além do tempo ninguém te enche de presentes personalizados.

  7. Um belo dia vi uma menininha sorridente correndo com meu filho no parquinho. Perguntei para mãe como se chamava, e foi assim q escolhi o nome do segundinho, mesmo sem saber o sexo do baby na época. Gravida tem dessas coisas as vezes…

  8. Carol, tenho apenas uma filha e ainda não estamos com o segundinho a caminho, mas volta e meia eu e meu marido nos pegamos pensando no nome de um segundo (bem coisa de louco mesmo), porém sempre rimos pois lembramos do que minha avó falava que sempre devemos esperar o filho nascer para dar o nome, pois temos que olhar a cara dele e ver cara de que nome tem. Olha tenho que concordar com ela pois tem tanta gente que não tem cara do seu nome, kkkkk. Ah o Lucas tem cara de Lucas viu! Se precisar de mais uma viajando me chama pois viajei total. kkkk

    Abraços,

  9. Ain Carol, quem diria que aviões desaparecidos e nomes não escolhidos teriam tanto em comum?? ahshaushuahus
    adorei o post.
    Eu sempre tive a certeza do nome dos meus filhos, exceto pra menina. O nome do Bryan foi escolhido em comum acordo. Só eu que encasquetei de colocar Bryan Lucas pra combinar com o sobrenome e marido aceitou.
    Se ele fosse menino ia se chamar Bruna Rafaela, o que mudou na segunda gravidez.
    Eu, certa de que viria outro menino, apesar de sentir que era menina (aqui o sexto sentido funcionou nas duas vezes rs), combinei que eu escolheria o nome de menino e marido de menina.
    Não pude voltar atrás na decisão, e ficou Isabela (eu queria Eduarda).
    Já o nome do terceiro já está escolhido desde sempre. Será Nicolas. Se for menina não sei kkkkkkkkkkkkk
    bjos

  10. Fiquei pensando o que seria uma pechuguita e não conseguir ler mais nada. O google não me ajudou. É de comer?
    Isso me lembrou de duas coisas: que uma amiga coloca todos os bichos com nomes de comida. Nutella, picolé, por aí vai.
    E que lutei para escolher um nome para minha cachorra e acabei num que dá cacófato. Cuidado com o cacófato.
    bjs

  11. Nossa tava tão pra baixo e consegui dar uma risadinha lendo seu post…adorei mesmo..
    Essa do “Ah, não fico pensando sobre isso” aqui em casa é idem, viu!!!
    Como a gente aguenta que eu não sei…rsrsrs
    bjos

  12. Carol, penei pra escolher os três nomes. Mentira, dois. O primeiro, Levi, tem uma coisa legal, era um tio queridíssimo do meu pai. Um dia sonhei com o nome todo escrito num papel, marido aceitou. Segundo filho, menina, não teve acordo (eu queria Elis), cedi para Sâmia, do marido. Última semana antes da guria nascer ele me vem dizer que acha que esse não era o nome dela… mandei se virar. Ela nasceu, ficou três dias sem nome, daí ele criou coragem e registrou: Clara. Terceiro filho. Tudo diferente, não soubemos o sexo e eu desliguei dessa coisa do nome (tinha um VBA2C prá correr atrás), do enxoval. Conectei no BbXuxu (como os irmãos o chamavam) e só. Marido sugeriu Daniel caso fosse menino, o nome do melhor amigo dele desde sempre. Não sou fã do nome em si, mas adoro a pessoa, aceitei. Ficamos na luta pelo nome de menina novamente. Nasceu o Daniel, faz cinco dias, no PD mais lindo do mundo. Nome é fogo! No final, se a gente se conecta com o bb, em algum momento o nome chega, mesmo que seja fora da curva, com dias depois de nascido.

  13. Menina, se vc já sabe que não se chama pelo nome mesmo, bota qualquer um que vc ache bonitinho e capricha nos apelidos estrambólicos! Sabe o que é o mais engraçado? É que os apelidos das minhas filhas pegaram de um jeito que crianças dos mais variados países e backgrounds linguísticos as chamam de Ciça e Cali, pode? Inclusive as mães destas crianças se referem a elas assim. Hahaha

  14. Meu primogênito se chama Felipe (nome que eu acho lindíssimo) e eu chamo ele de Gatolícia… já o caçula (que está a caminho), embora eu não saiba o sexo, já tem nome definido há anos, embora tenham ocorrido algumas alterações sem nome dos nomes da moda…

  15. Carol, na verdade, aqui em casa, a gente soube o sexo do Segundinho com 15 semanas de gestação, mas o coitadinho só foi ter nome no mês anterior ao do seu nascimento… É como você disse, a segunda gravidez é mais relax, a gente não fica tão apegada a essas coisas de sexo do bebê, nome, enxoval, enfim, a gente não se preocupa quase que com nada, já que tem o primogênito (aqui em casa a Giovanna espoleta!) pra correr atrás, de vez em quando a gente lembra da barriga, né? Principalmente, naquela hora que o pequeno irmão mais velho quer colo e a santa pança já não coopera mais… Hehehehe… Pensamos em Eduardo até o último momento, eu até já chamava o pimpolho de Du, Dudu, Edu, dentre outras variações, maaaaaassss… Aos trinta minutos do segundo tempo (leia-se: a caminho da maternidade), o papai decidiu que esse nome não era o que ele havia imaginado para o pequeno, que não "casava" com ele e resolveu mudar… Foi então que nasceu meu MURILO, fofo, lindo, delício!!! E que no próximo dia 01/04 completa 1 aninho!!! Ownnn!!! Como o tempo passa!!! Meus pequenos estão crescendo… Ai que dor no coração!!! Hehehehe… Ah, detalhe: minha sorte é que eu ainda não havia colocado o nome nas lembracinhas, pois Murilo resolveu nascer de 36 semanas, inesperadamente… Beijos.

  16. Carol, por aqui o nome da primogênita foi mais difícil. Quando descobri o sexo do segundo, e era masculino, o nome era Pedro desde sempre! Na segunda gestação não adivinhei sexo tb, e na primeira menos ainda! Instinto materno não rola por aqui não! Relaxa que uma hora o nome será soprado no seu ouvido! Beijos!

  17. Aaaaaii Carol, abraça aqui!!!!!!!! Grávida de segunda viagem é tudo remelenta, gasosa, que corre atrás do filho e de vez em quando se lembra que tem barriga ali…… muuuuuuuito isso!!!!!

    O nome da segundinha foi definido aqui em casa, mas ainda não divulgamos, por que, né?!?!!?!?! Já divulgamos um para toda a imprensa local e eu não gostei dele depois……. cancelei. Agora vou mesmo é ter certeza de que tem uma bebeia muito carismática e combinântica com o nome que escolhemos antes de sair gritando aos quatro ventos.
    Mas eu não sosseguei de jeito nenhum até resolver essa questã do nome.

    By the way, meu marido deve estar pensando no seu (e vice-versa), pq ele não pensa em nada do que eu sugiro na conversa…. "vamos falar sobre isso depois, Dani" ou "ah, não sei… não pensei ainda" ou "é muito cedo para conversar sobre nomes…" afeeeee!
    Me irrita.

    Beijos!!!

  18. Oi, Carol!

    Quando me edscobri grávida pela primeira vez, combinei com o marido que cada um de nós faria uma lista de 10 nomes de meninos e 10 de meninas, em ordem de preferência, para "batermos" depois. Para a minha surpresa, Pedro foi o 1º nome das 2 listas, mas não chegávamos a um acordo para o de menina. Acabamos escolhendo Helena, mas a decisão não era muito forte para mim, e eu preferia Beatriz. Veio o Pedro e os problemas acabaram!
    Na segunda vez, tudo foi fácil, fácil. De cara definimos que o nome de menino seria nossa segunda opção da 1º gravidez: Felipe. Para menina, mudamos para Luiza. Veio o Felipe.
    Da terceira vez, não tínhamos conversado sobre nomes e o maridão estava super ansioso para descobrir se seríamos oficialmente pais de meninos, ou se teríamos uma princesa a caminho. Fiz o exame de sangue para descobrir o sexo (o que não fiz nas outras vezes) e recebi o resultado sozinho, dentro do ônibus, na volta do trabalho. Quando li "FEMININO", senti na hora: era a Helena! Hoje, quando olho para o Pedro, o Felipe e a Helena, tenho certeza de esses nomes são perfeitos para eles. 🙂

Deixe uma resposta para Neda Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *