Ao longo do dia e recebendo os comentários, eu fui me
sentindo o lixo humano mais lixento do mundo. He-he. Mas já resolvi o assunto:
Lucas teve sua introdução aos sólidos em grande estilo e jantou carne de
cachorro junto com a gente. Pronto!
Briiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiinks. (só pra dar uma relaxada,
vai)

Voltando: ponderei, li tudo com calma (naonde que
eu arrumo tempo pra ler tanto comentário? Celular com internet, amiga, é luz e
vida) e tirei conclusões:

1)  
precisamos nos acalmar, gatonas!!! Tá tudo bem
aqui e não tem ninguém chutando cachorro, não precisamos destrambelhar nos
comentários! Eu me afastei dos dogs, perdi a paciência, achei ruim estar assim
e quero mudar! Olha que bom! O que me leva à segunda conclusão.
2)     
Dicas ótimas recebidas já estão sendo muito bem
aproveitadas! Ontem desencanei um pouco da limpeza e deixei Luquinhas pegar nos
cachorros. Aproveitei o momento e fui dando biscoitinhos pro dog que se deixava
pegar. O resultado foi legal! Chimi ainda meio ressabiado, mas relaxando. Diana
sijogou, tanto que deu uma mordiscadinha leve na mão do Lucas (ai, deusu). Nem
foi nada. Bebê ensaiou chorar, eu comecei a cantar, ele riu, cachorros se sacodiram
achando divertido e fomos felizes assim. Daí logo depois enfiei o Lucas no
banho, porque eu até tento, mas não sou de ferro.
3)     
Outra dica aproveitada: aumentei um pouco a
atenção que dou a eles, mesmo que seja verbalmente. Dou bom dia efusivamente
(maginem a louca falando BOM DIAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA!!!!), brinco um
tiquinho quando chego em casa, tento fazer carinho com os pés quando estou com
o bebê no colo (multi-tarefa, seu nome é Carolina) e eu tenho ficado responsável por servir a comidinha deles (e fazer carinho antes deles comerem e tal).
4)     
Entre mortos e feridos, salvaram-se todos e eu
achei o post proveitoso, afinal. Uma coisa é certa: sozinha, eu não estou!
Porque o que teve de gente neUvosa querendo deixar opiniãããão. Nossa! Mas
vambora, eu leio tudo, filtro e sigo em frente com o melhor que vocês deixam
por aqui. No mais, agradeço pelo carinho e pela preocupação em me ajudar!
Quando eu começar a ver resultados da nova fase Dogs, Lucas & eu, conto
aqui!
***
Em outras notícias: tô de novo no
Minha Mãe Que Disse!! Mais um videozinho ótemo, dessa vez com a participação de
Maridón! E, claro, das queridas e Mari e seus corajosos respectivos! Passem lá!

27 respostas em “Entre tapas e beijos: eu & vocês, eu & Maridón

  1. Carol que bom que você começou a relaxar… É assim mesmo.. Você vai ver quando Luquinhas estiver engatinhando.. Passa a mão no cachorro, nem dá tempo de lavar, coloca a mão na boca.. Lá em casa é mais ou menos assim.. Laura corre atrás do gato, eu corro atrás dela e o gato corre dela… Quando vejo está com um sapato na mão em direção a boca… Uma loucura amiga…

    Mas no fim as bactérias passam a fazer parte da família e o que não mata vira b****… 🙂

    Beijocas nesse fofo…

    Carol

  2. Carol,

    Ontem este assunto todo tomou conta da minha cabeçinha e eu fiquei pensando em toda a discussão, “probremáticas” e coisas nervéticas na relação mãe x bb x cachorro… Conclui que comigo não será diferente.

    Cheguei em casa vi minha cachorra e fiquei morrendo de dó, já prevendo que daqui a pouco tempo nem poderei mais olhar na cara dela… Ela tá doente (a marrrdita doença do carrapato) e agora precisa de chameguinho… E estou aproveitando para abraçá-la agora porque talvez não venha mais fazer isto depois.

    Daí que no finalzinho da tarde, começo da noite, indo à farmácia pegar remédios para meus pais, me deparei com uma cena bem bonitinha. Uma mulher e duas crianças, um menino mais velho, acho que uns 5 anos, e uma menina, de uns 3 (conclui que eram mãe e filhos) passeando com um cachorrinho bem do bonitinho!

    O garoto tava feliz da vida com o dog, pulando junto com ele, e juro que lembrei em você! Pensei que logo, logo, o Lucas estará assim com o Chimi e a Diana, feliz, passeando com ele, correndo com eles!

    As coisas vão se ajeitar!!!!

    Bjs!!

  3. Hahaha….e uma galera foi lá no meu blog dar pitado tb..dai fui obrigada a tirar a opção de anônimo pq Ne…ate de mãe de merda eu fui chamada…rs
    Eh isso aí, o negocio eh a gente mudar, tentar se redimir pq da tempo, os nossos cães entendem isso pq são mais inteligentes q muito ser humano por aí…rs….Ne?
    Beijos

    Than mamãe da anna laura

  4. Oie Carol, que bom que vc esta conseguindo, prq pra mim não da, trabalho, casa, marido, obrigações filho e cachoro é demais para mim….gosto de animal odeio quem maltrata acho uma judiação, mas prefiro não telos em casa, não quero sentir pressão por ter que dar carinho ao bichinho ja são tantas pressões no dia a dia não e verdade…bjs para voce
    Ana Sílvia
    Mamãe da Antonia.

  5. Oi Carol, adoro seu blog e resolvi contar a minha experiência com cachorro do ponto de vista do bebê 🙂 Eu não fui uma criança de dormir facinho não, mas quando o cachorro estava na cama deitado do meu lado eu dormia direto durante algumas horas! Acho que ele me esquentava. Eu não passava frio não, mas é como se fosse um calor extra, sabe. Devia ser isso. Tanto que hoje eu AMO bolsa de água quente (ou foi a culpa do cachorro?). Depois de um tempo o cachorro começou a me aceitar como um membro do bando e até caçava as pulgas do meu braço. Era minha brincadeira favorita! Ele passava a boca com os dentinhos como se estivesse matando as pulgas e eu morria de cócegas. Tente não se chocar muito com a nojeira, ela não impactou em nada a minha vida, acho que só teve pontos positivos. Eu não lembro de ter tido qualquer coisa relacionada com vermes, diarreia ou algo assim por levar mão cheia de baba de cachorro na boca ou morder a pata suja dele. Acho que pelo contrário, a vitamina S (de sujeira) me fez bem. Fora que eu e o cachorro nos tornamos melhores amigos. Eu brincava com ele de esconde-esconde, saia para passear e cuidava dele. Com ele aprendi a respeitar as diferenças porque ele é diferente das pessoas, ne? Aprendi que para diferentes seres vivos existem diferentes linguagens e que todos precisam ser tratados com respeito. Ele nunca me mordeu, acho que sabia que ia apanhar dos meus avos 🙂 Fora que meus pais ganhavam um tempo só para eles quando me mandavam treinar o cachorro ou brincar com ele. O cachorro (quando de pequeno porte) e o único ser vivo que pode interagir com criança e ser do tamanho dela porque os outros são gigantes (tirando os amiguinhos de escola). Bjos!

  6. Ebaaa, quanta noticia boa..vc vai ver Carol, aos poucos a paz voltara a reinar e os dogs farao tao parte da familia que vc nem vai perceber eles la..sera algo natural. continue assim, faça festa, fala carinho, leve os dogs pra passear com e sem Lucas..eles vao adorar ter a mae deles de volta! Bjs

  7. Oi Carol,
    Que diversão esse blog. Amo ler e sempre venho ver as novidades. O que eu mais gosto é que vc se mostra verdadeira, sem pintar quadro para agradar. E essa coragem tem um preço. Comentários nervosos… rs…
    Não vi nada demais no post de ontem. Vc contou o que sentia e o mais legal é que gente do bem apareceu com boas dicas. A galera do "somente critica" vc tirou de letra. Como sempre com bom humor. Adorei!
    Beijo

  8. Eita q fui ler os comentário e desisti, q coisa de doido! Aidna bem q o meu lá no comecinho nem falou de vc, só da minah decisão de não ter cachorro. E justamente porque pra mim gente é gente e bicho é bicho. Não quero dizer com isso "chutem os dogs", mas sempre bom avisar, pois nesse mundo se a gente fala q nao quer ter bicho geral já entende que eu quero é matar. Assim como com seu desabafo sincero nego já achou que vc estava batendo-matando-comendo-com-fritas seus cachorros. Ai ai.

    Mas na moral, uma bobagem sem tamanho quem te mandou pensar antes de ter o 2 filho pq vai ter menos atencao pro Lucas. TENHA DO, pessoas. Repetindo: gente eh gente, cachorro eh cachorro, entao nao comparem Lucas/segundo baby com dogs, neam.

    Bjos

  9. Eu nem voltei pra ler depois porque sou a Maria compradeira de xingamento alheio! Xingam meus afetos, xingam a mim! Vou ter de me controlar pra não dar um pau nos desafetos do Lorenlindo! Hahahaha
    Beijocas

  10. Que bom lindona! Nem quis comentar no post anterior pq não seria imparcial.
    Eu AMO animais e fiquei muito triste em imaginar o que pode acontecer quando eu tiver meu filhote..Sim, porque embora eu os ame, não posso imaginar como ficará nossa relação depois de ter filhos.
    Imagino que não esteja sendo fácil minha querida, mas as coisas vão melhorar, pois o mais importante vc já tem, que é amor no coração 🙂
    Como sempre, adorei a franqueza,viu?

    Beijos e MUITO boa sorte aí!

  11. Carolina sempre tirando de letra! Eu AMO este blog, porque além de rir horrores com seus posts, vc escreve com sinceridade, relata como as coisas realmente são e não com esse romantismo todo que algumas mães insistem ao escrever.
    Assim, se eu te encontrasse na rua (olha, ainda bem que vc mora em outro país) eu ia parecer aquelas fãs bem loucas (e sua eu sou) hehe.

    Acho que tudo é uma questão de adaptação, assim como aconteceu com vocês quando Lucas nasceu, agora é a vez de readaptar o convívio entre os "filhos". Acho que a única comparação entre bicho e gente é que eles (os bichos)também sentem as mudanças e reagem de acordo com o impacto que elas causam.

    Bom, chega né? tô palpitando muitão. Adorei o vídeo, o Pedro não conseguiu achar um defeito em vc, aí inventou aquela história do futuro ter uma mãe diferente todo dia HAHAH onde que isso é defeito?

    bjss

  12. oi, eu tenho 3 filhos, 3 cachorros dos quais 2 são labradores e 1 poodle. Já assistiu Marley e Eu? então… tenho 2 e o filme, acredite ou não é só uma amostra grátis da realidade. O Pedro ta com 6 meses agora, e começou a notar a presença dos cães…acho o máximo vê-los interagirem…não ligo que o cachorro lamba, depois dou um bom banho e pronto. (imunidade) Na verdade o pedro adora que os cães lambam o pé dele…dá gargalhadas… confesso que já pensei até em envenenar…nos momentos de crise, mas…
    a neura passa e é só alegria.
    Beijos
    Elaine
    romanticocomoumapota.blogspot.com

  13. Tiro o chapéu pra vc,
    tirar de letra desse jeito cada coments sem respeito…olha, por menos, muito menos eu tinha mandado tomar no koo bem de boa ainda.

    boa sorte Carol, sem duvidas td vai dar certo 😉

    bzoo

  14. Oi,Carol!Nunca comento aqui,mas hoje como fazia dias que não lia teu blog,acabei lendo junto os dois últimos posts..Claro que,com certeza, minha opinião não acrescentará em muita coisa..todas já comentaram e re-comentaram..Mas mesmo assim quero deixar meu registro..Tu terás todo direito de ficar chateada comigo,embora eu não tenha a minima intenção de fazer isso..

    Olha,fico muito feliz que tu estejas conseguindo contornar a situação entre dogs e baby..

    Que bom mesmo!Sabe,gostaria de dizer que já vi esse "filme" inúmeras vezes,com muitas mães tentantes que tem cães e gatos e os tratam como filhos(eu sou uma delas e espero agir diferente quando e SE chegar minha vez)..Essas mães que vi fazerem isso,todas,sem exceção,deram o amor que dariam ao filho (se o tivessem) aos bichinhos..Aí qdo o baby veio,os "filhos" de antes passam a ser os "animais de estimação",cães e gatos.. e só.Como vc mesma falou..

    Afinal eles já haviam cumprido seu papel de "filhos provisórios" e agora que o filho "de verdade" tinha chegado,foram postos de lado pq já não serviam mais para preencher o vazio que preenchiam antes..
    Não me interprete mal,falo isso porque na minha própria familia e circulo de amizades,já aconteceu tanto isso..e eu já chorei tanto escondida por causa disso..confesso que ao ler seu post anterior fiquei muito triste..já vi muitas pessoas doarem seu(s)anterior(es)"filho(s)",porque agora eles não serviam mais,agora eles só atrapalhavam..Só que essas pessoas esquecem que os animais também tem sentimentos..Eles sofrem e com certeza se sentem como objetos,brinquedos velhos que não servem mais quando são tratados assim..Falo desse jeito pq ainda não sou mãe?Não sei,talvez..Só o que tenho certeza é que amo meus animais e espero sinceramente continuar sendo a "mãe" deles se um dia meu bb chegar..Espero mesmo e deus me ajude que eu consiga..

    Desculpa de novo,não escrevi para te julgar muito menos para te magoar..é só o que sinto:tristeza qdo vejo ou leio sobre situações como essa..Fico feliz de verdade por vc estar tentando achar soluções para esse caso..Vai conseguir.Quero te dizer que te admiro muito,sempre leio teus posts e nunca comento..mas hoje não consegui deixar de comentar..

    Boa sorte para vc,beijinho no Lucas e um bom entrosamento entre ele e os teus dogs..Beijos!Vivian

  15. Olá Carol! Entendo sua situação e acho até compreensível, acho q vc tá perdida pq tem dúvidas. Estou me formando em Medicina e serei Pediatra pois amo crianças, além de amar animais tb. Posso te dizer tranquilamente que a convivencia entre crianças e animais desde o primeiro ano de vida foi comprovada em estudos como fator de proteção contra alergias e algumas doenças. Entao, se seu medo era esse fique tranquila, essa convivencia deve sim ser estimulada, qualquer coisa vc pode dar uma lidinha em alguns artigos cietificos de medicina sobre isso e tirar suas dúvidas. Não se puna, acho q vc devia tirar duvidas com o pediatra, se tranqulizar, manter seus cachorros sempre bem cuidados e APROVEITAR! Com a cabeça e o coração tranquilos. Acho sim q deve haver cuidado com as crianças, mas ate cuidado em excesso é prejudicial. beijos e boa sorte, qlqr coisa manda eail

  16. Não comentei no outro post, mas tenho uma história com bichos tbm… tenho 4 gatos no apartamento desde antes de ser mãe. Nunca encanei, sempre convivi com pêlos, Bia toca neles desde os dois meses de idade, e uma das gatas sempre foi cativa do berço, não consegui tirar esse costume dela. E todos sempre conviveram muito bem, nunca rolou alergia, doenças, nada. Hoje Bia é um amor só com os gatos. A preferida dela operou essa semana e Bia ficou na maior ansiedade pra ir buscar a gata…
    Quando ela nasceu, eu não senti muita dificuldade pra cuidar dos gatos, dar atenção e tal. Diminuiu, mas nem muito. Mas agora que o Nando nasceu, simplesmente não tenho tempo algum com eles e tudo o que sempre levei na boa – pêlos, miados, bagunça, coisas quebradas – passei a odiar. Nem me passa pela cabeça doá-los, são minha responsabilidade, mas fico pensando que não seria tão mal se eles não estivessem mais aqui. Mais limpeza, mais tranquilidade, menos prejuízo… mas é só ver o amor que a Bia tem por eles que desisto desses pensamentos. E o carinho que eles tem por nós, também. Acho que estou devendo muito aos gatos, e eles demonstram essa falta com um comportamento mais bagunceiro, mas não tem muito o que fazer. Todos tem que se adaptar à nova vida e daqui a pouco serão mais duas mãozinhas pra encher os bichos de carinho – Nando já adora observar os gatos e desde que aprendeu a segurar as coisas, agarra os gatos. Enche a mão de pêlos, lavo na pia e pronto.
    Ah, a Bia levou sua primeira lambida de cachorro na cara aos seis meses (e adorou). E eu não corri pra lavar, rs.
    Beijos e boa sorte 🙂

  17. Oi Carol, primeiro parabens pelo video, vcs arrasam! E genteaaam, calma, poxa, as pessoas são diferentes, com opiniões diferentes, e qdo se escreve algo, ainda mais publicamente,se espera abrir para uma discussao saudavel… concordo e discordo d muita coisa q disseram nos comentários, mas poxa, vamos escrever numa boa, mantendo o respeito… deixar as coisas d uma maneira mais light ne. Parto do principio que todo mundo é do bem, e quer o melhor pros seus filhos, e pros bbs de quatro patas tb… amo crianças, amo animais, e as pessoas tem o livre arbitrio d fazer o q quiserem. Acho uma pena, doar seus animaizinhos, mas muito mais digno doar pra alguem d confiança do q tentar conviver numa rotina q nao se adequa mais a sua vida. Eu fiz isso ? Não! mas é o meu pensamento, minha vida… Não podemos julgar ngm, mesmo pq, como ja disse aqui, parto do principio q todo mundo é do BEM! As vezes as pessoas se alteram achando q assim, vao mudar a cabeça das pessoas e evitar q maldades seja com crianças ou animais, aconteçam… Pois eu acredito que mudanças acontecem qdo um respeita o espaço do outro e a opiniao do outro…
    Amo o blog, muito mesmo! E é muito triste, tanta revolta e discussao num espaço d uma pessoa tão pra cima e q tenho certeza q ajuda e ajudou muita gente com seus posts.
    Torço muito carol q essa fase passe, pq ela passa, vc vai ver! Crianças são curiosas e amam animais, com a supervisão d um adulto, seus cachorros e o Lucas, vão se tornar intimos e grandes amigos,tenho certeza! Grande beijo pra todas!
    Mariana R.Gallao
    P.S. não consegui me logar pra comentar!! 🙁

  18. Querida Carol, eu era dessas loucas que se deixava lamber pelos dogs como se fosse um beijinho. sentiu o amor canino que me consumia? Pois é, com a chegada da minha Carolina eu praticamente abandonei meus bichos, nada de cama, sofá e carinho por um bom tempo. Foi muito díficil pra mim também que até cogitei doá-los mas não tive coragem. Graças à deus. Quando Carol passou a frequentar o chão da casa e a mania de limpeza foi acalmando, tornaram-se os melhores amigos do mundo, hoje ela acorda chamando o goko(gordo) e uio(Julio). Acalme seu coração que no tempo certo tudo voltará a ser como deve ser, uma família feliz e seus dogs!!! boa sorte aí.

  19. Tentei ler os comentários do post anterior, mas desisti. Daí também já nem quero saber o barraco legal que rolou….

    Então, que eu também tive uma experiência meio punk com a relação cachorro x bebê, na verdade comelou na gravidez, tinha um Schnauzer que começou a fazer xixi nas coisinhas do Elias, meu bebê. Fiquei possuída e queria deportar o cachorrinho de casa…daí o marido mandou ele passar umas férias na casa da prima dele. Então quando o Elias nasceu o Manolo (nome do dog) voltou pra casa, mas daí eu fui sorteada de ter um bebê demandante demais e o pobre do cachorro ficou totalmente de escanteio. Daí veio a mudança pro Brasil e pronto, juntou a fome com a vontade de comer e o Manolo foi adotado por uma família MARAVILHOSA que passeia com ele, leva no salão, brinca, pula, canta e sapateia! Enfim, eu fiquei mega triste quando dei ele, mas sabia que era o melhor naquele momento!

    Se me arrependo? Não.
    Se tenho saudade dele? Muita e fico imaginando como seria a relação dele com o Elias. Mas a vida é desse jeito, e a vida continua!

    Sorte com os dogs e o baby!
    Beijos

  20. Oi Carol, aqui em casa a minha maior preocupação era o lance da mão no dog e depois na boca rss… Mas desencanei também, na verdade quero que meu filho cresça de forma saudável e brincando com os dogs. Só afastaria os bichinhos do meu bebê se houvesse alguma reação alérgica e tal.
    Você está no caminho certo.

    Beijossss

    Flavi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *