(continuando…)

É muito engraçado como eu faço mil planos e, quando chega a hora, tudo sai diferente do que eu esperava. No caso da bolsa rompendo, por exemplo: eu nunca achei que o parto do meu filho começaria assim. Achei que perderia o tampão, que teria contrações, que ficaria no telefone com a parteira tentando decidir a melhor hora de ir pro hospital, que avisaria calmamente ao marido… tanto que nem prestei muita atenção na aula de “bolsa rota” que tivemos no curso pré-natal. A única coisa que eu lembrava era: “no caso da bolsa romper, existe um tempo que o médico aguarda antes de intervir no parto e não se pode esperar por risco de infecção”. Também lembrava que tinha que prestar atenção à cor do líquido e ao cheiro. E só.

Então, quando vi minha cama alagada, primeiro pensei que tinha feito xixi na calça. Aí me toquei que era impossível tanto xixi, mas, por via das dúvidas (a.k.a. pra não pagar mico indo pro hospital mijada), resolvi cheirar o treco. Cheiro de água sanitária. Ai deus, ele vai nascer. Levantei. Jorrava água de dentro de mim.

“Amor, a bolsa estourou!” – nem sei como foi que eu falei isso, mas quando me dei conta, ele já tava em pé me dando os absorventes noturnos que eu tinha comprado (“ai de você se sujar meu carro novinho com esse líquido doido!”) e eu já estava no banheiro conferindo a aguinha de novo. Do banheiro mesmo, chequei o horário (eram duas da matina) e liguei pra parteira. Ela me orientou a checar as contrações (quais?! Eu não tava sentindo NADA!) e ligar de volta pra ela quando chegassem a vir de 5 em 5 minutos. Se isso não acontecesse até as seis da manhã, iríamos internar de qualquer jeito e veríamos o que fazer no hospital.

Fiquei preocupada, afinal eu tinha 4 horas pra desenvolver contrações de parto, firmes, fortes e ritmadas. E cadê as contrações quando eu mais precisava delas? Tinha não. Lembrei das mil coisas que li sobre parto, sobre a adrenalina que atrapalha a ocitocina. Então decidi ficar calma. O bebê ia nascer de qualquer jeito, eu ficando neurótica ou não. Resolvi secar as minhas roupas da maternidade – que eu “sem saber” tinha lavado naquela mesma noite – e organizar os últimos detalhes do quarto, como abrir pacotes de fralda, colocar as coisas no lugar, lençol no berço, arrumar o bebê-conforto no carro etc. Maridón me questionava, perguntava se tudo aquilo era necessário durante o trabalho de parto. Era, Maridón. Foi o que me manteve calma, serena e o que permitiu um dos momentos felizes daquela noite: veio a primeira contração.

Continuei com as atividades e, com elas, muitas outras contrações vieram. Doloridas, mas ainda irregulares. Vinham de 8 em 8 minutos, 6 em 6, 10 em 10. Deixei rolar. Sentei pra mandar emails, postei no blog, cochilei, tomei banho quente, caminhei pela casa, fiz tudo que me lembrei que poderia ajudar. Começamos a anotar os horários a partir das 3h30 da manhã, quando sentimos que regularizou. A essa altura, eu tinha contrações a cada 7 minutos e eram bem doloridas. Tinha que parar o que estava fazendo, parar de falar, parar de tudo, esperar passar. Não dava pra ficar deitada, nem sentada. Tentava lembrar das técnicas de respiração, mas não adiantou nada, o que me ajudou mesmo foi o banho quente. Só que o mesmo banho quente que aliviou as dores fez com que a progressão do TP desse uma diminuída. Achei melhor sair do banho e aturar a coisa toda na raça.

Daí, foi rápido: em cerca de uma hora, eu saltei das contrações de 7 em 7 minutos pra contrações de 4 em 4 minutos. Eram 5 da manhã quando liguei novamente pra parteira, já implorando pra ir pro hospital. E ela marcou de me encontrar lá às seis.

Caracola, uma hora pra chegar num hospital que fica a 10 minutos de casa?? Dei uma surtada. Já estava começando a delirar durante as contrações, xingava o Pedro, o Lucas, a natureza e qualquer outro ser que eu me lembrava que tivesse a ver com aquilo. Doía PA-CAS. Finalmente entramos no carro e eu fui meio chorando até o hospital, de tanta dor. Acho que essa hora de entrar no carro e aturar as contrações a seco foi a mais brabinha.

Mesmo assim, entre as contrações tudo era lindo. Eu chegava a querer cochilar tamanho o relaxamento. Tanto que me lembrei de olhar pra tudo em volta: as ruas, as poucas pessoas que circulavam. Tentei registrar o máximo possível e me lembrar dos últimos momentos em que eu era só eu, que eu não era mãe ainda, que a vida era só minha. Lembro claramente de olhar pras avenidas por onde passamos e me despedir de cada semáforo, cada lojinha, cada cruzamento – eu sabia que a vida que eu conhecia estava chegando ao fim.

Mas, a poesia romântica da despedida acabava no exato minuto em que outra contração começava. Daí todo o meu repertório de xingamentos e baixarias era ativado.

Chegamos no hospital, eu fiz todo o drama que me cabia, me sentaram numa cadeirinha de rodas e me levaram pra dentro. A parteira estava lá me esperando – BENZADEUS – e me fez o primeiro toque da noite. Eu rezando pra ela dizer 8 centímetros. Sabe quanto ela disse? 3 pra 4.

AI MEU CARALEO.
AI MEU ÚTERO.
AI MEU CÉRVIX.

E daí veio o golpe baixo, ela me faz a pergunta do milhão: “vai querer anestesia?”

(to be continued…)
/
/

33 respostas em “O relato do parto – parte 2

  1. E eu que sei (e que sou a louca escrevendo esse horário, perdoa, Alice não quer dormir…) do decorrer da história, tô aqui torcendo pra vc publicar o resto do relato amanhã. Tô curiosinha!!!
    E assim que vi que postou entrei no msn pra ver se vc tava online (a louca!)!
    To be Continued

    beijo!

  2. Carol…eu preciso confessar que sou fã de seus posts e da maneira que vc escreve..é de uma singularidade que prende atenção de qq uma..

    Me deixou hiper ansiosa de saber o restante…

    Que lindo…bis..bis..rs

  3. AAAHHHHH, assim se mata nóis!!
    quero mais relato de parto!!
    é muito doido como o parto é uma coisa muito única, cujos detalhes nossa imaginação nunca dará conta de cobrir. agora você já tem o seu e não é muito bom conhecê-lo tim-tim-por-tim-tim? escreve tudo!!!

  4. Esse relato a conta gotas é para nos matar, né? rsrsrsrs

    Guria, eu acho que quando o TP começa com bolsa rota ele acelera muito, o que ajuda, né?

    Tinha o maior medo de ficar milhares de horas de TP e desistir, sabe?

    Comigo tb foi com bolsa rota, e super rápido.

    Estou adorando relembrar tuco com você (que doideira, né? rsrsr)

    Beijos, para vc e Lucas!
    Nine

  5. Ahhh Carol, não faz isso com a gente!! Toda a mulherada tá curiosa aqui!
    Mas olha, vou te falar: meu parto foi muuuito parecido! Também estava de 36 semanas, minha bolsa tbm estourou e tbm cheguei no hospital com 4 cm!! A única diferença é que Bento estava transverso, por isso não deu pra esperar tentar o PN.
    Aguardemos a próxima parte então!
    bjos
    Sarah
    http://maedobento.blogspot.com/

  6. Vixe Carol, ta parecendo o relato do meu parto, dia 11, comecei com contraçoes as 2h da matina, cheguei no hospital com contraçoes de 5 em 5 e só 3cm de dilataçao..depois de outras 7 horas de TP, acabei indo pra cesarea..nao vejo a hora de ler o resto do seu relato para saber como o Lucas nasceu. Bjs

  7. Ei Carol!
    Contrações são terríveis mesmo, uma dor sem igual…nunca vou me esquecer!
    Estou aguardando a proxima cena desse capítulo lindo da sua vida!!
    Beijokas pra vc e cheirinho no seu Lucas!!

  8. Nossa… o que é a dor de contração, hein!? Lembro exatamente as paradas que fazia. Lembro de segurar forte a mão do meu marido em cada uma… Hoje lembro com saudades de todo esse momento vivido a pouco por você.
    Um beijo.

  9. ahauhauhauh Essa web novela heinnn….
    da uma ansiedade pro proximo capitulo, apesar de não ter filho e nem estar gravida, planejo tanto ahuahuahau sou meio retardada pra isso, e acho que não vou suportar uma dor de parto ahuahuah vou arregar, como sempre que planejamos de um jeito acontece de outro, principalmente quando o assunto é parto, aguardemos né..
    beijos Carol

  10. Nem sou mãe e já estou super curiosa pra saber detalhes! Que máximo o seu blog, parabéns. Vc é fantástica com as palavras, parece até que estamos aí ao teu lado! Parabéns novamente e sigo curiosa pra ler o resto… beijos

  11. Ansiosa pra saber o resto rs
    Carol, fiz um blog tbém recentemente, pois como mãe de um casalzinho lindo sou apaixoanada por essa coisa louca e mágica que é a maternidade. Gostaria de convidá-la para conhecer meu blog o qual irei tratar de diversos assuntos ligados ao universo infantil. Se puder deixar sua opinião será de grande peso pra mim. Bjao!
    O end é:http://maenualdeinstrucoes.blogspot.com

  12. (to be continued…)
    (to be continued…)
    (to be continued…)
    (to be continued…)
    (to be continued…)
    (to be continued…)
    (to be continued…)

    UHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH

    hehehehe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *