Pronto, falei

Às vezes fico pensando sobre essa coisa blog e tal e no quanto me sinto um pouco fora de lugar nessa blogosfera materna. É que não tenho grandes opiniões, quase nunca me envolvo nas discussões acaloradas que surgem por aí (preguiça eterna, aliás) e me incomodo um pouco porque tenho a impressão de que a maioria é tão politicamente correta e perfeita... não sei se me encaixo.

Dito isso, decidi falar umas verdades sobre mim, sobre minha maternagem, sobre a minha vida. Talvez eu seja espinafrada ou talvez ninguém se incomode, não sei. Mas é que preciso fazer essas colocações antes de seguir soltando confetinhos felizes pras bochechas fofas do meu filho e demais assuntos descompromissados que trato por aqui.

Então acontece que:

· Ontem, acompanhando as notícias, fiquei super feliz com a decisão sobre aborto de anencéfalos no Brasil. Porque eu sou a favor da liberação do aborto, de qualquer tipo. Sou a favor da escolha da mulher e não me sinto capaz de me meter na vida alheia o suficiente pra dizer que fulana está certa ou errada de manter sua gestação (de bebê com problema ou não). E acho erradíssimo, leviano e irresponsável envolver religião nisso.

· Mas sou contra o MEU aborto. Acho que não abortaria nunca. EU, Carolina.

· Ainda sobre religião se metendo onde não é chamada: Mari, te apóio, escola (as que não se declaram religiosas, claro) não tem nada que ensinar a rezar, nem nada que fale de Deus e afins. Acredito em Deus, mas não tenho uma religião pra chamar de minha. Porém, meu marido é ateu e convivo com o raciocínio dele, ele convive com o meu e ambos nos respeitamos.

· E não batizamos nosso filho, embora ele tenha padrinhos. Não precisamos que nenhuma igreja nos diga que Lucas tem um casal especial e referência na vida dele além dos pais. Nós já dissemos e isso é o que importa.

· Sou contra publicidade dirigida a crianças e acho que a responsabilidade de educar é minha sim, mas também é da sociedade. Então divido com ela o peso de orientar, de direcionar, de não enganar, de respeitar. E vender pra crianças, do jeito que é hoje, é sim uma puta falta de respeito. Proibição e regulamentação não é censura, é respeito e responsabilidade.

· No âmbito mais pessoal: já apliquei Nana Nenê (pros leigos: já deixei meu filho chorando pra aprender a dormir). Verdade que foi um Nana Nenê bem adaptado, verdade que já faz muito tempo. Mas deixei meu filho chorando sim. E pasmem: não me arrependi. Porém, não funcionou totalmente (Lucas acorda bas-tan-te pra mamar ainda) e eu não tenho a menor intenção de repetir. Hoje sou uma das maiores attachment parent que conheço. Vai entender.

· Sobre Lucas acordando pra mamar: taí meu calcanhar de Aquiles. Eu amo. Amo que ele acorde, amo dar o peito. Amo tanto que posso dizer que é minha prioridade na vida atualmente. Sou viciada, acho fundamental, sou fã assumida e embasbacada da amamentação. Tanto que, há um mês e meio, quando meu leite secou e eu já tinha tentado tudo pra reverter a situação, decidi tomar remédio pra produção voltar. Arrumei uma puta briga com meu marido, que era contra. Mas, deu certo o tal do remédio. O leite voltou e estamos, eu e Lucas, ainda mais apaixonados pelo nosso momentinho. Prefiro 200 vezes ter apelado pro remédio do que dar leite artificial.

· Não tenho mais cachorros em casa.



Pedras ou tapinhas nas minhas costas: tô preparada pro que vocês quiserem me dar aí nos comentários.


80 comentários:

  1. Perdi o post que falava que não tem mais cachorros.. que aconteceu?

    Do resto.. vc ta certa, sua opinião é sua e vc faz o q quiser com ela!

    ResponderExcluir
  2. bom, penso bem parecido com vc. e principalmente penso parecido quando vejo que não dá pra ser tão perfeita, tão certinha. tudo tem suas diferenças. cada um se ve do jeito que quer e confesso.. muitas vezes prefiro ler o teu blog do que os outros mais "sérios". Porque maternidade eh isso.. eh cuspir pra cima e receber o cuspe na testona... eh ouvir tudo e fazer tudo exatamente o contrario pq o seu instinto te diz assim. Quanto aos cachorros, sinto muito que nao deu certo!!

    ResponderExcluir
  3. Oi???Sou a 1ª???Atè que enfim!!!rsrsrs

    Então Carol...tb achei justo a aprovação da Lei...a decisão de ter ou não deve ser da mãe...e não de uma lei!!!

    Lulu acorda 356 vezes na noite pra "mamar"( pq dar duas chupadinhas no peito e dormir em menos de dois minutos não é mamar né?!)e eu de verdade não curto essa acordadas notunas...maaaaasss o que fazer né?! Ela quer...eu dou!!!!Jmais negaria isso a ela, deixa que ela resolve qd não quiser mais!

    Tb tive que dar adeus aos meus cachorros...Davi alérgico...ele é prioridade né?

    Enfim....Pronto...falamos!

    Bjs...

    ResponderExcluir
  4. Puts...não fui a 1ª de novo!!!kkkkk!

    ResponderExcluir
  5. Meninas, sobre os cachorros: foi isso que a Aline falou, nao deu mais certo a relaçao. Os dois foram morar no Brasil, um com a minha sogra, outro com uma amiga. Os dois estao bem e curtindo muito a nova vida. E nós poderemos ve-los sempre que formos pra lá. Doeu e ainda dói que nao tenha dado certo, mas foi o que melhor se ajustou à minha família.

    ResponderExcluir
  6. Carol eu tenho 3 e moro em casa. Amanhã estará sendo feito um puxadinho pra eles no quintal. Meu coração está partido mas eu sei que é o melhor pra todos. Choro cada vez que penso, mas minha filha ainda é nova e tem muito o que acontecer e nem imagino o que fazer. Fora que o meu mais novo quer mijar a casa toda e agente vive cheio de taboas pela casa. Taboa no quarto, taboa no banheiro, taboa ateh no sofá. Isso é vida?

    ResponderExcluir
  7. Carol, apoiadíssima! Tenho um afilhado mto querido e amado, mas não fui lá na igreja jogar águinha na cabeça nem receber benção de padre pois essa não é a crença dos pais dele (nem a minha, diga-se de passagem). E isso não quer dizer nada! Ele é considerado meu afilhado sim, é mto querido, me chama de dindinha e tudo! E eu desempenho mto bem esse papel que, antes de tudo é moral e social (tipo uma segunda mãe, uma tia especial), e não religioso. Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Concordo 100%. Parecia que era eu que tava escrevendo o post. Exceto pelo fato de que como seu marido, tbem sou atéia e não morri de amores pela amamentação. Quando minha filha fez uns 6 meses e começou a se desinteressar, senti um alívio.
    Mas acho que vc tá super certa em tudo.
    Continue assim e fale mesmo!

    ResponderExcluir
  9. tô com a Fernanda. Parece que foi escrito por mim!

    concordo com tudo, inclusive com a parte dos cachorros.
    Aqui tbm não deu certo, mas, como não temos outra opção, seguimos.

    beijo!

    ResponderExcluir
  10. Somos duas ets no mundo materno, Carol!

    1) Amei a decisão sobre o aborto! Pela primeira vez eu estava torcendo muito por algo!

    2) Eu tbm não me imagino fazendo um aborto. Mas nao sou contra.

    3) Eu não tenho religiao e meu marido é ateu. Não batizamos Olívia. E nem iremos batizar. Ao contrário do Lucas, ela ainda nao tem padrinhos, simplesmente pq não achamos ninguem ainda.

    4) nunca apliquei nana nene pq eu sou mole mesmo! Nao tenho coragem. Mas nao sou contra!

    5) eu nao amei amamentar. Achei algo normal e corriqueiro que toda mae faz, tipo escovar os dentes entende? Mas nao condeno quem dá peito até qdo quiser ou quem nao dá peito nunca!

    6) Eu sou contra dar os cachorros quando um bebê chega. Sou mesmo. MAS sou mais contra ainda a manter os cachorros e não dar amor, carinho e atenção! Então se nao deu certo aí, por qualquer motivo, e você conseguiu novos e amorosos lares para eles, eu apoio! Só fico triste por eles, que devem estar sentindo sua falta. EU, Camila, nunca teria coragem de dar meus cachorros, mas respeito sua decisão pq sei que vc tentou.

    ResponderExcluir
  11. Post perfeito pra comentar o que eu sinto. Muitas vezes penso que sou a mãe de merda total. Começo a ler tanta coisa,e aí penso exatamente isso:Que preguiça! Parece que todas essas mães tem tantas opiniões e estão tão convictas na criação de seus filhos que aí nem sobra espaço para dúvidas...
    Tem todas essas questões que tu colocaste muito bem aí, e muitas outras como por exemplo a mãe que tem horror a televisão e jamais deixaria o filho ver um desenhinho enquanto relaxa nem que seja por uns minutinhos no sofá, a mãe que cuida de toda e qualquer trilha sonora que o filho possa ou deva escutar, a mãe que jamais daria paracetamol (vergonha, eu dava chá de funchicórea pra Ju, lembra?)a mãe que só usa fraldas de pano...
    Me parece um empoderamento tão grande com relação a tudo, que com frequência eu fico pensando onde me encaixo nisso tudo??
    Logo eu que sou tão cheia de medos, que tive uma gestação tão cheia de problemas e intervenções, que quando estou grávida procuro um casulo e me escondo dentro dele...Aí tentei voltar (ou estou tentando voltar) para o blog, mas justamente esse teu post, as questões que tu mencionou me fazem pensar se é o que eu quero mesmo. Acho essa troca toda fantástica, mas em algumas ocasiões eu fico confusa e acho tudo um porre e aí eu prefiro continuar quieta, lendo um ou outro blog que sempre me acrescentam, algumas vezes sei que perco, e muito...outras me sinto ganhando por estar "fora" desse mundo.
    Beijo grande!

    ResponderExcluir
  12. Carol,

    Cada um tem uma visão diferente de mundo! concordo cm vc na maioria das coisas, outras não! e viva as diferenças.. acho que a vida de ninguém é só flores, pelo contrário!!! e mais uma vez, admiro sua atitude de expor tudo isso assim, principalmente sobre o aborto onde a maioria das pessoas são contra!! seu filho é um lindo! beijo

    ResponderExcluir
  13. Eu sou outra preguiçosa que nunca se mete nas discussões acaloradas que rolam por aí...não tenho paciência, não quero mudar o ponto de vista de ninguém, já que acredito piamente que cada um sabe o que é melhor pra sua família.
    Enfim, cada um na sua, cada um com as suas escolhas.
    E seu baby, cada dia mais fofo, e isso que importa....hehehe
    beijos

    ResponderExcluir
  14. Ai, que bom que alguém falou! E foi alguém que eu adoro! Ufa!

    ResponderExcluir
  15. Sei lá Carol....não gostei, não concordo e fiquei triste com95% do que vc falou.
    Mas quem sou eu? Paciência....


    Sorte! Bjs

    ResponderExcluir
  16. Tirando o lance dos cachorros, que ainda não temos, apoio ever!
    não li nana nenê, mas já tentei deixar chorar sim. mas fui mole...
    pode continuar falando, sempre.

    bjs

    ResponderExcluir
  17. Olá ! sou a favor do aborto ,mas em caso especificoc, como o caso na anencefalia, o estupro e quando a mãe corre risco de morte fora isso sou totalmente contra pq simplesmente existe metodos dos mais caros aos mais baratos de se evitar uma gravidez!


    bjs

    ResponderExcluir
  18. Gostei tanto que venci a preguiça e resolvi comentar!

    Fiquei pensando na questão dos cachorros. Não se culpe, nem culpe a mudança na sua vida. Não acho que foi a chegada do Lucas que mudou tudo. A própria vida muda.Você e o Pedro com jornadas longas de trabalho, fica muito difícil cuidar. Parece loucura, mas em algumas coisas animais exigem mais que crianças. Afinal, Lucas pode ir pra creche, pode até te visitar no trabalho, ficar com babá, amigos, acompanhar no mercado etc. Animais, não. É difícil conseguir tempo livre e encaixá-los fora da rotina.

    Eu que trabalho de casa já sinto a responsabilidade. E fico pensando como vai ser com o Lucho quando eu terminar o doutorado e começar a trabalhar fora.

    As pessoas criticam e dizem que quem doa não gosta o suficiente e besteiras assim. Eu acho o contrário: tem que gostar DEMAIS pra reconhecer que pra ele é melhor estar com outra família.

    Beijos enormes, querida, 2a tô aí e QUERO ver essas bochechas!

    ResponderExcluir
  19. Ah, e viva o direito de escolha da mulher!

    ResponderExcluir
  20. Viu, Carol?
    Não estamos sozinhas. Li cada comentário deixado até aqui e me senti aliviada por ter escrito o que a maioria sente.

    Concordo muito com vc. Acompanhei os dois dia de votação pela TV Justiça, veja bem e vibrei com mais essa conquista da mulher. Sou a favor da descriminalização do aborto, pq enxergo que ele existe, mas de forma clandestina.

    E sobre a maternidade é isso. Temos opinião sobre um assunto, experimentamos, não gostamos e mudamos de opinião. E a vida segue. Tentativas e acertos.

    Beijo pra vc

    ResponderExcluir
  21. Carol,
    eu penso e.xa.ta.men.te da mesma forma que você em todos os pontos.

    Menos a parte do cachorro, porque não sei exatamente o que aconteceu.

    E principalmente a parte do aborto, até porque já passei por um e não desejo pra ninguém.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  22. Carolll!!!!!! Vai ser feliz, da melhor maneira q vc acha q pode ser!!! Isso vale pra todo mundo!
    Eu cada dia vejo mais q nessa tentativa das pessoas serem politicamente corretas, estão falhando e se tornando cada vez mais preconceituosas, não existe mais respeito com a opinião alheia. Minha frase lema é: O que é bom pra mim,nem sempre é bom pra vc!
    Confesso que escrevo aqui com medo, pois uma vez fiz um comentário em um blog que acabou virando tema de blogagem coletiva,em nenhum momento citaram meu nome ou meu comentário, mas qd ví o q ele gerou, me senti a mais pateta das mãe do mundo, mais um pouco ia tatuar em letras garrafais "MÃE de Merda" na testa.
    Concordo em várias coisas com vc... em outras, apenas nunca pensei a respeito e tenho preguiça de pensar... minha cabeça já é tão ocupada com o q minha filha vai comer, q hrs vou busca-lá na escola, como vai ser o nome da minha polly e q roupa vou vestir na boneca enquanto brinco, e tento pelo menos a ter a mente inocente da minha filha...
    Que na verdade verdadeira, por enquanto está cagando pra tudo isso q é discutido. E q qd crescer, vai ter seus próprios ideais.
    Bjos

    ResponderExcluir
  23. Aborto é e sempre será assassinato. Um dos tipos mais cruéis. Fácil falar que apóia sendo que vc já nasceu né?!
    Se o pai e a mãe (se é que podem ser classificados assim) não querem filhos, ótimo. Usem métodos anticoncepcionais com responsabilidade, que com certeza funciona. Ou tirem a própria fertilidade através de laqueadura/vasectomia. Ou não transem.
    Peraí, as pessoas conseguem viver sem transar?! Claaaaro que conseguem. Vai dizer que é mais absurdo que matar uma criança?

    ResponderExcluir
  24. Ei! Concordo com você e penso que deve ser horrível demais para uma mãe saber que está carregando na barriga um neném anencéfalo...agora deixa eu te perguntar uma coisa: Qual é o remédio que estimula a lactaçào? Eu volto a trabalhar mês que vem e já começamos as papinhas (até esta semana era meu leitinho exclusivo), mas estou morrendo de medo do meu leite diminuir e precisar dar leite em pó, já que as mamadas vão diminuir...

    ResponderExcluir
  25. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  26. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  27. Eu tbm tenho mo preguiça de me manifestar, mas já q vc abriu um precedente me senti instigada, talvez por pensar diferente, mas gostaria de deixar claro q discordar não implica em deixar de gostar, pq afinal opniao é q nem c..., cd um tem o seu.
    Sei q parte da minha opniao é influenciada pelas minhas crenças, afinal é o q eu acredito. Apesar de católica tbm achava q o aborto deveria ser descriminalizado, e q cabe a cada mulher conviver c a culpa ou não dos seus atos, porém após uma frase q vi nessa discussão toda me fez entender o papel da igreja: viver para defender aqueles q não se defendem sozinhos, independe se há cérebro ou não, estupro ou não, é um ser e acho q sim, o estado tem q zelar pela vida.
    Qto a batizar acho q não se deve fazer um ritual no qual não se acredita só por convenção social.
    Não usei o nana neném mas fui adepta da Encantadora e pra mim foi mt útil, me ajudou a perceber as necessidades da minha filha no momento mais adequado e é claro, a criar uma rotina.
    Em relação ao movimento contra consumo infantil penso q só entra/dou ao meu filho o q eu permito e q nisto sim o governo não precisa se meter, mesmo pq nossos hábitos de consumo são o q mais contam nisso td
    Sobre a amamentação, e outras coisas tbm, acho q a gente tem q seguir o nosso coração. Eu tomei a decisão de deixar de amamentar aos 11 meses pq estava ficando mt cansada c as acordadas noturnas e ela nem mamava, só chupetava
    Ainda hj ela acorda pelo menos 1 vez a noite só pra sentir q a mamae ta porperto mas estou felizzzz assim.
    Qto aos cachorros não vou pitaquar pq nunca tive e acho q já falei demais, rs.

    ResponderExcluir
  28. Clap, clap, clap, clap!

    Adorei!

    ResponderExcluir
  29. Olá! Adoro seu blog... adoro seus comentários. Concordo contigo!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  30. Comments sobre o post:

    - tb tava torcendo muito para a liberação de aborto para anencéfalos;

    - tb sou a favor do aborto, acho que é uma escolha da mulher que ninguém deve meter o bedelho;

    - não digo que nunca faria, mas certamente tal tipo de decisão é hoje pra mim muito difícil depois que me tornei mãe;

    - tb sou contra escolas que rezam, especialmente as públicas, a não ser que a escola se coloque como escola religiosa tb;

    - não batizei, nem vou batizar meu filho e ele não tem padrinhos (assim como eu tb nunca tive);

    - sou ateia (é assim que escreve?) e meu marido, apesar de não seguir nenhuma religião específica, acredita em Deus - às vezes temos nossos embates por isso;

    - sou contra publicidade para crianças, mas sou consumista até a última gota (contradição é meu nome);

    - tb tenho uma história bem sucedida de amamentação e sou tão apegada a isso quanto o Davi é do meu peito;

    - não tenho cachorro e nem teria por causa do Davi; já basta o trabalho que o meu filhote me dá.

    bjim

    ResponderExcluir
  31. Sabe, eu era radicalmente contra aborto, até que aconteceu comigo: um filho bebê, recém separada, grávida e sozinha. Cuspi pra cima. E aprendi, na marra e por experiência, que ninguém tem o direito de julgar ninguém e ninguém está obrigado a concordar com ninguém. E que ninguém pode falar: jamais faria uma coisa dessas...
    Adoro seus posts.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  32. OI CArol respeito sua opnião apesar de não concordar a cerca do aborto seja lá de qual tipo for.
    porém, tbém ñe stou aki pra julgar, principalmente de anacefálos, agora, na minha opnião, ninguem tem direito de tirar a vida, pois se ñ quer, ñ faça filho, mas, se ainda assim esse vir, tem um monte de mulheres loucas p/ adotar uma criança e dar amor, então, melhor dá para adoção.
    Qnt a crê em Deus ou uma religião, bom, prefiro ñ comentar, ñ sei como alguem consegue viver sem crê em nada, mas, acho q tdo é experiencia e oportunidade, então, tdo tem seu tempo.
    Amo seu blog, seus posts, e com certeza os pais são os maiores e principais referencias dos seus filhos.
    abraços, e bom fds.

    ResponderExcluir
  33. Ufaaa to aliviada não sou a única a comemorar a aprovação do STF, não falei nada não por medo mas por preguiça!
    Beijos

    ResponderExcluir
  34. Nossa, tb tenho preguiça monstro de entrar em discussões. Adoro ficar na minha. Mas gostei de saber mais de vc. Tenho muito em comum, mas se não tivesse daria no mesmo, continuaria te achando super bacana.

    Sobre mim, eu falo sozinha, não gosto de ter alguém limpando minha casa, não tenho religião, sou agnóstica, meus filhos não foram batizados, não casei na igreja apesar da minha família super católica, dei formula pra complementar amamentacao no inicio pois Lily não estava ganhando peso e meus seios doíam demais, amo amamentar (exclusivo agora), meu ingles ta bem melhor mas não é perfeito, como chocolate escondido.

    Acho que é o principal. Ah sim, rio super alto. :)

    Beijos!

    ResponderExcluir
  35. eu tbm sou muuuito preguiçosa para me manifestar, sinal disso é que acompanho aqui quietinha desde que você estava esperando o Lucas e até antes...

    como você eu me sinto diferente das pessoa, afinal nem toda garota de 17 anos como eu tem o interesse de acompanhar um blog sobre assuntos que não fazem parte do seu dia-a-dia, mais são coisas que eu quero muito pra mim, ter uma familia,me casar e tal kkk
    então, esse comentario foi mais mesmo para uma apresentação haha
    então, prazer Carolina :)

    ResponderExcluir
  36. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  37. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  38. Concordo com tudo que tu falou tbm!!!
    que pena que não deu para ti ficar com os dogs. Mas só o fato de tu ter arrumado um lar para eles já merece meus parabéns. beijos

    ResponderExcluir
  39. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  40. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  41. Bem Carol esses temas são bem polemicos e é logico que vai ter o time do contra e os que são a favor. Eu tenho minha opinião formada em cada um deles, mas sabe, eu sou bem tranquila porque simplesmente eu respeito a sua opinião e esse é o grande lançe da coisa. Ninguém é obrigado a pensar exatamente igual, mas acho importante a gente se posicionar de um lado porque essa coisa de ficar em cima do murro sim que é foda.
    -Eu sou a favor do aborto somente em caso de estupro #PONTOFINAL.
    -Eu sou católica, acredito em Deus e batizei a minha filha porque essa é a minha crença a minha ideologia e cabe a minha filha mais para frente decidir se ela continuará pensando como eu ou não.
    -Já deixei a Mariana chorando e não me culpo nem um pouco por isso e sabe porque? É muito fácil tentar passar a idéia que se vive em um mundo cor de rosa, que tudo são flores etc...No dia a dia é que a gente vê o quanto é dificil cuidar de um bebÊ e infelizmente tem horas que a nossa paciencia acaba.Mas sou mole também e muitas vezes nem consigo virar as costas que já estou lá de novo tentando agradar rs.
    - Mesmo com toda a luta com a APLV eu amo amamentar a Mariana e deixe que ela mame porque pra ela é a melhor coisa no momento.
    -Eu tenho 3 cachorros que estão aqui comigo e vão ficar aqui até eles partirem. Lógico que as vezes rola stress porque a Mariana ainda tem aquele carinho bruto e eles não curtem muito e vivem rosnando pra ela.
    "Grande parte da vitalidade de uma amizade reside no respeito pelas diferenças, não apenas em desfrutar das semelhanças. "
    James Fredericks
    Beijão enorme e bom final de semana.

    ResponderExcluir
  42. Olá, Carol!
    Faz muito tempo que acompanho seu blog, mas nunca comentei.
    Que pena que não deu certo com os cachorros.
    Tenho um bebê de 4 meses e duas cachorras. Sou voluntária em uma ONG que trabalha com terapia assistida por animais, e as minhas cachorras são terapeutas na pediatria do Hospital da Unicamp. Elas entram até na UTI. É um trabalho muito bonito e é incrível os resultados, principalmente com crianças que moram no hospital.
    Está sendo maravilhoso a convivência delas com o Pedro, elas ficam o tempo todo junto conosco e amo tê-las por perto. Aqui em casa, não tive dificuldade nenhuma, muito pelo contrário, elas ajudam muito. Para mim, continuam sendo filhas, da mesma forma que era antes do Pedro nascer, filhas caninas... mas, filhas.
    Beijos

    ResponderExcluir
  43. Ah, não estou te julgando, de forma alguma, você não tem culpa, não deve se sentir mal... eu só quis mostrar uma experiência que deu muito certo.
    Beijos

    ResponderExcluir
  44. Concordo com vc em tudo, a gente nunca ia se estapear, ahahaha!
    Claro que temos coisas diferentes (muito poucas na teoria e algumas na prática), mas o que vc faz é tão sincero e tão seu que não tenho como não respeitar, sabe?
    Eu às vezes tenho medo de achar que passo imagem de mãe perfeita, corrtíssima, coisa que, obviamente, não sou. Mas eu já disse lá; não idealizem minha vida! Se o recado foi entendido ou não, eu não sei, mas é isso.
    Beijos

    ResponderExcluir
  45. Quanto ao aborto, só sou a favor em casos excepcionais. Digo isso em relação ao Brasil, pois infelizmente é um país onde a maioria da população ainda é irresponsável.

    Se hoje, mesmo o aborto sendo crime, as mulheres, e muitas vezes adolescentes, não se previnem... por mais que a prevenção seja dada gratuitamente pelo governo, imagine se o aborto em qualquer situação fosse legalizado, e a prática fosse oferecida pelo SUS... então ninguém mais se preveniria, e ainda poderia trazer um razoavel aumento de DST's...

    se o aborto fosse legalizado por aqui, a prática seria mais comum do que arrancar um dente!

    Ah, que peninha pelos cachorros... mas ao menos não foram abandonados, como muita gente faria..


    ps: adoro seu blog

    ResponderExcluir
  46. Ah, sei lá! Vc amava tanto os cachorros antes do lucas nascer... Eles eram seus companheiros... Estavam com vc nos momentos dificeis.... Acho que vc se precipitou, um pouco mais de paciencia e vc conseguiria manter os cachorros e eles e o lucas seriam bons companheiros na infancia! Mas já foi!

    ResponderExcluir
  47. Olha, eu não escrevo de preguiça mesmo. As vezes me pego pensando que posso passar uma imagem enganosa de super mãe no blog, mas tenho minhas proprias opinioes bem controversas...
    Ah, e o filhote aqui tambem nao foi batizado, até já postei sobre isso. quanto aos cachorros, a nossa gata viveu conosco dentro de casa, dividindo atpe a nossa cama até que Arthur tivesse cerca de 14 meses. Depois disso vimos que não estava funcionando bem e ela passou a morar no pátio, no salãozinho onde fazemos churrasco.Arthur adora ela, faz carinho, chama, mas é ela lá e nós aqui. E a casa ficou bem mais limpinha sem aqueles pelos todos. Enfim, acho que cada um tem que organizar a sua vida de forma que não seja estressante, que seja saudável e propicie alegria para o consívio da familia toda. Se funciona bem pra ti assim, ninguem tem o direito de julgar.

    beijos e parabens pelo filhote, ele esta mais lindao a cada dia.

    ResponderExcluir
  48. Carol acabo de ler seu post e ainda acabo de ler o comentário anônimo acima de quem não tem coragem de assinar.. Não sei se vc conhece, mas enfim...
    Concordo com vc quanto várias coisas, senão todas as coisas... E acredito que temos que fazer as coisas que nos deixam bem e com o coração tranquilo...

    Beijocas
    Carol

    ResponderExcluir
  49. Bem resumidamente: penso muito parecido com vc. Não critico quem pensa diferente de mim, mas tbém não gosto de ser criticada.
    Parabéns por expor aqui sua opinião!
    Bjo

    ResponderExcluir
  50. Oi Carol, adorei. Orgulho de ser tua amiga. Silvia Clariá

    ResponderExcluir
  51. Carol,

    sou contra o aborto, mas não sou contra a legalização, então não comemorei, nem fiquei triste. Se meu filho fosse anencefalo, não faria.

    Sobre a publicidade dirigida a crianças sou contra, a principio, mas então como seria? Proibir a publicidade, não sei. preciso pensar mais a respeito.

    Nunca apliquei Nana Nene, sou contra. Mas não digo que nunca faria. Meu bebe não é muito chorão e se ele acorda, eu saio correndo ou cutuco meu marido para ir no quartinho dele. Ele tem 7 meses e por enquanto é assim.

    Também amo amamentar, não tenho previsão de parar, apesar de muitos já perguntarem o clássico: ele AINDA MAMA?

    Minha cadelinha mora na minha mae!

    No mais você é linda e eu amo seu blog!

    mil beijos!!!

    Cristina

    ResponderExcluir
  52. Carol,

    Percebo que ultimamente, em muitos dos seus posts, você demonstra uma grande preocupação com o que as outras pessoas, mas precisamente, com o que as outras mães vão pensar de você. Se vão te julgar, se vão te aprovar, se vão te aceitar no grupo das super mães biônicas.

    Eu não tenho filhos, e talvez isso faça com que meu comentário perca um pouco da validade (além de ser um comentário anônimo), mas nem por isso deixo de notar que existe todo um movimento, quase que um fenômeno que prega a maternidade ideal como a única forma de se ter uma família feliz e saudável.

    Gosto de você, gosto do seu blog, e principalmente admiro a sua criatividade e a sua percepção de vida. Admiro a sua honestidade e o seu comportamento aberto a opiniões.

    Mas Carol, nunca, nunca se esqueça de que você sabe o que é melhor para a sua família, para a sua rotina, para o seu filho.

    Sem querer ofender ninguém, mas ali na sua lista de blogs existe uma grande competição, e isso é claro. Parece que entraram todos numa forma, foram todos padronizados, ou que fizeram uma lavagem cerebral.

    Bom, tudo isso pra dizer que eu espero, de coração, que você aceite as suas próprias convicções, que páre de se censurar tanto. Volte a escreve rpra você mesma. Páre de se desculpar como se você realmente tivesse culpa de alguma coisa.

    A diversidade é tão importante, a vida é tão curta, não se prenda a uma forma!

    Abraços!

    ResponderExcluir
  53. Adorei o comentário anônimo!!!
    E gostaria de comentar outra coisa, tem uma mãe mais acima que cita, que as pessoas não se previnem e que então entreguem o filho pra adoção...
    Gente alou... não estamos falando apenas de sexo casual que acaba em gravidez, isso deve ocorrer muito em mulheres que desejam, e muito um filho, ninguém está livre de uma gravidez de risco e de má formação de um feto. Acredito que a maioria dos abortos naturais ocorrem por conta disso, a própria natureza se encarrega de não aumentar ainda mais o sofrimento da mãe (sinto muito se estou tocando num assunto delicado).

    ResponderExcluir
  54. Carol,
    que bom que a "patrulha dos defensores da humanidade dos cães" não se manifestou desta vez, como ocorreu no seu último post sobre os cachorros!
    Você agiu certo, no momento em que, sem nenhuma crueldade, escolheu a solução adequada para a sua nova realidade familiar. Procurou assegurar boas condições para os seus animais, mas priorizou a saúde do seu filho e a sua sanidade mental.
    Acho que a maior parte dos blogs idealiza excessivamente a maternidade, estabelecendo padrões praticamente impossíveis, e que, sinceramente, não são garantia nem de sucesso, nem de felicidade.
    Também acho que muita gente posta o que gostaria de sentir em situações inevitáveis (completude e prazer absoluto em cuidar em tempo integral de casa e filho, sem trabalho e sem renda), do que o que realmente sente nesse contexto (momentos de alegria e real prazer familiar intercalados com momentos de tédio, frustração, vazio, desvalorização social e familiar por não se trabalhar fora, etc).
    Ignore a falsa perfeição das "mães de blog"! Você faz muito mais que muitas delas e contribui, realmente , para o debate quando se dispõe até mesmo a "confessar seus podres".
    Parabéns pelo blog. Leio sempre e me divirto horrores.
    Beijos
    ANA (uma mãe que trabalha e ama trabalhar) - Salvador/Bahia.

    ResponderExcluir
  55. Concordo com tudinho q vc falou, carol... Em numero e grau... Abracos!

    ResponderExcluir
  56. Eu sou a favor do aborto, acho que cada um tem que ser livre para tomar a decisão que lhe convém. Mas eu Júlia não faria. Não sabia que foi preciso tomar remédio para continuar a produção... como funciona? tem que tomar este remédio apra sempre? ou é só durante um tempo? bjus

    ResponderExcluir
  57. Carol,
    Gostei do comentário anônimo ali de cima, não se desculpe por ser quem você êh. Por tudo que já li seu aqui no blog, você parece ser bem bacana, mas na verdade suas opiniões pouco importam pra mim, vou continuar sempre lendo seus textos, que são bem humorados e principalmente bem escritos. Agora o que me interessa mesmo êh saber qual este remédio milagroso que aumenta a produção de leite????? Pelo amor de quem/que você crê me fala, estou desesperada com um bebe de 10 meses que ama mamar, mas meu leite ta secando. Beijo. Renata nm.renata@hotmail.com

    ResponderExcluir
  58. Não sou a favor do aborto.
    Cresci dentro da igreja católica, hoje não sou mais, mas, sou cristã. E mesmo não tendo mais uma religião para chamar de minha, quando tiver um filho, quero batizá-lo.
    Sou contra publicidade dirigida a crianças.
    Concordo que se a escola não se declara religiosa, realmente não tem que ensinar a rezar.
    Quando eu tiver um filho, vou fazer igual a vc, amamentar até quando eu e ele(claro) quisermos, afinal de contas, o peito é meu.
    Aaaaaamo dogs, mas não tenho, moramos em apartamento e meu marido é super alérgico, por isso não temos. Mas, se tivesse e isso fosse prejudicial ao meu futuro filho, faria igual a vc tb, arrumaria um outro lar para eles.
    Discordamos em alguns pontos e concordamos em outros e nem por isso deixo de gostar de vc e do seu blog, que aliás é o máximo!!!!!!! E é um dos poucos em que sou fiel(apesar de não comentar sempre).
    A vida é feita de diferenças Carol! Relaxa e aja conforme suas intuições!!! Seu filho é lindo, vc é linda e tem uma família linda. Ninguém é tão perfeitinho quanto parece. Aliás, como já disse o poeta: de perto, ninguém é normal!!!! bjo

    ResponderExcluir
  59. Esta preparada mesmo pra ouvir o que tenho pra te falar??? Que pena que nao moramos na mesma cidade pq acho que seriamos melhores amigas! rsrsrsrs Moro nos EUA e nao me encaixo neeeeeeeeeeeeem um pouco com essas maes politicamente corretas daqui, que sao perfeitas que nunca reclamam de nada ou nunca gritam com os filhos ! Da licenca eu sou latina, impoliticamente correta e as vezes meu sangue ferve mesmo com a minha "terrible 2"! Tambem sou a favor do aborto, minha filha nao foi batizada e tambem tem madrinha sem igreja, tambem ja fiz cry it out(e deu certo!) e minha filha so assiste PBS(uma especia de tv cultura do brasil que quase nao tem comercial) porque ainda nao quero que veja publicidade de canais infantis! Adoro seu blog!

    ResponderExcluir
  60. Seguindo a linha de ser impoliticamente correta e imperfeita, vc ja leu esse texto? http://www.huffingtonpost.com/glennon-melton/dont-carpe-diem_b_1206346.html

    ResponderExcluir
  61. Não tenho que concordar nem que descordar de nada, essa é a sua vida e todos deveriam ter mais respeito pelas opiniões alheias, decisões diferentes todos vamos tomar em algum momento, mas super concordo com vc de que a blogsfera materna pinta "gente perfeita e entendida" demais...
    beijos

    ResponderExcluir
  62. aff impoliticamente correta doeu...politicamente incorreta! sao mais de 10 anos morando fora galera!

    ResponderExcluir
  63. Carol, concordo com o aborto mas desde que seja em casos extremos. Quem engravida por imprudência deve carregar o peso de um ato irresponsável.
    Já deixei minha segunda filha chorando pra dormir, foi a única coisa que funcionou.
    Detesto as propagandas direcionadas ao público infantil, acho que deveria ser proibido, mas tbém acho que isso vai demorar muito pra acontecer.
    Tbém sou contra as escolas assumirem posturas religiosas qdo não fazem parte do "currículo", cada um tem a sua ou não, e isso deve ser respeitado, infelizmente no Brasil e maioria dos países católicos todos entendem ou querem fazer entender que vc tem que puxar pra esse lado...sou evangélica e respeito totalmente todas as religiões ou quem é ateu. Cada um no seu quadrado!!!
    Sobre os cães, se não deu certo e vc considera como a coisa certa relaxe. Qdo engravidei do meu primeiro filho tinha um gato e antes dos 3 meses de gravidez mandei ele pra casa de uma veterinária amiga. Sou muito neurótica pra essas coisas e não me arrependo de maneira alguma pela decisão....
    Amo seu blog, seu jeito de escrever e tenho vontade de morder o Lucas pois ele é fofo demais. bjs

    ResponderExcluir
  64. Oi Carol. Amo seu blog e como vc escreve, me divirto lendo vc.

    Quanto ao post:

    Não sou a favor do aborto, só Deus dá a vida e só ele tira. Sei bem o que é querer ter um filho e não poder.....fiz FIV e graças a Deus consegui na primeira tentativa.
    Quanto aos cachorros fiquei morrendo de pena, mas cada um sabe o que faz. Espero que tenha conseguido uma casa bacana pra eles. Só sinto pelo fato de que eles nunca esquecerão você e devem estar sofrendo muito apesar de não poder demonstrar.
    Mas eu respeito a opinião de todo mundo, inclusive a sua.
    Um beijão pros 3!

    ResponderExcluir
  65. CAROL,

    Qto aos outros blogs isso me irrita mto, pq ninguem vive uma vida perfeita como mtas tentam mostrar, só que essas não tem coragem de mostrar a cara, como você faz, por isso seu blog é um dos que mais gosto de ler, pq mostra a vida como ela é. Qto ao resto todo concordo com ve e respeito..realmente religião não tem que ser imposta a ninguém e sim sentida, senão vira um religioso falso e é pior ainda né?

    Qto aos cachorros, respeito sua decisão afinal a vida é SUA, e sem dúvida é melhor dar os cães a um lar que de mais atenção a eles, a única coisa que não entendo é como uma amor tão grande, como o que vc tinha por eles, pode acabar assim e ainda, separar os dois deve ter sido bem tráumatico para eles, pq já ficaram sem a afamília original e agora sem ao outro. Mas ok, o que importa é que estão bem tratados e vc conseguiu resolver seu problema e adaptar melhor as coisas na sua casa.

    bjs

    ResponderExcluir
  66. Cada um sabe o que funciona melhor na sua casa e com seu filho e pronto. Ninguém tem nada a ver com isso.

    Se vc tá felizona em acordar 365x por noite pra dar o peito, isso é um problema seu, e de mais ninguém!

    Se teus cachorros nãos e adaptaram (ou vc) com a vinda do baby, isso é problema seu e de seu marido e ninguém tem nada a ver com isso.

    Odeio dessas xiitas que vivem querendo impor suas vontades e pensamentos aos outros. Odeio essa gente que chama de "FRANK" mães que fizeram cesárea, ou que não amamentam...

    Acho que só pode ser muito hormônio... ou é doideira pura mesmo.

    ResponderExcluir
  67. Carol, por muitas vezes acho meu blog meio café com leite mesmo. Ás vezes levanto algumas bandeiras polêmicas, mas muito pouco.
    Sobre suas questões


    * Eu tbm não me imagino fazendo um aborto. Nem na questão da anencefalia. Acredito em milagres mas tb nos propósitos de Deus.

    * Como disse sou evangélica e meu marido tb. Acho q somos a única igreja evangélica que batiza crianças e o fiz pq é a minha crença.É uma opção, faz quem acha q deve fazer.

    * Uma vez li um livro q dizia,espere pelo menos 1 minuto antes de ver seu filho qdo ele chorar de madrugada. E foi assim q passei a dormir mais um pouquinho, pq ele realmente parava. Guilherminho só passou a dormir a noite inteira dps de 1 ano e 5 meses.

    * Amamentei até 1 ano e 3 meses e tb amei amamentar.

    * Não tenho cachorros, mas já tive. Me apego demais e sofri muito qdo a minha última faleceu.Preferi não ter mais.

    Beijoss

    ResponderExcluir
  68. Oi, Carol.
    Acredito, sinceramente, que cada um sabe o que é melhor para si e para sua família e, sinceramente, acho que você não é uma mãe pior que qualquer outra só porque não é tão preocupada com questões “politicamente corretas”. Sinceramente, também não sou e tenho total certeza do quanto amo meus filhos e de como sempre ajo pensando em fazer o melhor para eles. Então, somos as melhores mães que nossos filhos poderiam ter! Não penso sobre publicidade infantil, sobre males causados por desenhos animados, sobre se meus filhos rezam ou não depois das refeições na escola porque acredito na orientação que eu e meu marido damos a eles, nos valores em que acreditamos e que transmitimos a eles e nas explicações que eles recebem quando mencionam coisas com as quais não concordamos. Nossas crianças sabem o que podem ou não podem ter e por quê (independente de qualquer propaganda); ambos usaram fraldas descartáveis, mas economizam folhas de papel ao desenhar, sabem que não devemos desperdiçar água e que devemos separar o lixo, por exemplo; foram batizados, não frequentam igrejas, mas sabem rezar e agradecer pelas coisas boas da vida porque achamos que a fé é importante e que ter em que acreditar é uma grande ajuda nos momentos difíceis da vida. Amamentei meu 1º filho até 1 ano e 9 meses, amamento ainda o segundo (que está com 1 ano e 4 meses) e, se Deus quiser, seguirei assim nessa terceira vez. Nunca usei o Nana Nenê. Amo cachorros, tenho um em casa, não o daria, mas entendo bem quem não os acha compatíveis com crianças. Enfim, levamos a nossa vida com tranquilidade, sem transformar coisas que podem ser pequenas em grandes questões. E estamos muito bem assim.

    Em relação ao aborto de anencéfalos, li recentemente o depoimento de uma mãe que teve duas gestações assim e, na primeira vez, entrou na justiça no 3º mês de gestação para pedir o direito de abortar e só conseguiu a autorização no 7º mês de gestação (que justiça é essa que demora tanto e depois autoriza um aborto aos 7 meses de gravidez?!). Na segunda vez, ao lembrar de todo o sofrimento anterior, preferiu levar a gestação até o final, e sua filhinha viveu apenas 14 horas após o parto. Duas situações igualmente tristes e traumáticas. Baseado nesse depoimento e pensando nos casos em que é comprovada a incapacidade do bebê à vida, achei justo que a mãe tenha o direito de decidir. Embora creia que eu preferiria aguardar o nascimento do bebê. Porque naquilo que eu sou, por tudo em que acredito, sou mesmo contra o aborto. Acho covarde, egoísta, pequeno. Para mim. Não julgo quem faz, mas não consigo apoiar. Acho que não deve ser liberado porque muitas pessoas não sabem quais os limites dos seus diretos, e acho que vai chover gente abortando porque “não era o momento certo”, “não estava preparada” etc. E os métodos contraceptivos estão aí justamente para quando não é o momento certo...
    Enfim, cada um tem a sua opinião e o seu ponto de vista. Tenho certeza de que é da diferença – e principalmente do respeito a ela – que surge o melhor desse mundo.

    Bjs

    ResponderExcluir
  69. Ai como eu odeio quem é contra o aborto.
    Pessoas realmente que deveriam levar um tapa na cara e cair na realidade.

    Se não é aborto, são os gays, os ateus, as prostitutas, as drogas...

    Quando o pessoal vai se ligar e cuidar da propria vida? É religioso! Perfeito, va VC abraçar seu DEUS e deixe que não tem nada a ver fora disso!

    Carol minha linda, apoiada 100%!

    Tenho cachorro e tenho vontade de me dar um tiro quando no meio do meu dia, tenho que parar para limpar xixi e coco. NOJO!

    Beijo

    Marina

    ResponderExcluir
  70. Sou sua fã, adorei tudo que escreveu....
    Acho que se te encontro na rua eu peco um autografo, rsrs...

    Te adoro Carol.

    ResponderExcluir
  71. Dá cá um abraço, Carolinda!
    Juro que ainda lanço a blogagem coletiva "mãe supersincera", hahaha! Adoro esses arroubos de sinceridade nua e crua, é disso que a blogosfera precisa!
    beijo, flor!

    ResponderExcluir
  72. Oi Carol

    Amo o blog, que bom que estao felizes, isto que importa.

    bjs naquelas bochechas lindas...

    ResponderExcluir
  73. Carol,
    Que bom que vc não é politicamente correta e perfeita como algumas outras mães. Seu blog é um dos poucos blogs maternos que ainda leio, justamente pq além de escrever bem, vc sempre falou o que pensa, de forma divertida e bem humorada. Quem lê não precisa concordar com tudo, apenas respeitar.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  74. O que vcs fez com seus cachorros? Não sou a favor de cachorro em apê com baby, tanto que decidi engravidar e só depois de uns aninhos pensar em dogs. Mas fiquei curiosa.

    ResponderExcluir
  75. Ahhh, agora vi que vc deu para parentes! Não é a atitude mais politicamente correta, mas acontece demais.

    Não sou a favor do aborto a não ser em caso de risco de morte para a mãe. Mas acho que nem sequer nesse caso eu faria. Agora que estou grávida entendo melhor algumas loucas que já critiquei. Mas não é questão de religião e sim de amor à uma vida humana.

    De resto espero que minha baby durma a noute toda too! kkk Não aplicaria Nana Nenê mas a Encantadora fará uma rotina por aqui desde o primeiro dia de rn.

    Não quero deixar de amamentar (mínimo por 6 meses), mas não tenho nada contra uma Dr. Brown cheia de Nan às 00:00hs. E depois de uns meses com um Mucilonzinho. Se pedi liberar.

    ResponderExcluir
  76. Oi carol, tudo bem adoro seu blog, e concordo com muitas coisas que você pensa, adorei este post, sei que tem coisas que é tabu na blogosfera materna, seu post me encorajou a escrever um sobre religião no meu blog. Obrigada.

    Abraços

    ResponderExcluir
  77. Carol,

    li esse post quando você o publicou e desde então fico pensando o que te escrever...

    enfim, você sabe o quanto admiro esse seu blog, quantas vezes já te escrevi dizendo que é um dos poucos que gosto de seguir na blogosfera, porque sinto que é escrito por uma pessoa o mais próximo possível do real!

    e já conversamos vááárias vezes sobre a escolha de não dizer tais coisas, de não divulgar certos fatos e posições.

    parecia-me que essa era uma escolha inevitável se você pretende seguir com um blog.

    até que você vem aqui, e prontofalatudo de uma vez!

    fiquei surpresa, fiquei feliz, fiquei orgulhosa de você, fiquei querendo ter essa sua desenvoltura, de falar tudo e ao mesmo tempo não arranjar briga!

    sei, como sei, que às vezes é muito arriscado se posicionar com sinceridade. mas, por outro lado, não dá uma sensação infinita de autonomia, de "eu que sei o que é melhor pra mim, pra minha vida e pro meu filho", de liberdade de consciência, enfim, não é tudo de bom?

    aaahhhh, Carol, como gostei deste post!

    como compartilho de muitas das duas opiniões!!

    e como é bom reconhecer minhas opiniões numa pessoa tão bacana como você!

    sigo te seguindo!!

    beijão, querida!

    ResponderExcluir
  78. Acho que a mãe de um bebe anencéfalo tem o direito de seguir ou não c/ a gravidez, é um fardo muito pesado, algumas conseguem ir até o fim, outras não. Tenho uma amiga que passou por isso e ela quis ter o direito de ter sua filha em seu braços pelo menos uma vez, e assim o fez. Se eu conseguiria fazer o mesmo? só passando por isso pra saber)Sou a favor tbm do aborto em casos de estupro, afinal a mulher não tem responsabilidade por aquela gravidez. Fora isso aborto pra mim é assassinato. Vc teria coragem de matar seu filho que está fora da barriga? não né! então como ter coragem de matar um filho só pq ele ainda está lá dentro? Ainda tem a questão de que no Brasil as mulheres são super irresponsáveis, se o aborto for liberado elas sairão dando desenfreadamente sem o menor cuidado e no fim todos nós que vamos pagar a conta do SUS né.

    ResponderExcluir

baby-comment


up