É que ele arruma uma doencinha nova todo-santo-mês.

A de agora chama gastroenterite ou gripe da barriga ou rotavírus. Ele não foi completamente vacinado contra esse treco, por conta da alergia ao leite de vaca (não recomendado pro caso dele). Daí pronto, era deixa que o vírus bobalhão precisava. Um dia Lucas parou completamente de comer. Noutro, vomitou. No terceiro, diarreia.

Hoje tá assim: vomita a cada coisa que consegue ingerir. Faz vários cocôs, todos tão líquidos que não há fralda que segure, haja banho, haja roupa. Não quer comer sólidos. Só quer peito e, mesmo assim, muito de vez em quando e, mesmo assim, muito pouco. Água também só às vezes.

Já fui ao PS do hospital, já liguei pra pediatra e a recomendação é a mesma: paciência, muito colo, muito líquido. Que a coisa deve durar entre 5 e 8 dias (ai meus sais que ainda estamos no quarto dia e ele ainda não parou de vomitar!!) e não tem remédio mesmo. Se eu quiser, posso dar um contra enjôo, mas já dei e não fez nem cosquinha naquela criança vomitenta.

Humpf.

E eu tava toda trabalhada na maternidade-tranquila. Tá, eu to tranquila ainda, só que doença de filho é um negócio tão chato! Tão queria estar no lugar dele! Tão queria que ele comesse direitinho e não ficasse fazendo ânsia toda hora!

Mas, enfim, ninguém disse que ia ser fácil, né?

23 respostas em “Da chateação de mandar filho pra creche

  1. Carol, doença de filho é uma bosta. Primeiro filho, segundo filho, até do décimo filho deve continuar a mesma bosta. Se lamente, se reclame, que estamos aqui pra isso.
    Consolo: depois de um ano eles ficam menos doentes, e nós, menos desesperadas. Margarida deu febrinha, levei ao pedi no dia seguinte. Emília deu febrinha, levei pra passear.

  2. Carol, sei que não ajuda em nada, mas vou tentar (hohoho): é assim mesmo, o início da creche é sempre complicado, os primeiros meses são tensos e chatos. Mas depois passa, eles pegam tudo quanto é doença, depois acabam os vírus livres, pq eles já têm uma imunidade melhorzinha. É chato pra caraleo. Muito chato. Eu sofri muito – basta ler os textos do 7, 8 e 9 meses da Laura, os primeiros do berçário – mas hoje está mto diferente, realmente melhora.
    Segundo o meu pediatra, melhora MESMO com 2 anos. Mas até lá vai diminuindo a frequencia de doencinhas chatas.

    Entendo que é horrível ver filho sofrendo. Nós sofremos mais, bem mais do que eles. Mas estamos sempre ali para dar colinho sempre que precisam, essa é a bênção da maternidade.

    Beijos grandes, força na peruca!!!!
    E melhoras pro Luqui-Luqui, claro!!!! Melhoras e jato pro lindão!!!!

  3. Owww Carol logo seu meninão estará cheio de energia e animado, esse ciclo arduo que tem de esperar fechar irá passar logo se Deus quiser, toda mãe sabe entende e senti a mesma coisa que vc. Estarei orando para melhoras rápida. Amiga e o blog sobre brasilerio pergunta merrrmo é bárbaro kkkk Bjao.

  4. Ai, Carl, é uma merda, literalmente, mas é vírus e ele tem um ciclo de vida limitado, passa!
    Enquanto isso, dê o que ele precisa. Eu já melhorei sintomas de diarreia com homeopatia. Cali já parou de vomitar seguidamente com homeopatia (depois de uma intpxicação alimentar, não era vírus, mas, enfim). Acho que resolve mais que PS e, como são gotinhas, dificilmente eles colocam pra fora.
    Beijos

  5. Oi Carol, minha filha tava assim tbm! Pegou esse rotavirus e vomitava td que colocava pra dentro, inclusive agua. Ela vomitava e pedia pra tomar mais agua, ai eu dava e ela vomitava de novo, nem o remedio parava no estomago dela. no mesmo dia levei no médico, e apesar de aqui no japao eles quase nunca passarem remedio (é sempre na base do espera q passa), ele me passou 2 remedios, um pra ela tomar e outro supositorio, o supositorio era pra usar soh no caso do remedio oral nao parar no estomago, e como nao parou, usamos o supositorio. Parou de vomitar no mesmo dia, na mesma hora. Uns 30 min dpois já estava pedindo comida de novo. Ficou fraquinha uns 2 dias, mas já sem vomitos, e nem chegou a ter diarreia.
    Faz o terror com a pediatra e diz q ele tá malzão, assim que eu faço em Tokyo! ehehe Num instante eles arrajam uma solução pro problema das crianças. Se não é na base do exagero, num consigo nada desses médicos japoneses. Melhoras pro seu bb!

  6. Carol, quando esta maldita doença surgiu aqui no Brasil meu sobrinho tinha alguns meses, e ainda não existia a vacina. A principal orientação dos médicos foi para ter cuidado com as fezes do infectado. No período da doença usar fralda descartável e quando fosse jogar fora para não juntar no mesmo lixo da casa, era para colocar em saco exclusivo, amarrar bem e jogar fora logo. Todo este cuidado pq é contagioso até mesmo para quem limpar o bebê (que deve ser lavado ao invés de usar apenas lenço humedecido, como algumas mães fazem). Após a lavagem das mãos com bastante sabão, usar álcool.

    Que Luquinhas fique bem logo.

    bjos,

    http://maededudu.blogspot.com

  7. Laura passou por isso a mais ou menos um mês e na hora do desespero eu dava líquido de seringa. De pouquinho pra não vomitar, voltado pra bochecha pra não provocar ânsia na garganta.

    Tenta. Vai que…

    Bjos e boa sorte.

  8. Laura teve com 1 ano uma superbacteria que atacou tudo, muito vomito e diarréia com sangue. Talvez valha a pena fazer um exame de fezes para descartar a hipótese de bactéria, porque aí tem que tomar ATB.
    O duro foi a assadura… Só com aquele óleo para escaras que melhorou (dersani).
    Paciência e força para vc, não tem nada pior que ver filho doente!

  9. Carol! fica assim nao! realmente é uma mierda qq coisinha que nossos gostosentos peguem. O meu ficou ruinzinho tb, nao foi para o bercario, nao fui trabalhar, mas passou, esta otimo. Acho que o negocio é nao desidratar. Qdo ele conseguia dormir, eu enchia uma seringa de soro infantil (que o pediatra recomentou) e ele engolia. Passou, está ai, otimo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *