por Pedro

É engraçado dizer isso, mas a verdade é que ser pai abre um mundo completamente novo para a pessoa. Sim, isso é todo um clichê de ser dito, na verdade, mas não me refiro a quanto você aprende a amar e se dedicar a uma pessoa, ou como se descobre capaz de parar uma bala ou levantar um carro com as próprias mãos se necessário. Isso tudo é legal e fantástico e surpreendente – embora todos te digam que é assim -, mas não é isso.

Eu estava me referindo a outra coisa que todo mundo também disse que seria assim, mas que eu também não acreditei. Ou não quis acreditar. As noites sem dormir.

Claro, claro, é óbvio que ter um filho pequeno e que acorda a cada 4, 3, 2 horas significa não dormir muito. E sim, a Carol dorme menos que eu. Mas acontece que mesmo que se o filhote dormisse uma noite inteira sem acordar desde que nasceu, ainda assim as noites continuariam semi-insônes.

É que as crianças insistem em acordar cedo. Como um relógio, elas despertam praticamente com a aurora. E o dia é bastante agitado, intenso, demandante de atenção. O que significa que, mais do que as noites perdidas, os dias foram mais “perdidos” ainda.

É por isso que as noites são semi-insônes, independente do quanto dorme o bebê. É a hora dos pais. Muitas vezes, com uma esposa que dorme menos do que eu, a noite acaba sendo a hora do pai. A hora de assistir TV, de usar o computador, de escrever, de ler, de se preocupar e de simplesmente não fazer nada. A noite é a hora do nãodormir.

Sim, meu verbo preferido há um ano. Nãodormir. Também achei que ele não existisse, mas como disse antes, um mundo completamente novo se abre com a paternidade. Eu nãodurmo, tu não dormes, ela nãodorme. Também se conjuga no plural, embora seja mais raro ser usado em conjunto: nós nãodormimos, vós nãodormis, eles nãodormem.

Então é isso, eu sou um praticante do novo verbo no meu vocabulário, o nãodormir. Enquanto escrevo este texto, estou praticando-o. E, segundo a minha mãe, será assim pelo resto da vida. Logo, decidi aceitar minha condição e afirmar com orgulho: #eupratico o nãodormir. Afinal, praticar nãodormir é sinônimo de paternidade. E não há nada melhor no mundo.

Pedro é o Maridón, Papaizón de Lucas, escreve lindos contos infantis e obviamente nãodormiu de ontem pra hoje.

19 respostas em “Ser pai é… nãodormir

  1. Que bacana este post!
    Gosto muito quando os papais participam dos blogs!

    Não tinha pensando no nãodormir desta forma. O papai aqui de casa tb anda praticando bte este verbo. Ele era um dorminhoco de plantão, mas agora espera os meninos dormirem pra curtir um pouco a TV, a internet e até dar uma caminhadinha básica (enquanto a mamãe tenta dormir uma sonequinha até a próxima mamada)

    É bem isso mesmo. O dia é das crianças. Nos resta a noite… (as vezes nem isso!)

    Beijos pra família!!
    Ju

  2. Muito legal o post!
    Por aqui marido não pratica o nãodormir. Pode passar um caminhão em cima que ele não acorda.
    Mas ele trabalha cedo, então nem critico. Mas que bate uma invejinha, ahhh bate!
    Bjo

  3. Putz. Que show esse post!

    Carol, sempre passo por aqui, mas sou daquelas que não comentam! Primeiro que ADORO seu jeito de escrever, dou risada mesmo, me super identifico! Pois tenho 2 fofuras! Matheus de 2 anos e 2 meses e a Isabela de 5 meses.

    Lendo o texto do seu maridón é visível que vcs são um casal super conectado, falam a mesma língua, estão no mesmo barco! E isso minha querida faz TODA a diferença nessa loucura deliciosa que é ter filhos!

    Eu acordo umas 4, 5 vezes a noite, quando a noite é boa 3. Claro que meu mais velho que antes dormia suuuper bem, agora quer a mamãe também! Pq se a irmã ganha carinho, pq ele não?!

    Pedro eu também pratico o nãodormir, pra tomar um bano, comer alguma coisa, conversar com meu marido e vagar pelos blogs da vida!

    Parabéns aos 2 pelo Lucas!

  4. Essa fase passa. Isaac agora dorme bem pra caramba e ele foi um bbzinho extremamaente dificil. Achei que nunca mais na vida eu dormiria, mas o dia da vitória chegou. Claro q eu acordo durante a noite só pra me certificar de que ele está respirando, mas isso é coisa de mãe mesmo.rsrsrsrs
    Gostei muito da sua participação.

  5. Owwn! adoro!
    é difícil, né? ser pai é se doar de corpo inteiro. Eu amo dormir e atualmente (ainda mais por conta da pós, tenho valorizado demais minhas horas de sono) para mim parece uma missão impossível ficar sem dormir ou dormir pouco. hehehhe

    Mas já estou me preparando mentalmente para isso! hehehe Por isso que minha mãe e minha madrasta dormem pouco, acordam cedo e eu não conseguia entender o pq disso! rs

    beijos, Ju

  6. e viva o não dormir!! só assim para não assistir o mesmo filme pela milhionésima vez ou cantar a mesma música ou ter que brincar de pega-pega…aiai, ainda bem que vale a pena!!

  7. Adorei!!

    Aqui em casa também praticamos este verbo diariamente!

    Meu bebê dorme as 19h, acorda as 11 para mamar e depois as 6h!
    As vezes não acorda as 11, mas meia noite, 1 ou 2…

    E eu durmo de meia noite as 6, todos os dias!!!!
    Ai que sono!

    abraços!

  8. Lindo post…amei…
    Meu marido apesar muito atencioso, paciente, atuante…dorme a noite TODA!!!!Até pq…qd acorda, Luíza quer o que???Adivinha???PEITO!! O que ele pode fazer???rsrsrsr

    Bjs….

  9. Oi Carol e Papaizón de Lucas, adoro o blog de vcs, mas pelo motivo descrito esse post, meu tempo qdo tenho é para dormir, kkkkk, por isso não tenho conseguido visitar a blogsfera tanto quando gostaria, mas qual foi minha surpresa qdo entrei aqui e ví esse video lindo desse bochechudo do Lucas e encontrei a música do Pato Full, mas gostaria muito saber da onde vcs conseguiram baixar ela, que não consigo achar em nenhum dos sites para baixar a musica. Agradeço a a tenção de vcs.
    Se quiserem, podem responder por aqui mesmo.
    Beijos
    Eli

  10. Carol, tenho gêmeas e aqui praticamos esse verbo em dobro o que significa NÃO DORMIR JAMAIS!!! Elas tem serios problemas com o sono tb, já desistir de tentar entender, agora só aceito que não dormirei mesmo pelos próximos sei lá quantos anos!!!
    bjs
    Aline

  11. Ai que legal Pedro! Parabéns por encarar o "Nãodormir" como um ato de amor e não de sacrifício (que eu sei que ele é! também passo por isso e com dois!!). Quisera todos os maridos pensassem assim!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *