Vou dar uma pausa no assunto “sono” (mas vou retomá-lo em breve, me aturam?) pra contar um pouco de história que não foi contada aqui na época que aconteceu.

Eu tinha um espaço só meu pra falar um pouco sobre o que vinha sentindo e não queria publicar. Não era o momento de compartilhar, mas, mesmo assim, eu queria seguir fazendo meus registros. E sempre volto lá e fico lendo as coisas que escrevi. Tão sinceras, tão esperançosas…

Então que no dia 20 de setembro de 2010, há exatamente um ano e exatamente um dia antes de descobrir a gravidez do Lucas, eu escrevi:

“Esqueci de contar sobre um sintominha que tenho sentido.
nao é sintoma, é uma sensação, na verdade.


de que tenho útero.
he-he, que bizarrice. mas é isso mesmo: sinto meu útero. inteirinho. aqui. sensível. nao é que me doa ou que eu esteja com cólicas (ou mesmo com gases). mas é que SINTO.”

E foi por senti-lo tanto, tão vivo, tão dentro, tão meu, que no dia seguinte resolvi fazer xixi no palitinho, mesmo antes de qualquer atraso menstrual, mesmo com todos os médicos que eu consultei dizendo que seria impossível engravidar tão rápido depois de um aborto.

IM-
-POS-
-SÍ-
-VE-
-O.

E amanhã eu volto pra contar sobre o tão famigerado xixi no palitinho dando positivo.
.
.

24 respostas em “Sobre o que é possível e o que é sensível

  1. Carol, já ouvi de muitos medicos q é impossível eu engravidar de forma natural, mas não é isso que sinto… as imagens desse seu post falam mais que mil palavras… A-DO-REI

    IMPOSSÍVEL É APENAS QUESTÃO DE OPINIÃO!

    BJÃO

  2. Nossa…parece que tu já estavas sentindo o Luquitchous…acredito que isso foi um megapresentão de Deus…afinal passar pelo que vc passou merecia uma coisa tão boa assim!!!

    AMEI as fotos da ultra e do barrigón!!!

    BJS…

  3. gata! eu lembro de tudo como se fosse ontem. foi tão bom viver tudo isso ao seu lado, acompanhando cada detalhe. lembro muito de você dizer que sentia o útero.
    se precisar de qualquer refresh na memória, tenho todos os e-mails guardadinhos. dá um nostalgia boa relembrar, reler… ai ai, realmente éramos tão ingênuas, né?
    beijo!

  4. Carolina,cheguei no seu blog por acaso. E de cara me identifiquei. Assim como vc, leio há tempos blogs de mamaes e tentantes, mas essa é a primeira vez que comento em algum. Devorei todos os posts e por muitas vezes sinto o mesmo que vc sentiu e tantas outras sentiram, qdo estamos querendo muito ter um bb. E posts como esses, vc nao imagina como me fez bem. Faz eu esquecer todas as frustraçoes de tantos negativos e ter a certeza de que minha hora e d tantas outras tentantes vai chegar tb. Obrigada!
    Mariana

  5. Carol, obrigada por renovar as esperanças. Minha ex-médica disse que é quase impossível que eu engravide sem indução. Sei que estatística, racional e medicinalmente falando a coisa é complicadinha, sim. Mas a gente se alimenta de esperanças e ingenuidades*, né?
    Beijos
    *ingenuidade porque a gente pensa que sabe o para onde vai nossa vida, mas a verdade é que somos absolutamente ingênuas, bobinhas mesmo.

  6. intuição de mãe é fogo!

    das duas vezes sabia que tinha engravidado na hora que acabou o vuco-vuco…

    e sabia o sexo do bebê – eu não admitia, mas sabia! nos dois US que viu o sexo eu tinha os nomes certos e o oposto não… engraçado…

    beijoca
    mari
    viciadosemcolo.blogspot.com

  7. PS.: eu tb sinto meu útero… sei, quase sempre por qual ovario estou ovulando, mas senti MESMO é quando os seres nadantes do marido me fertilizaram. Parecia umas cócegas fracas DENTRO do útero, uma inquietação efervente… sei lá. E isso SÓ ME ACONTECEU quando os boyzinhos do marido encontrão a minha garotinha – que nem nome masculino -, "a" ovulo.

    É legal vc sentir seu corpo.
    É uma comunhão.

  8. Isso mesmo… Fiz duas fertilizações, a primeira nao deu certo, a segunda, perdi o baby com 8 semanas e… Exatamente 20dias após o aborto engravidei, naturalmente! Meu pequeno nasceu agora em agosto!
    Tudo de bom pra vcs!

  9. Isso mesmo… Fiz duas fertilizações, a primeira nao deu certo, a segunda, perdi o baby com 8 semanas e… Exatamente 20dias após o aborto engravidei, naturalmente! Meu pequeno nasceu agora em agosto!
    Tudo de bom pra vcs!

  10. Oi Carol,
    estou numa duvida cruel sobre qual post eu deveria comentar.
    Soh queria me apresentar e dizer que estou passando nesse exato momento o que voce passou na primeira gravidez. As minhas dores apenas comecaram … e embora esse seja um drama que nao combina nada com a sua vida agora, eu soh queria te agradecer por ter compartilhado tudo sempre com tantos detalhes.
    Eu sei agora mais ou menos o q esperar gracas aa sua experiencia. Se jah eh assustador engravidar pela primeira vez e nao saber o q esperar a cada momento, acho que eh ainda mais qdo se sabe que se vai abortar a qq momento.
    Enfim, agora eh rezar pra tudo ser rapido.
    Um abraco.
    Suz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *