Essa semana, chegou a informação que faltava pra eu finalmente escrever este post: confirmamos a alergia do Lucas. Leite e soja, people.

Desde que contei da dieta e das suspeitas, tenho recebido todo tipo de pergunta (e não respondi quase nenhuma), mas acho que chegou a hora. É legal fazer esse registro pra vocês que me perguntaram e se interessaram na minha vida e por mim também, pra eu cruzar informações mais pra frente, se for o caso.

Então, sentá lá Claudia:

– Ah alergia ao leite… minha prima/irmã/cunhada/conhecida/vizinha também teve isso, mas ela comia um poquinho de queijo e não fazia mal não.
Pois é, mas temos que começar entendendo que: Alergia à Proteína do Leite de Vaca é diferente de Intolerância à Lactose. Não vou entrar em detalhes, ninguém merece, mas na intolerância, as pessoas podem consumir quantidades pequenas ou espaçadas de LACTOSE, porém, na alergia, não pode NADA que tenha a PROTEÍNA do leite da vaca. Comer um cisco de queijo perdido na salada é iNgual a comer pizza, tomar achocolatado, nadar no molho branco. Dá merda.

– Mas que tipo de merda pode dar?
No caso do meu filhote, dá MERDA mesmo, he-he. Diarréia, cocô com muco, sangue, muita dor e cólica, dermatite. E, vocês já sabem, ele fica irritadíssimo, dorme mal, está sempre incomodado e choroso. Se dor de barriga já incomoda e deixa qualquer adulto mal humorado, imaginem um piquitico com menos de três meses que ainda nem terminou de entender o que está fazendo nesse mundo? Fora isso, quanto mais eu demorar pra tratar, mais demora pra ir embora.

– Ah, então esse treco vai embora?
Sim, vai. Varia de criança pra criança, mas, de acordo com a gastro que consultamos, por volta de um ano, ano e meio.

– Vocês consultaram gastro, legal. Fizeram muitos exames? Qual exame COMPROVOU a alergia?
Todos e nenhum, hihihi. Na idade do Lucas, o exame pode ser inconclusivo, tipo teste de gravidez de farmácia, sabe? Se é positivo, não tem dúvidas, mas se der negativo, não quer dizer muita coisa. Fizemos exames pra descartar outras suspeitas e esses sim vieram todos negativos. Vamos fazer o específico pra alergia, mas não é o ponto principal pro diagnóstico. Pelo quadro clínico dele, nossa gastro não tem dúvidas.

– Poxa, mas podia ter algo que te desse certeza, né?
É.

– E como trata?
Trata com dieta de exclusão. Como Lucas come através de mim, a premiada fui eu. Devo excluir da minha dieta toda e qualquer comida que tenha proteína do leite ou da soja. Não é tão simples quanto parece, já que descobri que muitas coisas que consumimos normalmente são agraciadas com as proteínas malditas. Quer um exemplo? Coca-cola. Aí você se pergunta: NAONDE que Coca-Cola tem leite? E eu te digo: no corante dela. Corante caramelo tem derivado da proteína do leite. E Coca-Cola tem corante caramelo. Se eu tomo esta porcaria, Lucas reage. Tenderam?

– Ah, caramba, mas assim é dificil fazer dieta. Como você faz pra saber o que pode e o que não pode?
Eu tenho uma lista dos leites “disfarçados”. Corante caramelo, caseína, soro são algumas das palavrinhas que, pra quem sofre dessa alergia, são iNguais a LEITE DO MAL. Daí, quando eu vou ao mercado, levo a minha lista e fico deliciosamente lendo TODOS os rótulos.

– Muito difícil, Carol.
Sim, mas não para por aí. Porque eu descobri uma chateação mais chata ainda, chamada TRAÇOS. Funciona assim, por exemplo: se a empresa que produziu a farinha X também produz alguma coisa enriquecida com leite e, por acaso, compartilha o maquinário pra esses dois alimentos, a minha farinha X, que teoricamente estava isenta de contaminação, foi toda zoada. Possui TRAÇOS DE LEITE. Aí eu, inocentemente, compro essa farinha e faço meu bolo, achando que tô dentro da dieta. NÃO ESTOU. Contaminou meu bolo, o prato do bolo, o garfo, a forma, o liquidificador que eu fiz a massa. E pior: Lucas reage.

– Impossível viver assim!!! Como faz pra mapear TODOS os produtos DO MUNDO?
Não faz, né? Na verdade, até faz: liga pra SAC e pergunta do maquinário, ameaça dizendo que vai ter choque anafilático, substitui por alimentos menos industrializados… por aí vai. E também: usa-se a rede de apoio. Me indicaram uma comunidade no orkut pra APLVs e também faço parte de uma lista de discussão argentina sobre filhos alérgicos. Daí rola muita troca de informação, tem listas de produtos aptos e confiáveis e, acima de tudo, muita ajuda e força pra aturar as dificuldades do processo.

– Que bom, pelo menos isso. Mas e aí come o que?
Neste primeiro momento, em que Lucas está no meio da crise, todo sintomático, eu como de forma muito restrita. Além de leite e derivados e soja, cortei carne vermelha, feijão e lentilha, alho, cítricos, oleagenosas. Tenho comido, basicamente, frutas, verduras, legumes. De industrializado, somente arroz e macarrão (e mesmo assim, as marcas confiáveis, que não tem traços em seus produtos).

– Carol, mas por que esse sofrimento? Dá logo leite de fórmula pra essa criança que tudo estará resolvido mais rápido!
Não é bem assim. Se eu não pensei em fórmula? Lógico que pensei. LÓGICO. Mas, preferi seguir amamentando. Por alguns motivos: primeiro, porque gosto, porque acredito que é o melhor pra ele. Segundo porque, de acordo com o gastro e com o pediatra e com as comunidades das quais participo, uma vez acertada a dieta da mãe, o leite dela é o melhor remédio pra alergia. E terceiro – e menos nobre – porque não posso dar qualquer leite. Nan é leite de vaca, caso não saibam. Tem que dar fórmula especial (altamente hidrolisada, só aminoácido, sem proteína), tipo Neocate. Agora, sabe quanto custa uma latinha de Neocate? 500 pesos. É papo de duzentos real. E ainda fiquei sabendo que tem um gosto MERDA, que muita mãe taca açúcar pro filho aceitar. AÇUCAR, tá gente? Pra criança de três meses, pensem. Mas, ok, segui pesquisando sobre o assunto e vi que meu plano de saúde cobriria a tal fórmula pelo menos até o primeiro ano do bebê (claaaro que depois de muita burocracia). Mas estou firme na amamentação. Ganhei uma lata de Neocate e ok, fica aí pro dia que eu MORRER. He-he, brincadeira, fica aí pro dia que eu mudar de idéia, caso a dieta não dê certo ou algo do tipo.

– Mas Carol, com essa dieta toda, será que seu leite não diminuiu ou secou? De repente, ele tá chorando de fome…
Essa possibilidade me parecia quase impossível, visto que já são quase três meses amamentando e meu peito ainda vaza. Mas foi sugerido tantas vezes que encasquetei e fui tirar um pouco, pra ver qual era. Pois bem. Em cinco minutos de bomba manual, no mesmo peito que eu tinha dado na mamada anterior, eu tirei 100ml. Acho que tenho leite, né?

– Tá, você vai seguir amamentando, mas não tem nenhum remedinho que amenize essa alergia?
Tem não. Tem remédio pra amenizar efeitos muito fortes da alergia (tipo crises respiratórias e tal), mas, pelo que eu entendi, ainda não é o caso do Lucas (e tomara que não seja NUNCA).

– E quanto tempo a dieta leva pra fazer efeito? Ele não deveria estar melhor já?
Cada médico e cada comunidade que eu participo diz uma coisa. Uma vez que a dieta esteja acertada e sem furos, meu leite estaria limpo em: 15 dias, de acordo com a pediatra; 4 dias de acordo com o pessoal do orkut; 3 dias de acordo com a colegagi blogueira; 7 dias, de acordo com a gastro. Já escutei até 40 dias, meu povo. Estou em dieta talibã desde quarta-feira, ou sejE, DOIS DIAS. Falta, até no mais otimista dos casos. A dieta anterior estava com furos, então não conta (lembra que eu falei que, pra alérgicos, é tudo ou nada? Dieta marromeno não funciona). Quando a sintomática do Lucas começar a melhorar, eu vou reinserindo as coisas extras que cortei: alho, cítricos etc. Daí seguirei só com exclusão de leite e soja, vai ser mais tranquilo (hahahahahaha).

Queria agradecer demais pelos montes de comentários no post sobre o lado negro da força. Foi muito bom ver que ninguém atirou pedra, pelo contrário, muitas se identificaram e deram apoio. Recebi muitos emails, ainda não respondi nenhum, o que pretendo fazer amanhã, quando marido ficar um pouco com a cria.

As coisas por aqui ainda estão meio dificeis e eu sinto que tenho que matar um leão por dia pra me manter firme, sabe? Ontem mesmo eu tive uma “recaída” e chorei pacas, fiquei meio inconformada. Mas depois, lembrei do que a gastro nos falou (e também já me falaram no orkut): alergia NÃO É DOENÇA. O conforto do meu filho está nas minhas mãos. É complexo, é chato, exclui socialmente? Sim. Mas não tem hospital, não tem remédio, não tem sofrimento de não saber o que será dele no dia seguinte. Ele ficará bem, só preciso ser forte (e haja força!). E, se eu não conseguir, nada de derrotismo, a lata de leite estará disponível pra quando eu quiser. Sem neura, sem culpa (tá, mentira, vai ter culpa sim, mas eu sei que estou dando o meu melhor, espero que isso amenize).

O que preciso agora é me despedir do filho que eu queria ter e aceitar o que eu tive. Isso é foda, gentes. Não que eu não o ame, longe disso, mas é que a gente sonha com a noite sem acordadas, com uma criança simpática e que dorme nas horas apropriadas pros adultos. Sonha em dizer “ele quase não dá trabalho!” ou “nem parece que tem um bebê em casa!”. Mas tem. Tem um bebê em casa. Que chora, dorme mal, está alérgico, precisa de atenção, carinho, paciência. Não tá nem aí se tem adulto em volta, se tem visita em casa, se o horário não tá apropriado, se a mãe tá com sono, se o pai tá com dor de cabeça.

Mas, é bom lembrar: ele é lindo (cês num acham?), gordinho, bochechudo, adora mamar, curte um carinho, acorda quase sempre sorrindo, ama tomar banho (e a gente toma banho juntinho, os três no chuveiro), come as mãos como quem toma um sorvete de chocolate, dá uns gritos engraçados e ri do próprio pum.

Amorzinho.
.
.

45 respostas em “Sobre alergia, esforço e amor

  1. Carol,
    Parabéns! É isso aí mesmo! Cada dia, um flash, menina. Não é fácil (e eu não tenho ideia do quão difícil seja neste caso), mas ser mãe é isso e a gente aprende aos trancos. Se você tivesse um bebê que quase não dá trabalho (sem alergia, que dorme bem, come de tudo), teria alguns dias em que você reclamaria também!! =) Mãe se cansa, mãe reclama, mãe estressa e mãe ama muito, incondicionalmente, o tempo inteiro…. mãe é bicho bobo… e com coração imenso…
    Siga firme, que tudo melhorará, já que o Luqui-luqui é lindo, gordo, bochechudo, amado, carinhoso, acarinhado… e mais… Beijos!

  2. Carol eu acompanho o seu blog faz um tempao e nunca me manifestei, sou uma das leitoras ocultas hahaha. Olha o meu filho apresentou muitos desses sintomas nao tao graves mas eu tbm fiz dieta de exclusao e quero te dar muita forca porque sei que nao é facil, e alem de tudo te dar esperanca pq eu nao acreditava tbm nao mas muito provavelmente passa viu, hoje ele ta com quase 2 anos e ja come quase normal, o coco ainda fica molinho se abusa dos derivados de leite mas nada comparado nem o sono ja nao esta perturbado. Entao sei que e dificil sei que é cansativo e solitario mas se Deus quiser o Luquinhas ( q alias é um buchechudo lindo) logo logo vai ta comendo seu sorvetinho e tomando leitinho. Beijos e muita forca!!

    Paula

    http://www.diasdesamuca.blogspot.com

  3. Carol, desejo toda a força e amor. Nem posso imaginar o quão difícil deve ser, mas Deus nunca dá quilo que não podemos suportar.
    Sou alérgica a muitas coisas e é muito chato e sério(principalmente a medicamentos). Minha mãe conta que eu dei muiiiiito trabalho, por conta das minhas alergias. Eu ficava arrasada qd minha irmã viajava com minhas tias e eu ficava em casa, pq minha mãe morria de medo de algo acontecer comigo, e me medicarem com algo que sou alérgica (analgésico, antiflamatorios, aas, etc). Desde pequena eu andava com minha listinha, e sabia exatamente que eu poderia ter edema de glote caso passasse perto de um item daqueles.
    E hj estou aqui graças a Deus e meus pais que sempre fizeram tudo que fosse possível por mim.

    Alice
    alicemfreitas@hotmail.com

  4. Carol, força aí, guria!
    Não desiste, não! Você vai conseguir! Já passou por coisa muito pior nessa vida…não vai ser uma dietazinha sem leite derivados e soja que vai te derrotar, não mesmo!
    Tô torcendo para tudo dar certo!
    Beijos carinhosos!
    Nine

  5. Carol, acho que ainda não consegui me despedir do filho que eu queria ter, que não tem fenda palatina e nem vai precisar passar por uma cirurgia com anestesia geral com só um aninho de vida.
    Vc é forte e vai conseguir passar por tudo isso. Linda e loira (porém morena, magra e com filhote no colo!

    Beijos

  6. Carol,

    vc é um exemplo para mim, não tampao solcom a peneira e vai resolver td o que precisa sem meios termos ou coisas do tipo e tenho certeza que sua dieta vai da certo e antes que vc imagine o Lucas vai estar sem alergias
    beijos e muita força

    Há se ele é lindo é sim um bebê delicia

  7. A gente idealiza tantas coisas, mas o certo é que a gente deve aceitar o que tem.

    Como tudo na vida, o começo sempre é difícil. Depois o tempo se encarrega em nos dar uns traquejos e tudo vai ficando mais fácil (ainda que este fácil tenha um certo grau de dificuldade e renúncia).

    Realmente a dieta não é melzinho na chupeta, porque além de super-hiper-restritiva, ainda tem as preocupações de contaminação cruzada e tals.

    Mas pense que é este é só o primeiro passo. É o início. Torço para que com a nova dieta logo, logo, logo, a alergia dele tenha melhorado muiiiiito!

    E vc vai amar ver o pequeno sem incomodos ou dores. Seu filhote merece todo o carinho. Todo este esforço valherá muiiiito a pena.

    Um dia ainda vou ler vc dizendo isto! É minha torcida!

    Bjs!

  8. Isso mesmo Carol…é difícil lidar com alergia, sei disso pq o Davi é alérgico, diferente pq o caso dele é asma…mas tb é alergia e por muitos anos até que o sistema imunológico dele pudesse acusar a qu~e ele tem alergia, trabalhamos com exclusões a isso ou aquilo…A do Lucas vai passar daqui a um tempo sem dúvida nenhuma, e só ter paciência mesmo!

    Bjs!!!

  9. Oi Carol, que post esclarecedor! Nossa, eu nunca imaginei que coca tivesse algo com leite! Minha filha teve intolerancia a lactose, então minha dieta não foi tão restritiva assim. Apesar da dificuldade acredito que vc vai conseguir e se adaptar, ainda mais que não é nada defitivo!
    Boa sorte. Abraço.

  10. Meu esposo não pode comer nada que tenha leite, mas do lugar de onde vem todos os produtos que são feitos com leite ou possuem leite também possuem a versão "free milk", mas como estamos no Brasil agora ele toma um remedinho antes de comer ou tomar alguma coisa que tenha leite. E como você disse, dá merda se ele tomar.

    Força por ai!
    Bjus

  11. Carol… não posso dizer outra coisa: (desculpa!) VC É PHODA!
    Tenha certeza de uma coisa…. vc vai conseguir se enquadrar na dieta, vai dar certo amamentar até ele se cansar do teu leite (e vai crescer bochechudo e lindo), e vc vai dizer que no começo foi tenso, e que depois se acostumou.
    Depois, quando ele crescer, e ver o que vc fez por ele, sabe o que ele vai achar? Que a Mãe dele é PHODA PACARAI….. hehehhe
    Certeza que ele vai te admirar MUITO pelo que vc fez por ele. Seria MUITO mais fácil dar o complemento, seguir feliz e sorridente (e comendo de tudo), mas o que vc optou? Por amar incondicionalmente….
    Parabéns, e tiro o chapéu pra vc.
    Beijinhos,
    Fer
    http://coisasdududu.blogspot.com/

  12. É isso aí Carol!
    Força…pelo Lucas e pelo futuro de vcs!
    Isso um dia vai passar, LOGICO.

    Vc é guerreira porra!
    Lucas tem uma PUTA mãe. No sentido melhor da palavra! rs
    Ele terá tanto mas TANTO orgulho de ti!

    Ah e muito pouca gente sabe né, mas NAN e Nestogeno contem SIM leite de vaca!

    Beijos e PARABENS!
    Miorgulho de vc! 😉

  13. Com os olhos marejados posso dizer que admiro vc muito.
    Poucas mães fariam isso por um filho, poucas mães tem o dom de serem mães e vc tem esse dom com toda ctz!

    Muita paciência e superação pra vcs, sempre que o desespero bater lembre-se de tudo que vc já fez para te-lo, e observe esse sorriso lindo, com ctz acalma, ampara.

  14. É isso aí Carol, siga em frente sempre seguindo seu coração e intuição, minha nora passou por isso e com mais uma complicação eu na casa dela com intolerância ao gluten, dá pra imaginar as dificuldades de compra de alimentos, mercado de 1/2hora vira duas, graças a Deus meu netinho está com 15 meses e os dois já comem de tudo, agora as restrições ficaram só comigo e VALEU muito a pena esse período de sacrificio.Bjs.

  15. Carol,
    Querida, queridíssima.
    Eu já restringi minha dieta tantas vezes na vida (carne vermelha e frango, refrigerante, leite e derivados e, a última: sal) que posso te dizer com experiência, é sofrido só até se acostumar.
    Eu tb levava hooooooras pra fazer super pq lia o rótulo de tudo, hoje eu já sei o que não tem leite, nem traço de leite.
    Oooolha, talvez tu queiras me apedrejar por eu dizer isso, mas eu sou espírita e acredito de fato nisso: quem sabe essas crianças não tenham nascido (e vêm nascendo a rodo se tu fores reparar) pra mudar a consciência e "nova ordem mundial"?
    Porque somos os únicos mamíferos que tomamos leite após o desmame e, veja bem, leite de outro bicho!
    E, também, acreditar que esse sufoco todo tem um propósito é melhor.

    Beijos e força!

  16. Carol,
    Parabéns pela força, por sua busca de informações tão importantes e que podem ajudar tb a tantas outras pessoas…
    Daqui a pouco Luquinhas tá aí tomando um belo milk-shake!
    Ah… e ele é lindo mesmo, viu?
    Parabéns de novo!
    beijos,
    Juliana Andrade.

  17. Carol, força na peruca!

    Meu sobrinho teve o mesmo diagnóstico: alergia ao leite de vaca e soja. Minha cunhada ficou nessa dieta restritiva até bem pouco tempo atrás.

    Agora o Rafa tá com 1 ano 4 meses. A dieta da cunhada tá liberada, ele continua mamando na mamãe, tá lindão, feliz e se desenvovendo bem. E a alergia? Sumiu, como era esperado pra idade!! Estão introduzindo lácteos aos poucos na dieta dele (além da dieta da mãe) e tá tudo bem.

    Tenho certeza de que vai acontecer a mesma coisa com o Luquinhas.

    Se quiser bater mais papo sobre isso, pode escrever.

    beijocas

  18. Sabe Carol, no final, o que importa é a saúde do Lucas. Por mais dificil que seja, a gente sabe que compensa porque nossos filhos estão bem.
    Eu faria a mesma coisa pela Isabela. Mãe é o ser mais abnegado do universo.

    Você (super magra) e Lucas (super bochechas) estão lindos e com muita saúde.
    Fica com Deus.
    bjão

  19. Carol! Ótimo post! Super esclarecedor!

    Eu fico lendo as tuas "exclusões" alimentares e já fico pensando no que vou fazer se o Vicente tiver o TID confirmado e começarmos a dieta sem glúten e caseína. É complicado, certamente, mas é pelo bem deles.
    E você está sendo super "guerreira", levando tudo, seguindo firme até onde conseguir. Te admiro!

    Agora, no finalzinho eu fiquei pensando sobre a parte do bebê ideal. Acho que a minoria dos bebês são assim "anjo", né? Todo bebê deixa a mãe acordada durante a noite, todo bebê BEEEEERRA, todo bebê não tá nem aí pro que tá acontecendo ao redor e precisa de atenção, carinho e paciência.
    Vicente não era alérgico mas chorava horrores, dormir mesmo eu só foi depois de alguns meses. É assim mesmo.
    Mas passa, e é isso que temos que ter sempre em mente. Não é pra sempre.

    Agora, sobre a "despedida" do filho que você gostaria de ter, aiiinn Carol, desculpa falar isso mas, apesar do Lucas ter APLV (que é foda, eu sei, não vou diminuir isso, ele é um bebê "normal", sabe, neurotípico, saudável (tirando a alergia, claro), que nasceu super bem.
    Talvez, você esteja se referindo a sua ideia, concepção de maternidade (que você imaginava e que é totalmente diferente na realidade, no cotidiano), e eu te entendo perfeitamente.
    Como você disse, ALPV não é doença, você sabe que ele terá um futuro pela frente.
    Quando surgiu a desconfiança do Autismo no Vicente aí sim eu me reservei ao direito de chorar um filho que talvez eu tenha perdido já que o autismo deixa o futuro totalmente imprevisível, é um transtorno global do desenvolvimento, não tem jeito.
    Se eu já sofri assim, imagino as mães que ficam nos hospitais com seus filhos, com doenças super complexas ou nos que já nascem com necessidades especiais que demandam altos cuidados…
    Super complicado…

    Vou ficar torcendo para que a dieta logo faça efeito e que tudo se ajuste por aí…

    beijos!

  20. Oi Carol!!
    Menina, Parabens pelo leiteee!!!
    detesto fazer comparaçoes, mas vc e abençoadissima! e seu baby tbm.
    vc tira de um seio 100 ml
    eu vi q minha filha tava mamando a cada uma hora, e chorava…
    jamais desconfiei q ela ficasse com fome..
    na consulta ao Go, ele achou ela bem magrinha, disse pra voltar agora em uma semana, pois ela tem 10 dias hoje.
    e vc acredita q eu consigo tirar com a bombinha manual 50 mls, dos 2 seios!!!
    MUITO POUCO!!
    as vzs sai mais, tipo, uns 70ml, so q mais q isso nao..
    q posso fzer pra produzir mais leite??
    pergunto caso vc saiba de suas leituras na net, vai me ajudar muito!
    tal vez se meu leite e muito pouco msm, ele vai me passar complemento.
    Nan e caro… mas..fazer o que se ela precisar…
    bjs nossos.
    Luisa e Rafaella.

  21. Ri do próprio pum??rsrsrs Adorei!
    E que foto linda!! Ele é mesmo um lindo!

    E, olha, Carol, desejo que tudo se acerte e dê certo pra vcs! Desejo que tenha força (mesmo só comendo mato… :-/ ) e que passe por essa barra toda da melhor maneira possível!

    Beijos

  22. Sério, Carol, vc é ninja. Muito. Eu reclamei de ter que ficar 3 míseros meses sem alguns alimentos e agora tou até com vergonha. Determinação é teu sobrenome. Hehehe. Boa sorte aí e melhoras pro Lucas.
    E meu filho (aos 7 meses) ainda ri do próprio pum. E quando espirra. Homens. Hehehehe.

  23. Carol sou sua fã, do seu blog, agora do seu baby e principalmente da sua atitude. Não é fácil abrir mão da praticidade para amamentar. Sei disso pq sofro de uma forma crônica de enxaqueca e parei com o tratamento desde a gravidez da Luisa, hoje com 2 anos,não voltei ainda pois a amamentei até engravidar de novo da minha Soso que hoje tem 4 meses e claro, amamento. Força aí, você vai tirar de letra!!!! Um beijo Mirella 🙂

  24. Carol, tudo isso que vc escreveu, pra mim, não era novidade. Coisa rara, né? Alguém simplesmente ENTENDENDO e SABENDO que vc está fazendo É o certo e não vindo com um monte de 'pseudo' ajudas.

    Mas então, isso é porque:
    1. EU SOU ATOTIPICA = alergica a muitas coisas, entretando com o leite eu tenho INTOLERANCIA SÓ, que me causam 'linguas geográficas' que DÓI PRA CARÁLEO, procura no Google.

    2. Sou biologia e paguei Imunologia I e II e SEU a pancada que vc ta passando.

    Se pudesse, JURO, te tava um OSCAR, não de melhor atriz, mas de MELHOR DIREÇÃO, porque vc é uma mulher de muita fibra mesmo…

    Ah, e tem uma menina muito FOFA que tb é muito alergica, mas ela é muito mesmo. Mas tu pensa que ela se rende? Leia o último post e veja como a Malu é…

    http://malucontraaalergiaalimentar.blogspot.com/

    ..realmente GUERREIRA.

  25. PS².: Carol ESQUECI de dizer que no blog da Malu tem receitas APLV. Tem até de PETIT GATEAU sem leite /sem soja/sem trigo ou BOLO VERDE DA MALU SEM TRIGO SEM LEITE. BOM DEMAIS

    Acho que pode te ajudar a comer um pouco mais sem da reação no carequinha, loirinham, gorduxo, fofuxo mais lindo da blogofeera….

    http://malucontraaalergiaalimentar.blogspot.com/

    Se puder, depois me diz se TE AJUDOU, porque ai eu procuro outra forma te ajudar, ok?

  26. Meu filho também teve, e agora está de novo com APLV. Outro dia chorei no supermercado, tudo tem leite ou traços de leite. A solução é mesmo ir em lojinhas de produtos naturais, com tudo menos industrializado. Hoje mesmo fomos e compramos bastante…Força para vc e muita saúde para o seu gatinho!

  27. Só MÃE pra fazer esse sacrifício pelo filho. Digo MÃE porque muiiiiiiitas (mas muitas mesmo) dariam um jeito de comprar o leite em vez de fazer uma dieta tããão rigorosa.

    E como agente sofre pelo nossos filhos! Seriam tão bom se metade da dor, tá bom 90%, pudesse ser divida com agente. Parte o nosso coração saber que sentem dor e nem o nosso carinho, amor, atenção e colo faz amenizar.

    Parabéns pela sua determinação!!!

  28. Dos males o menor. Isso vai passar! Essa história de "nem parece que tem bebê em casa" é para poucos. Conheço 2 ou 3. Estou no segundo filho e TODOS dão trabalho de um jeito ou de outro. O meu era só chorão, me dava louca e não tinha incomodo algum.
    Agradeça a Deus todos os dias por ele ser saudável, ter todos os órgãos, estar se desenvolvendo de acordo com a idade dele , isso NÃO tem preço. É chato e difícil o que vc está passando? É, claro! Mas vai passar! Uma vez tudo controlado ele passará a chorar menos, dormir mais e vc ficará mais feliz. Bola pra frente! bjs

  29. Menina, estou de queixo caído com seu post. Aff, que dureza!!!
    O post ficou ótimo, muito informativo.
    Vou torcer muito para que você aguente o tranco. E que aos menos esses sintomas desapareçam de vez com TANTO esforço seu.
    Infinita admiração!!!

  30. Oi Carol,
    Seu post parece ter sido escrito por mim! Passei por todo esse perrengue e é chato mesmo, mas acho que vale a pena. Minha dieta radicalíssima (pior que a tua) durou 3 meses. Não adiantou e ele TEVE que passar pro Neocate. Foi mto frustrante, fiquei arrasada, mas ao mesmo tempo tenho plena consciência de que fiz TUDO ao meu alcance para amamentá-lo, assim como vc tá fazendo. Parabéns! Eu sei como é dificil e por isso te admiro!
    E passa mesmo. Ouvi uma entrevista esses dias com o Dr Sabra(acho que é assim), um super especialista brasileiro (acho q o melhor), que dizia que SEMPRE tem cura. Se bem encaminhada, a alergia, mais cedo ou mais tarde, terminará. Ele tá lançando um livro sobre o assunto e parece que o título é " A Mamadeira Assassina". Pra gente ver como a porcaria do leite de vaca foi feita mesmo só pro bezerro! Rs.
    Beijocas mil nocês!

  31. Que orgulho Carol. Te admiro viu? Tens uma força que eu não sei se teria. E imagina o orgulho que o Lucas já tem dessa mãe que tá abrindo mão de tanta coisa pra ver ele bem e feliz!
    Vocês são uns lindos!
    Beijão e segue firme aí, quando você vê o pior dessa dieta já vai ter passado, e pelo pequeno tudo compensa.

  32. Oi Carol, sigo teu blog há muito tempo, desde antes da sua gravidez mas nunca comentei. Acho simplesmente o máximo o jeito que você escreve, mas hoje me senti tocada em comentar, porque quando você disse que está se despedindo do filho que idealizou e se acostumando com o que tem, me identifiquei demais porque passei por isso recentemente e ainda passo, tenho uma filha linda de quase 14 meses que tem suspeita de síndrome de west, não senta sozinha ainda, não fala, não fica em pé, não sabemos se vai andar, se vai falar… e quando descobri tudo isso aos nove meses, vivi um intenso período de luto, pela morte do filho que eu idealizei, da criança perfeita, do bebê totalmente saudável e tive que aprender a conviver com a criança especial que Deus me mandou. Se foi difícil? Muito! E é até hoje, eu ainda choro, ainda questiono, mas vejo que meu amor por ela só aumenta e assim como você faço qualquer coisa por ela!
    Não te digo isso pra fazer drama, apenas pra te mostrar que o luto vai existir, mas o período mais difícil vai passar, embora não pareça e você se sentirá muito mais forte por ter vencido isso.
    Estamos com você, ao seu lado, torcendo e temos certeza da sua vitória e o seu filho vamos combinar? É a personificação da fofura universal!
    Força, você consegue, você é mãe!
    Mil beijos nossos:
    Renata e Sarah.

  33. Carol, querida, to sumidona da blogosfera, mas de vez em quando passo por aqui. Acompanho e torço de todo coração.
    Deixo aqui uma dica que talvez ajude… Minha mãe é judia ortodoxa, e os judeus ortodoxos não podem misturar leite com carne, nadica. Nem traços. Separam até os pratos. Tem um negócio chamado parve, que é o alimento neutro, que não tem nem um, nem outro. Tem um monte de coisa parve, ou seja, sem leite, que eles inventaram, de chocolate a sorvete, passando pelo chantilly. Com certeza em Buenos Aires tem lojas de produtos Kosher (que é como chama a dieta), com alimentos parve. Tem um selinho de garantia e tudo. Aí quem sabe ce mata a vontade de algumas coisas…
    Beijo bem grande!
    Nati

  34. Ás vexes passo por aqui e não consigo ler tudo, como agora, e não comento pois não acabei de ler, e o tempo passa, e o tempo fica cada vez mais curto com uma bebezinha de quase 1 ano, mas hoje, mesmo não lendo tenho que comentar, essa fotod e vcs dois é a coisa mais linda do mundo, uma delícia de ver,
    bjs

  35. É barra mesmo, Carol!
    Mas ver teu filhote melhorando, não tem preço viu?!?!?
    Minha bebê, agora com 7 meses, está muuuuiiiiito melhor! A dificuldade para dormir diminui muito e os episódios de vômito, então nem se fala!
    Boa sorte e força, força, força!!!
    Bjão,
    Maura

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *