Tinha prometido para mim mesma que não ia deixar o blog sem atualização por tanto tempo, mas olhaí a primeira promessa do ano novo já caindo por terra. Quase 10 dias sumida.

Mas tenho boa(s) justificativa(s): sigo enjoada. Muito, muito mesmo. Vomito todos os dias, começou há umas três semanas e nunca mais parou. Tem dias melhores, outros piores. Tem dias que vou enganando, tem dias que vou é no hospital mesmo pra ver se alguém tem pena de mim e me injeta alguma coisa mágica.

Mas não tem mágica não, gents. O lance é ter fé e paciência que logo passa. Estou tomando homeopatia e às vezes alopatia. De todas as dicas que me deram, todas funcionaram e nenhuma funcionou. Um dia dá certo, no outro vomito em questão de segundos. Mas o enjôo me domina de tal forma que me fechei no meu mundinho particular e quase não falo com ninguém. Nem ao vivo, nem na internet, nem em lugar nenhum.

Essa solidão seria um prato cheio pra eu viver em dramas e medos, mas a verdade é que eu só penso em passar por esse minutinho sem vomitar ou passar por uma refeição e conseguir comer. Ou estou ocupando pensando em como vou fazer pra trabalhar, pra cuidar um pouco do meu filho, pra rosnar pro meu marido, enfim, pra viver o mínimo. O que fazer?

Não sei. Só sei que, quando não faço nada, tudo melhora. Quando durmo, melhor ainda. Então vou me fechando mais e mais na minha conchinha gravídica, esperando um dia sair dela.

No mais, Lucas está bem, um amor, um delício de menino. Mama uma vez por dia (ar, porque leite tenho quase certeza que não tenho mais), me dá beijos, abraços, diz que me ama. Está com uma conjuntivite braba essa semana e não foi à creche. O pobre pai é que tá dando conta de tudo: filho doente, mulher grávida mucho loca, trabalhando de casa, cozinhando, lavando louça… e ainda é simpático comigo quando eu choro porque não aguento mais vomitar. Um fofo, vai ganhar o prêmio de Homem do Ano, vai vendo.

O Segundinho eu não sei como tá porque já tem tempo que não faço ultrassom, mas pela quantidade de vômitos, é quase que obrigação dele estar bem. Às vezes acho que tenho barriga, mas logo me lembro que essa pancinha eu sempre tive (e também devo ter gases – grávida é tudo gasosa, não te contaram?).

Quando me lembro, converso com ele, mas, como tava contando antes: tá difícil estabelecer diálogos com o que quer que seja. Nessa gravidez estou bem mais relaxada (irresponsável?) e não passei creme nenhum na barriga ainda e pulo uns dias de ácido fólico. Vitamina pré-natal também não tomo e nem sei se vou tomar. Mas acho que tá tudo bem. Se não tiver… vemos o que fazer quando não tiver.

15 respostas em “Mais do mesmo

  1. Poxa Carol, não se sinta a "pior mãe do mundo" por não conversar com a segunda cria na barriga, por não tomar as vitaminas todo dia ou por não cuidar da "beleuza" da pança… É assim mesmo!!! Bom, pelo menos comigo, a segunda gestação foi assim: NORMAL. Quer dizer, não via o segundinho como o acontecimento do primeiro. O que não quer dizer que não amava (amo) meu filho. Só quer dizer (e só mesmo!) que a gente relaxa, vê tudo de uma forma menos neurótica, mais comum, mais relax… Quanto aos enjôos, só posso te ajudar torcendo e rezando para que cessem logo. Não enjoei em nenhuma das minhas duas gestações, portanto, não conheço fórmulas milagrosas ou truques que possam te ajudar. O que sei bem é que tanto o que é MAU quanto o que é BOM na gravidez, passa. E passa logo, lembra? Desejo melhoras!!! Beijos.

  2. Sigo seu blog há muito tempo, estou grávida de 10 semana é o meu 1o baby e compartilho tudo o que foi dito! Estou enjoada de uma forma que nunca imaginei na vida, desde a 7a semana, se fosse só enjoo estava lindo, o duro é a azia, salivação e o vomito sem fim! Não tem Dramim, Meclin ou seja o que for que melhore, nem água desce.Cheiros então, aff!!!Minha esperança é chegar a 12a semana e tudo voltar ao normal como num passe de mágica! Tenhamos fé 🙂

  3. Carol, acompanho seu blog há algum tempo. Como futuco o blog inteiro resolvi ver as postagens iniciais e como o blog começou. Acompanhei então a saga (haha) de se ter o baby. Pra mim (perspectiva de leitora) parece tudo muito distante do que vc vive agora, com um filho lindo desses. Alguns medos/receios que vc tinha, alguma nóia(ou nao) da mente. E toda essa visão (entendeu?) pra então te perguntar, o que vc reafirmou depois de ter seu filho e o que vc viu que era uma grandeee besteira e hoje ainda dá risada?! Beijos, adoro seu blog

  4. hahahahaha voce consegue ser engraçada até enjoada "mas pela quantidade de vômitos, é quase que obrigação dele estar bem." Concordo ! Segundinho, comporte-se aí dentro e espere a mamãe sair da concha gravídica e ela vai até cantar pra voce ! rs
    O jeito que voce terminou o post me faz imaginar que voce correu pra vomitar….rs
    Ok, isso não tem graça, sorry….mas sendo voce, eu acho engraçado.
    Melhoras tá ? E quando melhorar, vê e posta toda semana ! Bjs !!!!!

  5. Aii Carol me deu uma dor no peite de te "ver" assim. Eu tive hiperemese gravídica e ficava igualzinho vc, fui me fechando tanto que hoje vejo o quanto não curti nenhum pouco minha gravidez, também pudera tudo isso durou sete meses. Não quero te assustar nem nada, só quero te dar um toque para se cuidar, tbém não sei se tem como fazer alguma coisa diferente do que vc já está fazendo, pelo menos eu não descobri nada que resolveu pra mim. Mas foi tão dificil…que não quero que ninguém, muito menos vc passe pelo que passei. Bjo e abraço apertado

  6. Oi Carol! Passei um tempo sem te visitar e quando volto… Que bom saber que está grávida! Parabéns!
    Se na primeira gravidez me emocionei muito com o seu blog (Pedro tem 1a9m), agora vamos passar por tudo juntas. Elis está com 15 semanas de vida nessa barriga que às vezes me confunde se é sólida ou gasosa, mas já mexeu muito mais cedo que o irmão. No segundinho as coisas acontecem mais rápidas…
    E sim! Quase morri de enjoo. As coisas estão melhorando agora.
    Força e fé que já passa!
    Beijos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *