Temos um casal de vizinhos no nosso prédio que tem uma filhinha. São muito simpáticos e agradáveis, gente boa mesmo. Teve uma época, quando não tínhamos carro, que alugamos nossa vaga na garagem a eles, já fomos várias vezes à piscina juntos, fofocamos, nossos filhos já brincaram, trocamos presentes e convites de festinhas, uma vez até me emprestaram dinheiro pra eu pegar um taxi e ir buscar o Lucas, já que a porta da garagem não funcionava, eu não conseguia tirar o carro e estava completamente atrasada. Relação saudável e amistosa entre vizinhos, sabe?

Tudo ótimo.

Até que um belo dia, tinha um marceneiro lá em casa consertando qualquer coisa. E ele me puxa o seguinte papo:

– você sabia que tem um vizinho famoso?

Eu, desinteressada:

– ahm, é?

Ele:

– sim, sim, o homem do terceiro andar. Vocês não ficam com medo não?

Eu, agora sim, interessada:

– medo? Do quê??

Nem esperei a resposta do marceneiro-fofoqueiro e já fui logo ao Mestre Google perguntar. E descobri que o meu vizinho, aquele moço risonho, prestativo, pai zeloso e simpático companheiro de edifício é um assassino condenado pela justiça argentina.

TODASCAIDURADENERVOSO.

Então. Meu querido vizinho foi condenado a um não-sei-quanto tempo de cadeia, acusado de ter matado um outro homem. Esteve preso por uns 16 anos e o caso foi uma comoção nacional na época, coisa do nível Nardoni ou Von Hitchoffen, sabe como? Li o caso, as circunstâncias e concluí que: não sou deus, nem juíza, como vou julgar? Eu nem morava aqui na época. Só sei que o cara foi acusado, considerado culpado e pagou, conforme as leis locais. Hmmmm. Até aí tudo ok.

Mas, como mora no mesmo prédio que um serumano desses? E, céus, como eu poderia imaginar que tava “dormindo com o inimigo”??? Visualizem vocês: estive pegando amizade com um cara (e sua família) do mesmo naipe de um Guilherme de Pádua!!! Essa historia me deu um nó na cabeça: por um lado, não sou eu que tenho que julgar e, mesmo julgando, o cara já pagou. Por outro lado, porra!, eu, meu marido e meu filho tamos aí do ladinho de uma pessoa que comprovadamente é capaz de nos matar! ARFAO! Será que quem já matou um, mata todos? E a mesma pessoa que é capaz de matar, é capaz de amar, ser um pai fofo, um vizinho amável? Pelo visto, claro que é. Estarei sendo preconceituosa ao extremo? Ou simplesmente normal? Até onde vai meu direito de julgar? Eu lá tenho algum direito de julgar? E porque cacetas eu simplesmente não me mudo e saio de perto desse cara?

Pior é que, em meio a todos esses pensamentos, hoje entrei no elevador, sozinha (eu moro no oitavo). Parou no terceiro andar e quem adentra? QUEM? O dito vizinho.

GELEI e só pensava “vou morrer vou morrer vou morrer”. Trocamos uma conversinha de elevador besta qualquer sobre o clima, a chuva, sei lá, ele seguiu a vida dele e eu a minha.

E aí, universitárias? O que vocês fariam no meu lugar? Até agora, eu não tô fazendo nada (e acho bastante plausível não fazer nada mesmo, viu). 

43 respostas em “Meu querido vizinho

  1. Carol,
    Não sei se é pra rir ou pra chorar!!
    Sei nem o que dizer… Realmente se não fosse trágico seria cômico isso tudo!
    Mas creio (em nome de Deus-pai!!) que ele pagou pelo que fez, e parece ter mudado de vida…
    Vai levando. Sem preconceitos, sem muita intimidade.
    Bj e se cuida!

  2. Carol,
    caracoles … nem sei como opinar nessa situação. Acho que seria bem o lance de 'pimenta no olho dos outros é refresco'
    COmo disse a Daienne, acho que vai levando sem muita intimidade.
    bjo
    Li
    londrescomfilhos.blogspot.com

  3. Carol, uma coisa que eu aprendi na Faculdade de Direito é que todos, absolutamente todos nós podemos matar alguém.
    Quer um exemplo? Alguém que esteja ameaçando/machucando seu filho (com risco de morte). Você não mataria essa pessoa sem nem ao menos pensar duas vezes? Então, nem todo o crime é frio e calculado.

    Você sabe as circunstâncias do crime do seu vizinho? Ele matou um homem, ok. Mas matou por que? Não pode ter sido legítima defesa? (aqui no brasil ela é excludente de ilicitude, mas será que é aí nas argentina?).
    E outra, o cara foi condenado, mas pode ser inocente. Teve um caso de condenado aqui no Brasil que o cara morreu na cadeia, doente. E o morto apareceu, vivinho da silva. Erro da justiça, possível de acontecer em qualquer lugar do mundo.

    Enfim, só queria dizer que, no seu lugar, eu não faria nada. E continuaria tendo uma relação amistosa com o vizinho que, querendo ou não, sempre te ajudou quando tu precisou.

  4. Carol, espero que tudo continue bem por aí. E acho que continuarão, para ser sincera.

    Aqui em SP convivemos diariamente com pessoas que fazem o que querem com quem querem. Assassino realmente é complicado, acho punk e ficaria pensativa como vc ficou. Concordo! Mas não acho que ele faça nada com vcs, não. Como podemos julgar o que aconteceu? Vc acha que o Nardoni sairia matando por aí ou "só" matou a filha para provocar a esposa, qlq coisa assim? eu não vejo Richtofen matando uma galera toda, apesar de ter assassinado cruelmente os seus pais.

    De qlq forma, eu não provocaria a ira deste homem, fato. E não mudaria o meu comportamento com ele tbm hahahahahaha vai que, né?????

    Beijos e boa sorte!

  5. Olha, Carol… Não sei como eu procederia não, viu?
    Difícil mesmo.
    O cara já cumpriu sua pena, pagou a dívida com a justiça. Teoricamente, tá tranquilo. Mas… Atire a primeira pedra quem nunca julgou.

  6. concordo com a amiga aí em cima, todo mundo tem uma segunda chance. espero que ele tenha aprendido a lição e não mate mais ninguém.

    eu não sei se conseguiria ser vizinha do Guilherme de Pádua, por exemplo. mas como você não estava aí na época e não viveu a comoção, fica mais fácil lidar, certeza.

    beijo grande!

  7. Ai cacilda!
    Concordo com Paulo/Amanda anda ali em cima: tem que ver o contexto da coisa toda. Matou (se é que matou) como, pq, em que situação, etc.
    Na dúvida, não faça nada… fingir que não sabe é o melhor. Até pq, por serem estrangeiros, vcs devem ser das poucas pessoas que não estigmatizam esse cara. Melhor manter assim, né?
    Beijo e surte, amiga!

    1. Mari, só para constar, eu sonhei com vc essa noite… hahahahahaha… estávamos eu o meu marido na sua casa, de madrugada, sabe Deus pq… tínhamos ido a uma pizzaria que seria perto da sua casa e passamos lá na volta. Lucas acordou todo bravo e Alice estava dando trabalho para dormir… até que fomos embora. Acho que só queríamos causar desconforto na vida dos outros mesmo, já que as nossas noites de sono são punk por aqui… hahahahaha

      Beijos!

  8. Kkkk imaginei a cena do elevador..vou morrer,vou morrer..muito comédia.
    Continue o tratando da mesma forma de sempre,vai que vc precisa dele novamente!?

    Bj
    Alyne Ferreira

  9. eu apagaria esse post antes q o vizinho leia! hahahaha!
    Brincadeira, mas achei super normal vc ficar matutando sobre isso. De qualquer forma, acho q vc pode ficar tranquila, pelo o q vc escreveu ele nao parece apresentar risco.

  10. Que história! rs Mas olha, concordo com os comentários acima, não é pq ele matou uma vez que ele vai sair matando + por aí. Acredito que nas sua pesquisas "googuificas" vc tenha tomado conhecimento das circunstancias do fato, de todo o contexto da situação e outra, se ele demonstra ser essa boa pessoa que vc disse, provavelmente é pq ele realmente quer viver de forma diferente né.

  11. eu nao acho que uma pessoa que mata outra, mata qq um por qq motivo.

    acho que tudo é mto mais profundo e delicado.

    mas é bom saber o que rolou de fato, quem sabe um dia se houver ocasião, de falar isso com ele diretamente seja interessante… ou não sei lá!

  12. Carol ta certo que o cara já cumpriu a pena, que você não sabe as circustancias que levaram ele matar o cara e tudo mas que não deve ser nada confortavel morar no mesmo prédio que um cara que já matou alguém não deve ser mesmo!
    Mas finge que não sabe de nada e contunua assim sem muita intimidade!
    Pq vamos combinar vc não tem muito o que fazer né?
    Beijos

  13. Eu continuaria tratando-o como sempre tratei. Quem mata um não necessariamente mata outro, se é que ele matou mesmo.

    E pensa só: o cara deve tá querendo ter uma vida normal e tranquila, virar a página, e não deve ter é nenhum amigo coitado. Achou nos brasileiros a chance de ser "normal" de novo, sem estigmas, sem nada.

  14. A gente nunca nunca nunca sabe quem mora ao lado, quem caminha ao lado, quem pega ônibus junto ou quem almoça no mesmo restaurante que você… As pessoas tem mil faces… infelizmente, algumas são ruins… outras normais… outras nem tanto… e algumas são mães…ahahaha. Brincadeirinha. Só acho mesmo que não é possível julgar. Seu colega de trabalho pode ser um estuprador. Sua outra vizinha pode ser sei la mais oq… entende?? viajei?? se olharmos bem de perto mesmo, ng é normalzão.

  15. Deve ter sido engraçada a cena do elevador. Vc está certa, fica calma o cara não é um matador louco,deve ter tido os motivos dele. Mas se um dia o Lucas chorar muito pede pra ele chorar baixinho…vai que…kkkkkkk

  16. Caceta, que história!!!!
    Ó, certeza que o cara não vai te matar. Porque vocês devem ser das poucas pessoas que o aceitam, que mantém um contato social com ele. Como você não vivenciou a história, acaba não tendo o mesmo peso que teria na consciência se no Brasil ficasse amiga do Guilherme de Pádua, né?

  17. Apaga esse post, haha.. O mundo eh uma azeitona, nunca se sabe quem nos le.

    Tb acho que o cara ja pagou pelo que fez, viva e deixe viver. :0) todo mundo tem seus motivos, vai saber o que aconteceu… Vai que o morto era chefe dele… Ai ele mereceria ate um premio, ne…

  18. Oi Carol,
    Acho muito normal sua preocupação quando soube do ocorrido, afinal a primeira coisa que pensamos é na segurança das pessoas que amamos… porém, você mesma disse que várias vezes ele foi simpático e a socorreu em alguns momentos.

    Então, como já disseram… talvez vocês sejam as únicas pessoas que conversam com ele sem preconceito, por não saber o que aconteceu. Outra coisa é que não sabemos em que circunstância esse fato ocorreu.

    Enfim, o cara já pagou pelo que fez, pode ter se arrependido e por mais que faça o bem sempre vai carregar uma culpa. Acho que informação nunca é demais… agora que você sabe do que aconteceu deve ficar mais cautelosa, mas sem preconceito e sem julgar.

    Beijos e fique com Deus!!

  19. Carol, muitos já foram os comentários, mas realmente preciso reafirmar que, apesar de ficar com um medo legítimo, até ontem você não o sentia, provando que este vizinho nunca representou uma ameaça a você. Não deixe que isto atrapalhe a oportunidade de conviver bem com pessoas diferentes, quites com a sociedade. Todos têm direito às suas privacidades e o passado de muitos condena (inclusive literalmente). Fique tranquila. Abraços

  20. Carol, vc sabe quais foram as circunstancias do crime dele? Pq na boa, dependendo do pq ele matou o outro cara as vezes é até "entendivel"…. nao tou falando que matar é certo nem nada disso, mas eu acho que tudo depende da circunstancia. Se ele matou por matar, pq tava sem mais o que fazer, aí eu digo: CORRA PARA AS COLINAS. Mas se até antes do marceneiro linguarudo vc não tinha reservas, então deixa como está 😀

    Beijão!

  21. Vou postar anônimo pois é uma coisa que ninguém sabe e, como é algo pessoal de outra pessoa, não quero expor com referências.
    Antes de eu casar, meu marido me confessou chorando que quando era adolescente (ele teve muito problemas na adolescencia = drogas, revolta, separação dos pais) participava de uma gangue de traficantes de um morro em uma cidade grande e já chegou a torturar e matar alguém.
    Veja bem, eu, menininha de classe média alta, criada numa bolha sem nem saber o que era droga, sem nem imaginar que isso exista fora das novelas e filmes me deparo com uma confissão dessas.
    Mas a realidade é que quem conhece meu marido o acha a pessoa mais pacífica do mundo e eu, que sei o que se passou com ele, vejo que o modo dele agir é para se punir todos os dias pelo que já fez.
    Ele não dorme direito e hoje é uma pessoa que as vezes se afoga em tristeza por tudo que já fez.
    Então, antes de julgar seu vizinho (como o marceneiro e todos a volta dele fazem), pense que ele é um ser humano que sofre de remorso pelo que aconteceu em sua vida e só quer criar a filha em paz, porque não colaborar para que ele se sinta incluido na sociedade em vez de ficar com medos bobos e que nem dizem respeito a você?
    Desculpa se pareço chata, mas só quero expor que nada é o que parece e existem sim pessoas que erram, se arrependem e mesmo assim, tem de conviver com seu erro para o resto da vida. E mesmo assim, são pessoas boas, que merecem o melhor tanto quanto nós, que não cometemos crimes e nos achamos bons para julgar o outro.
    Me dói um post desse, pois me dói alguém ter de conviver com a culpa de ter tirado a vida de outro e ainda sentir julgado pelos a sua volta.

  22. Li seu post ontem e só hoje me lembrei que também já passei por uma situação parecida – para ver que com o passar do tempo as coisas ficam naturais.
    No nosso círculo de amigos chegou um senhor, mais de 50 anos, e a esposa. Eles eram muito legais. Um dia minha mãe falou que ele já tinha sido um criminoso completo: roubar, sequestrar e matar como profissão. Falou também que ele já tinha quitado sua dívida com a Justiça. Eu fiquei chocada, isso me abalou um pouco. Toda vez que o encontrava eu lembrava disso e ficava com medo, vai que ele tinha uma recaída. A história dele não era segredo, mas também não era algo divulgado amplamente, porque né….De vez em quando ele nos dava umas dicas de segurança, e ele era a melhor pessoa para isso, já que ele tinha sido do ramo. hahaha
    Hoje não temos mais tanto contato pois ele e a esposa se mudaram, mas de vez em quando eles estão na cidade a passeio e é sempre bom encontrá-los. Ninguém ousaria imaginar que o passado dele foi esse, já que ele é uma pessoa tão boa. A gente não sabe o que está no coração da pessoa. A pessoa pode ter errado, cometido um erro gravíssimo como esse. Mas não em como saber o que está dentro dela. O seu vizinho, pelos atos, parece que é uma pessoa boa. Vai saber o que o levou a fazer o que ele fez.

  23. Bom, sabe minha opinião? Estamos cercados de psicopatas e assassinos em potencial. Pelo menos vc sabe que esse é e pode tomar as devidas precauções.

    AIQUEMEDA!!!!!

    Beijos

    Ana Cristina
    eucomosquatro.blogspot.com

  24. Curioso é que em poucas linhas o homem bondoso e querido da porta ao lado se transforma em um assassino feroz e contumaz. Leia de novo o texto e perceba.

    Não precisa ser melhor amiga, mas não precisa surtar de medo também! 🙂

  25. Carol…sábado passei por uma situação parecida com a sua…eu e meu marido fomos convidados pra um aniversário por um casal de amigos,que era ainversário de uma amiga deles, pois bem, fomos na balada, foi tudo legal, fotos pra lá, sorrisos pra cá, e na volta pra casa, eles nos falaram, que o amigo deles é contraventor, eu e meu marido quase tivemos um troço na hora, ficamos tão chocados que fomos pra casa mudos, no dia seguinte, meu marido fala assim…Tati..vc já pensou, se esse cara é preso, e nós saímos no jornal em fotos ao lado dele? eu falei assim…nem pensa, esquece.
    Nós só estamos preocupados, pq ficamos sabendo, se a gente não soubesse, estava "arriscado" a ficarmos amigos deles, a ponto de chamar eles pra virem aqui em casa, só estamos assim, pq sabemos.

    Então Carol…o mais interessante a fazer, é manter a "amizade" e fingir que você não sabe de nada. Li em alguns comentários, as meninas falando pra você ir levando e tal, e na minha humilde opinião eu faria o mesmo.
    Tipo…eu não vou chamar essa pessoa pra ir na minha casa (pq eu sei o que ele faz pra ganhar a vida, só por isso, preconceito mesmo), mas ele pratica um esporte com o meu marido, e pode acontecer delees jogarem juntos, e meu marido vai agir normalmente, como se nada soubesse.
    É só uma opinião, tá?
    Bjs!

  26. Carol, vou te dar um conselho do fundo do coração de quem tem grande amizade com uma pessoa que já cometeu muitos erros na vida, inclusive tirar a vida de outra pessoa.
    As pessoas mudam, melhoram, realmente. Assassinos em série matam por prazer. Se seu vizinho teve apenas um caso, e se mostra alguém amoroso com a família, não acho que você tenha que se preocupar. Ele não tem motivos para tirar a sua vida ou da sua família. E ele já pagou pelo que cometeu. Obviamente você não deveria ser a melhor amiga dele, mas agir cordialmente nos encontros e ser simpática é o suficiente.
    Acredite, pessoas que fizeram algo ruim podem ser pessoas boas.

Deixe uma resposta para Patrícia Boudakian Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *