por Pedro

A Carol andou escrevendo/fazendo vídeo/polemizando a respeito dos nossos cães e da ida deles para a casa da minha mãe. Apesar de sentir muita falta deles – de verdade sinto – acho que foi muito bom para o nosso filhote se desenvolver e fazer as coisas que está fazendo hoje.

Mas a verdade das verdades é que, para a nossa casa, pouco mudou. Quem tem um animal doméstico sabe que é preciso uma série de cuidados com sua casa pois, apesar de serem os melhores amigos, eles ainda são bichos. Lá em casa, por exemplo, nós fechávamos as privadas para eles não entrarem, fechávamos as portas dos banheiros para não puxarem o papel higiênico pela casa, protegemos todas as quinas de móveis para não roerem, ficávamos chutando seus brinquedos para os cantos na sala para podermos passar, ficávamos atentos para não mexerem na lixeira da cozinha, nos preocupávamos sempre que víamos algo não identificado nas suas bocas e tínhamos que ficar limpando xixi e cocô. E ainda nos mordiam, mesmo sabendo que nos amavam e nós a eles.

Sinceramente, não sei o que mudou pra gente. O Lucas insiste em tentar entrar na privada como o Ewan McGregor em Trainspotting. Decidimos que o melhor era manter a porta dos banheiros fechados por segurança. Se damos mole e a porta fica aberta, é batata que ele vai direto no papel higiênico redecorar a casa. Ele adora afiar os dentinhos no braço do meu sofá, um lindo. Depois do aniversário, mais do que nunca, tem pouco chão da sala nos brinquedos dele. Lixeira da cozinha = cofre de tesouro mágico que os pais chatos não deixam ele conferir. Se o moleque tá mastigando algo sozinho, significa que pode ser qualquer coisa, desde uma moeda até o que você menos imaginar [pensou alguma coisa bizarra? É pior]. Tudo bem, não precisamos mais nos preocupar com cocô e xixi pela casa, mas nossas roupas estão parecendo de hippies manchadas de água sanitária – só que de vocês sabem o quê. E ainda somos mordidos como forma de carinho tough love.

Recentemente, ele tem achado divertido roçar os dentes de cima com os de baixo, criando um som delicioso [#sóquenão]. Combinado com as bochechas abundantes, veja só uma foto recente de como ele fica quando faz isso [não reparem que esquecemos de cortar o cabelo dele este finde].

Sempre disse que criança era igual cachorro…

Pedro é o Maridón, Papaizón do bulldog acima, digo, do Lucas, escreve lindos contos infantis e também é papai de dois queridos caninos que hoje em dia moram no Brasil.

17 respostas em “Ser pai é… ver que nada mudou

  1. Pedro… Vc quer detonar a Carol, né? Hahahahaha! Depois dela quase se matar para explicar que filho é filho e cachorro é cachorro vc vem aqui e fala que é igual?

    Se preparem para os comentários das doidas do último post polêmico.

    Quanto a limpar cocô e xixi pela casa, é só uma questão de tempo. Espera só chegar a hora de desfraldar que vc vai ser tudo muuuito mais parecido.

    Ele está cada dia mais fofo!

    bjos para os 3 e muitas felicidades e fofurices.

  2. olha, já pensei sobre isso váááárias vezes, q muitas vezes bebês se assemelham a cachorros e vice versa e demandam trabalho parecido(tenho ambas espécies em casa pra poder comparar)
    e essa tara por papel higiênico então!!!! rs…

  3. HAHAHAHAHAH gostei Pedro (:
    Carol, denunciei a foto no facebook, absurdo total neh, abri a foto por curiosidade depois de ver que vc tinha comentado e vi aquele absurdo. beijos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *