Imaginem a cena:

Bebê com gases. Se contorce todo, geme, chora. Mãe já fez de tudo: deu banho, cantou música, mudou de posição, pressionou as perninhas contra a barriga, fez massagem com óleo, shantala, do-in, reza braba. Não adiantou muito. Resolve por cinco minutos, depois volta o calvário. Mãe apela pra chupeta. Bebê cospe longe a chupeta (o que dá um orgulho bobo na Mãe, que não curte essas “intervenções”), sacode as perninhas, curva a coluna pra trás, dá gritinhos. Mãe-contra-intervenções resolve apelar pra funchicórea. “Funchicórea é açucar, você vai dopar o seu bebê”, ela pensa. Mãe sente culpa. Mas Mãe também sente sono e cansaço e pensa que, se pudesse, se dopava um pouco também.

Funchicórea parece o pó do diabo, bebê cospe a chupeta ainda mais longe e faz cara de vômito. Mãe fica ainda mais orgulhosa. E mais cansada, já que precisa lavar e esterelizar a chupeta de novo. E sacudir o bebê no colo. Já que berço e carrinho tem espinhos, o negócio é colo mesmo.

Toca o telefone.

Da veterinária, pra marcar o banho dos cachorros, falar das vacinas e demais assuntos dos filhos caninos. Mãe no telefone, bebê resmungando no colo, chupetas na panela.

“posso te ligar de volta?” – a Mãe pergunta ao moço da veterinária, ao ver que o filho tá chupando seu braço “ele quer mamar”, ela pensa. Seca as chupetas, confere se estão quentes demais, tasca na boca do filho. “pronto, agora, além do açúcar, ele vai provar o gosto de boca queimada pela chupeta”.

Ela desliga o telefone. Bebê pega a chupeta, mas não dura nada: ele quer peito!

Tá bom, peito. Bebê suga suga, escorre tanto leite, o peito tava cheio, Bebê não dá conta, molha a Mãe toda.

“Tudo bem, quando marido chegar, eu tomo banho”.

Já que o bebê tá no peito, ela aproveita pra ligar de volta pra veterinária. Enquanto termina o assunto, sente o Bebê soltando um pumzão, “que bom, liberou esses gases malditos”, ela pensa (ela pensa ou fala no telefone pro veterinário? Não se sabe).

Bebê termina um peito e começa a chorar querendo o outro. Mãe desliga o telefone rápido, meio que sem se despedir do moço da veterinária (será que ela se despediu? Teria desligado na cara dele? Não se sabe). Bebê no outro peito. Mais pum: “oba, depois disso ele vai dormir”.

Peitos terminados, Mãe faz o procedimento troca de fraldas. Bebê faz cara de sapeca. A Mãe já conhece essa carinha. Ele não controla essa expressão, mas é expressão de Fiz Merdinha (era merdão no caso, vejam a seguir).

Tem cocô nas pernas do bebê e subindo pelas costas. Impossível limpar com algodãozinho ou lenços umedecidos. Mãe leva o Bebê pra limpar a bunda na pia mesmo. Bebê sente frio por estar sem a roupinha, começa a chorar. “Cadê aquela chupeta esterelizada que tava aqui agorinha?”. Caiu no chão, o cachorro tá lambendo. Vai pra água fervendo de novo. Mãe pega o Bebê peladinho no colo, vai até a cozinha, taca a chupeta na água (a mesma que ferveu a chupeta há cinco minutos atrás – será que ela deveria ter trocado essa água? Não se sabe). O Bebê peladinho se acalma. Tanto que faz outro cocô. Agora em cima da Mãe. Que já tinha tomado um banho de leite.

Corre pro banheiro, Mãe lava o Bebê, se lava um pouco. “Merda, esqueci a caralha da toalha do Bebê. Seco ele com a porra da toalha de rosto?” A Mãe pensou ou falou? E aquela idéia de não falar palavrão perto do Bebê? “Idéia de cu é rola” – a Mãe falou (ou pensou. Não se sabe) – “Melhor não secar com a toalha de rosto”. Corre com o bebê peladinho pro quarto. Ele chora com o frio. “Puta merda, esqueci a chupeta na panela”. Mãe larga o Bebê dentro do berço, pega a chupeta, pega a toalha adequada, acalma o Bebê, percebe que ele aproveitou pra fazer xixi no lençol do berço (“foda-se, troco essa merda mais tarde”), veste, faz carinho, dá mais um pouco de peito pra ele acalmar, o cara da veterinária liga de novo “esse puto tá afim de mim, só pode. Por que me liga tantas vezes?”, Bebê termina de mamar, arrota, dorme.

Fim (ou não).

***

Essa cena é real, aconteceu comigo agorinha e serve pra explicar meu sumiço: assim tem sido meus dias. Mas ó: nem fico mais chorando tanto não (só um pouquinho!), eu acho é graça disso tudo.

Ah, uma última coisa: o Bebê não dormiu no final. Ele me enganou, fechou os olhos por dois minutinhos, abriu de novo e segue me olhando com cara de “o que vamos fazer agora, mãe?”.

He-he.

(volto em breve, se assim o Bebê permitir!)
/
/

66 respostas em “Um dia como outro qualquer

  1. Muitos risos… Ri muito agora, Carol… muito mesmo! O engraçado é que a gente se acostuma a essa rotina louca, quando eles crescem um pouquiiiiiiiiiiiiinho a gente já fica pensando "o que fazer com essa calmaria, esse tempo extra enquanto ele(a) dorme tão calmamente?" É muito gostoso e cansativo. Extremamente cansativo. Cansativo do caráleo mesmo, mas é igualmente prazeroso.
    Agora eu tenho que ir que a minha Laurinha acordou.
    Beijos e boa sorte em tudo, sempre! Beijo no Luquinhas!
    Dani e Laurinha.

  2. hahahahahhaa
    quando eu conseguir para de rir/chorar eu comento… hahahaha

    Adorei ter notícias suas e do Luquitchous(esse negócio de blog faz a gente se sentir amiga até de quem mora em outro país e com quem ainda nem trocamos umas palavrinhas).

    Fiquei feliz em saber que está encarando essa loucura toda com bom humor. Com o passar do tempo, as coisas vão ficar ainda mais loucas e ainda mais engraçadas. E cada vez mais gostoso!!

    E daqui a pouco vc vai estar se perguntando: "baby blues? queissu?" Divirta-se!

    Beijo

  3. kkkakakakakak!!!!

    AMEI Carol e é assim mesmo, a gente fica doida, descabelada, sem tomar banho direito, as vezes não lembra se já fez tal coisa ou não…fica exausta…toca o telefone, a campainha, o celular…tudo juntoemisturado pra dar mais emossaum e por fim a gente acaba achando que o melhor mesmo é levar na boa…se não a gente fica doida!!!rsrsrsrs

    Bjs em vc e nos Luquitchous!!

  4. ahahhahhaha ai meus deusss! só penso no que me espera! rsss
    to ferrada! rsssssssssssssssssssss

    boa carol!!! assim tenho toda a noção do mundo de como será minha vida daqui a 3 meses! rsss

    beijoconas pra vcs!!

    e ó…fica calma que a fase das cólicas logo passará!

  5. Querida, faz tempo que queria vir aqui pra te dar forcita e tals, mas dai teve o negocio de sair de ferias e fazer mala e viajar, aviao, premonicao e os etceteras todos.
    Morri de rir, te achei animada, fiquei feliz.
    Posso dar um pitaquinho pequenininho? Juro que somente unzinho: sempre que der, de uma saidinha de casa. Com ele ou sozinha, mas saia.
    Eu estava enlouquecendo quando uma estranha me disse isso na rua. Desde entao agarrei no sling, catei o bebe e nao sai mais da rua, estradeira que so. Noah tinha 20 dias, foi libertador, viu?
    Beijos, lindona

  6. Eu ri tanto que quem soltou pum foi eu!! kkkkk Meu deuso, como pode alguém descrever tão bem a minha realidade, e melhor, de forma tão hilária? A única diferença é que quase 4 meses depois eu ainda choro um montão e não consigo achar graça disso tudo…principalmente quando esses malditos gases e cocô são ás 3h da madruga….

    Volta sim pra deixar a minha tarde mais alegre…

    Bjus

  7. Aahhaa, nunca tinha comentado aki, mas depois dessa, impossivel nao se manifestar, estou com 11 semanas e tá sendo otimo passar por aki e saber o que vou enfrentar depois! Força p vc!

  8. ahahahaha
    Pois é menina, mãe de rn é assim mesmo…
    depois melhora um pouco, qdo ele tipo uns… 20 anos. rsrsrs
    Boa sorte por aí, e saiba que estamos por aqui com você.
    Bjo grande

  9. Huauauau!!!!!!!!!!!! ai Carol me vi na sua casa agora, porque aqui o caos também se instalou a 3 dias quando nossa pequena começou a ter colicas também. Aqui além de tudo isso ainda entoo o mantra " sai peidinho, sai peidinho" tudo bem que não resolve porra nenhuma mas me ajuda a não entrar em desespero também rs….
    Obrigada por me fazer dar belas gargalhadas, eu tava tão precisada rs…

    Mara Raquel, mãe da Ana Beatriz e da Mariana (22 dias)

  10. Oii Carol.
    Ri agora com seu post, vizualizei tudo o que escreveste, e ri, pq já aconteceu comigo, rsrsrs. Mas aproveita e ria disso tudo, pq assim que Luquinhas crescer, vais sentir falta dessas loucuras. E quanto a te enganar fechando os olhinhos por 2 minutos, aqui isso tb acontece, e olha que meu Davi tem quase 5 meses, e qdo abre os olhinhos, lascou-se: quer brincar, quer atenção, quer ficar de pé nas minhas pernas (se acha o grandão), quer sentar, e ai de mim se não der atenção TOTAL pra ele qdo estiver acordado, o mocinho embraba na hora. Meu marido hj disse que queria nosso baby petitico pra sempre, kkkkk. Aproveita Carol, pq eles crescem muito rápido, e nos surpreendem cada dia mais. O cansaço com o tempo vai passando, é só o Lucas se adaptar bem a esse mundinho doido, aí ele vai fazer sonecas maiores, te dar mais tempo.
    Tudo de bom pra vocês, beijão pra ti e pro Lucas.

  11. Ai ai carol, parece que eu to me vendo há 3 anos atrás. Chico também não dormia e teve muuuitos gases e muuuita cólica. E o berço não adiantava tb, eu ficava com ele dia e noite no colo balançando, e já andava tão acostumada com isso que se por um acaso alguém o pegasse um pouco eu continuava balançando mesmo sem ele no colo! Vida de mãe é isso aí. Mas fica tranquila que logo passa. Parece uma eternidade enquanto estamos no meio do furacão, mas passa, viu? Eu chorava dia e noite achando que aquilo não teria fim nunca e que o meu era o único bebê da face da terra que jamais dormiria. E agora ele vai sozinho pro berço pra dormir a noite toda (benzadeus!).
    Força aí!!!!
    bjão
    Ale
    http://www.conversapramae.blogspot.com

  12. Prazer Carol também me chamo Carol (é que nos anos 80 era mais barato registrar com esse nome rs)
    Adoooorei seu blog, vim parar aqui hj por acaso e já li uns trocentos posts, parece que voltei ao tempo lendo ele.

    Passei por tudo isso que esta passando agora, e amiga pode ter certeza vai melhorar.
    Tenho um menino de 14 e uma princezinha de 1 aninho que parece que cresceu do dia pra noite rs.

    Beijos mil e boa noite de sono (acho que é o melhor que posso desejar a vc hj em dia).

  13. Fiquei dias pensando em ti e querendo ir pra Bue pra ver se te encontrava pela rua (juro! não era pra jantar em Puerto Madero não!).

    Tu vai ver quando passar, nós sofremos com a dor das outras mães pq já "assistimos aquele filme!".

    E tb fazemos livre adaptações: dia desses fui levar – chorando- simeticona pro bebê de uma vizinha que, na minha cabeça, estava sofrendo de gases. Ele estava era odiando tomar banho…

    Quanto a essa muvuca que vira a vida, isso não passa não. Sabe aquela propaganda da Huggies, "caoticamente hermosa"? Vivo me sentindo no comercial! Mas fica bom! Depois que os malditos gases passam, tudo fica melhor!

    Beijos

  14. eu sempre ouvi desses 'cocôs explosivos'. gente, NUNCA vou conseguir lidar com isso. vou enfiar o menino numa fronha até alguém mais qualificado chegar em casa!

    (a ideia da fronha é do meu pai, que uma vez não conseguiu colocar a fralda de pano em mim e pegou uma fronha, me tacou dentro dela até a cintura e vedou com fita isolante até a minha mãe chegar em casa.)

  15. O Arthur faz 3 meses hoje e também tem problemas com gases. Esses últimos 2 dias (e noites, óóóbvio) tem sido um suplício pra mim. Dormir??? hahahahahahahahahahahahahahahahaha. Guria, não sei o que fazer. Ele solta pum dormindo, fica gemendo e se contorcendo o tempo inteiro. Já mudei o NAN, já mudei minha alimentação por causa do peito e nada resolve. Estou até procurando outra pediatra pra ter uma segunda opinião. G-zuis nos salve!
    Nos mantenha informada. De repente, tu descobre alguma coisa que funcione.
    Tudo de bom pra nós!
    Bjs,
    Simone

  16. Carol, agora que eu li seu post sobre a solidao de mae..serio, estou me sentindo tao assim, hj minha vontade era de largar a Manuela no berço e so vir busca-la daqui uma semana..queria uma semaninha de ferias dessa funçao de mae-amamentadora-trocadora de fraldas..queria simplesmente conseguir ir na padaria tomar cafe, será que eh pedir muito?

  17. Oi Carol,
    Passo sempre por aqui mas nao escrevo. rs
    Estas cenas acontecem nas melhores familias. rs
    Vc ja tentou o banho de balde? Falo isto por que tem toda uma teoria que os bebes relaxam com o banho de balde e acabam soltando mais gases, logo evita as colicas. Aqui em casa ajudou.

  18. Rárá!! Adorei!
    Cocô vazador é um dos maiores CAOSadores da vida de uma mãe, podicrê. A gente se aguenta 2h com um bebê se contorcendo de cólica, mas se tiver merda em cima, aí não rola, né?
    Lembrei do dia em que cheguei do hospital com Emília. A primeira coisa que ela fez foi cagar em cima da minha cinta, tamanho PP. Imagina tirar aquela cinta toda cagada, e ainda por cima com uma episio doendo…
    Nada de cinta pós-próximo-parto.

  19. Caaroliinda, me acabei de riir aqui!! fikei imaginando cada cena..husausauh.. mais achei ótimo tu tá levando de bouaa assim!rs
    Bjiinhos em vcs! e Boa Sorte com os puns do Luquitchus!rs

  20. que bom que veio =]
    Vio e sobra tempo pra chorar depois dessa cena comica? hauuah…deve ter sido mtoo legal. ou não.
    mais o bom é que nunca vai esquecer =]beijoss
    no louquitchous tbm ta
    fica bem

  21. Oi Carol, faz o pele-à-pele com ele, ajuda a aliviar os gases! Eu fazia muito com a minha Pituca. Coloca a barriguinha dele (ele só de fralda) no seu peito-pelado, vcs ficam assim, debaixo do cobertor os 2, já que aí tá frio, no mínimo uns 20 minutos… às vezes ela dormia assim no meu colo por quase 2 horas, e eu ía junto… no início eles choram, mas depois q nosso peito esquenta a barriguinha deles alivia muito! é melhor que bolsa de água quente e ainda tem cheirinho de mamãe. Nos primeiros e meses eu tinha que fazer isso quase todo dia, mas era gostoso… bonne chance!

  22. Carol,
    li sorrindo, familiarizada com tudo o que você narrou. Tudo igual com todo mundo, né? E por ser assim tão clichê, dá mesmo vontade de rir. Parece que a gente tá protagonizando um filme que sempre assistiu, não é?
    Pois é, gata. Maternidade real.

    beijos!

  23. Essa cara de "qual a próxima novidade?" é cláááássica!
    Uma dica, enfia o guri no canguru, sling, sei-lá-o-que, e vai mostrando as coisas para ele…
    – Olha, filho, o vaso de flor.
    – A privada.
    – A torneira.
    – A janela.
    Eu conseguia distrair a Juh por 1h assim! ahuahuahuah
    Beijão!

  24. conclusão: mãe é tudo igual, só muda de endereço! Acho que toda mãe passa mais ou menos por isso que você descreveu, um pouco mais trágico, um pouco mais cômico, enfim… Carol, os primeiros 3 meses são de testar qualquer sanidade mental, a gente quase enlouquece mesmo! Como já disseram por aqui, parece até uma eternidade mas tudo passa, e você vai ter saudade e rir muito de tudo isso depois! Parabéns, mãezona, continue com essa força! 🙂

  25. SENSACIONAL!!!!

    Carol, essa rotina de RN não é fácil…alguns trechos do seu post parecem ter sido escritos por mim há quase dois anos atrás!!

    Acredita que depois temos saudade disso tudo? Sim, acredite!!!

    bjs pra vc e Lucas.
    Flávia.

  26. Que demais esse post Carol, vc descreveu perfeitamente como é o furacão que vira nossa vida com a chegada do baby!
    E lembrei de uma coisa, que me ajudou muito nas horas punks como essa. Apelar pro cachorro. Eu tinha uma cachorra mega ativa e barulhenta (que ficou na minha sogra depois que mudamos para um apê) e Bento ADORAVA olhar pra ela. Seguia com os olhinhos por toda parte. E ela gostava e fazia mais gracinhas. Me salvou muitas vezes em momentos de desespero!
    bjos
    Sarah
    http://maedobento.blogspot.com/

  27. kkkkkkkkk, puts a vida de uma mãe é isso ai mesmo..

    Terminei de ler isso tudo pro meu bb e ele me olhou com a mesma carinha que o Lucas te olhou rsrs..

    Beijão que Jesus abençoe vcs sempre..

  28. Carol, se grávida você já era divertida, agora então.
    Este é mais um post da série eu poderia ter escrito isso (mas não conseguiria com esta verve toda). E, pelo visto nos comentários aqui em cima… somos todas iguais, não é?
    Beijos

  29. Deixa eu sair da minha moita e dar uma dica: minha bebê nasceu um dia depois do seu, também tem muitos gases, e com ela, uma fraldinha de pano aquecida 30 segundos no microondas e colocada na barriguinha ajuda muito!!
    Boa sorte!

  30. Carol, Carol, Carol!

    -pulos de alegria-

    Acompanho o seu blog (na encolha) desde o seu 8ª mês de gravidez.

    Já li suas postagens até 5antesdecristo.

    Já me sinto da família. Daqui a pouco apareço pro natal, ano novo, páscoa …

    Adoro suas histórias!
    Morro de rir! Morro mesmo, de sair lágrimas e tudo.

    Fiz meu blog hoje, agora!
    E a primeira coisa que fiz foi vim aqui postar. 😀

    Um beijão
    de sua mais nova seguidora;

  31. ai meus deusss kkkkkkk que cara da veterinaria chato kkkkkk, vc é muito loka mesmo, adoro seus posts parece ate que estou assistindo um seriado, sabe o seriado todo mundo odeia o cris? entao, vc tem que fazer: a loka vida de carol kkkkk, fantastico vc é demais mesmo

  32. Oi Carol!!! Obrigada pelos parabéns pela barriga!!! Eu estou nas nuvens!!!

    Vou escrever sobre como tudo aconteceu, mas te adianto que desde que descobri até aqui o que mais me emocionou foi a reação das famílias. Eu não tinha noção do tamanho da torcida que tínhamos!!!! Foi muito especial!!! Todo mundo se emocionando, a mulherada chorando, os homens sorrindo e as crianças querendo saber se é menino ou menina!!

    Mas como já estão me dizendo, aproveite os mimos agora porque depois que o bb nascer, ninguém olhará na sua cara! Kkkk!

    E Luquinhas??? Fez mais alguns cocozitos explosivos???

    Grande bj para vcs!!!

  33. Caramba que maratona!! E eu to sumida, mas não é por causa de bebê, e sim por causa de trabalho e pó-graduação! volto quando algum dos dois permitir 😉

  34. nossa!!!! estamos em 2016 e passo pelo mesmo furacão hoje em dia. Meu bebê tem um mês e onze dias e as vezes penso que vou enlouquecer!!!
    Uso o funchicorea como último recurso e sim me sinto super mal quando funciona…fico olhando pro meu bebê pensando: puta merda dopei o bebê e daí fico rezando pra ele acordar logo…desde que ele chegou eu não durmo…mal como…banho só quando meu marido chega e virei a ama do leite…só Jesus na causa….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *