Conforme Lucas vai crescendo, a gente (eu, ele, Maridón) vai se vendo em situações sociais novas com as quais não sabemos direito como lidar. Outro dia, por exemplo, aprendi que bebê doente não vai pra escola. Como foi uma experiência muito delicada e natural – só que não – resolvi trazer algumas questões pra vocês pitacarem e ajudarem a evitar que a mãe experiente que vos fala – só que não – pague ainda mais mico nessa vida.

Situação 1: a festinha infantil
Fomos convidados pra primeira festinha de aniversário de um amiguinho aqui na Argentina. Já fomos a uma festa (a da Alice), mas era na Brasila, eu sabia que tinha que: levar presente-cantar parabéns-comer brigadeiro. Fora que era a Pat, não tinha muito essa coisa de comportamento padrão. Mas aqui na Argentina, sei lá. Mães internacionais, me ajudem, não sei como que é a festa infantil desse povo! De presente é brinquedo ou roupa? O convite se estende aos pais ou só um dos dois vai apenas pra cuidar do pequeno? Precisa chegar na hora pontualmente? E o mais importante: vai ter brigadeiro?

Situação 2: reunião de pais na creche
Essa é mais comum a todos os países. Fui convidada pra primeira reunião de pais e já siemocionei toda. Mas, logo me bateram as perguntas na mente. Fiquei sabendo, por exemplo, que, na creche do Lucas, os pequenos estarão com a gente na reunião – o que eu acho meio louco, será que eles vão deixar a gente se concentrar no que está sendo dito? E, fora isso: levo algo pra anotar? Caderno? Laptop? Levo perguntas? Preciso socializar com as outras mães? Preciso encher o saco do meu marido pra ele ir ou basta um dos dois? Pode tirar foto? Pode chorar de emossaum?

Situação 3: ele gosta mais da professora que de mim
Sempre achei essa afirmação a mais patética das afirmações patéticas que mães são capazes de fazer. Mas, ah, cuspi pra cima (pra variar), né gents? Estou seguríssima que Lucas tá numa paixão louca forever por essa mulherzinha. Pensem: ela cuida dele o dia todo. Brinca, está perto, põe pra dormir, alimenta, dá carinho. É praticamente a mãe dele! Eu achava que “eu dou o peito” era um master blaster super trunfo, até ver que ele está ficando cada vez mais emocionado ao chegar na creche. Pula no colo da mulher, sacode perninhas e bracinhas, grita de alegria, dá beijos babados, abraça. ELA. Quando eu chego pra buscar, ganho um sorrisinho burocrático tipo “ai, lá vem essa daí”. Pra ele sacudir bracinhos e dar gritos pra mim, só se ficar sem me ver uns 29 dias.Ou se quiser me agredir. Humpf. Prazer mesmo seria vê-lo se descabelando de chorar ao chegar na creche, né não? Confessem. Esse papo de “ai que ótimo, ele fica super feliz na escolinha” é ba-le-la. A gente quer sofrimento, a gente quer lágrimas. Enfim. A pergunta é: como LHE-DAR? Mato a professora? Providencio um acidente ou um vírus bem potente pra ela ficar de molho em casa uns meses anos? Tiro o bebê do colégio, abandono meu emprego, vou à falência e fico em casa com ele vivendo só de amor?

Muitas dúvidas.

30 respostas em “Como proceder?

  1. Vamos lá a ajudinha virtual…[olha a intimidade]:

    situação 1: Dê brinquedo com indicação para a idade do aniversariante, pq roupa pode não agradar o estilo dos pais ou ainda o tamanho não dá. Quanto ao convite quando é só para a criança isso vai descrito. Se não, vai os três, afinal o convite é para a família. O horário, chega meia hora depois do combinado, assim vc não corre o risco de pegar atraso na arrumação do aniver ou então não ter chegado ninguém.

    situação 2: anote todas suas dúvidas num bloquinho, nele tb vc anota promessas feitas pela escola, assim você lembra de cobrar. Já que as crinaças participam é bom que o pai vá tb pq vai ficar difícil dividir a atenção entre a reunião e o Luquinhas. É sempre bom socializar com as outras mães, assim vc colhe informações que talvés só elas saibam.

    situação 3: esquece este negócio de ver o bebê chorando, é bom sim que eles estejam se dando bem, pois pense comigo: se este afeto não existisse ele não iria se adaptar a escola e vc teria q pensar num plano B, ou mesmo se a professora fosse uma megera e maltratasse seu bebê, ai sim vc iria querer matar a criatura.

    Como mãe, blogueira e sua fã me sentir à vontade para tentar ajudar.

    Boa sorte!

  2. oi Carol,

    é meio louco esse negócio dos bebês estarem juntos na reunião. eles vão tocar o terror lá, hein?!

    olha, já trabalhei em creche e te garanto que mesmo quando eles sijogam pra professora e mostram que amam ela de paixão, ele não esquecem a mãe. quando começam a falar, qualquer barulho eles acham que é a mãe chegando. quando estão prontos para irem embora e esperando a mãe perguntam toda hora por ela. não se preocupe com isso e dê graças que ele gosta da profe pq é sinal de que ela cuida bem direitinho dele.

    beijos

  3. Carol,

    Festeja aqui na Argentina, se for em pelotero, é no horario sim, porque costuma durar pouco. As vezes tem comida para os pais, as vezes so cafezinho, mas com certeza, NAO TEM BRIGADEIRO!! Concordo que o melhor presente é brinquedo. E se o convite nao especifica, podem ir os dois, mas lembre-se de confirmar presenca antes se for em pelotero!

    Tbm acho BIZARRO isso de levar os filhos pra reuniao, mas na verdade as vezes é uma solucao (se nao, com quem deixa-los? nem sempre é facil resolver isso). A minha experiencia com a Maia (e agora a Giulia) é que as reunioes sao bastante informais, mas tambem sao bem genéricas. Se voce quiser discutir coisas específicas sobre o Lucas, melhor pedir um horário pra conversar só pra voce.

    E Giulia também ta super amando a professora dela, e eu tambem pensaba isso que com o meu peito ninguem pode, mas a verdade é que eu fico suuuuper tranquila de deixa-la lá sabendo que ela está cuidada e se divertindo. E ontem mesmo, pensando nisso, e nas relacoes em geral que os nossos filhos criam com pais, avós, irmaos, cuidadores e etc, percebi que o que é importante é a permanencia. Que essa relacao se prolongue no tempo. E quando eu falo em tempo eu digo aaaaaaanos. O Lucas sabe (ou intui, e vai saber mais lá na frente) que quem vai estar sempre aí pra ele sao voces.

    Beijos!!! Vamos juntar os crios um dia desses!!

  4. Carol, adoro pitacar… pq mãe que é mãe, adora se meter na vida das outras mães (quando chamadas a):
    1 – moro no Brasil mesmo, mas acho que bom tom levar brinquedo, por uma infinidade de motivos, mas, especialmente, pq eu prefiro que a Laura ganhe brinquedo a ganhar roupa – que as roupas eu mesma escolho as que acho que ela precisa, do tamanho que precisa, da cor que eu gosto mais hahahaha.

    2 – reunião de pais, eu nunca fui, mas imagino que estar lá com os pimpolhos signifique que eles ficarão em um lugar separadinho, brincando, quietinhos, não?!?!?!?! Se não, daí vc leva o marido COM CERTEZA, pq vc, mãe leoa que é, vai querer prestar atenção até nos perdigotos que a professora dele vai expelir, em tudo o que ela falar, nas orientações, nas broncas (dado a coordenadora ser um pouco brava, me passa pela cabeça que tenha uma ou outra bronca, não?), e daí, enquanto vc anota freneticamente tudo o que ela fala, o marido fica com o Luqui – pq mãe presta muito mais atenção ao que os outros falam do que o marido, pelo menos aqui em casa.
    Em tempo, eu levaria um bloquinho de papel bem discreto, pq se eu vir que ninguém está anotando nada, no máximo, tiro um papelito da bolsa…

    3 – eu realmente gosto que a Laura goste de ir para a escola, pq esse assunto já me magoa mto. EU não queria ela na escola. EU não gosto que ela vá para o berçário. EU não gosto de nada no berçário dela, que ainda por cima é caro pra cacete, mas EU sou do contra. Então, se pelo menos ela está feliz entrando aquela portinha, já é um ponto a favor do berçário e eu fico mais tranquila.

    Beijos grandes, querida!!!

  5. A Dani, super espertissima já disse tudo, mas também vou pitacar nessa conversa…rapidamente…

    1- eu daria brinquedo (criança adora e as mães odeiam, mas a vida é assim, fazer oq?)

    2- moro no Brasil e na escola da minha filha em algumas ocasiões as crianças ficam com as mães…pode se preparar…não vai entender nada, é uma zona…rsrs

    3- melhor que Lucão adore a professora, assim ele fica feliz e você se sente menos culpada por precisar deixá-lo por lá durante o dia todo…

    bjs

  6. se quiser te ajudo a matar a professora, numa boa, viu?
    (apagar!)

    gata,

    não sou muito experiente nestas situações. eu adorei a roupitcha que deu, sou super a favor de dar brinquedo tbm, mas daí pode encontrar no caminho pais extremamente naturebas e contra plásticos em excesso. daí como faz, né? acho que vale escolher de coração e apostar no seu bom gosto. 😉

    acho que na idade do Lucas os pais podem ir na festinha, sem problema, pra acompanhar e tudo mais, faz parte da social, mas de repente, pra não ficar em dúvida, pergunte, ué.

    se estivesse no seu caso, na reunião, iria sozinha, o Gu acho que não ia querer acompanhar e anotaria tudo em um caderninho para lembrar depois (sou lesada , lembra?) e de repente cobrar a escola futuramente, caso necessário.

    não acho que o Lucas goste mais dela do que de você, mas ele passa muito tempo por lá e acaba se apegando, normal. e sabe de uma coisa que minha mãe diz e eu concordo, isso significa que ele está sendo bem tratado, recebendo amor e carinho. e isso a gente deve curtir. Alice tbm é doida pela moça que cuida dela. a vê e fica toda-toda, se jogando e exibindo. quando a viu chegar na festa quase surtou de alegria.

    mas de qq maneira, podemos voltar pro início desse comentário e dar um jeito na tal.

    beijo enorme.

  7. Ai Carol,

    3- Tenho uma opinião muito forte quanto a deixar crianças em escolinhas.
    Não devem ser deixadas quando bebês.
    Somente depois dos 3 anos.
    É uma escolha. E a partir dessa escolha, é preciso entender que tem milhares de contras.
    Eu acho você um amor, doce e uma mamãe muito interessada pelo melhor do Lucas. Leia o livro "criando bebês felizes". Mudou minha vida.

    Beijo e boa sorte!

    Mariana

  8. Oi Carol, acompanho muitos blogs maternos sem comentar e ainda não tenho filhos, assim como vc fazia!
    E gosto muito disso, me identifico particularmente com as suas emoções e achei a coisa mais linda, e forte do mundo esta relação e este universo que foi criado por vcs e para seus filhos!
    Infelizmente enfrento a infertilidades, mas tenho sonhos! E quem sabe um dia não consigo entrar e inserir meu sonho neste universo!
    Parabéns

  9. figura!

    quanto a presentes, acho sempre livro uma ótima opção pras crianças. É educativo, é pra bacana, é pra brincar e não ocupa muito espaço. E nunca é demais!

    Quanto à professora, respira, reencarna de novo e tenta ver pelo prisma dos seres evoluídos: sinal de que ela trata bem seu bebezico.

    beijos. muác

  10. 1 – brinquedo! brinquedo! Pq roupa a mae pode nao gostar/pode nao servir/ a crianca nao vai estar nem ai… livro e uma boa se os pais lerem pras criancas, senao melhor esperar ate ela ter idade pra ler sozinha.
    Chegue no horario. Em alguns paises que eu morei a festa vem com hora marcada – das 6 – 8. Se vc chegar atrasada, vc perde/atrapalha a programacao da festa. E festa de crianca e pra crianca e pra um adulto que va tomar conta – a menos que vcs eja amiga dos pais ou a familia tenha sido convidada.

    2 – vc tem alguma coisa pra perguntar? tem alguma duvida? se tiver use essa oportunidade. Se nao, sorria e balance a cabeca pro que a professora falar.

    3 – deixa de ser ciumenta, mulher. Muitas outras mulheres ainda vao rouba-lo de vc. Isso so piora.kkk

  11. Ai carol eu morro de ri com suas loucuras, mas, eu fico com a opnião da das mamaes de cima, q postaram antes de mim.
    1ª opção- roupa
    2ª opção – papai e mamãe juntos, pq um ajuda cuidar do bb, enquanto outro ouve o q se diz na reunião, pq um só p/ realizar as duas missões, parece um pouco impossível………..kkkkkkkkkkkkk
    3ª opção – quanto a professora – aff! entendo perfeitamente esse ciumes de mamae leoa………….arg! q vontade matar essa pró……..mas, fica s´na vontade, pq se ela maltratasse o lukinha, aí sim, teríamos um exercito p estrangular essa pró.
    carol, vc ñ ia suportar vê seu príncipe se agarrando a vc sem qre ficar na escolinha, vai por mim…….
    q delícia, ñ vejo a hora de está vivendo tdo isso.

  12. Carol, eu acabei de passar por isso aí!

    situação 1 : o convite é pra todo mundo: bb, pai e mãe. Eu como mãe, prefiro quando dão roupa, mas acho mais justo dar brinquedo pra criança! Olívia ganhou mais brinquedo do que roupa no aniversário de 1 ano e GAMOU!

    situação 2: eu fui na primeira reunião e fiz meu marido ir junto. E era a única com marido lá! hahahahahaha Fiz um monte de perguntas e meio que senti a obrigação de socializar com as outras mães! Era uma tal de troca de figurinhas entre elas que comecei a me sentir excluida e resolvi participar! hahaha

    situação 3: aqui a Olívia odeia a professora dela! não sei como é ela amar de paixão! hahaha

  13. Carol,
    Aqui em Mendoza as festas infantis são super relax e é esperado que pelo menos um dos pais acompanhe o pimpolho até uns 7-8 anos e quase sempre vão TODOS os irmãos (o que aqui quase sempre significa o dobro de crianças na festa) Quase sempre a festa tem hora para começar e acabar e para os pais servem uns triples, alfajores e café-chá-mate-refri. Quanto ao presente: no começo eu não sabia bem o que dar então comprava brinquedo-livro, mas percebi que as mães gostam das roupas e sempre lembrar do papel pra troca. Depois do aniversario do Guilherme vi que os presentes são bem variados, ele ganhou de pantufa a copo e prato de plastico, passando por livros de colorir, lápis de cor e massinha. Então fica tranquila que por esse lado não tem problema. Nas primeiras festas eu levava o marido para garantir companhia caso o grupo de mães fosse muito fechado, mas hoje é tranquilo.
    Reunião escolar, aqui em casa temos a politica de irmos sempre os dois, ainda mais se o Lucas vai estar com vc na reunião melhor ter olhos e orelhas extras. Leve um bloco para anotar suas observações e duvidas.
    Bem vinda a agenda social de mãe!!!
    BJS

  14. Hahahahaha, só vc!

    Bom, minhas opiniões:

    1) Festa: aí depende mesmod e cada país y no lo se de Argentina. Aqui é pontualíssimo, com hora de começar e terminar e com essa idade podem ir os 2 pais, sim. O presente pra criança de 1 a 2 anos ou é brinquedinho ou roupa mesmo. Roupa acho bacana porque roupa de presente são sempre as mais transadinhas e os pais que comprem as coisas basiconas, hoho. Com Bebella quase nunca tive que comprar roupa "de sair", tudo ganhado.

    2) Reunião: a daqui não pode levar as crianças, é de noitinha (o que complica os 2 pais irem). Mas se aí tem que levar junto, acho melhor ir de 2 mesmo, porque aí vcs se revezam entre cuidar dele e conversar. Eu em geral levo perguntas e não anoto, porque depois vem tudo num relatório. Não tem muita interação com outros pais porque é horário marcado, 15 minutos cada pai(s) e um depois do outro. Só dá pra interagir com os que vêm antes/depois da gente. Mas leve bloquinho de anotar sim, e faça lista de tudo q vc sempre quis perguntar. Acho que conversar com outros pais é uma boa pra ver o que eles acham da creche tb.

    3) Tia (não consigo chamar tia da creche de professora, rs): no começo tive esse mesmo, mas aqui facilita que cada sala nunca nunca tem só uma tia. É 1 tia a cada 3 bebês e 1 a cada 5 crianças de mais de 2 anos. Como a sala tem pelo menos 9 crianças, são pelo menos 3 tias. A í não tem como ela garrar esse amor por uma só. Na sala dela agora são 5-6 tias (incluindo 1 tio), ela gosta de todos, mas tem seus preferidos. Mas nada que me desespere. Mas não se abale. Mãe nem pai iguala, quem dirá uma tia da creche, hahaha.

    Bjos

  15. Ahahaha, ótemo! Acho que viver de amor é uma boa, mas até isso enjoa depois de um tempo, ahahaha.
    Sobre as festas, eu levaria brinquedo e o marido à tiracolo (se ele quisesse ir) e observaria como os outros fazem. Se tivesse uma amiga próxima, perguntaria a ela antes.
    Se aí é diferente, imagine aqui? Ainda não fomos convidados, mas sei que a maioria só comemora em família mesmo. Brigadeiro é lógico que não tem. E as outras diferenças só saberei quando for a uma…
    Beijos

  16. kkkk, post mega engraçado,
    é uma coisa mesmo né, se chora pra ir pra escola, a gente chora… se eles adoooram, nos ficamos com ciúmes(Alanis tbm aaamaaaaaa as titiiias da escola), será que o mundo dos bebês é tão complicado assim ou é a gente que dificulta:?rsrsrs
    acompanhando/seguindo,.rs

    perolasdealanis.blogspot.com

  17. HAhahahhahaha, adorei a parte da creche, se precisar de ajuda (mas só se eu puder ir remando, já que a barriga não tá mais ajudando), eu ajuda a pegar a danada!

    Ah, vou deixar o doppler com seu pai, pois não sei quando vc vem e se poderemos nos ver, já que posso estar ou ter parido recentemente Maria Angélica e Ana Luiza, futuras candidatas a namoradas do gostoso Luqui-Luqui!

    PS: acho que festa de hermanos não deve ter brigadeiro e nem coxinha…. que sem graça!!

  18. Carol, no bercario da Manu, os bebes participam da reuniao. Eh que as bercaristas da atividades para ser feitas entre os pais e o bebe. Por exemplo, na ultima reuniao, os pais decoraram o espaço pro carnaval…a Manu sempre foi comigo e meu marido nas reunioes. Alias, pai tem que participar sim, onde ja se viu…

  19. to com preguiça de logar, vai anonimamente msm: "Prazer mesmo seria vê-lo se descabelando de chorar ao chegar na creche"
    OI!!! LUCAS É CARECA!!!
    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

  20. Olá!
    Descobrí o seu blog hoje e já fiquei fã!rs!Desculpe, mas já vou chegar te dando a minha opinião sobre os seus questionamentos, pode?!rs!
    1- Sobre a festinha de aniversário penso que o melhor presente seria o brinquedo, porque é muito dificil achar uma criança que goste de ganhar roupa e vc pode não acertar no tamanho ou agradar os pais…eu procuraria um brinquedo bem legal pra idade da criança e daria!Com relação ao horário chegue um pouco depois do início da festa, mas não chegue tarde….festa de criança normalmente não é muito longa, se chegar muito depois da hora marcada corre o risco de pegar só o parabéns!rs!Sou de Brasília e aki é tradição brigadeiro (por sinal eu amo!)rs!O convite se não têm nenhuma observação sobre convidados inclui toda família…

    2-Reunião de Pais: eu iria e levaria meu marido. Pra ter uma ajuda com seu filho e pra ele poder tb participar…levaria um bloco de notas com minhas dúvidas (caso tenha alguma) e anotaria as decisões ou promessas feitas na reunião…é importante ter anotado pra depois ver se vai ser feito…rs!

    3- Creche: ainda não coloquei minha filha numa creche (mas pretendo em breve)…imagino seu desconforto ao ver ele todo cheio de carinhos para a professora, mas pense assim (pode ser que daquí pra amanhã eu viva essa situação e tenha a mesma vontade que vc: matar a professora!kkk), é melhor ele gostar dela, porque pelo menos vc tem a certeza de que ele é bem tratado na escolinha!Acho que se toda vez que fosse levar minha filha na escola ela chorasse, eu acabaria trocando de escola por medo do que poderia estar acontecendo com ela lá…acredito que o amor de um filho pela mãe é insubistituível e que ele só faz essa festa toda porque vê a professora todo dia….dá bola pra isso não….imagino que eu tb vou ser bastante ciumenta caso isso aconteça com a Bruna, mas tentaria agir dessa forma….

    Foi mal chegar já dando palpite, mas não resistí passar aki e não comentar nada!rs!

    Se quiser dá uma passada no meu blog pra conhecer…

    Bjos
    Fafá

  21. HAHAHAHAHHHA
    acho boa as opções de tentar afastar a profes do seu filhote! hahahaha

    Brincadeiras a parte eu acho que vou ser que nem você… vou sentir cíumes da sombra, do sol, do ar que meu futuro filho (que nem existe) respira! hehehe

    beijocas ju

  22. Carol também vou ter minha primeira reunião na escolinha! To emocionadíssima! Também tenho as mesmas dúvidas…
    Só uma dica não leve o laptop e abra o Excel ta hahaha…. brincadeirinha!
    Agora fiquei pensando levo um caderninho??

    Guria eu imagino como você se sente minha sobrinha quando foi pra escola era baby tbm, acredita que a cretininha chorava pra ir embora da creche??? Minha irmã queria morrer! Parecia que espancava a criança em casa!
    Mas agora vivo o lado contrario que tbm não é nada bom, o Edu faz um escândalo TODO DIA pra ir pra escola já faz mais de um mês!
    Fico me sentindo super culpada tipo aquelas mães desnaturadas que deixa o filho na creche chorando e vai trabalhar sorrindo, sabe aquelas mães que nem sabe o que o filho gosta de comer, que manda a baba na pediatra?
    Fico imaginando a professora beliscando ele na escola e outras loucuras maternas…
    Conclusão, a grama da vizinha sempre é mais verde e bom seria se todas nos pudéssemos viver só de amor!

  23. Carolzita! Agora que li o post! Sera que ja passou a festinha?

    Olha so, vai de brinquedo mesmo. Afinal criança é criança em qualquer lugar do mundo! So fique atenta à faixa etaria, se é apropriado para a idade do aniversariante. Falo isso por ja estar acostumada com o fato de dar o presente e a mãe francesa ir direto la no indicado para "X" anos.

    Se vai ter brigadeiro?? Sei não, mas alfajores, hummmmm, quem sabe! Fiquei com desejo ; )

    Beijão importado da França procê

  24. Carol, como algumas pessoas já disseram, fora do Brasil geralmente as festas tem horário de comecar e acabar. Moro na Suécia e aqui é assim. Tudo combinado com antecedencia. Acho que seria deselegante chegar atrasada. Dar presente pra alguém q vc tem intimidade as vezes já é dificil, imagine quando vc não tem. Gosto da opcão de livros, hoje em dia tem tanta variedade e alguns nem precisam da ajuda dos adultos pra "ler". Mas se ficasse na dúvida acho q daria brinquedo.
    Beijos e boa sorte!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *