Pegando carona no ótimo post da Luíza, fiquei lembrando dos absurdos que já ouvi enquanto serumano grávido. E, olha, por sorte, ainda não fui obrigada a escutar muita loucura não. Uma das mais marcantes aconteceu essa semana mesmo:

“Olha, já aparece a barriga! De quanto tempo você tá?”
“Ah, quase cinco meses” (porque falar em semanas pro povo é o mesmo que falar russo)
“JÁÁÁ?! SÓ COM ESSA BARRIGA? MAS ISSO PARECE BARRIGA DE DOIS MESES, TÁ MUITO PEQUENA! VOCÊ TÁ COMENDO DIREITINHO?” (em maiúsculas porque a pessoa gritou mesmo e todo mundo que estava a até 4 km de distância automaticamente começou a avaliar minha estrutura abdominal junto com o sem Loção)

Mas olha, Deus é bom. Porque se eu tivesse ouvido isso há poucos dias atrás, correria pro banheiro e entraria em lágrimas depressivas e depois iria pro hospital inventar qualquer coisa pra fazer um ultrassom e ver o Lucas. Só que eu fiz as pazes comigo, com meu corpo e com a minha barriga, o pequeno tá crescendo numa boa e no tamanho certo. Então foda-se se tô com barrigão ou não, né?

Muito bem.

Mas, se você caro leitor, é só um plácido observador da prenhez alheia e não faz idéia do que comentar com uma grávida (mas quer falar no assunto e ser simpático), aí vão algumas dicas:

– Evita falar de tamanho de barriga: “tá pequena”, “tá grande”, “tá explodindo”, “tem certeza que não são dois?” e afins quase sempre serão bola-fora pra alguém. EU, particularmente, AMO o “tá enorme”, mas isso é agora com 19 semanas e 6 dias, em momento de auto-afirmação da pança. Mas tem muita mocinha que ODEIA. Então, barriga de grávida ou é bonita ou não é nada, concordam?

– Se você tiver louco pra saber de quanto tempo a pessoa está barrigudinha, não vejo mal em perguntar, mas tente não fazer cara de IMBECIL caso a grávida te responder em semanas – é assim que ela pensa agora. Também não acho ruim perguntar “mas isso é quantos meses?”, só não siga com aquela cara de imbecil que estava antes, como se a coitada morasse em Marte, onde a vida só acontece em semanas. EU, particularmente e num momento de pouca paciência, já mandei ironicamente pegar uma calculadora e pensar sozinho.

– E se achar a barriga muito grande ou muito pequena pra idade gestacional e sicoçar de curiosidade pra saber se aquilo é normal… ai, não sei. Procura no Google, fofoca com os colegas, mas evitar verbalizar isso pra grávida (que, acredite: é muito mais cheia de neurose e preocupação que você). Se voce tá realmente interessado no tema, experimenta perguntar pra ela sobre tamanho de bebês nessa época, provavelmente ela vai te dizer o tamanho do dela e vai completar com o comentário que ela acha mais apropriado “tem 30 cm, nem parece, né?” ou “tem 15 cm, mas é porque eu e meu marido somos baixinhos, daí é normal ele ser pequeno também”. Acho mais digno.

– “vocês planejaram o bebê?” (nunca ouvi, mas ouvi “nossa, mas você engravidou muito rápido, sua danada/sua safada/sua coelha”): acho essa uó. Eu mesma comento que foi muito rápido engravidar de novo, é até divertido, mas acompanhado do comentário “danada/safada/coelha” é ridículo e eu cheguei a ouvir em ambiente de trabalho. Esse comentário e o do planejamento significam abrir a sua vida sexual/íntima assim, do nada, pra qualquer um. Que porra é essa? “Eu dou pro meu marido, olha que coisa inédita entre seres humanos”! Ou ainda: “não, planejei não e saio falando pra geral que sou irresponsável mesmo, he-he”. Acho que comentários desse tipo devem partir da grávida e não do resto.

– Mão na barriga, barriga na mão: essa é muito polêmica. Tem moça que ama, tem moça que odeia. EU, particularmente, não ligo, acho bonitinha a atração que as pessoas tem pelo voluminho, acho demonstração de carinho. Mas que é meio estranho, ah é. Ninguém pega em barriga de ninguém à toa, só na das grávidas. Então é meio doido aquele rapazinho que só te dava “bom dia” no trabalho chegar chegando com o mãozão pra cima de você. Tenho uma amiga gravidinha que odeia com tanta força que chegou a pensar em fazer uma camisa com os dizeres “don’t touch this”. Então, povo, bota a mão se você sentir intimidade ou sentir abertura da grávida pra isso. Mas se é colega do corredor da firma, eu diria que melhor não.

– Escolha de nome do filho alheio: mesma coisa da barriga, ou é bonito ou não é nada. Se a pessoa perguntar a sua opinião, seja sincero, mas sem ofender: “ah, curto mais nomes pequenos/duplos/americanizados/abrasileirados”. Evitar fazer cara de espanto, dar risadas, essas coisas chatas.

No geral, gentem, eu acho que, se você tá realmente interessado em bater papo com a grávida sobre a gravidez, escute o que ela tem a dizer (tá, eu sei, ás vezes é demais) que ela certamente vai te dar o tom da conversa (até mesmo se ela não tiver afim de falar do assunto – porque pasmem: ela pode ter outros interesses além do filho!).

Moças gravidinhas e mamães do meu braséu, concordam?

(ah, uma última: eu trabalho dividindo sala com um monte de homem e eles vivem falando de cocôs e peidos e paus e outras coisas aleatórias. E rindo. E eu aturando na boa. Aí, outro dia, eu fui mostrar meu umbigo saltadinho e eles fizeram cara de nojinho, tipo “too much information”. O que se diz numa hora dessas? Vaitománocúseumontedeviadonojento, foi o que pensei. Né?)
/
/

37 respostas em “Conversando com uma grávida, inspirado na Luíza

  1. hahaha adorei!
    Mas olha, Carol, eu acho que é importante deixar bem claro que é bom a pessoa ter CERTEZA que a mulher em questão estar grávida. Pq uma vez, no supermercado, perguntaram pra minha mãe de quanto tempo ela estava grávida (eu devia ter uns 8 anos) e ela ficou muito muito muito fula da vida… hahaha não é pra menos né.
    Por sorte, minha mãe conhecia a pessoa que perguntou e sabia que ela nao estava grávida, e soltou na lata: estou grávida do mesmo tempo que vc! E saiu linda e loira, empurrando o carrinho de supermercado e me puxando pela mão…
    E por um momento, eu cheguei a ficar feliz, achando que ia ganhar um irmãozinho, até eu entender o que estava se passando…

  2. Posso falar?? Vc vai acreditar??
    Pois bem
    Eu ainda quero fazer uma camiseta -FAVOR, NÃO TOCAR.
    Sim, odeio o toque na barrigola a um ponto inimaginável…rsrs. Tô com a sua amiga e não abro.

  3. Hehehe, eu até que tolerava a mão alheia na barriga, desde que a mão alheia fosse de alguém conhecido. Mas bizarro mesmo foi quando num shopping super movimentado um amigo da minha mãe que eu nunca tinha visto na vida me tascou um beijo na barriga. Quase enfartei. Totalmente sem noção. Que nojo, e ainda sobrou pra coitada da minha mãe que ouviu no lugar do lacaio. Beijo querida.

  4. hahahaha, dorei!

    – isso é barriga de menino (a);
    – vc nunca mais vai dormir na tua puta vida;
    – já apareceu estria? olha, quando a barriga coçar são elas (as estrias) brotando de baixo da pele (tudo isso dito com ar de "aguarde")
    – que? 41 semanas??? e já não passou da hora, não??
    – noah???? mas e se for menino???

    beijo na barriga linda! (eu posso, não?)

  5. Carol, comigo os sem-noção master atacaram mais para o final, quando O MUNDO resolveu que eu deveria parar com essa bobagem de parto normal e marcar logo uma cesárea, pelos seguintes motivos:
    – seria mais seguro para a bebê, afinal, o filho da amiga da tia da prima da vizinha morreu / teve uma complicação terrível por causa de parto normal
    – seria muito mais seguro para mim, porque a conhecida da colega da manicure morreu / teve uma complicação terrível por causa de parto normal
    – é muito melhor filho canceriano que leonino (e eu tinha vontade de perguntar se era pior ser leonino ou prematuro)
    – é importante ir para a maternidade maquiada / escovada / de unha feita, para aparecer bonita na foto
    – porque estava demorando muito (detalhe que a Helena nasceu de TRINTA E NOVE SEMANAS) e o sem noção não aguentava mais esperar
    – eu deveria poupar o meu marido de ver a minha prochaska expelindo um bebê (é, a falta de noção alheia chegou neste nível de invasão)
    Olha, dê graças a Dios por estar na Argentina, onde todos acham óbvio que o Lucas vai nascer de parto normal.
    Porque o trauma da falta de noção alheia no final da gravidez foi tão grande que eu esqueci da chateação do começo (exceto de duas velhotas desconhecidas que tacaram a mão na minha barriga no meio da rua, eu subindo e elas descendo).
    Agora… que mariquinhas esses caras do seu trabalho! Socorro! Chiliquinho por causa de um umbigo estufado… tsc tsc tsc.
    Beijos!

  6. Carol,
    acompanho vc há algum tempo e sempre leio tudo… e adoro! nunca comento porque normalmente mil e duas pessoas já disseram o que eu queria falar… achei sorte ter chegado aqui tão cedo hoje!

    concordo com tudo! incluo um:
    – de novo? já?
    quando fiquei grávida pela segunda vez cinco anos depois da primeira oO!

    Detalhe: esta pessoa não me conhecia quando fiquei grávida da primeira vez… não tem MAIS NADA para soltar, fica calado, pô!

    eu soltei um "tá doido? até parece que tenho doze filhos!" ele ficou sem graça…

    Abraços

  7. hauihuhauah, mais um comentário… lembrei agora que odiavaaaaa com todas as letras que colocassem a mão na minha barriga, me sentia uma retardada e achava aquilo uma invasão de privacidade.. lendo este post revivi muitas coisas da minha gravidez. Beijos e parabéns pelo baby, pelo blog e pelo post!

  8. Com 20 semanas minha barriga era minúscula, mas eu já colocava foto no blog dizendo que era enooorme (porque era assim que eu a via, na época! KKK).

    Era bem doido, uma vizinha dizia que a barriga tava muito grande "tem certeza que não são gêmeos" e eu respondia que era só um, mas o pinto dele era enorme! Dois minutos depois alguém dizia que era pequena, minúscula etc.

    Não sei se tu conheces, mas tem um programinha irado que ajuda a transformar semanas em meses do jeito certo, chama gravidômetro e dá até a data que tu entras em cada mês.

    Beijos

  9. Nossa, que chatice! Tem gente que não se toca, parece que a grávida não é mais uma pessoa, individual, própria, e sim propriedade de todos! Afff.
    Pela minha experiência de ter visto o que aconteceu com a minha mãe (que teve a 4a filha aos 45 anos, quando eu já tinha 20 aninhos), há mais coisas que as pessoas deveriam evitar: Fingir que não está espantado e vendo algum freak show, por exemplo. Vale para: grávida mais velha, grávida adolescente, gravida grande, grávida pequena, etc.
    Aliás, em questão de gravidez com mais idade tem outra coisa a acrescentar, mas só para quando o bebê nasceu: cuidado com perguntar se é "o netinho", etc. Diversas vezes minha mãe voltou para casa irritadíssima por causa disso e perguntando para todos se tinha cara de vovó. 😛

  10. Hahaha, concordo! De todas o que eu mais odiava era pegar na minha barriga, salvo poucas exceções. Tirava a mão da pessoa mesmo, sem a menor cerimônia.

    Mas olha, a babaquice das pessoas NÃO acaba quando o bebê nasce. O tanto de gente estranha, no meio da rua? É de matar. Ontem mesmo num playgroup uma outra mãe VACA chega em mim e pergunta quantos meses a Bebella tem. Eu disse quase 1 ano e ela "nossa, mas ela é muito pequena pra quase 1 ano". Eu: "olha, vc está enganada, ela é muito grande pra idade dela, com 7 meses ela tinha altura de 1 ano, agora nem sei de quanto está." Ela: "ah, deve ser porque ela não anda ainda, aí parece menor", como se minha filha fosse anormal por não andar com 11 meses!

    Ai, ai, tem que ter saco, viu.

    Bjos

  11. Nossa, eu odiava quando passavam a mãe na minha barriga. Eu odeio que gente desconhecida me encoste, de forma geral.

    Agora, Carol, desencana. A tua barriga tá grandona, menina! Tá maior que a minha com a mesma idade gestacional, e de gêmeos! Te prepara, a partir do 7º mês tu vai ver o que a bicha cresce!

    Bjs e te cuida ai!

  12. quando se trata de irritar a mãe o que não falta é pérola.
    e depois que o filho nasce, meu bem, aí começam "é menino?" mesmo quando veem que a cria tem um brinco enorme em cada orelha e está vestida de rosa.
    ou "é menina?" e o filhote está todo moleque de regata e boné.
    ou "dá refrigerante pra ele, lbera os gases…".
    kkkkk
    tem que rir, carolita.

    bjocas

  13. Tô com a Antonella, os comentários sobre amaentação também são bizarros: "mas ela ainda mama? depois dos xxx meses, não faz mais sentido. Ela vai ficar dependente de você ou ter problemas sexuais (OI????)."
    Quanto à mão na barriga, eu sempre devolvia da mesma forma, direitos iguai!
    Beijo!

  14. É Carol… o que não falta é gente sem noção por ai!!!
    Ainda não passei por muitas situações dessas afinal a barriga está começando a aparecer agora e muita gente ainda não sabe!!
    Na minha primeira gravidez tive ZERO de barriga até quase 6 meses e só dava pra dizer mesmo que eu estava grávida com 7, e foi da noite pro dia, então não tive muito tempo pra essas manifestações loucas.
    Mas estou me preparando para as pérolas dessa vez…
    Tinha visto o post da Luíza e adorei o seu também.
    Eu não tenho idéia como eu vou reagir, vou ter que esperar pra ver!!
    Beijinhos

  15. huahsuahauaha
    morri de rir no ultimoq vc escreveu,kkkk.
    Mas olha, sobre os comentarios,
    tem em todo lugar e acho ninguem, isso mesmo NINGUEM neste mundo deve ter se livrado deles.
    Mas q sao comentarios infelizes , sao!
    E sobre passar a mao na pança,
    nao gosto, nem desgosto,kkk, acho so estranho…uma sensaçao estranha rs,
    naos ei explicar!
    E acho MUITA ignoraaaaancia, as pessoas compararem barrigas, gente, se o bb ta bem q importa se è pequena ou grande???
    olha, sem mais comentarios sobre isso,rs.
    bjos flor.
    te sigo , mas meu blog e privatizado, qq coisa meu e-mail è:
    bb1303@hotmail.com

  16. Amiga amei seu post , realmente é irritante pessoas sem noção, agora falando sério , percebir que a grande maioria odeio que peguem na barriga , mas eu gostava , tanto que meu irmão mais novo dormia com o dedo na boca e outro no meu umbigo . kkkkkkkkkkkkkk

  17. Carol eu li o post da luiza e o seu vai de encontro ao momento "grávida" em que estou. Tô enjoada igual uma camela sem água no deserto do saara, tô gorda, to feia, eu tô tudo que vc pode imaginar, entretanto, eu concordo contigo: A gente não tem que ficar aturando pessoinhas alheias à nossa vida falando as asneirinhas que eles bem entendem. Ah eu sou do tipo chatinha "não me toque mesmo", não gosto que coloquem as patinhas na minha barriga! Acho pura falta de "Noção". Afff…

    A minha sogra fica me perguntando o sexo e aí eu digo, querida só lá pela 20ª semana e ela diz: mas quando será isso? Oi?

    Tá bom né!

  18. É foda! É um sem noção atrás de outro, god, como pode! Mas a gente tem que aprender a fazer cara de paisagem e deixar a coisa rolar. Pra mim o que mais pegou foram:

    – nossa, tem certeza que é só um mesmo?
    – meu deus tá enorme sua barriga né?
    – se prepara que você vai inchar muito mais, até não aguentar andar!
    – você engravidou na pior época, deveria ter pensado antes, verão é fogo
    – parto normal? meu deus, quanta coragem!
    – acho que sua bebê vai nascer com mais de 4 kilos vai te estourar inteira (coitada de vc!)

    e as mãos na barriga arfe como incomoda… e tem gente que é capaz de ficar hoooras conversando com vc e com a maldita mão lá…

    Some não do msn. saudades, rs.

    beijo-beijo

  19. Assino em baixo Carol! Os que eu mais odiava eram os comentários sobre o tamanho da barriga, quantos quilos eu tinha engordado já e se tinha sido planejado. Oó!
    Adorei seu manual para observadores da prenhez alheia!
    Beijos,
    Nine

  20. kkkkkkkkk
    povo sem noção master mesmo!!!
    eu também ouvi cada uma quando gravida que se tivesse anotado dava um livro…
    mão na barriga eu não ligava, desde que fosse pessoa intima… agora o povo chegar e ficar te alisando sem nem mesmo te conhecer direito nóm dá!!!!
    BJooo

  21. O que mais me irrita são as pessoas que ficam contando para vc o quanto o próprio parto, ou da filha da amiga da vizinha da prima da tia da cunhada foi horrível, das complicações que teve, etc. Falta de tato total! Vc já ta pirando com o parto e ainda tem que ficar escutando esse tipo de coisa???? Se quer contar, conte as coisas boas, ou coisas para agregar, e não histoias horríveis! Mariana

  22. Essa da mão na barriga tem uma série ainda muuuito pior: aquelas pessoas que LEVANTAM A SUA BLUSA pra por a mão na sua barriga. SIM, essas pessoas existem. Uma vez fizeram isso no trabalho. Eu fiquei com vontade de dar um soco na cara do serumano. Colocar a mão por cima da roupa eu não ligo, mas levantar??? é muita falta de noção, nénão?
    E sobre os nomes alheios concordo plenamente: se não gostou do nome que a pessoa escolheu, isso é um problema seu e você não tem que se manifestar. Minha amiga que colocou o nome de Nina na filha pegou ódio de tanto que ficaram falando pra ela que não gostaram, que isso é apelido, etc. Também acho uma falta de respeito enorme.
    Beijos

  23. Carol, não me incomodo com a mão na barriga, mas só as pessoas conhecidas põe a mão na pança… Se algum desconhecido resolvesse alisar minha barriga ia levar um fora, com certeza. rsrsrsrsrs

    O que eu mais odeio é a pessoa perguntar quantos quilos você engordou ou se está se cuidando para não ter estrias… Parece que estão desejando que você engorde muito e que fique rasgada de estrias. Tenho até vontade de me benzer na hora. hauhauhauahau

    Sua barriga está ótima, linda mesmo. Não tem que se preocupar com isso mesmo não.
    Beijocas

  24. ótimo post! hehehe Eu já tive até um "episódio" aqui no trabalho por conta de comentários sem noção. No início, eu não tinha barriga de grávida, só agora (7 meses) as pessoas notam com certeza q a pessoa aqui tá esperando um baby.

    Mas, enfim, em um belo dia no trabalho, eu começo a ser o tema de discussão da mesa de almoço: "nossa, mas vc nem parece q tá grávida, só q engordou um pouco, blablablawhiskassachê…". TODOS falando da minha pessoa (eu q já não gosto muito de ser o centro das atenções). Só q especificamente nesse dia estava me sentido a pior dos seres humanos, disforme, gorda, esquisita… E aquele papo só confirmou o q eu estava pensando: vc está com corpo de gorda e não de grávida, dona Liza; pode se sentir péssima mesmo pq isso não é coisa da sua cabeça, vc realmente está feia. Enfim, péssimo… Rolou até um início de choro em plena mesa de almoço…

    Outras coisas tb irritantes, mas não tão trágicas: passar a mão na barriga e não perceber onde ela termina, chegando a quase encostar na dita cuja! hehehe Isso realmente aconteceu comigo e ainda bem q foi a irmã da minha sogra. Só que não deixou de ser constrangedor na hora e assunto de piada depois. A pessoa não só colocou a mão na barriga, mas fez carinho percorrendo toda a sua extensão. Só q a barriga era pequena, nem tinha essa extensão toda e aí já viu, né? Foi quase assédio sexual. rsrsrs Só q essa tia é mais velha, tem quase 70 anos e a gente perdoa essas coisas com velhinhas simpáticas. 🙂

    Tb irritam pessoas que perguntam se o quartinho tá pronto, se os preparativos estão todos em dia. E se não vai ter quartinho, como é o meu caso? Eu moro num quarto e sala e não deu pra mudar antes do filhote nascer, ora. Faltou "tempo"… Além disso, os demais preparativos estão todos atrasados (afinal, eu trabalho, tenho uma vida social q eu pretendo curtir um pouco antes do bebê nascer pq dp vou ficar meio em off por alguns meses, não decidi ainda algumas coisas, meu corpo tá cansado demais pra fazer tudo ao mesmo tempo e tem dia q eu só quero ficar quietinha). Enfim, pra uma pessoa q já tá mega ansiosa, q tá doida pra arrumar o ninho pra receber seu pintinho, não é a melhor coisa do mundo relembrar q o cronograma está atrasado.

    E eu imagino q deve ser foda alguém falar no pai da criança se por acaso a mãe for solteira: "ah, o pai deve estar super feliz, né?". O que a criatura responde numa situação dessa? "Não, ele tá puto comigo, me largou e não quer nem ver o filho"…

    Portanto, a minha dica é a seguinte: não pergunte nada ou comente qualquer coisa com uma grávida com quem você não tenha intimidade ou um mínimo de conhecimento sobre seu histórico. Se for pra puxar conversa sobre o assunto, deixa q ela puxe, a não ser q seja para elogiar a grávida em questão (e mesmo assim vc pode errar, pq a pessoa pode estar simplesmente gorda e não grávida)…

    Ah, e não deixa de gravar a morfológica!!! É a ultra mais legal, que demora mais, q vc vê tudo do bebê!!!

    bju,
    Liza

  25. Adorei o post e me identifiquei!
    Estou de 16 semanas e já escutei cada uma…
    Pessoas que ficam contando casos horríveis de abortos, má formação e uma infinidade de desgraças;
    Pessoas que falam: isso é só o começo, vai piorar muito…
    Ou então: aproveita agora pq vc nunca mais vai dormir…
    Ultimamente tenho dado vários foras e pronto.
    Ah, povo mais sem noção, sai fora!
    vc está linda, relaxa e aproveita.
    Bjs

  26. Concordo em TUDO…em gênero, número e grau…cada grávida tem duas particularidades…então vale a pena dar um pensadinha antes de ir passando a mão, ir falando qquer coisa..etc..etc..

    Agora esses teus "coleguinhas" de trabalho hein!?Vamo combinar…falar de pau é bacana…agora um umbigo saltadinho é nojento???!!!E peido???Entra em que categoria!!!???

    Fala sério…
    BJS…

  27. Amei o post Carol! Infelizmente, os sem noção não param por ai… Ao nascer, vem aquelas pérolas:
    "Mas o neném não saiu dai, sua barriga continua enooooorme!"
    "O neném é pequeno/grande/branco/amarelo demais, o meu era assim/assado"
    "Dá chazinho/café/afins porque leite materno não sustenta"
    "Seu filho não dorme a noite toda? O meu dorme das 22h as 8h sem acordar uma única vez" e por ai vai.
    Bom, poderia citar mais umas dezenas, mas não quero te assustar. Sabe que meu médico mesmo me avisou disso? Que sempre tem uma sem noção comentando que fazia o oposto de você só pra se mostrar. E eu pergunto: "Pra que meu Deus?".
    Bom, mas isso é assunto pra posts futuros. Curta bastante sua gravidez e ria dos nojentinhos que não gostaram do umbigo saltado.
    Beijos!

  28. O povo fala mais que a boca mesmo.
    E a barriga deslancha a crescer mesmo nas ultimas semanas, é uma coisa incrivel rsrsrs.
    Mais relaxa e pensa que tá tudo ok com vc e com o Lucas.
    bjks

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *