Gente,

Hoje tá rolando uma blogagem coletiva muito legal, sobre Maternidade Real. O que é ideal, o que é possível quando o assunto são os filhos?

Será que o perfeito não é inimigo do bom nessas horas? (muitas vezes eu acho que sim)

Achei a proposta muito legal e tentei escrever vááárias vezes (cheguei a apagar uns 3 textos inteiros que estavam prontinhos pra sair do forno), mas realmente não saiu. Fora o óbvio de que ainda não sou mamãe e nem tenho tanta experiência pra relatar, estou precisando me fechar na minha conchinha… coisas de gravidez, acredito eu. Já já eu volto.

Mas bem, como o assunto é imperdível, recomendo fortemente dar uma passada no blog da Carol Passuelo (mommy espertona que idealizou a blogagem) e visitar os blogs participantes!
/
/

15 respostas em “Blogagem coletiva – maternidade real

  1. Oi, Carol, logo vc terá a prática de ser mamãe tb e vai compartilhar com a gente 😉
    qnt ao adoçante, eu acostumei com o líquido, pode ser coisa da minha cabeça né, mas eu acho que o GOLD adoça melhor e tem gostinho melhor, mãs posso estar influeciada por mim mesm…
    bjs

  2. Ei Carol, nunca comentei antes mas estou aqui pra dizer que te acho o máximo e curto cada babybobeira sua. Não aceite comentários maldosos mesmo não, aqui o espaço é seu e dane-se a democracia! hahaha! Também estou grávida e vc tem todo o direito de surtar qts vezes quiser! Tbm estava pra me mudar em maio, planejei tudo, quarto da Sophie, etc. E agora o apto só estará disponível em outubro. Sophie estará com 2 meses… ai que raiva! Mas o que seria da vida sem mais emoção.
    Boa sorte e um beijo na barriga!
    Luciana

  3. Oieeeeeeeeeeeeeeee eu participei hj da blogagem, e sim na minha opinião a idéia de perfeição causa muitas frustrações , principalmente em nós mães, pois as evzes esquecemos que os fihos tem personalidade própria , não são bonecos.

    bjussssssssssssssss dá uma passda lá no meu cantinho.

  4. Quando eu estava grávida eu jurava de pés juntos que sabia o que era ser mãe, que era impossível eu amar meu bebê mais do que eu já amava e um etc infindável. Um mês e meio de maternidade real fazendo tudo cair por terra…

    Estava lendo nas tuas postagens antigas sobre o trauma do contrato de aluguel uterino vencendo… Sabe que eu sempre penso nisso, que as mulheres morrem de medo do parto, mas pra nós não é nada, difícil é praquele serzinho desprotegido que não faz ideia do que está acontecendo.

    No dia da primeira vacina do Lorenzo (prepare-se pra pior dor da sua vida), eu, morrendo de pena, disse que se ele tinha passado tão corajoso pelo nascimento aquilo seria fácil. A enfermeira com ar de deboche responde "difícil pra ele? Difícil é pra ti, pra ele é fácil, fácil".

    E a gente finge que é abajour nessa hora e faz cara de paisagem…

  5. Quando eu estava grávida eu jurava de pés juntos que sabia o que era ser mãe, que era impossível eu amar meu bebê mais do que eu já amava e um etc infindável. Um mês e meio de maternidade real fazendo tudo cair por terra…

    Estava lendo nas tuas postagens antigas sobre o trauma do contrato de aluguel uterino vencendo… Sabe que eu sempre penso nisso, que as mulheres morrem de medo do parto, mas pra nós não é nada, difícil é praquele serzinho desprotegido que não faz ideia do que está acontecendo.

    No dia da primeira vacina do Lorenzo (prepare-se pra pior dor da sua vida), eu, morrendo de pena, disse que se ele tinha passado tão corajoso pelo nascimento aquilo seria fácil. A enfermeira com ar de deboche responde "difícil pra ele? Difícil é pra ti, pra ele é fácil, fácil".

    E a gente finge que é abajour nessa hora e faz cara de paisagem…

  6. P.s.: Fiquei no seu blog mais de 1 hora e comentei em vários posts, e agora como vc vai ler os comentários, hein? Um foi sobre o que aconteceu com sua mãe e irmã e o outro foi sobre o aborto.

    Você é incrível.

    beijo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *