Mais da Emma

Ontem eu tava com tempo sobrandinho, então fiquei dando uma perambulada pela creche. Daí que conheci (de verdade) a Emma.

E, olha, vamos lá nos retratar: Emma é uma fofa. Pequena (ou, pelo menos, menor que o ogro que é meu filho), ágil, já fica em pé sozinha, já quase engatinha melhor que o quase-engatinhamento do Luqui. Olha pra ele com o maior carinho e eu achei tão fofo que outro alguém nesse mundo olhe pra ele com esse olhinho de amor, sabe? Claro que tem muitos outros que amam o Lucas, mas eu achei fofo ele ser amado também por uma humaninha da idade dele. Mais que isso: eu pude ver que alguém dessa idade é completamente capaz de amar.

Antes que alguém me ache louca: acho que não tem coisa nenhuma de “namorados”. Isso é o que nós adultos achamos, mentes acostumadas a sexualizar tudo. O que vejo ali é que são amiguinhos; são bebês que, de alguma forma, se identificaram e se gostam e curtem o tempo que passam juntos. Vivem aventurinhas só deles, se reconhecem e, independente de ser um menino e uma menina, se amam.

Não acho que esse amor vá sobreviver ao tempo, mas acho que é o primeiro de muitos que ainda virão. Daí que fiquei feliz de ver meu filho amando e sendo amado, construindo relações e vivências que são só dele, que não me tem como intermediária. Claro que dá um apertinho no coração “ai, ele ama mais a Emma do que eu” “ai, ele tá crescendo!”, mas, mais que isso, me dá um puta orgulho de vê-lo vivendo a própria vida, trilhando seu caminho.

Vai, filho, vai. Estarei sempre por perto.

***

Pensando nisso tudo, com lagriminha no canto dos olhos, observando Emma e Lucas e querendo apertar as bochechinhas dos dois, eis que me surge... a mãe da Emma! A cuidadora da creche fez as devidas apresentações e ela solta, em tom acusatório “ah, então é você que é o Lucas?”. Ferrou, essa mulher vai querer pegá-lo na porrada. Acabou o amor, isso aqui vai virar o inferno.

Mas aí comecei a doutrina “Você não acha lindo que eles tenham uma vida própria, independente de nós? Que aprendam os valores de amizade, de amor, de companheirismo? Blá-blá-blá whiskas sachê?”. E ela, sorrindo sem graça “é, mas é que o pai dela não gostou nada dessa história...”

HAHAHAHHAHA

É que ela nao leu meu blog ainda, né povo?

***

Daí eu saí da creche pensando que:

1) A Emma é uma fofa.
2) Esse mundo é mesmo muito machista.
3) Por que menino e menina que são amigos precisam necessariamente ser namorados?
4) Eu viajo na maionese demais, pelamor.
5) Vou escrever tudo isso no blog então.
*
*

17 comentários:

  1. Eh aquela velha história... "Segura sua cabra que meu bode está solto"!!!

    Brincadeira a parte, tb acho super legal ver que um ser tão pequeno e tão inocente possa ser capaz de interagir e se socializar do jeitinho dele... É mt fofo msm! E tb mt absurdo as pessoas serem tão preconceituosas e acharem que meninos e meninas não podem ser amigos de verdade...

    Bjssss

    ResponderExcluir
  2. Penso como vc, acho que é uma amizade linda demais entre bebês que poderá sobreviver ao tempo ou não. Meu filhote também ama de paixão minha única sobrinha, e ela ama a ele. Daí que agora com o nosso retorno a Finlândia os dois estão sofrendo horrores. Ela se recusa a brincar com os brinquedos dele que ficaram na casa dos meus pais e já chega perguntando: Cadê o nenê?
    Acho lindo demais esse amor todo e idiota demais o comentário da mãe da Emma...

    Bjus

    ResponderExcluir
  3. Ai ai, também não entendo essa mania de "sexualizar" tudo, inclusive a amizade das crianças... sempre digo, minha filha de 2 anos nem sabe ainda se é menina ou menino, porque começar com esse papo tão cedo?
    Mas que é lindo ver a cria se soltando e vivendo essa vida "paralela" longe da gente, isso é...
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Que audácia! Eu tinha dado uma na cara dessa menina só para colocá-la no lugar (longe do meu filho). haha
    Um beijo

    ResponderExcluir
  5. Acho tão lindo, a primeira amiguinha do Ad foi Camile e do Bj foi a Mahane, acho normal eles se relacionarem com quem se identificam né, sem a nossa intermediação.
    Uma graça mesmo e a gente acha bonito, mais um ciuminho sempre bate. bjks

    ResponderExcluir
  6. Carol, te entendo total. A Emma do Bento se chama Sofia. É um amor pra lá e pra cá, brincam sempre juntos e eu soube até que na aula de música os dois dançaram de mãos dadas. Daí que ontem encontrei a mãe da Sofia! E adivinha: o diálogo foi igualzim. Não destilei a filosofia do "só amiguinhos, coisa de criança, independência e blabla", mas a mãe disse que o pai tb quer saber quem é "esse tal de Bento".
    Enfim, o mundo é mesmo muito machista. Duas crianças não podem brincar juntas só porque são menino e menina pô? E os meninos sem-pre têm segundas intenções? Que injustiça! Detesto essa coisa de namoro infantil, detesto...
    bjos

    ResponderExcluir
  7. Ah não, não e não. "Vivências só dele?" Pra quê, gente? Ele vai ter tanto tempo pra isso mais pra frente... (quando tiver uns 45 anos, ho-ho!).
    Nenê fica, ama, constrói relações e vivências COM MAMÃE, ué! Pra quê outra mulher complicando a vida dele... Eu acho. É, acho sim!
    Bjs,
    Mari - treinando para ser a sogrona do terror desde já ;)


    (mentira mentira, achei tudo fofíssimo. Go Lucas! Cai na vida, moleque!)

    ResponderExcluir
  8. Carol, me visita pelamor!!! hoje eu postei sobre isso. Claro que são os adultos que tocam o terror sobre o assunto, veja o exemplo do meu "Dom Juan" que tem arrasado pequenos corações aqui na Suíça e nem faz ideia disso... e acredita que ele ganhou um cartão de Valentine's Day? Ele só tem cinco anos minha gente...
    Mas, apesar de eu ser uma mãe que não incentiva, eu respeito quem o faz, desde que não seja com meus dois pequenos príncipes, rsrsrs.
    Beijo grande, eu também tenho um Luquinha em casa. Ju

    ResponderExcluir
  9. Não se deixe enganar pelo ar doce e fofo da Emma... essa é a estratégia dela pra fisgar seu Lucas, hohoho :O)

    ResponderExcluir
  10. Cintia - Mamãe do Raphinha16 de fevereiro de 2012 16:08

    Ai meuuuu Deussssssssssss !! Já estou com medo de quando pintar uma Emma na vida do meu pequeno principe ...rs rs
    Meu lindo está na escolinha tem 2 meses e morri de ciumes ( ai ai ...justo eu ....) da professora o primeiro dia que me disseram que ele não queria vir embora com meu pai que havia ido buscá-lo . Ainda bem que no meu dia de buscar ele se jogou pra mim ..felicidade total de mamãe coruja ( sim , ele ainda me ama !!!!!! ) .
    Adorei seus relatos e acho que toda mãe , espscialemtnede meninos, se viu nele agora .
    Também acho absurdo falar namoro nesta fase . Aliás minha sobrinha ( que é linda ! ) tem 11 anos e vive reclamando quando alguém faz qualquer comentário neste aspecto sempre que ela comenta de algum amiguinho . Fofa, tem a cabecinha boa pra idade e sempre repete " Tia, eu não tenho idade pra namorar, sou criança e prefiro brincar ! " ....amo muito !
    Parabéns pelo blog e pelo filhote fofíssimo !

    ResponderExcluir
  11. Ahahaha, ainda bem que vc se retratou. Como mulher, feminista e mãe de duas, estava com medo de vc, hehehehe!
    Viva o amor puro, não sexualizado, abbaixo o machismo, viva a bebezice e a infância com todos seus amores fugazes ou nem tanto.
    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Que graça estes bebês: até imagino os dois juntos na creche! Não vejo a hora de minha filhota fazer uma amizade tipo destas, algo tão puro assim deve ser um sonho de se ver!

    ResponderExcluir
  13. Carol, Sou outra Carol, tmb mutcho doida, mãe há 4 meses (ha! Sabe aqueeela fase delícia? Nem eu.), que lê o seu blog sempre, sempre, sempre que dá tempo e hoje preciso dizer: o que vc escreve me dá ânimo pra todas as próximas fases! Me inspira e me dá idéias malucas tmb (afinal tmb já me peguei correndo com o carrinho dentro de casa... ahaha). Enfim, vou ficar aqui espiando, mas tenha certeza que tem muita gente na sua torcida (contra as Emmas, ahahahaha brincadeira)!

    ResponderExcluir
  14. me divirto, viu? também acho uma bobagem esta história de namorado e também acho que especialmente eles são capazes de amar de verdade. eu via/vejo um amor tão genuíno de arthur por alice...

    alice tinha um amigo assim e arthur tinha uma amiga assim... diz pro hermano nem se preocupar que com cinco-seis anos eles viram as costas para o sexo oposto.

    por aqui as brincadeiras mudaram a ponto de serem incompatíveis - salvo raras exceções, quando tem apenas UM menino e UMA menina, sem plateia eles interagem muito bem!

    beijoca

    ResponderExcluir
  15. ai que paranoia desse negocio de namoradinhos! =P ok,ok...a Milena ta pequena demais ainda pra isso, e sei que na hora que ela comecar a prestar mais atencao nas outras criancas eu vou morrer de ciumes mas poxa, a gente imagina muita coisa. hehe bjs!

    ResponderExcluir
  16. hahaha amei! e amei mais "humaninha da idade dele" owwwwnnnnnn

    oba, faltam menos de 48h =PP

    ResponderExcluir
  17. hahaha que fofo! Carol eu te adicionei no face ok? beijos

    ResponderExcluir

baby-comment


up