(olha como tava Luqui-luqui no mês passado!)

Hoje Luquinhas completa 5 meses e é com muita alegria que venho anunciar que: ELE DORME NO BERÇO DELE! Uuuuuuuuuuuuuuh! Nada mais de carrinhos balançantes, colos incansáveis, cama compartilhada e demais prosopopéias que eu tenha inventado no auge do desespero. Sonecas e sono noturno: meu filho finalmente aprendeu onde é o lugarzinho dele dormir.

Obviamente nada foi florido, tive que escutar muito choro, quis desistir no meio do caminho, sofri e chorei também. Mas foi Lucas quem me mostrou que estava preparado: num belo dia, que voltamos da primeira viagem ao Brasil, fui desfazer mala e ele tava muito chatinho, daí resolvi por no berço com o móbile ligado, sem pressão. Pensei: “se chorar, eu volto lá e vejo o que faço”. Passa uma meia hora, móbile termina a musiquinha e… silêncio. Fui lá ver e quem tava dormindo? Quem? LUCAS! Sem chorar, sem sofrer. A partir desse dia, eu pensei YES, WE CAN.

Resolvi fazer a rotininha de sempre, mas terminando no berço. E que lá ele ficaria, faça chuva, sol, furacão, neve etc. E assim foi. Tem dia que ele vira pro lado e dorme, tem dia que tenho que escutar meia hora de chororô, tem dia que pego no colo e nino, tem dia que deixo chorando e volto uns minutinhos depois e o vejo dormindo sem a menor ajuda… enfim, é um aprendizado. Meu e dele. Deixei chorar sim, várias vezes. Não joguem pedras em mim, posso afirmar sem sombra de dúvidas: ele chorava MUITO MAIS antes, no meu colo, sendo balançado ou fazendo o que aparentemente era melhor pra ele. Jamais abandonei meu filho, mas foi a maneira que encontramos pra resolver esse tema, que me incomodava demais. Não faço a menor questão que ele durma a noite toda, não me importo de amamentar várias vezes, mas me matava isso dele precisar de tanta intervenção externa pra dormir e ser incapaz de manter o sono por mais de meia hora sem alguém ir balançar.

Uma coisa é a criança querer colinho de vez em quando, chorar de soninho e cansaço, precisar do peito pra ter aconchego. Outra coisa é ter um bebê histérico em casa, choroso, chato, extremamente dependente. Estávamos todos completamente mal humorados, chateados – Lucas inclusive. Ai, posso confessar? Era muito ruim.

E agora? Bem, agora temos um bebê calmo, risonho (tijuro que ele ri o dia todinho), que se desenvolve rápido e a olhos vistos. E pai e mãe mais felizes, mais seguros, menos neuróticos. A hora de dormir é prazerosa, incluímos várias coisas gostosas na rotina: banho longo e quentinho com brinquedos, leitura de um livrinho, música, colo, balancinho na cadeira de amamentação, mamá. Durante o dia, nas sonecas, a rotina é mais curta e um pouco mais dificil, as sonecas realmente são desafiantes. Mas, normalmente, ele dorme em menos de 10 minutos. Sem balançar, sem sacodir no carrinho, sem velocidade 5 do créu.

Outra novidade é o início da rotina com horários fixos. Desde que ele nasceu, eu namoro essa idéia. Fiz livre demanda porque achava que era o certo naquele momento, mas agora, pra um bebê de 5 meses que não será mais cuidado exclusivamente pela mãe, não acho. Não tenho como deixa-lo na creche ou com a babá (ele ficará com a babá por um mês antes de entrar na creche) e dizer: “ah, ele mama quando tem fome e dorme quando tem sono, tá? Decifre-o”. Não dá. Mesmo que eu diga pra ela quais são os sinais, não tem como, preciso que ele tenha alguuns horários. Então, depois de muito bater cabeça, cheguei num esquema de horários pra ele, tudo pensado no que ele mesmo foi me indicando. Ainda não posso dizer que ele é um reloginho, mas, por exemplo, ele acorda todo dia as 8h. Não tem nem 15 minutos de margem de erro. Às oito começamos a escutar ele conversando com o mobile.

E mesma coisa pra hora de dormir: deu oito da noite e ele já tá chato. Se ainda não começamos a rotina noturna, ufff, é choro certo. Então o dia é esquematizado pra começar e terminar no mesmo horário.

Claro que tem dias que nada funciona, que as sonecas são curtas demais ou longas demais, daí tenho que ir ajustando. Fora isso, ainda tenho algumas dúvidas, tipo o espaço de 4 horas entre algumas mamadas, será que dá? Será que não é muito? Ele mesmo definiu assim, mas prefiro perguntar pra pediatra se ela vê algum problema. Outra coisa: se dorme muito além do horário da próxima atividade, eu o acordo. CARACA, QUEM SOU EU? Tudo que eu queria era um bebê dormindo, comopode que eu vou acordar a criança? Mas é. Senão zoa toda a organização, ele fica chato e perdido no resto do dia. Acordo mesmo (tchella, lembrei de você!).

De forma geral, acho que essas definições, na verdade, são uma questão de hábito. Insistência e paciência, eu aprendi, eu procuro aplicar.

Deep inside, devo admitir que meu olhar sempre brilhou mais pra tchurma humanizada. Sempre amei (e li sobre) as idéias de cama compartilhada, livre demanda, bebê indicando suas necessidades, não deixar chorar de jeito nenhum. Mas, na minha casa, muitas dessas coisas não funcionaram. Acho que eu confundi esses preceitos com casa da mãe joana e tudo virou uma grande zona. Mas fato é que passei esses 5 meses amargando em mim um fracasso de não ter conseguido viver conforme o livro do autor humanizado sugere.

Daí parei pra pensar. Que eu curto essas idéias, mas essa não sou eu. E que, talvez, esse não seja o Lucas. Eu preciso do meu tempo, da minha cama. Ele precisa de estrutura. Eu preciso que meu filho durma um pouco, preciso saber que às 16h não dá pra marcar nada porque ele estará mamando ou dormindo. E ele precisa da segurança de que seus horários não serão ignorados por alguma outra atividade que ele, tão imaturo!, talvez decida. Ou talvez ele nem decida, talvez ele estivesse tão ou mais perdido que eu. Quando eu passei a aceitar isso e admitir que essa é a minha vida e que eu gosto desse tipo de planejamento, tudo fluiu melhor. Fiquei mais feliz e, por consequência óbvia, o Lucas também. Fui firme no que achei que precisava, relaxei em outras coisas.

Eu sou a educadora. Eu sou a mãe. Eu decido. Não a Tracy Hoggs ou o Carlos Gonzalez ou o blog da amiga  Todo mundo tem regras na vida e, nossa, que libertador poder dizer que eu também tenho, minha casa funciona conforme eu quero. Ponto final.

Sabe, pensei muito se iria escrever isso aqui ou não. Porque tenho medo de ser julgada, de ser mal entendida, de não saber aceitar críticas. E pior: tenho medo disso tudo minar a confiança que eu finalmente adquiri depois de tanto tentar me conectar comigo mesma. Mas bem. O blog é meu, o filho é meu e estou muito segura de que estou fazendo o melhor pra todos nós. Pode ser que você pense diferente e eu acho ótimo: espero que, na sua casa, tudo funcione como vocês prefiram e se sintam mais felizes.

Aqui, posso garantir, estamos só sorrisos.

48 respostas em “Cinco meses

  1. Parabéns, Lucas!!!

    E Carol, vou ser sincera, por amis que vc não queira admitir com todas as letras, tu tá mais pro time das mães rotinentas-tracyhoggentas-previsibilidadentas, rs. E na minha experiência vendo muitas mães no mundo real e virtual, são as que têm uma vidinha mais calma e os filhos idem. Eu nunca achei as ideias como vc chama "humanizadas" atraentes, nem na teoria. Meu objetivo é passar pela vida com o mínimo de sofrimento e stress possível, hehe.

    E que bom que tudo entrou nos eixos. Nem te conto que especialmente depois dos 6 meses tudo só melhora. Sério, é uma reta subindo em exponencial infinita!

    Bjos

    PS: Vem cá, não consigo me decidir nas fotas, que cor estão ozolhinhos do Lucas?

  2. Eu achei meio verdeinho também. Mas com qualquer cor ele é lindo demás. E eu invejo que ele sorri pras fotos. Bebella 20 meses nas costas e nada.

    O livro rosa tem mais dicas práticas, é pra ler depois de ler o azul. Eu acho bom porque tem coisas de fases mais pra frente, alimentação, potty training, toddlers. Um investimento de longo prazo, hehe.

    Bjos

    PS: Liga não, daqui uns anos (meses???) vc faz uma menininha pra brincar de boneca! Ou melhor, Lucas pode brincar de boneca também, uai. Mais tarde compra uns bonecas pra serem parceirinhos dele, é super bacana pra ensinar a dividir, Bebella divide a comida tudo com os bonecos. 🙂

  3. Oi Carol! amei esse post! Acho que me identifiquei total!! Também li tracy hoggs, elizabeth pantley, e o escambau… mas na hora do vamos ver, resolvemos "reter o que é bom" de cada uma dessas teorias e fazer do nosso jeito. Curtimos cama compartilhada quando se faz necessária, mas em casa Joaquim ama dormir no quartinho dele e nós amamos que ele durma em seu próprio quarto – todo mundo feliz! e quanto à rotina. Também sou super simpatizante de todas as teorias das mais humanizadas possíveis, mas sempre optei pelo que funciona conosco, e o que mais funcionou foi seguir a rotininha que o próprio Joaquim nos indicou. Até hoje, aos 23 meses, nós evitamos marcar qualquer saída ou compromisso entre meio-dia e 16h, porque sabemos que interferirá na soneca do passarinho. Sabemos que por volta de 20h ele vai dar sinais de cansaço então, na medida do possível, prezamos por estar em casa para o ritualzinho do sono da noite… e assim vai… nada é estanque, nem radical, mas na medida do possível respeitado, e tem funcionado suuuuper bem!!! Beijocas pra vcs, Lucas tá lindo!

  4. Ehhhh!!!!!!! Vivaaaaaa!!!! É pra comemorar e muito!!!

    Eu dava peito a livre demanda, compartilho cama até hj (meu baby ta com 1a8m) e dou colo até…

    Mas acho q cada um tem q fazer o q acha melhor. Se para vc isso não funciona, faça do seu jeito! Ngm vai ser melhor mãe pro seu filho que você, pode ter certeza disso!

    Beijos e parabéns

  5. Carol, que lindão que ele tá.
    Eu mudei da água pro vinho. Com a Ciça, eu era a louca da rotina, horário estipulado para tudo e ela respondeu muito bem. Aliás, ela que começou se auto-organizando com o sono e eu organizei o resto.
    Já com Cali, eu fui super hiper mega ultra humanizada, mas vc sabe que também sofri com questões de sono, de alimentação… Enfim, acho mesmo que cada família deve buscar o que é melhor para si. Sem neuras de agradar a alguém ou, pior, de querer seguir um autor ao pé da letra. Eu amo Carlos Gon´zalez porque acho que ele fala de bebês reais, não de bebês-robôs, mas eu não gosto de cama compartilhada para mim.
    Não torço o nariz para quem faz, pelo contrário, eu compreendo cada minuto desta opção – que já foi a minha por pura exaustão -, mas eu não quero mais, não fico bem nem ela. Coincidência ou não, quando comecei a tratar disso, a coisa toda melhorou: hoje Cali come bem e dorme a noite toda.
    Como eu não trabalho fora, não preciso ser escrava dos horários, não tenho muita rigidez, mas um pouco de rotina é bom, sim.
    Beijos

  6. Cada um deve mesmo buscar o SEU CAMINHO, juntar o que aprende e criar o seu livro-de-cabeceira-de-dinamica-familiar. Parabéns, viu? Fico te achando a maezona-sensacional e acho lindo ler essa segurança foda, desculpa a palavra. Mas, é. Na real. Rotina, nao rotina, humanizado, não humanizado. Se nós estivermos bem, eles estarão. Fato.
    Parabéns ao pequeno por mais um mês e pelos desafios transpassados! Lucas tem a força da mamãe, todo trabalhado na mudança (e lições de vida) e no sorrisão aberto 🙂

    Beijao

  7. Parabéns pro Lucas!!!
    Eu também tava no time meio o bebe que manda só que meu filho ADORA t rotina, acorda quase sempre no mesmo horário, mama, come frutinha, almoça e etc….
    Então estabeleci horários não como um quartel mas com horários sim.
    Que bom que vocês acharam o melhor pra vocês!
    Super beijo

  8. Em primeiro lugar, gostei muito do seu blog, não sei se você vai entender o que quero dizer, mas ele tem cheiro de sabonete de criança.
    Gostei muito deste seu texto, afinal as mães somos nós, os bebês são os nossos (tenho a minha Beatriz, de 8 meses e tbém escrevo para ela) e cada um sabe a sua realidade. E sempre acreditei que no meio está a virtude. A rotina é importante, mas cada um deve ter a sua.
    Lindo seu bebê!

  9. Carol, me identifiquei muito com seu relato! Eu tb sempre curti muito a linha humanizada (a tinha como a "ideal"), mas conclui que não sou o tipo de mãe que fica bem com tudo isso na prática. Agora leio de tudo um pouco e aplico o que acho melhor pra gente. Depois que o Frederico entrou numa rotina, ficou muito mais descansado, tranquilo e feliz. Impressionante! O Lucas tá lindo, parabéns!
    Bjs, Lê
    http://www.cegonhatrends.com

  10. Carol, o Luquinhas tá moinnnnnnnto lindo! Mas mointo.

    Sobre a rotina, aqui em casa as coisas funcionam assim. Acho importante ela ter seus horarinhos, a vida de todos fica menos caótica. Fiz bem parecido com o que você fez: ela deu o tom, eu fui seguindo… eu acho ótimo saber o que o bebê está pedindo, especialmente quando ele ainda não consegue falar / apontar. Ele sofre menos…
    Enfim, sigo com uma certeza: cada mãe sabe o que é melhor para seu filho. E você é a melhor mãe do mundo para o Lucas!

    Beijos

  11. Éh Carolzita! O importante é que tudo agora está fluindo bem, seu humor e de toda a família melhorou e sua auto-confiança tá inabalável!

    Sou da turma humanizada, mas no auge do meu desespero por dormir também tentei rotina e choros antes de dormir. Mas não funcionou nem pra ele e nem pra mim. Meu bebê vai fazer 8 meses e nunca dormiu uma noite inteira ou mesmo sozinho, sempre precisa ser acariciado ou ninado. Se sonho em dormir uma noite inteira?? Com certeza…mas no nosso caso a rotina e choros não nos deu isso, então descartei e segui adiante.

    Tento seguir os sinais dele e atender, na medida do possível, e por incrível que pareça ele sempre quer as mesmas coisas quase sempre nos mesmo horários! Então de certa forma também temos uma rotina. Quanto ao sono, isso é história pra um livro inteiro… mas ainda tenho esperanças que até antes de 1 ano ele vai conseguir dormir a noite inteira e eu também!!!

    Parabéns para o Lucas! Parabéns a você que se tornou mãe há 5 meses! E principalmente parabéns por se permitir aprender com cada dificuldade que o Lucas te mostra!

    Beijos

  12. carol, concordo muito c/ td q vc falou…
    respeito quem pense diferente, e se deu certo pra essas pessoas, q bom!!!
    mas por aqui nós tb precisamos de rotina (comecei a implantar c/ 3,4 meses e até hj seguimos algumas coisas, ela está c/ 1 ano e 9)
    na verdade confesso…acho q TODO bebê precisa…enfim…
    dá segurança, tranquilidade, organização o q se torna imprescindivel ao longo da vida (p/ ambas as partes)e a gente começa a perceber isso após alguns meses de caos…

    q bom q aí td está se ajustando!!!!

    lucas está lindo! q diferença do mês passado, está indo embora a cara de bebezico e ganhando ares de bebezão, hehe…

    bjs,
    renata

  13. ahh, e sono realmente é TUDO na vida de um bebê!

    viram outra pessoa com o soninho em dia…e viram seres mega do mal qdo estão com mto sono! hehehe

  14. Ahaaaaa que maravilha,
    vc dizer isso da um conforto, saber que uma hora, um dia em algum momento as coisas vão melhorar e ai vou poder curtir muito mais meu filho
    As noites estão mais calma,mas confesso ele dorme a cama comigo…..se eu colocar no berço…ixi parece que tem prego…acorda na hora
    Já tentei deixar chorando…mas fiquei realmente me perguntando se era preciso
    Queria fazer uma pergunta,
    Como conseguiu ?
    fez aquela coisa de deixar ele chorando?
    Bom fiz isso durante uma semana e não funcionou
    Agora ele dorme na cama e pronto, afinal eu precisoooo dormirrrrr

    Bom que bom que pra vc está dando certo, é um sinal de esperança

    grande beijo

  15. Na minha modesta opinião, o melhor disso tudo é você assumir as rédeas da maternidade. No começo é só palpite e informação que chega de tudo quanto é lado. Mas aos poucos vamos conhecendo nossos filhos e vendo que cada relação é única, e que o que funciona realmente é aquilo que você acredita e se sente bem.
    parabéns para o Lucas, que tá lindão. beijos e desculpa de novo pelo cano.

  16. Aeeee Parabéns pro Lucas!!! Ele está liiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiindo!!!
    Eu sempre pendi mais pro lado das rotineiras. Fui criada com rotina e acho que viveria o caos se não tivesse. Desde que Olívia nasceu ela tbm está na rotina e funciona muito bem pra gente! Gosto de ter meu tempo, meu sossego e poder marcar meus compromissos sabendo o que vai estar acontecendo com olivia naquela hora! hehe

    E jura que ele já mama de 4 em 4 horas ? Olívia até hoje come de 3 em 3 horas! haha

  17. olha Carol, eu simplesmente AMO seu blog! Eu estou vivendo o mesmo dilema aqui em casa só que ao contrário. Eu estava tentando seguir a Tracy Hoggs e sua rotina ao pé da letra e consequentemente me estressando. Não estava curtindo a maternidade tamanha a rigidez nas regras, seguindo a encantadora de bebês feito uma louca. Até que tive que ouvir da minha boa e velha avó: Juliana, seu filho não é um bebê de alta performance, maternidade não funciona como o seu trabalho.
    Aí então relaxei mais, ainda tento seguir uma rotininha, claro, se nao eu ia pirr, mas de uma forma muito mais light, com flexibilidade, entendendo e respeitando meu filho, num aprendizado contínuo. Estamos todos mais felizes assim como vocês. Amei isso:"
    Eu sou a educadora. Eu sou a mãe. Eu decido. Não a Tracy Hoggs ou o Carlos Gonzalez ou o blog da amiga Todo mundo tem regras na vida e, nossa, que libertador poder dizer que eu também tenho, minha casa funciona conforme eu quero. Ponto final."

    beijos!

  18. Quando o joaquin nasceu, vivi 10 dias de caos na minha casa, até que me apresentaram tracy hogg. Claro, quis jogar ela na parede algumas vezes, mas no geral, estrutura e rotina ajudam. A minha segunda filha já entrou no esquema ainda na maternidade! Cada um tem uma rotina obedecendo os ritmos proprios, mas eu limito, por exemplo, o volume da mamadeira de cada um, e q quantidade de sono diurno de cada. Se já dormiu o tanto que eu sei que é suficiente, vou lá e acordo. Claro, em alguns momentos eles dão sinais de que a determinada estrutura nao está funcionando (por exemplo, trocar de duas sonecas diurnas pra uma), daí deixo um dia sem muita estrutura e vejo no que dá. boa sorte!
    Mas saiba que aquele bebezico chorao da sua casa já acabou. Ele ja "descobriu que nasceu", e acordou pra vida!

  19. Oi Carol,

    Venho no teu blog há muito tempo, já comentei em outros posts e me senti impelida a comentar nesse também: parabéns! Parabéns!!! Quando a gente assume as rédeas da nossa casa e dos horários dos nossos filhos, tudo flui melhor. Quem dita é você, quem obedece é Luquinhas (que está UM LINDOOOOOOOOOOOO de viver!!!!!!!!!)! Não que seja assim tão rígido, você tem que saber entendê-lo, saber decifrar suas dicas e seus momentos, mas, no geral, a mãe é quem comanda mesmo, sem medo de ser feliz. Mamar de 4 em 4 horas para um bebê de cinco meses e gorducho como o Luquinhas é nromalíssimo. Pelo menos a Laura era assim e desde o quarto mês ela mamava de 4 em 4 horas (cfme a Tracy) e hoje está mais gorda ainda do que antes (pq come papinha).

    Seja como for, você achou a maneira de lidar com a sua rotina, a sua casa e o seu bebê, o que é ótimo! Não existe fórmula e nem rotina super rígida que funcione bem, tudo tem que ser balanceado com a SUA rotina + rotina do Luquinhas + rotina da casa, no geral. E aí, sim, vocês compõem a rotina da família.

    Parabéns! Espero que cada vez mais vc se realize como mãe. Pq, sabemos, é a entrega mais dolorida e mais gratificante de todas!

    Beijos,
    Dani – a viajante de primeira viagem

    http://viagensdeprimeiraviagem.blogspot.com

  20. OI Carol… Lá em casa as coisas só funcionaram com a rotina. Desde sempre.
    Acho que o bebê fica mais tranquilo quando sabe o que vai acontecer em seguida. Até hoje o Dudu tem a sua rotina. Mesmo que as coisas não aconteçam como um relógio, procuramos seguir sempre o mesmo passo-a-passo e a mesma ordem das coisas.
    Defendo sempre a rotina. Bebes com rotina são bebes mais seguros e felizes.
    ~minha opinião~
    Beijinhos,
    Fer

  21. Carol pelo amor de Deus , como eu queria conhecer o Luqui-Luqui pessoalmente só pra apertar as bochechas dele (mas devagarinho pra não machucar, ok) Ele está mais lindo que o mês passado… 🙂
    Em casa esse negócio de rotina não rolou… Minha filha gosta de brincar até mais tarde e não consegui, nem a pau Juvenal, fazer ela dormir mais cedo, nem Tracy Hoggs deu jeito… Me acostumei e somos muito felizes. Procuro dar banhos no mesmo horário, respeito o horário das refeições e coisa e tal, mas quando está comigo deixo mamar a hora que quiser e assim vivemos bem obrigada.
    Não tenha medo de escrever nada.. O blog é seu, o filho é seu, e ninguém paga as suas contas…. rs

    Beijinhos
    Carol

  22. Cada bebê é um bebê. Fato.
    Minha duas filhas foram me mostrando no caminho como elas gostavam de dormir, onde, que horas, etc. E eu sempre respeitei. Se na velocidade 5 do créu mesmo assim ele custava a pegar no sono e chorava muito, é porque não era a melhor opção pra ele. Fico feliz que vcs estejam se encontrando!!!

  23. "Eu sou a educadora. Eu sou a mãe. Eu decido. Não a Tracy Hoggs ou o Carlos Gonzalez ou o blog da amiga Todo mundo tem regras na vida e, nossa, que libertador poder dizer que eu também tenho, minha casa funciona conforme eu quero. Ponto final."

    Sem tirar, nem pôr, Carol! Concordo muito com isso que vc escreveu e super apóio as suas decisões, totalmente baseadas na sua família e do que é melhor para ela!

    Lucas tá um fofolindogostosodemais!

    Beijos,
    Nine

  24. Parabéns Carol por essa conquista. Quando estamos a beira de um caos e as coisas dão certo é realmente uma grande vitória! Acho q devemos ler de tudo, mas na prática, só a gnt mesmo! Eu sempre fui rotineira e tudo no seu horário, mas confesso, que preciso ler mais sobre humanização pq senão lá em casa vira regime militar, rsrsrs

    Sofro com isso, com as coisas fora do meu controle, mas que é q controla tudo, né??

    E é verdade, de agora em diante tudo melhora. Ele vai começar a comer sólidos e isso faz muita diferença!

    BEijos e muitos parabéns!!!

    Lucas sempre super fofo!

  25. Carol, vc está certíssima!
    Muitas ideias são lindas na teoria, mas na prática, no dia a dia, dentro da nossa casa, a gente tem mais é que fazer aquilo que é melhor pra gente.
    E olha, eu penso mesmo que quem fica por aí julgando as atitudes das outras mães é pq ainda não entendeu bem qual é a da maternidade.
    E Luquinhas tá lindão, hein? Baita sorrisão gostoso!
    Bjos

  26. Carol,
    O Lucas está lindoooo… que olho mais lindo!!! concordo com vc… o blog é seu, o filho é seu, vc que decide… 🙂
    Aqui a rotina funciona super bem!! não teve cama compartilhada, livre demanda só quando era muito bebezinha, nada muito natureba… sou mais pro lado prático, acho legal que é hippie mãe, mas pra mim não funciona…
    Bjs!! parabéns!!

  27. ô querida, que delícia, que conquista! Parabéns!

    e ele? vou continuar babando, é a coisa mais gostosinha deste mundo =P

    bjus, ju
    ps. comecei a tomar o acido folico hj!

  28. Oi Carol, quase nunca deixo recados mas sempre apareço por aqui!
    Bem, me identifico muito com vc em vários aspectos. Um texto que vc fala sobre jogar o bebê pela janela nas primeiras semanas, nossa, nesse texto vc traduz tudo o que eu senti tbm logo que minha filha nasceu. Então venho aqui te dizer que a rotina é mto importante pros bebes e pra nós. Eu não tinha vida antes de colocar minha Alissa numa rotina. Ela nao dormia bem a tarde, e a noite era aquele esquema, dormia, mas acordando de 3 em 3 horas. Acho que o horário de comer, de tomar banho e de dormir são os mais importantes de serem seguidos, mas eu também tinha essa duvida sobre como fazer ela ficar as 4 horas sem mamar e se deveria ou nao acorda-la quando passasse da hora dormindo. Descobri que mesmo precisando da rotina, sair dela vez ou outra não faz mal. Deixo ela dormindo se passar da hora e isso nunca atrapalhou o sono sa noite, até porque não acontece todo dia. Acho que a questao é só ser organizado, mas sem aquela piração de "ah!tem que ser tudo conforme a rotina estabelecida!". Um pouco de flexibilidade faz bem pra todo mundo. Também nao sou mto maternal, não gosto de dormir com minha bb e também já me senti muito mal por isso. Luto muito pra tirar mal costume dela de querer só ficar comigo, ou só dormir comigo, e com muita dificuldade tenho conseguido deixá-la um pouco indenpente. Mas isso a duras penas, porque errado está quem diz que educar é fácil. O difícil nao é ter filhos, é educá-los, e isso a gente faz desde bebezinho que nem o Lucas, e dá trabalho, é penoso, mas a gente colhe os louros depois. E não se preocupe se ele mudar a rotina, ou parar de dormir tranquilamente como está fazendo, ou mamar menos, também aprendi que crianças são difíceis mesmo e tem mtooos momentos, muita fase diferente, a gente se desespera, enlouquece, mas eles acabam entrando nos eixos por eles mesmo sem nos dar a menor satisfação rs Minha filha nunca dormiu comigo, sempre dormiu no berço, mas agora depois do grande terremoto que tivemos aqui em tokyo, ponho ela pra dormir do meu lado num colchão pro caso de ter outro terremoto eu nao precisar correr pra buscá-la, mas já sei que vou pagar por isso mais tarde rs Enfim, querida! Eu sei que vc já sabe disso, mas nunca se sinta só no mundo, aqui está um ser que compartilhou e ainda compartilha desses mesmo problemas e questões que vc rs Grande beijo

  29. Ei Carol,

    Parabéns!! Vc está certissima.
    Fico feliz por vcs.
    O Lucas tá muito lindo!!!!

    Quando li o livro rosa da encantadora de bebe (antes do parto), o achei muito rigido e cheio de regras e tal. Mas passado um mes que o Rafa nasceu, estava eu relendo novamente e aplicando seus conceitos e foi ai que as coisas começaram a dar certo e eu me rendi a esse livro, pois ele funciona para o mundo real. rsrsrs

    Sidneia

  30. Carol, eu pensei tanto sobre isso e concluí que educar dói (na gente) e crescer dói (neles). Mas é preciso né? Nossos filhos tem que ser criados para ser o mais independentes possível, pq amanhã eles não serão mais bebês e terão que se virar mundo afora. Definir o melhor caminho para fazê-lo não é tarefa fácil, mas quem é que disse que temos que ser perfeitas? Se está dando, É O CAMINHO CERTO.

    Beijos mil

  31. Carol,
    Que bom encontrar o equilíbrio, não? Mas o aprendizado é assim mesmo, no erro-acerto, e nem sempre dá pra aplicar todas as teorias que existem por aí. Quando minha filha nasceu eu também não sabia o que fazer direito, ela sempre dormiu pouco de dia, mas depois que ela começou a frequentar a escola aos 6 meses e ao mesmo tempo comecei a estipular rotinas mais rígidas em casa – principalmente em função da introdução de alimentos sólidos – tudo melhorou.
    Cada um é cada um, e ponto final. Sem medo de críticas!
    Bjs e parabéns pelo filhote!

  32. Claro, o que é bom pra um pode ser péssimo pro outro. Mas eu, assim como vc, sou mais pra Tracy Hogg. Bebê ama rotina e meu segundo filho ta MUITO mais no esquema do que a minha primeira.
    Ele acabou de fazer 7 meses, dorme a noite toda e cai na cama ás 19:30. To amando!!! Funciona muito bem para todos nós.
    Que bommmm que vc conseguiu, acompanhei sua luta contra o sono dele. É um alívio danado ter um bebê risonho e descansado em casa ne? bjs

  33. Nossa, Carol! Você escreveu tudo o que eu já cansei de dizer: cada um tem que achar seu jeito. Assim como vc, preciso da minha cama, do meu espaço, do meu tempo. Mas preciso saber também que em tal horário sou só da minha filha e de mais ninguém. Quer saber? Vivo tão bem com isso, sem remorso nenhum de ter uma menina que dorme sozinha desde o dia em que nasceu… E os mais radicais que me desculpem, mas é assim que é!
    Bjuss…

  34. Carol, primeira vez que comento, mas vi toda a "saga luquística" da sua vida. Parabéns, é isso aí. Não parabéns pela rotina, por ele dormir, mas por ter caído a ficha de que só vc pode decidir o que é melhor prá o Lucas e sua família. Aqui em casa, embora eu tb admire muito a turma "humanizada", nada rolou. A começar pelo parto. Tive pré-eclâmpsia, não marquei cesárea mas ela aconteceu num domingo pela manhã depois de 3 dias de pico hipertensivo. Quase morri de depressão porque achava que meu parto era menos parto que os outros, queria ter esperado o tempo do Levi nascer etc etc. Aí um dia falei "peraí, dna Carolina, era o dia dele nascer ou ele NÃO iria nascer". Com peito/rotina/sono foi a mesma coisa. Todo mundo tinha opinião, li mil livros. Ele dormia bem para um recém-nascido, mamava super bem, mas tava ficando irritado e me parecia começar a dominar a gente. Deixei chorar. Fiquei ao lado dele quantas vezes foi necessário. Cama compartilhada fiz durante 3 meses quando estávamos fora do Brasil. Ao retornar para casa, marido e eu deixamos chorar no berço quanto foi necessário e a paz voltou a reinar. Ele sofria do mal do Lucas, não ficava bem o resto do dia, apesar de todo peito à vontade, colinho, cadeira… COm rotina ele é outra criança. Come de tudo, super bem, dorme muito bem e na cama dele (1a9m), parou de mamar quando engravidei do segundo (primeirinha, na verdade e lá vem um monte de gente criticar que não precisava etc etc, mas EU precisava e ele tb e nos amamos assim) e a vida segue. SEmpre gostei de saber que na hora tal ele estaria dormindo, na hora tal estaria com fome. Gosto da vida assim, meu filho também e isso é ser humanizado. Estar em contato com o ser humano que existe nele e em mim. Humanizado não é um cjto de regras ditadas por alguém, um parto X, uma rotina (falta dela?) Y. É ser sensível às necessidades de todos ao redor e é exatamente o que vc faz agora. Parabéns mesmo e Deus te abençoe nessa jornada vitalícia da maternidade.
    Bjão

  35. Como ele tá lindo (mais ainda que com 4 meses).
    Que bom que vc encontrou o jeito de vcs. É como vc disse: vc é a mãe, o filho é seu, o blog tb.
    Leio sempre, mas fico com preguiça de comentar. 😀
    Bjs.

  36. Ah, como seu filho é lindo! Meu pequeno Felipe fez cinco meses no dia 29 e eu decidi que o colocaria para dormir no berço, porque estava muito difícil dormir com ele e o marido na cama, não conseguia nem me mexer direito. Agora está tudo mais tranquilo, quando meu marido acorda de manhã eu coloco ele comigo na cama e dormimos tranquilos… Eu adoro ficar dormindo juntinho com ele 🙂
    Beijo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *