tinha data prevista pra nascer hoje.

Ai.

Eu já sabia que todo mundo esqueceria. Mas eu não. Tava com um aperto no peito esses dias, chorando a toa. Chorando triste, doído, aparentemente sem motivo.

Só quem já perdeu um filho sabe o que é. Sabe que um não substitui o outro. Sabe que a mente dá voltas e reaprende a ser feliz, mas nunca esquece. Sabe que foi um pedaço seu que morreu antes da hora. Sabe que a natureza é sábia, mas também é muito dura. Sabe dos medos que perduram depois disso. Da sensação de que tudo pode se perder de novo a qualquer piscar de olhos.

E sabe que dói. Dói demais. Dói de um jeito que eu não desejo pra ninguém.

***

Tentei separar alguns versos dessa música pra ilustrar o post, mas fato é que cada frase parece ter sido escrita pra se encaixar nessa nossa história. E parece que a voz do Caetano é só pra mim e ecoa forte, me arranca lágrimas bonitas.

Fica com Deus, meu filhinho. Um dia a gente ainda se encontra.

Drão


Drão, o amor da gente é como um grão
Uma semente de ilusão
Tem que morrer pra germinar
Plantar n’algum lugar
Ressucitar no chão nossa semeadura
Quem poderá fazer, aquele amor morrer
Nossa caminha dura
Dura caminhada, pela estrada escura


Drão, não pense na separação
Não despedace o coração
O verdadeiro amor é vão
Entende-se infinito, imenso monolito
Nossa arquitetura
Quem poderá fazer, aquele amor morrer
Nossa caminha dura, cama de tatame
Pela vida afora


Drão, os meninos são todos sãos
Os pecados são todos meus
Deus sabe a minha confissão
Não há o que perdoar
Por isso mesmo é que há
De haver mais compaixão
Quem poderá fazer, aquele amor morrer
Se o amor é como um grão
Morre nasce trigo
Vive morre pão
Drão, Drão

/

/

38 respostas em “Meu primeiro filho

  1. Eu não sei se é porque eu passei o mesmoq ue vc…
    E vc,, mesmo antes de eu engravidar, já era uma pessoa que eu admirava MUITO, eu super lembrei do seu primeiro filho.

    Aliás… eu me pego pensando nele muito e muito.

    Eu lembro que vc e a Maya engravidaram quase na mesma época e é ver a evolução de uma e lembra da outra, imediatamente.

    Eu nunca vou esquecer do dua 24 de Junho, que era para quando meu bebê iria nascer,

    Sempre lembro de vc…

    Nossas histórias se cruzaram com o mesmo tema; um tema triste, sofrido. Que marca mais que tatuagem!!

    Hoje mesmo eu fui ao Shopping e vi um menino de roupa bem colorida, dai eu lembrei da loja que eu quero compra o presente pro Lucar… Nisso firmei pensamento em vcs.

    TÃO LONGE, mas tão perto do meu coração.

    Vc se tatuou em mim.
    E ver vc, com essa barriga LINDA, me enche de alegria, me enche de esperança
    e eu derramo lágrimas,

    LÁGRIMAS DE ALEGRIAS POR TI.

    Hoje não é um dia fácil, ms tinha que ser assim…
    O seu bebê foi amado demais. Demais.

    Vai ver era isso que ele precisava: um pouco do seu amor.

  2. é,
    era pra eu ter uma filha de 7 anos.
    e um outro de 5 anos.
    mas não foi assim.
    não era pra ser.
    cada um tem a sua parte importante na mnha vida, mas ficou o amor que me ensinaram a sentir. não a dor.
    um dia acontece.
    bjo viu? dos grandes.

  3. ô querida, sei que nada do que eu diga vai reparar a dor que vc sente! Por isso, chore hoje, sofra, para amanhã sorrir quando escutar o coraçãozinho do Lucas qeu está aí dentro de vc 😉

    beijos, ju

  4. Carol, vc me emocionou. Vc deve lembrar que passei por uma perda e concordo qdo vc diz que a "mente dá voltas e reaprende a ser feliz". Esquecer, a gente nunca esquece.
    Essa música é linda e faz com que eu me lembre da minha avó.

    Beijo grande. Fica com Deus.

  5. Carol…

    É verdade, a gente reaprende a ser feliz, mas não esquece nunca…não posso imaginar como é essa sensação…,as deve ser doída…não se apaga…adormece um pouco…

    Amo essa música…

    BJS…

  6. Carol, o meu tb era pra nascer agora na primeira semana de fevereiro, mas nasceu em novembro, viveu 4 dias e se foi. É exatamente como vc falou, a dor é eterna e a gente vai aprendendo a conviver com ela. Espero que os nossos pequenos se encontrem em alguma nuvem e brinquem felizes com todos os anjos e que nossos amigos espirituais zelem por eles enquanto estamos aqui. Um grande abraço e divido essa dor com você.

  7. Carol, querida.

    Vim aqui para falar um pouquinho do seu comentário lá no meu blog, mas o momento agora é outro.

    De fato o Lucas não substitui o que se foi, mas ele é a alegria de que você precisa para passar melhor o dia de hoje.

    Seu sofrimento é legitimo e, realmente, ninguém merece passar por ele.
    Um beijo mais que carinhoso para vocês e um abraço maior ainda

  8. Carol, eu tb sempre lembro do "niver" do meu 1º bebê… E olha que foi em 2006. É p/ sempre! Hj tenho o Theo de 1 ano e 6 meses, que preenche a minha vida de todas as formas imagináveis!! Mas eu nunca esqueci do outro… Sempre me pego pensando se seria um menininho ou uma menininha… Enfim…
    Fica bem!!!
    Beijocas,
    Bibi

  9. Chorei lendo seu post, nossa história como vc sempre disse são parecidas. Pelos nossos nomes, idades até a infeliz conhecidência da perda.

    A dor da perda deixa um vazio, deixa o pensamento de como seria se tudo tivesse ocorrido bem.

    Eu me pego muito pensando nisso, era pra eu estar com tantas semanas…
    Como será q eu estaria?
    E parece q conforme o tempo passa ao invéz de esquecermos, mais lembramos.

    E como vc disse, só quem passa pra saber o q é a dor de perder um filho, seja ele uma pequena sementinha ou não.

    =* Fique bem, bjo pra vc e pro Lucas =*

  10. olá, achei seu blog por um acaso, mas como dizem que o acaso não existe.Sei o que vc esta sentido, perdi meu bebe em 12 de dezembro nasceu de 26 semanas…linda.
    mas Deus a quiz junto dele.
    è como vc disse reaprende a ser feliz.Fiz meu blog agora justamente com essa intenção compartilhar a dor ajudar e voltar ser feliz.
    Que Deus conforte seu coração nesse dia.
    bjs

  11. Um texto que já diz tudo e uma música que mostra a dor do momento que nem precisa se dizer mais nada. Nesse momento, posso contribuir com meu silêncio e um longo e forte abraço virtual, daqueles bem apertados, que mesmo distante, se consegue sentir.

    Hoje, se permita chorar…

    bjos

  12. Querida, é tudo isso mesmo… acho que a música traduz tudo… é doído sofrido e mesmo o único consolo que é pensar que a natureza é sábia, é dolorido… é duro… também tenho minhas datas doloridas guardadas, e vc tem toda razão quando diz que a gente jamais esquece. E jamais vai esquecer. Mas deus nos dá a possibilidade de em um dia chorar muito e no outro ser a pessoa mais feliz do mundo, por isso sua barriga linda e seu filho amado Lucas é a prova disso, vc vai ver que amor como esse é maior que tudo e que tudo vai ficar pra trás, como uma cicatriz, junto com tantas outras que a gente carrega.
    Um beijo gigante!

  13. Carol eu te entendo e compartilho dessa dor contigo, eu sei o quanto é triste passar por esse momento e sentir essa dor, que machuca aperta o peito e nos faz sofrer tanto, chorar por um serzinho q se quer conhecia-mos mas que ja fazia parte das nossas vidas e que ja tinha todo o nosso amor… Mas também entendo q Natureza que é sabia e sura sim , sabia por que nos tirou esse serzinho antes de nós nos apegar-mos mais a eles e evitando assim um sofriemnto maior posteriormente e situaçãoes mas complicadas… e Dura muita dura por que sabe o quanto nós amamos esse serzinho e nos tira ele sem se quer nos avisar… Seu Filho esta no Ceu Carol virou o anjinho da guarda da sua família e do Lucas. Tenha certeza que seu anjinho olha por vc e esta muito feliz com o irmãozinho q esta vindo

  14. Vc disse tudo qndo falou que um filho ñ fará esquecer o outro. O Lucas é único, assim como a sementinha que se foi. Mas tenho certeza que os dois sabem a mãe maravilhosa que tem, e que foram amados desde de o primeiro minuto!Curta mto o Lucas, vc não precisa esquecer o primeiro bebê para amar ele, amor de mãe não se divide, multiplica!

    Bjinhosssss

  15. Oi Carol, já passei por isso tbm e sei como é difícil, tb estou grávida agora e morro de medo de acontecer de novo, graças a Deus parece estar td bem, mas o dia 7 de julho do ano passado foi dolorido e triste pra mim tb, a gente nunca esquece.

    Bjs

  16. Carol, carol, carolllll…
    É impressionante como nossas histórias são parecidas!!! Obrigada pelo carinho e principalmente apoio que é o que mais precisamos nessa caminhada. Tô sempre aqui e agora estarei sempre lá tb, ok? Muuuuitos beijos. Viviane

  17. Carol,

    Imagino que essa seja uma dor que não passa nunca… Nem deve, porque essa experiência faz parte do que você é hoje, mesmo que seja difícil entender o porquê de ter que vivê-la. Muita força para esses dias tristinhos e muita fé para os dias cheios de alegria e felicidade e saúde que virão com a chegada do Lucas.
    Bjs

  18. Estou conhecendo o seu blog hoje e confesso que só li este post.. me doeu demais… já passei por isso e sei exatamente como é a data tão esperada do nascimento do pequeno ser um data vazia… um dia comum para todos os outros e tão marcante para nós.

  19. Acabei de conhecer o seu blog e me deparei com este post. Entendo o seu sentimento. Eu passei por isso 4 vezes, mas agora tenho o meu filho. Tê-lo não apaga a dor das perdas que sofri, mas me dá uma alegria imensa.
    Ele nasceu na Argentina. Se precisar de dicas, estou a disposição.
    Drics

  20. Carol, não me lembro se a gente se conhecia quando aconteceu isso comigo no início do ano também (em fevereiro) e eu fiquei arrasada, não sei se tinha "esse direito" por já ter dois filhos saudáveis e felizes, mas se eu não tinha, me dei e sofri, Deus, como sofri.

    Hoje uma amiga me perguntou como andava a gravidez e tudo voltou, fiquei super para baixo o dia inteiro e só agora lendo o seu post senti conforto.

    Vou começar a tentar de novo o bebe de número 3, mas estou com medo.
    Qual foi a opinião dos seus médicos quanto ao período de espera?
    Eu não confio muito nos médicos irlandeses, por isso estou te perguntando.
    Perdi meu bebe com 14 semanas, por causa não conclusiva.

    beijos e estou muito feliz de que tudo esteja dando certo pra vc!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *