Ontem comecei uma parte do plano “Adaptações pra chegada do Lucas”, que foi tirar os cachorros de cima da minha cama. Na minha casa é meio isso: a gente não tem muita noção de higiene ama muitos os babies peludos, então abraça, beija, dorme junto, simisturatudootempotodo. Só que vira um inferno, a casa, o chão, a cama, as gavetas, as roupas, tudo fica cheio de pelos, é impossível de administrar.

Até que cheguei no limite: fui abrir uma gavetinha de roupas JÁ LAVADAS do Lucas e o que encontrei lá dentro? Pelo de cachorro. PUTAMERDA (foi aí que comecei a chorar “minha casa é imunda, eu nao tenho condicoes de ter um filho, buááá” – que comentei no post anterior). Sendo que os cachorros quase nem entram no quarto dele, tem grade de proteção na porta. O problema é que a gente é mole e vai deixando, vai deixando… não que eu ache que meu filho vai morrer de comer um pelinho (até porque, é melhor eu já aceitar: ele vai comer pelinhos). Mas puxa, deitar com o rostinho num travesseiro todo peludo não é agradável. Muito menos encontrar marca de pata preta no lençol branco limpinho recém-trocado.

Mesmo sabendo que, com cachorro em casa, eu sempre vou ter que ficar varrendo e aspirando e limpando e rezando pra nao cair mais pelo, decidi colocar uns limites. Tipo esse que comentei aí em cima: lugar de cachorro não é em cima da minha cama. Confesso que, nessa primeira noite, fui eu quem deu uma sofrida. Fiquei com saudade, atenta ao que estavam fazendo, levantei de madrugada mais que o normal só pra checar como estavam. E, apesar de meio perdidos no começo, andando de um lado pro outro, eles entenderam o recado e dormiram placidamente na sala (em cima do sofá, arfe, mas ok, essa mania a gente tira depois).

Outra coisa que temos pensado é na reação deles com a chegada do baby. Já li várias dicas e opiniões, mas ainda não sei bem qual usar. Muitos dizem pra deixar os cachorros cheirarem as coisicas do bebê, pra ir acostumando. Isso eu já fiz: chamei os dois e abri gaveta por gaveta, deixei cheirar o quanto quisessem. A louca aqui ficou cheirando junto (sidentificando com os caninos, meodeos). Ainda por cima fiquei conversando com eles, explicando o que era cada coisa, pra que servia e quem ia usar aquela tralha toda. CERTEZA que entenderam.

Mas as dicas vão além: já ouvi falar que é legal dar coisas usadas pelo baby pra eles cheirarem antes mesmo de conhecerem o novo morador da casa. Tipo: quando Pedro vier em casa dar comida pra eles (durante o período que eu estiver na maternidade), seria legal já trazer uma mantinha usada pra eles irem se acostumando. Será? E também sobre a minha própria chegada em casa (já com o baby no colo): deixo o cachorro cheirar o baby? Lamber? Levar lá pra fora pra brincar e arrancar pedaço das bochechas gordinhas? Hihihihih.

Pessoas que não tem cachorro e não entendem lhufas do que eu to falando: não se desesperem. Óbvio que higiene e supervisão são primordiais pro relacionamento bebê-cãozinho. Mas é legal pensar no bem-estar de TODOS os que vivem na minha casa, né? Não quero que seja um choque pra eles essa mudança toda que vai acontecer, meus cachorros não são enfeites da minha casa, eu vivo com eles e prezo muito pra que se sintam sempre felizes, acolhidos, queridos. Fora que acho o máximo crianças que se relacionam bem com os bichinhos – conviver com eles é a chave, eu acho. Eu era uma chata de marca maior, morria de medo e chorava, que criança chata, cruzcredo.

Meu filho não vai ser chatonildo tipo eu não. Vai ser fofildinho e amigo dos animais, tipo o pai quando criança, óia que fofice:

 nhó!

Mas, e vocês, pessoas mães de humanos e bichinhos, fizeram alguma adaptação especial para chegada do mini-humano em casa?

/
/

42 respostas em “Sobre os peludinhos

  1. Carol, seguinte…rs
    Eu tenho cachorro e tb fiz tudo isso. Tudo q a gente comprava pra Anna e entrava em casa, ele cheirava. Ele entendeu q tava acontecendo algo mas fomos deixando.
    Qdo cheguei da maternidade, tive q fazer as apresentações…Ele cheirou (lamber nao!) e ignorou a pequena totalmente…rs
    Ela tb o ignorou, claro, mesmo pq era um RN ne…nao sabia do q se tratava mesmo!
    Hj as coisas mudaram, foram mudando aos poucos.
    Ele ainda a ignora um pouco mas ela AMA ele…rs….e hj sim eu deixo ele lamber ela! Ah eu deixo e q se dane,,,rs
    Menos o rosto, mas de resto ele lambe…rs…e ela A D O R A !!!!!! rs
    é uma relação linda de ser ver Carol, vc vai ver…eles serao grandes amigos, vc vai ver!

    (ps.: a unica coisa q me emputece no meu dog é qdo ele late e acorda a pequena…rs…da um odio!!!!!!! rs…..ela quase dormindo e pumba, ele late, ela acorda assustada e chorando!!!!!!!!!!! brigo com ele sempre, tadinho!!! mas é normal!)

    Beijos

  2. Carol, tive a mesma crise que você, a gente ama demais os filhinhos peludos, e vai deixando, subir na cama, no sofá, e tudo se enxendo de pelo, e a gente sem saber o que fazer… pra começar a Mel não entra no quarto da nenê, PRECISO dar um jeito de fazê-la parar de subir na cama… mas ela fica inquieta a noite toda andando pela casa, sobe na cama a gente manda descer, sobe de novo, e assim vai até a gente dormir e ela se instalar lá até de manhã!! daí todo mundo briga, diz que vai fazer mal pra nenê, que dá alergia, etc e tal… e eu nem sei por onde começar..
    espero que tudo se resolva por aí!!

    bjoks

  3. Carol, deixa rolar. Óbvio que evitar os pelos é importante pq o baby é pequenino e tal. Mas evitar pelos não é o mesmo que evitar os peludos! rsrsrs
    Não se estressa, Lucas vai criar resistência ou se mostrar um alérgico de marca maior. Tem que esperar pra ver o q acontece. Minha sobrinha nasceu e qdo tinha uns 6 meses pegamos ela dormindo abraçada com um labrador e um Dog Alemão… tem noção? qdo ela fazia qq gracinha o dog Alemão ficava até com medo de respirar e o labrador queria lambê-la até não poder mais! Um horror! hahahhaha!
    Aos poucos cada um descobre seu espaço e suas limitações.
    Relaxa! :-))

  4. Carol, muito legal sua preocupação em conciliar todos os seres amados pra que convivam em harmonia.

    Posso dar dica? Bom, para que os cachorros não sintam a diferença com a chegada do baby, é muito importante evitar dar bronca neles enquanto estiver com o bebê no colo. E, ao contrário, sempre que eles tiverem por perto do bb vc deve dar uns petiscos, um afago pra que eles associem a presença do bb como algo agradável. E não sintam ciúmes.

    Meio complicado fazer isso enquanto amamenta, por exemplo…mas como o quarto já tem grade…

    Beijo

  5. Carol, quando o meu Lucas nasceu eu me desesperei assim como vc! Fui morar na casa da minha sogra e minha cunhada tem uma cachorra Lhasa Apso (que solta pelos pra burro!), chamada Amy. Eu morria de medo dos pelos, não deixa a Amy entrar no nosso quarto, ficava o tempo todo ficalizando, limpando, deixando ela bem longe do meu filhote! Daí que a cachorra se revoltou! Não podia encontrar a porta do meu quarto aberta que ia no meu banheiro e fazia suas necessidades, um dia, não sei como ela comeu aquelas bolinhas antiderrapantes de uma meia do Lucas. Mas o pior que ela fez foi entrar no quarto escondida e fazer xixi no tapetinho divertido dele. Ele já engatinhava (com uns 6 meses) e eu sem saber que tinha xixi ali deixei ele deitar, rolar e colocar peças do tapete na boca! Quase tive um troço qdo vi o xixi… Ai que ódio!
    Mas chegou um dia que por mais que não quisesse contato dos dois eles se encontraram e são grandes amigos. E hj a Amy até corre do filhote que isite em puxar seu rabo, deitar encima dela, comer a ração dela… É inevitável!
    Só tome mais cuidado agora com oseu Lucas bem novinho, depois vai deixando eles se conhecerem pq vc ainda vai deparar seu filho tentando tomar água do cachorro do mesmo jeito que ele: ajoelhado e de boca no pote de água… rsrsrs…

  6. kkk, amei o post!
    minah cachorrinha Niky ja dorme do lado de fora da casa, ou seja no corredor q temos, na casinha dela.
    Eu chego com as bebes, minhas afilhadinhas de um ano e 4 meses e ela começa a latir se eu nao abrir a porta, mas se eu abro a porta e deixar elas ali, se conhecendo a Niky se comporta. Tem ate medo das bebes! Ela vem cheirar as bebes, e quando elas querem toca-la, a Niky foge! kkk, acho mto engraçado. Minha cachorrinha e mto docil, e acho facil acostuma-la depois com a chegada do bebe.
    bjs.

  7. Oi Flor, tudo bom?
    Olha minha tia ganhou nenê há 2 meses e foi difícil adaptar os cachorrinhos (2) dela com bebê. Ele se sentiram excluidos, porque querendo ou não a atenção fica toda pro bebe. E ficaram até doentes. Mas vc ta fazendo certo em deixar eles cheirar as coisinhas do Lucas, ela nunca tinha feito isso então é óbvio que eles estranharam a movimentação, e hoje eles estão de boa brincam com o Victor e tem ciúmes de qualquer pessoa que encosta perto dele rs.

    Adorei seu post.

    Beijooos

  8. oi carol !!!!
    eu passei por tudo isso q vc estah passando . meu cachorro pra mim é meu filho mais velho, um mebro da familia, moror em um apartamento com ele e meu bebe na mais perfeita hamonia. relamente antes do nenem chegar em casa dê uma fraldinha q o nenem tenha usado, q tenha o cheirinho dele , dê para o seu cachorro assim qd o bebe chegat ele vai identifica lo . e qd chegar em casa com o bebe deixe o cachorro cheira lo , o pézinho é super importante . e faça o cachorro entender q o nenem não está roubando o lugar dele na matilha , dê sempre petisco qd o cachorro se aproximar do bebe.
    agora qt aos pelos eu já desisti, limpo o maximo q eu posso mas vi q é impossivel deixar tudo sem pelo nenhum , sempre tem algum e em lugares incriveis, mas aprendi q minha filha criará anti corpos e vai criar imunidade para alergias. mas hoje pra mim o mais gratificante é ver q meu cachorro se preocupa com minha filha assim como eu , qd ela chora ele é o prinmeiro a chegar ate ela seja no berço ou no carrinho e ele olha pra gente praticamente avisando " olha ela acordou " é lindo D+ !!!!

  9. Carol, adoro seu blog !!!
    Quando fui tem meu primeiro filho a 10 anos e 1/2 atrás, era uma neura dos outros por causa do meu gato!!!
    Porque meu marido tinha todos os "ites" repiratórios possíveis quando crianças.
    Quando o Bruno nasceu foi super tranquilo a adaptção,o gato não deixou de ir a nehum lugar que estava acostumado por causa do bebê, os anticorpos que eu tinha já foi passando na gravides e na amamentação, só lembrando que se o bichinho tem que ter todas as vacinas, não ficar zanzando pela rua e não ter pulga, criança nehuma morre por já ter contato com pelinhos de bichinhos desde pequena… é "VITAMINA S" . (lógico, a não ser casos em que o baby é prematuro e tem baixa imunidade).
    Ah… sabe o que é "VITAMINA S": um pouco de sujerinha não mata ninguém, rsrsr!
    Beijos
    Eli

  10. Ai, esse assunto é meio complicado pra mim pq, eu sinceramente, não sei lidar direito com o cachorro depois do filho.

    A gente agia da mesma forma com o Johann: Dormia em cima da cama, no sofá, em qualquer lugar. Era o xodó da casa, todas as regalias.

    Antes do Vicente nascer, tiramos a mania dele de dormir na cama, mas ela só funciona quando a gente está olhando. Assim como no sofá.
    Ele dorme todo dia ali, eu sei, mas eu não vejo pq quando tô olhando ele disfarça. Eu só sinto o cheiro no sofá.

    Quando chegamos em casa, o Willian entrou primeiro, fez uns afagos e tal. Aí eu entrei sem o baby. Depois o Willian saiu de mansinho e trouxe o Vicente e quer saber? O Johann não deu a mínima!
    Nem quis saber.

    Até hoje ele foge do Vicente. E o Vicente adora ele. Dá gritos e engatinha atrás dele. Ficam dando voltas na mesa!

    Mas, eu realmente tenho um problema pq, o Johann fica no pátio tbm então ele traz MUITA sujeira, MUITA terra e pulgas para dentro da casa.
    E isso não pode, mesmo.

    Pra evitar só se eu limpasse o chão 800 vezes por dia (impossível) ou deixasse o Johann só na rua (morro de dó, ele se acostumou a viver dentro de casa).
    Então eu choro, choooooooooro pq acho que sou tenho a casa mais suja e que não dá pra criar o Vicente nela.

    Mas até hoje ele não teve nada. E espero que continue assim.

    Beijos!

  11. Carol eu fiz uma mudança radical, levei minha cachorrinha pra casa da mamys, aqui em casa é tudo pequeno, ela nao dormia dentro de casa como os seus,dormia no muro na casinha dela, e mesmo assim,tava complicado, nao podia estender roupas no varal que ela detonava tudo, roupa de molho no balde ela puxava e rasgava,fiz de tudo pra tirar isso dela mais nao tive sucesso,nao podia lavar roupa que quando pegava tava com pelos, então a unica saida foi levar ela pra casa de mainha, acho que ja falei aqui dela pra vc, ela é da mesma raça que o seu,beagle.
    Bjo bjo!

  12. Carol, tb tenho cachorro, uma vira lata enorme num ape pequeno. A um tempo atras fiz um post com algumas dicas para a chegada da Manuela e nao adianta, ela solta pelos, minha casa vive cheia de pelos..o que eu vou fazer, raspar a coitada? Nao dá, entao tem mais eh que relaxar..qdo montamos o carrinho dela, so de empurrar o carrinhno da sala pro quartinho dela, as rodinhas ja ficaram cheias de pelo..paciencia..claro, vc nao vai deixa-los entrar no berço do Lucas, mas eles tb nao podem achar que perderam territorio, se nao vao ficar com raiva do bebe. Bjs

  13. Quando estava esperando a Alice fiz tudo isso. Deixava a Nina cheirar tudo o que comprava, ela participava de tudo. Durante a gravidez, quando a barriga cresceu, a Nina passou a dormir na caminha dela, e não na minha cama mais, mas sempre no meu quarto.
    Quando a Alice chegou em casa, deixei a Nina cheirar, ela tava muito curiosa, mas não lambeu, nem nada, só cheirou e sossegou.
    Depois de uma semana a Nina quis cheirar a Alice de novo e aí deu uma lambida na cabeça da Alice, muito fofa.
    Assim, hoje, a Alice ainda não fez 3 meses, e todos os dias, deixo a Nina cheirar a Alice a vontade, pode lamber os pezinhos da Alice (não deixo lamber a mão, pq a Alice vive com a mão na boca) e a Alice adora. Ri de gargalhar.
    E a Nina age como se a Alice fosse o membro mais novo da ninhada. É a Alice estar no meu colo mamando que a Nina está deitadinha do lado, vigiando. Não sai de perto nem prá pegar Doguitos.
    Quero que as duas cresçam juntas, amigas, e que a Alice aprenda a amar e respeitar os animais desde cedo.
    Beijos!
    Babi

  14. ahhh, se engravidasse hoje o Stitch tava ferrado tbm. Meu gato vive na nossa cama, 24/7. Eu fico puta qdo ele vem da rua todo sujo e deita no meu lencol limpinho.. mas eu AMO a companhia dele a noite e sei q tbm sentirei falta do danado qdo a hora chegar!
    bjkassss

  15. HAHAHHA! Você já teve um pré-treinamento para ensinar o bebê a dormir no seu próprio berço… Acabou a cama compartilhada pros auaus!
    E, aqui? Você já pensou em passar uma máquina de cortar cabelo nos peludos e adotar o visu canino skinhead? hihihi

  16. Querida lendo seu post ñ resistir e até li alguns comentes, afinal, toda dica é bem vinda.
    Entendo bem essa neura sua, aliás eu pensava q só eu era anormal de deixar cachorro dormindo em cima da minha cama, aff!
    daí q fiz uma gradezinha móvel, ou seja, como minha dog é pequena eu a grade é só meia porta e móvel, eu retiro pela manha.
    aina nem consegui engravidar, mas para q minha bb dog ñ se sinta regeitada qnd meu pequeno cehgar, eu já a estou acostumando no cantinho dela.
    Aff! confesso q sinto sua falta, mas tenho resistido, só espero q marido deix, pq sempre q a ensino dormir no seu cantnho, ele vai e libera pra q ela durma na cama de novo, alguém merece?
    Portanto, acho q vc deveria seguir as dicas dos comentes acima, achei bem legais, até copie pra mim, vc pode tbém olhar no site do Dr. Pet, lá tem mta coisa legal.
    bjokas e ansiosa pra cehgada do lucas e vê sua carinha……..

  17. Oi Carol!

    Sou enfermeira, trabalho em uma Unidade Básica de Saude e sempre acompanho teu blog!

    E hoje resolvi comentar!

    Parabéns pela tua atitude, Carol!
    Sempre que vejo uma gestante com dog, fico morrendo de medo em relação ao futuro do nenê mais velho (cachorro ou gato). Geralmente são jogados de lado..e até mesmo "jogados no lixo".

    Que bom saber que vc os considera como filhos tb!

    Um bjo

  18. Oi,Carol!!Sempre leio seu blog mas nunca comentei nada antes!!Acho tudo o que vc escreve muitooo legal.Legal e originalíssimo..As vezes morro de rir,pq vc tem umas "tiradas" hilárias e eu sou um pouco assim também..Então me divirto muito c vc..

    Ainda não consegui ser mãe de jeito algum,e nem entendo nada disso eu acho,mas de cachorros e gatos eu entendo..Moro num sitio e tenho "apenas" 7 cães e 10 gatos(espantada??!ah,vai,o espaço aqui é enorrrmeee!!rsrsrs..)..Mas todos dormem no canil ou no gatil,cada um conforme sua espécie..Todos são amados como se fossem nossos filhos,meus e do marido..Só tem um felino,o Frajola que é meu baby mais novo..Esse não sai da cama..Eles,os gatos não dormem dentro de casa(fora o filhote)mas transitam o dia todo por aqui,soltando pelos por tudo,por mais que eu limpe..é inevitável..

    O que eu quero dizer é q vc tá agindo super certo em prezar pelos sentimentos dos seus filhos peludos e te dou os parabéns por querer adequar todas as situações..Fiquei contente também com todos os coments q li acima..Isso prova que o ser humano "ainda tem salvação",rsrsrs..

    Sabe pq eu falo isso?Pq na minha familia tem muitos bebês e entre amigas tbm sempre tem algum novo membro a chegar..E a história sempre se repete:antes de ter filhos,os animais são TUDO para elas e assim q o baby nasce os bichinhos são postos de lado como se "agora que chegou brinquedo novo,os velhos não servem mais"..Como se os animais não tivessesm sentimentos e fossem descartaveis..Já joguei essa verdade na cara de muita gente(inclusive para a minha irmã e primas)..se gostaram ou não, problema delas.Acho isso desumano e choro por causa disso,sabia?Choro mesmo..Os animais não são descartáveis e não suprem a carencia de ter um filho(sei do que estou falando hein?!)para depois serem jogados de lado..já que a carencia foi suprida..Eles devem ter seus lugares definidos na vida das pessoas..e esse lugar jamais deve ser substituido ou comparado.Entendeu o que eu disse,né?Filho é filho..Animalzinho de estimação é animalzinho de estimação e cada um tem que ser amado a seu modo,sem comparar nem substituir..Acho que, se as pessoas vão pegar um animal para joguete emocional não deveriam nem pegar..E acho também que se as crianças e adultos convivessem mais com os animais desde cedo e com a natureza também,muita maldade nesse mundo seria eliminada ou nem chegaria a acontecer..pois nada se compara a inocencia e humildade nos olhos de um cão(vc deve saber do que estou falando) que nos ama e dá a vida se preciso for, por nós e depois por nosso rebento, que aliás, vem dividir o espaço com ele no que antes era só dele,digamos assim…E o olhar de sofrimento qdo são xingados,maltratados e jogados de lado?Isso graças a Deus os meus não conhecem e nem nunca vão conhecer..E,tenho certeza, pelo que vc postou, que os seus tbm não..

    Enfim,parabéns pela gravidez,pela chegada breve do teu baby maravilhoso,parabéns pela pessoa bacana que vc demonstra ser e pelas tuas atitudes,princip essa..Fica tranquila,vai dar tudo certo..Teu filhote vai ser uma criança abençoada por conviver desde cedo com a natureza,isso só vai fazer bem a ele e a vc dois.E tbm,claro,aos dogs,que vão sentir que são amados..Eles saberão responder a isso, como sempre com muito amor!
    Te admiro muito,viu?Vc é uma menina muito generosa corajosa,do bem..Bjs p vc,p Luquinhas e p seus baby peludos,rsrsrs..E viva os babys e os dogs!!Fica com Deus!Vivian..

  19. Carol
    Vamos começar pelas coisas boas. Os animais soltam menos pelo no inverno 😉 Bom, dito isso é bom ir se acostumando aos pelos pela casa. O vento e vocês mesmos vão levando de um canto para o outro. Adotar as restrições ANTES da chegada do bebê é o melhor mesmo. Quanto a como apresentar o Lucas aos peludos, bom, quando o Guilherme chegou da maternidade nós o deitamos em uma manta e deixamos os gatos cheirarem, se esfregarem e pronto.
    Acho que o mais complicado é dar atenção aos filhos peludos depois da chegada do bebê. Mais de uma pessoa e mais de um programa de TV recomenda para os donos de cachorros que ao chegar em casa sempre fazem festinhas aos bichos antes de ir ver o bebê ou conversar com as outras pessoas da casa, que é bem o que fazíamos antes de ter um bebê na casa, né?
    Beijos

  20. é mãe não pára de ter que pensar em tudo rs
    eu tenho 2 cachorros, que ficaram no Brasil snif snif snif. Um labrador (monet) e uma maltês (amélie).
    qdo estava grávida deixei os dois entrarem no quarto coisa e tal.
    quando cheguei da maternidade fiquei mto ansiosa pq o labrador é grandão coisa e tal, mas deixei cheirar o pezinho do JP e quando ia amamentar deixava ele ficar no tapete do quarto do JP conosco.
    Monet é super cuidadoso, apesar de ser estabanado pacas, e 'juro' ele ficava ligado na babá-eletrônica. Qdo JP acordava e chorava o Monet podia estar onde fosse ele corria pra perto da babá com o rabo balançando e andava de um lado para o outro, só sossegava depois que eu ia pegar o JP.
    Já a amélie teve ciúmes, pq ela era o bbzinho da casa. Ela sempre foi mto independente, mais do que o labrador, mas vivia no meu colo (só não ficava no meu quarto). Quando JP chegou em casa ela demorou um pouquinho pra ficar no mesmo ambiente que ele, tive que me desdobrar pra dar atenção a ela também.
    Oq aprendi: fiz vários planos de 'introdução e apresentações' mas oq rolou mesmo foi institivo. Fomos sentindo como todos se sentiam e nos adaptando.
    bjo

  21. Ah, eu e minhas suposições de posts a partir do título…
    Pensei que vc fosse falar da possibilidade de ter um filho peludinho…Hehehe Porque eu tive. Dois. Juro, meus filhos nasceram tão peludos que eu passava a escovinha de cabelo nas costas deles! E tenho até foto dos meus macaquinhos. Depois caiu tudo (ufa!) e os pêlos no berço e travesseiros eram deles mesmos…
    Beijo!

  22. Carol, fiz tudo isso que vc fez com os seus totós. Tbm tirei eles da minha cama e a coisa que me falaram foi que nem eu e nem meu marido deveriam entrar em casa com o bebe. Não sei se vai ter outra pessoa aí com vcs pra entrar com o Lucas em casa na primeira vez, mas eu fiz assim aqui em casa e funcionou.
    Deixei cheirarem a Olívia tbm.
    No começo eles nao subiam na minha cama mas qdo ela completou 2 meses tudo mudou!! Eles voltaram a subir na cama e hoje em dia eles se lambem, dividem os brinquedos e é a maior bagunça! haha
    Ah, quer saber…. criam anticorpos e pronto! hahaha

  23. Carol, acalme su coração. Aqui também tem dois cachorros que se "achavam" gente antes da chegada da Carol. E uma psicopata que chorava antes do nascimento da filha por achar que o mundo dos seus bichinhos nunca mais seria o mesmo, que eles perderiam todas as regalias, etc, etc, etc… Não fiz nenhum tipo de adaptação, apenas deixei eles participarem de tudo e circular livremente pelo chão do quarto dela. Quando cheguei em casa deixei os dois cheirarem a cabecinha dela e eu que sempre fui mega desencanada de higiene não deitava ela em lugar nenhum que eles(os pobres) tivessem tocado, eu vivia com um paninho pra proteger ela da "sujeira". Menos de dois meses depois eles já estavam bem mais próximos dela e quando ela tinha seis meses já eram quase um trio. Hoje com um ano e dois meses ela come ração, divide alimentos e deita na cama deles. E os "pobres" que eu pensava que perderiam as regalias, ganharam uma criança que brinca com eles o tempo todo e passeiam muito mais, em praças muito melhores por causa dela. Boa sorte aí!!!

  24. Olá Carol!

    legal a sua preocupação. Eu também tenho uma cã e te entendo perfeitamente, mas meu bb ainda não nasceu então não posso te contar a reação, hehehe, só aprender com vc.

    Muita gente já falou coisas legais e eu reforço que não deve chamar a atenção deles com bb no colo e sim associar o bb a algo bom.
    é claro que vc não vai deixa-los lamber o rostinho dele, mas cheirar e lamber os pezinhos é legal.
    A minha tem pelo longo e sei que quando escovo com mais frequencia a quantidade de pelos pela casa diminui muito. Uma época eu escovava todo dia e praticamente sumiram os pelos, mas precisa de um pouco de disposição e não sei se funcionaria com os seus, são de pelo curto, ne?
    O resto é bom senso mesmo e acredito que logo logo o cão começa a incluir o bb definitivamente na familia.
    boa sorte e um beijo!
    Ana

  25. Sempre acompanho seu blog… E achei interessante isso. Tenho uma cachorrinha também e ela vai ficar morrendo de ciúmes com a chegada da Alice…

    Além dessas dicas, eu vi algumas outras, que acho que fazem sentido… Caso você vá mudar em algo a rotina dos cachorros, comece desde agora… Para os cachorros não ficarem mais enciumados… Quando for entrar em casa, depois de ficar alguns dias na maternidade, deixa o pai entrar com o bebê, para ele não ter mais ciúmes ainda.
    E deixe sim o cachorrinho cheirar, dar uma lambida no pézinho… rsrs

    Boa sorte… (:

  26. Oi Carol!

    O Vítor tem apenas 1 semana e já é super amiguinho do Dexter, o filho peludo. Quando cheguei deixei ele cheirar o bebê, mas controlando pra ele não lamber. No primeiro dia ele latia quando o Vítor chorava, acho que estava assustado com o barulho do novo morador da casa. Mas conforme os dias foram passando ele se adaptou e parou com os latidos. Sempre aproveito a hora do banho do baby pra deixar o Dexter dar uma lambidinha antes de colocar o pequeno na banheira. É o momento de carinho dos "irmãozinhos" hehe. Mas o que posso te dizer é que o cachorro sente bastante a chegada de um bebê. Naturalmente ele perde atenção e fica meio carente nos primeiros dias. O que fazemos aqui em casa para tentar minimizar as coisas pro bichinho é o Fábio dar mais atenção para ele enquanto eu amamento, momento mãe-bebê. Eles brincam e saem para passear. Assim o Dexter também fica mais cansado de noite e dorme tranquilo.

    Beijos, Ananda.

    http://projetodemae.wordpress.com

  27. Ei Carol! Primeiro: adoro acompanhar seu blog! Principalmente porque temos exatamente a mesma quantidade de semanas! E é muito bom comparar(!) neuroses! Eu também tenho cachorro e penso demais nessa questão também… A fêmea, chamada Menina, é meu xodó. Até outro dia tb dormia comigo, mas começei a fazer a adaptação. Coloco as roupinhas do João pra ela cheirar, cheguei a colocar a cadela dentro do berço desmontável (a desculpa é que eu queria saber se aguentava o peso). Mas mesmo assim fico meio ansiosa, pois acho que vai rolar muuuito ciúmes… A cachorra é louca por ursinhos de pelúcia e basta eu ganhar um pro João que ela fica histérica achando que é pra ela. O trabalho tá sendo explicar pro namorido que a cachorra também vai ganhar presentes como o bebê… Mas a gente vai levando, né? O vet me indicou um calmante (floral de bach) chamado pet-therapy pra ver se ela não late tanto (ela nem late assim… é só qdo chega alguém ou tocam a campainha…). Mas ainda não comprei. Assim que fizer o teste eu mando outro comentário!
    Olha, Carol. seu blog é muito bom! Parabéns, viu!
    Um abraço!
    Fernanda – Belo Horizonte/MG

  28. Olá Carol, meu nome tb é Carol e tenho um bebe de 8 meses, quando fiquei grávida, todo mundo me perguntava e os cachorros (2 no meu caso, que dormem até hoje na minnha cama) oque vc vai fazer, eu respondia nada… Ai uma amiga minha que trabalha com comportamento canino me deu algumas dicas muitos legais, são elas, elas funcionam se os cachorros tem vc como dona!:
    – quando vc chegar da maternidade deixe seu marido entrar com o baby, e faça festa para os cahorros como vc sempre fez;
    – decida se os cahorros vao poder entrar no quarto do baby ou se é territorio proibido, no meu caso cada um tem uma caminha embaixo do berço;
    – deixe cheirar e lamber pezinho sempre que eles quiserem;
    – hoje o mue filho ama os cachorros e vice-versa, já trocam brinquedos e tudo, só se certifique que os cachorros estão com a vacinação e vermifugo em dia!
    Espero que ajude!
    Bj

  29. Oi Carol… Eu tbm tô gravidinha, 6 meses e tô com o mesmo problema. A Filó nossa buldogue não dorme dentro de casa, dorme na casinha dela do lado de fora, mas a gte sempre deixa ela entrar, então já viu… O q eu tô fazendo de diferente é q coloquei a gradinha de proteção no corredor, limitando a "visita" dela aos quartos, daí ela só pode ficar na sala, cozinha e área de serviço… Isso já ajuda bastante na limpeza. Eu tbm li akele livro "Marley e Eu" e nele fala q tem q deixar os dois se entenderem, deixar o cachorro cheirar, brincar, matar a curiosidade, pq o cachorro fica com ciúmes se a gte ficar toda "chatonilda" não pode isso, não pode akilo. Essa de deixar o cachorro cheirar as coisas do bebê tbm acho uma boa, o maridón aki já fez todo tour com ela, não sei se ela entende alguma coisa, mas… Esses dias foi mega engraçado, ela tava deitadinha encostada na minha barriga e o Bento deu uma chutão, e ela sentiu…. kkkk…. foi mto engraçado pq ela deu de cheirar meu umbigo q nem doida e eu fui explicando q ele tava lá dentro, q tava falando oi pra ela. kkkk….

  30. Oi Carol! Acompanho seu blog ha algum tempo e nunca comentei. hj deu vontade de comentar pq passei por isso. Tenho um gatinho. Antes da minha filha nascer apresentei ao meu filho peludo um boneco,bem parecido com um bebe, boneco que eu carregava pra todo lado, deitava na minha cama e etc, pra ele ir se acostumando.Qdo estava com o boneco no colo nao dava muita atencoa pra ele. Qdo cheguei da maternidade, fiz as devidas apresentacoes, deixei cheirar e assim deixava sempre. Ele soube o seu lugar e aceitou a chegada da minha filha muito bem, mais do sempre imaginei e sofri antecipadamente. Tudo dara certo pra vc tambem. bjao

  31. Oi Carol, aqui em casa temos 5 peludos, mas são gatos. Eles são mais difíceis de controlar, portãozinho não resolve, só porta fechada. E pense num bicho curioso, que não pode ver nada diferente que quer se meter dentro. O que eu fiz foi manter a porta do quarto da Clara fechada o tempo todo, pois senão estaria todo mundo dormindo dentro do berço. Eles dormem conosco e até tentamos tirar, mas foi impossível, ninguém dormia com gato arranhando a porta do quarto, aí depois de poucos dias liberamos. Eu não colocava a Clara na nossa cama por conta dos pelos, mas agora já relaxei bastante. O quarto dela tb já fica aberto enquanto a gente tá em casa e só fechamos a noite e quando saímos. Eu adoro e acho super importante essa relação criança/animal e a Clara adora bichos em geral, apesar de ainda maltratar um pouco, mas espero que isso melhore.
    Espero que o Lucas e os cachorros sejam super amigos e que tudo corra bem por aí.
    Beijos

  32. Oi Carol! Não tenho cachorro aqui, mas acho que se vc cuida bem dos seus cães (tomam banho sempre, são vacinados, etc e etc), acho que não tem tanto problema o pelo por aí não… Ficamos com excesso de zelo no começo, mas um pouquinho de vitamina S (sujeira) faz bem para os pequenos!
    Vc já viu o filme "Bebês"? Vale a pena para dar uma desapegada destas questões rsrs… Fiz dois posts sobre ele, dá uma olhada:
    http://cegonhatrends.blogspot.com/2011/01/everybody-loves-babies.html

    http://cegonhatrends.blogspot.com/2011/04/filme-bebes.html

    Bjocas!

  33. NHÓÓÓÓÓÓ fofolético demais! eu acho que no inicio tem que dar uma preservada no luquicthas mesmo, mas acho que quando ele ficar mais fortinho, adquirir anticorpos acho que tem que deixar eles si misturarem 😉

    claro, se luquitchas não tiver alergia! heheh

    beijocas, ju

  34. Oii Carol.
    Acompanho seu blog desde minha gestação e só agora vou comentar. Tenho um baby, o Davi, de 3 meses. Tenho duas gatas, tb deixei elas cheirarem as coisinhas dele, nas últimas semanas de gestação tb tirei elas do meu quarto, pq elas tb dormiam na minha cama, e enquanto estava na maternidade meu marido trouxe um paninho com o cheirinho do baby pra elas cheirarem. Uma delas nem dá bola pro Davi, a outra está sempre por perto, fica em pé no carrinho pra ver ele, mas nunca tentaram nada demais. Faça tudo isso sim, e não somos loucas, tb converso e explico tudo pras minhas gatas, os bichos são mais espertos do que a gente pensa. Beijos enormes pra ti e pro Lucas, que ele venha cheio de saúde pra alegrar ainda mais a vida de vocês.

  35. olá carolina
    O meu nome é Marta Santos e sou portuguesa, sou mãe de uma menina helena de 2 anos e meio, tenho uma cadela labrador a lady´, e desde que a helena nasceu nós deixamos que a cadela cheirasse a pequenina, nunca tivemos problemas, nem sustos, mas convém vigiar sempre.
    A primeira palavra que a helena falou foi LADY.

    beijos e muitos felicidades para o
    o seu bebe

  36. Carol, eu fiz de tudo: dei roupinhas e pelúcias da bebê pra Meg cheirar, conversei, expliquei, dei carinho, coloquei limites de espaço (porque ela sempre andou à vontade o tempo todo por aqui), etc etc etc. TUDO o que me ensinaram eu fiz! Mas quando a Maria Clara chegou… o bicho pegou! A ficha da peluda caiu – tinha um novo membro em casa e ela não era mais a filha única! Daí foi toda a crise de ciúmes que já falei no blog. Hoje ela tá muito melhor, mas ainda agora foi na minha cama e jogou os travesseiros no chão. Tirei ela de lá, fechei a porta e ela foi no quarto da bebê. Aí que vi que ela fez um buraco na PAREDE atrás do baú. Fica cavando pra chamar atenção. PODE????

    Ou seja, acredito que acostumar-se com o bebê é questão de tempo. E nada mais! Ou de se contratar um adestrador, que deve ter mais jeito do que nós, mães de bebês e peludos de primeira viagem!

    Beijocas!

  37. Carol, como mãe e veterinária, eu sempre tive essa preocupação em relação à chegada do Theo. Eu tenho 4 cães e 1 gato, imagina a confusão??? Mas foi tudo tãããoooo natural! Nossos bichinhos sentem ciúmes se forem deixados de lado, do contrário, continuam super companheiros. Salvo raras exceções que, claro, incluem a "personalidade" do animal. Aqui em casa nenhum deles era agressivo, então, eu consegui relaxar.
    Na época fiz um post sobre uma matéria "Bebês x Pets". Se quiser ler, é essa aqui http://meupequenodicionarioamoroso.blogspot.com/2009/10/bebes-x-pets.html
    Vc já ouviu falar sobre a Síndrome do Bebê Sacudido??? Descobri assistindo o Jornal Hoje (da Globo). Se quiser ler a matéria, que é bem legal, o link é esse aqui http://meupequenodicionarioamoroso.blogspot.com/2009/11/sindrome-do-bebe-sacudido.html
    Fiquei meio paranóica na época! Rsrs…
    Beijinhos,
    Bi

  38. Oi! Adorei o post!!
    Ja na maternidade o pediatra me garantiu que uma criança q cresce com cachorros tem menos chance de ter rinite e outros problemas respiratorios, acredita??
    Saí feliz da vida, tentando dividir a atenção entre meus pequenos (o cachorro e o bebe), dava de mamar enquanto fazia carinho com o pé…
    Só tive que demitir uma enfermeira chata q odiava cachorro…… Mas de resto, tranquilo!!
    Meu filho cresceu com algumas lambidas e mto feliz!!
    Bjs,
    Aline
    http://muitabagunca.blogspot.com

  39. eu tive a pessima ideia de colecionar mastim napolitanos – sabe quais sao? aqueles que parecem cavalos? E babam tuuudo? e pesam mais de 70 kilos? pois eh. Eu tinha SETE. Ai que quand eu fiz meu primeiro ultrassom, eu comecei a chorar e falei: mas eu nao posso ter um bebe – eu tenho 7 cachorros. Cachorros que tinham o freezer deles com comida congelada. Comida e sobremesa… e pela manha era uma mistura de leite ninho, neston, sustagen, mucilon. farinha lactea, calcio para caes grandes, gelatina sem sabor…
    Chama de louca, pode chamar!
    Ai que eu fiquei gravida e a minha mae que nao gosta de cachorros e nem nunca teve nenhum, ganhou de presente SETE mastinzinhos. Por que eles eram mal educados ( como sao as minhas adolescentes hoje) e eu fiquei com medo que eles pulassem na minha barriga.

  40. Carol, eu só fiz merda, mandei minha cadela pra casa do meu pai nos primeiros dias, depois tentei tranca-lá na cozinha (sendo que a vida inteira dormiu no meu quarto). Ela sofreu muito e eu tambem, ate que cai na realidade e tudo voltou ao normal, bebe e cachorra dormindo no meu quarto em harmonia (mas não em cima da cama). Hoje minha filha tem 2 anos e as duas deitam e rolam pela casa, a cachorra lambe e ela come tantos pelos quanto eu, tudo fica natural com o tempo, no iverno se trago a Laís pra minha cama, tem que dividir espaço com a Fibe (ca) mais papai, apertado. No verão a Fibe prefere dormir no chão mesmo. Tudo tranquilo. Beijo querida!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *