Fico pensando sobre os bons tempos em que eu escrevia aqui sem pensar muito. Em quem ia ler, no que iam dizer. Os tempos mudaram e agora eu penso.

Eu penso muito, eu penso em tudo.

E os tempos mudaram.

Trouxe coisas que precisam ser olhadas com calma. De perto, sem pressa. Então, estou assim. Olhando, no seu devido tempo. Pra tudo tem tempo. Hoje, é tempo de prestar muita atenção no que há de mais incrível. O meu amor.

Eu o vejo crescendo e ele nunca parou de crescer na minha casa. Mesmo quando se pensou perdido, o amor continuou.

Deu uma volta, mudou de jeito, de rosto, de mês, de semana, de dia. Mas esteve ali, sempre. O meu amor.

Está.

É.

***

Hoje tive minha última aula com a professora de espanhol. Porque eu já sei falar espanhol. Porque eu ainda tenho muito que aprender, mas nosso ciclo ali terminou. Porque ele está preste a ter seu filho e vai sair de licença.

Hmmm.

Tantas coisas aconteceram entre a gente que foram tão além da gramática e das pronúncias que aprendi. Rimos, choramos, engravidamos, perdemos. As duas viveram isso. E as duas recomeçaram. E agora as duas seguirão seus caminhos.

Essa última aula foi como qualquer outra, mas a gente ria de um jeito nervoso, como quem tenta aproveitar o que está por terminar, como quem finge que aquilo não está acontecendo. Tentei contar pra ela um pouco mais de mim. Ela também. Me disse que estou na lista das pessoas que devem ser avisadas quando o filho dela nascer. Eu fiquei feliz e disfarcei uma lagriminha. Ela disse que quer me ver de barrigão. Vai ver.

Tentamos minimizar a tristezinha e a saudade. Com frases do tipo “a gente vai se ver”, “que trabalho que os bebês devem dar”, “coma direitinho”, “até semana que vem”. Levei um presentinho pro filho dela. Ela ficou vermelha, um pouco sem graça. Acho que gostou. Eu queria escrever um cartão, com coisinhas em espanhol que sei que a fariam feliz. Mas eu sou envergonhada. Eu sinto e corro pro blog, mas não falo na cara da pessoa. De qualquer forma, falei da minha intenção e ela já gostou. Eu também gostei.

De tudo.

Valeu a pena.

***

Que foda poder olhar pra trás e ver e sentir e acreditar que valeu a pena mesmo.

Ai, ai.

/

/

14 respostas em “Amor

  1. Penso, penso, logo, existo.

    às vezes é necessário que as palavras o pensamento percorram um caminho maior que da cabeça a mão. às vezes as palavras precisam ser mastigadas e processadas para que façam sentido. mas elas estão sempre ai, para mostrar para gente que tudo vale a pena, que viver vale a pena e que o amor sempre chega, de diversas formas.

    beijo, beijo!

  2. Amor é assim. Está lá mesmo quando não está. E quando a gente acha que ele não existia, ressurge transformado.

    Tô torcendo pra sua professora de espanhol ser leitora do teu blog. Ela é, né? Pra poder saber tuas palavras, pra eu poder desejar pra ela toda sorte do mundo. E pra você também. Nessa nova condição de hispanohablante. Responsa, hein?

    Beijo grande

  3. Carol, vc é linda. Por dentro e por fora.
    Passamos por situações parecidas, em vários momentos.
    Também estou no sofrimento solitário de quem perdeu um filho e já não pode/deve ficar se queixando porque o resto do mundo já superou.
    Às vezes eu também penso ter superado, eu QUERO isso, mas a dor é latente, talvez eterna.
    Só sei que te acompanho há poucos dias, mas já 'te li' de cabo a rabo, pra conhecer cada etapa.
    É estranho ler nossa própria ingenuidade que antecede os fatos, não é? eu sinto isso quando leio as coisas que escrevi um pouco antes de tudo, mas eu sou à moda antiga, escrevo em diários de papel.
    Enfim, estou comentando agora, pela primeira vez, para que saiba que te admiro muito; pra te dizer que vc é uma pessoa fantástica, e que eu espero sinceramente que vc saiba disso.

    Com muito carinho, Letícia 🙂

  4. Imagino o tantãoo de coisas que não passaram na sua cabeça, além do que vc escreveu …
    O amor tras alegria ao nosso coração e ele existe de tantas maneiras, até nas coisas mais simples (principalmente) e só quem tem um coração aberto consegue enxergar isso…
    Um BeijO
    Se cuida
    Fica bem ..

  5. Esta sua frase "Mesmo quando se pensou perdido, o amor continuou", me lembrou o refrão de uma música do Nando Reis, "Quem vai dizer tchau". Conhece?

    "A gente não percebe o amor
    Que se perde aos poucos sem virar carinho.
    Guardar lá dentro amor não impede,
    Que ele empedre mesmo crendo-se infinito.
    Tornar o amor real é expulsá-lo de você,
    Prá que ele possa ser de alguém!"

    O que me faz pensar que amar é um exercício diário, lapidado com acontecimentos, com fatos, e que a gente precisa exercê-lo para possa ser uma pessoa melhor.

    Bjs!

  6. vc é muito bonita Carol, e que bom que o Amor sempre triunfa né?
    sei que vc e a professora de espanhol/amiga irão ainda se encontrar muito… são aqueles encontros especiais que acontecem e que vc nunca perde o contato…
    Acho que vc tá num momento bonito! Aproveita ele! bjs

  7. Oi Carol, sigo teu blog a pouco tempo, mas te admiro tanto que parece que ja te conheço…..engraçado né? gosto bastante do jeito simples e verdadeiro com que você escreve acho que é por isso!!!!! Ahhhhh outra coisa tbm, você mora em Buenos Aires né? sou APAIXONADAAAAAAA por esta cidade!!!!! Na próxima vez que for ai, te aviso quem sabe a gente não se conhece pessoalmente!!!!
    Parabéns pelo 1 ano do blog!!!!
    Abraços
    Carine

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *