Uma vez, há uns poucos meses atrás, eu – já me sabendo grávida – escrevi assim:

Fico pensando sobre os bons tempos em que eu escrevia aqui sem pensar muito. Em quem ia ler, no que iam dizer. Os tempos mudaram e agora eu penso.
Eu penso muito, eu penso em tudo.
E os tempos mudaram.
Trouxe coisas que precisam ser olhadas com calma. De perto, sem pressa. Então, estou assim. Olhando, no seu devido tempo. Pra tudo tem tempo. Hoje, é tempo de prestar muita atenção no que há de mais incrível. O meu amor.

daqui

Nesse dia, eu me despedi da minha professora de espanhol amada e ela era das poucas pessoas que sabiam da nova gravidez.

Ela foi embora, teve seu filho (Joaquim, um menino lindo nascido de parto natural – um assunto que tanto discutimos e idealizamos durante as aulas) e nunca mais nos falamos. Ficava sabendo dela por terceiros. Às vezes, ninguém me contava nada, eu só sentia que ela estava bem. E que de repente estaria pensando em mim.

Estranhas essas conexões entre as pessoas. Não somos melhores amigas, nem mesmo próximas. Não conheço a família dela, ela não conhece a minha.

Mas não importa muito. Quando determinados encontros precisam acontecer, eles acontecem.

***

Esses dias, eu tava me sentindo de novo assim como no textinho acima. Olhando pra dentro. Com calma. Estava embasbacada de novo pela coisa mais incrível do mundo acontecendo: meu filho crescendo na barriga.

Lembrei da minha professora de espanhol. E ela entrou em contato comigo (que coisa, né?). Pela primeira vez desde então.

***

Talvez nada disso tenha muito sentido pra vocês. Mas eu queria registrar aqui que tenho vivido dias de muita reflexão. De pensamentos que só fazem sentido pra mim. De acontecimentos tão grandiosos que são proporcionalmente inversos ao que se vê: uma barriga que pula levemente, empurrada por um bebêzinho que se movimenta do lado de dentro. E só vê quem tem paciência pra olhar. Não só a barriga, mas a mágica das coisas.

***

Mas, como de fora só se vê barriga mesmo, taí ela, ó:

Na foto, é só uma coisa redonda. Pra mim, é o mundo todo.

/

/

27 respostas em “25 semanas e a professora de espanhol

  1. querida, esse momento e o mais magico que uma mulher pode viver. Aproveite cada minuto, cada instante. Melhor que isso, so a incrivel sensacao de ver seu filho te olhar nos olhos pela primeira vez. E as maozinhas dele, empurrando o seu peito na hora de mamar.
    Sim, ele e o mundo todo. E vais er pra sempre!!

  2. Não é sempre que em nosso corpo bate mais que um coração!

    A gravidez é o momento mais sublime, a coisa mais incrível e deliciosa que uma mulher pode viver.

    Eu sinto falta de ser "duas", curta muito esse barrigão.

  3. Por mais estranho que pareça, eu me identifiquei muito com esse texto (se eu entendi o que você quis dizer, rs)

    Nesse terceiro trimestre eu estou completamente "bixo do mato", tempo de muita reflexão, não quero agito nem ninguém muito perto, quero curtir esse momento com o meu bebê e com o Ryan, sei lá, vai entender minha cabeça 😉

    Só espero que você continue postando, adoro seus textos. Mas, entendo perfeitamente se você virar "bixo do mato" e parar de postar, hihi.

    Curte esse momento, ele é seu e muito seu, se é que isso faz sentido.

  4. Ai CArol q lindo, me emocionei.

    Tua barriga ta linda e crescendo mesmo.

    E' assim mesmo, enquanto "preparamos outra pessoa" – adoro essa frase – entramos mais em nòs..
    O estar gravida é realmente divino. Aproveita muito.

    grande bjo

  5. é isso mesmo, carolita,
    ser mãe é pensar e repensar o mundo dentro e fora da gente um zilhão de vezes.
    e a cada pensamento se permitir ser e ver um pouco diferente, com um pouco mais de amor, mais de compreensão, mais de raiva ou não.
    está aprendendo bem…
    e está linda.
    bjocas

  6. Pra ninguém no mundo a barriga de uma grávida é só uma coisa redonda. Ela é sempre admirada justamente por toda beleza e magia que trás consigo. Acho que é por isso que todo mundo quer passar a mão na barriga de uma gravidinha.
    beijocas e siga observando e contemplando essa magia.

  7. Amiga realmente só que está ou já gerou uma crinaça , entende o sentimento que existe pela essa coisa redonda , e com certeza se torna nosso mundo todo .Seu mundo está lindo .
    beijos

  8. E é o mundo todo mesmo. Eu tenho a impressão que essa fase de introspecção tem tudo a ver com a gravidez, tanta coisa vai mudar pra tão melhor! Bom demais.
    E essa barriga, cada dia mais linda!
    beijo

  9. Oi, Carol,
    Vou reproduzir aqui um trecho do "Nascer Sorrindo" (Leboyer):
    "Feliz, bem-aventurada criança, é apenas unidade, continuidade, totalidade. Nenhum ponto de seu corpo fica fora da ação. Tudo se mexe. Tudo se move, vive junto, na mais completa harmonia.
    Como não invejar o bebê, como não ter ciúmes dele, nós que somos feitos de peças e pedaços.
    Nós que perdemos essa unidade primitiva. Nós que não cessamos de sonhar, de estar além.
    Nós que somos simplesmente incapazes de estar aqui…"
    Pra mim, a gravidez resgata essa capacidade de "estar aqui". Por isso ficamos assim, imersas no nosso mundinho. Como não invejar as grávidas, que têm a cabeça de vento, que não conseguem pensar além do momento em que seu bebê estará nos seus braços?
    Bendita, sagrada fase da vida.

  10. Não canso de dizer que a barriga é linda. Mas esta foto, com a analogia do mundo todo, está demais. Olha o mapa-múndi lá atrás e seu mundo todo aí na frente, em primeiro plano. A maternidade é feita de pequenas sutilezas (e grandes arroubos)!
    Beijos

  11. Carol,

    Sua barriga está linda e eu entendo todos os seus sentimentos. Depois de muito tempo tentando, engravidei e passei por tudo isso. No final não via a hora do meu filho nascer! Queria sentir seu corpinho no meu, queria beijá-lo e abraça-lo, queria sentir sua respiração e acima de tudo olhar para o seu rostinho. Hoje ele já tem oito meses e me pego olhando para ele enquanto ele brinca, enquanto ele dorme, enquanto engatinha e fica em pé, a cada sorriso dele me sinto mais feliz e realizada e por incrível que pareça, sinto saudades dele na minha barriga, se mexendo, tão cúmplices: só ele e eu… Complexo! só as mães entendem como é normal ser tão contraditória!

    Parabéns por você e seu bebê que está quase chegando!

    Beijos! Lívia. http://passeadoeviajandoemfamilia.blogspot.com

  12. Oi, Carol
    Acompanho seu blog há algum tempo, mas só hoje resolvi me manifestar rsrs
    Não sei se vc já escreveu sobre esse assunto aqui no blog, mas eu sempre tive muita curiosidade de saber a questão de estar grávida + distância da família e amigos.
    Pelo o q entendi, vc mora na Argentina, é isso?
    Queria saber como vc vê essa questão de passar por uma gravidez longe dos entes queridos e por um lado, não poder dividir essa experiência com eles.
    Pergunto isso, pq tb moro fora do Brasil e esse fato de estar longe da família, as vezes me faz párar para pensar muito se devo ter um neném aqui ou esperar a volta ao Brasil, pois não sei como encararia passar por uma experiência dessas tão distante de todos.
    Adoraria ouvir a sua opinião sobre isso!
    Bjs e tudo de bom pra vc!
    Marina

  13. Que fofo Carol. Engravidar é voltar pra dentro (de nós mesmas). Ter filhos é resgatar a nossa infância já vivida. Ser mãe é aprender a perdoar os erros de nossa mãe e querer reproduzir os seus acertos. Vc está gravidamente linda!!!

    Bjsss.

  14. Ai minha amiga, nem tenho o que falar…
    mas falo de novo e de novo, tu tá tão linda grávida!
    E eu tô muito feliz por tudo isso que tá acontecendo dentro de ti.
    Curta muito, muito!
    Eu não falei que a gravidez ia deixar saudade?

    beijoca

  15. Você sabe que eu acho essa barriga a coisa mais linda e enorme do mundo! Outro dia você me falou que acha que ela nem esteja tõa grande assim, eu achei loucura, mas sabe que eu com 38 semanas às vezes me pego achando a minha pequena. Só caiu na real quando comentam que está enorme. É que a gente se acostuma com ela. Difícil será se acostumar a ficar SEM ela.
    Outra coisa, isso de conectar consigo mesma, de sentir-se mais sensível, inclusive com a conexão com outras pessoas, como a professora no caso, acho que tem muito a ver com a gravidez, com esse momento bicho que passamos. É o instinto que aflora isso na gente. E acho que quem de verdade consegue sentir isso, terá calma a paciência para passar por cada etapa da gravidez. (por mais traumatizada que seja a pessoa, me usando como próprio exemplo!). Isso é lindo demais de ver. Sinto que você está amadurecendo muito a cada semana.
    E falando em semana, ADORO completa-las com você. É fato que está acabando minha gravidez, mas sinto uma conexão imensa contigo. Por todo esse tempo de amizade e por cada semana conquistada!
    Um beijão!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *