Esta semana, comemorei dois anos de vidinha em Buenos Aires.
Comemorei sim. Não simplesmente “fiz” ou “completei”, porque morar em outro país é uma experiência única, pessoal, intransferível e incomparável. Que deve ser celebrada.

Pra mim, é óbvio agora que eu não poderia passar por essa vida sem a experiência de morar fora do Brasil. Como não posso passar sem filhos, sem viajar pra Ásia, sem comprar um carro (juro que nunca tive carro comprado com meu dinheirinho!), entre outros must haves e must dos da (minha) vida.

Eu queria muito escrever um puta post sobre Buenos Aires e nossos dois anos de relacionamento, o lado bom, o lado ruim. Queria contar pra vocês como foi que vim parar aqui. Como eu acho que Buenos Aires é só minha, foi feita sob medida pra mim e mais ninguém. Que quando chega uma visita é algo que invade tão profundamente a minha realidade que eu demoro dias pra voltar ao normal. Que quando vou ao Brasil, quero voltar loucamente e não quero voltar nunca mais. Mas voltar pra onde? Se a minha sensação é de estar sempre indo?

Buenos Aires me deu e me tirou a maior alegria da minha vida. Aqui fui profundamente feliz e profundamente triste. Já não sei mais o que fazer com tanto sentimento. Que, pra mim, inunda as ruas, avança sobre os prédios bonitos, está pelas ruas de Palermo que eu amo, nos doces de leite viciantes, nos vinhos que me embriagam, nos alfajores que eu nem gosto.

Ainda não sei o que fazer com tanta coisa. Nem com Buenos Aires, nem com a vida, que insiste em continuar. E eu, no meio disso tudo e quase que sem perceber, fico pensando em voltar. No tempo. Pra casa. Pra mim.

Mas, como quase sempre faço, apenas deixo o pensamento voar, escolho uma música que me acompanhe e sigo em frente.

Pero el viajero que huye
Tarde o temprano detiene su andar
Y aunque el olvido, que todo destruye,
Haya matado mi vieja ilusión,
Guardo escondida una esperanza humilde
Que es toda la fortuna de mi corazón.

8

8

23 respostas em “Volver

  1. Que bom que você comemorou, Carol!
    Datas como essa tem mesmo é que ser comemoradas, acho que todo mundo que mora fora do Brasil, ou até mesmo da cidade que nasceu, de uma certa forma tem duvidas, alegrias, saudades, certezas e incentezas e o pensamento de "voltar" sempre chega e vai e volta.
    No fundo mesmo estando bem onde se está, é um alivio pensar que sempre temos um lugar pra voltar.

    Parabéns pelos 2 anos!

    muitos beijos

  2. Carol, nem ouvi a música agora, por que só com suas palavras, chorei. É, aliás, estou chorando. Como podemos nos emocionar, nos envolver com a história de alguém que só conhecemos por textos? Com alguém com quem nunca troquei uma única palavra? Mas eu sinto. Venho sentindo, por tudo que passou e sei que ainda passa. Que dias melhores cheguem logo e toda esta capacidade de amor possa libertar-se.
    Um beijo.

  3. hummm confesso que não sei muito o que dizer. Eu acho que morar fora do Brasil deveria ser uma experiência na vida de todo mundo… eu bobinha recusei quando meu pai me ofereceu aos 14 anos. Mas como tudo tem prós e contras nesta vida, acho que o mais importante vc já está fazendo, que é curtir, sofrer… viver!
    beijos, ju

  4. Arrasou no Gardel. Feliz aniversário de relacionamento pra vcs dois, com seus altos e baixos.

    Bjos

    PS: No creo que vc não curte alfajor. É tipos pior que eu que não gosto de brigadeiro, nem de vinho, nem de salmão. Juro.

  5. Ai Carol! Parabéns!
    Eu amo esse lugar e ainda quero morar aí por um tempo…

    ai o tango, me deixa loucaaaa. vontade de sair dançando pelas ruas.

    o vinho, a media luna, o dulce de leche, os bosques de palermo, palermo, os cafés, as lojas, as ruas, os passeadores de perros, as comidas…

    da próxima vez que eu for praí vai ser mais legal ainda, vai ter tu (a menina do muco, da flanelinha, do beagle). hahaha

    besitos

  6. Já pensou em trabalhar numa agencia de turismo?? Seu texto apaixonado, repleto de sentimentos nos faz viajar e surge uma vontade doida de pegar um avião rumo a Buenos Aires e seus cheiros e sabores… ahhhh.. memata!! Vou dar uma passadinha ali no Havanna e me deliciar um pouco com alfajores, porque sim EU AMOOOOOO!

    Parebéns Carol!! Feliz 2 aninhos fora do Brasil!

  7. Querida, a trip foi o must, Buenos 1 dia e 1 noite apenas foi o máximo, pra mim, melhor que bariloche, mas enfim…sou suspeita…rs adoro palermo viejo e suas lojinhas, cafés, os restôs de puerto madero… bom acho que volver está dentro de nós sempre, aqui, acolá, a gente sempre acaba voltando pra gente… um beijo… nÃO foi desta vez que nos conhecemos! bjs

  8. Morar fora é simplesmente a melhor coisa que pode acontecer na vida de um brasileiro. Eu não me arrependo e faria tudo de novo, se o maridão topasse né, porque eu insisto e ele insiste em negar. Diz que sou louca e a essa altura do campeonato nosso lugar é aqui no Brasil mesmo. E mesmo assim fico querendo mudar. De cidade por exemplo. Quero morar no Rio e quem sabe ser sua vizinha um dia! rs
    Quando você disse que Buenos foi feita pra você, sob medida, é exatamente isso que sinto com a querida Barcelona que me abrigou por quase 3 anos. Foi feita pra mim e mais ninguém. E se puder um dia volto pra lá, sem dúvida nenhuma. E nem que tenha que sequestrar marido e filho. Rá!
    Te adoro, gatona!! Você é essencial pra minha vida!
    beijoca e uma ótima sexta!

  9. Lindo o post, Carol. Adoro histórias de quem migrou. Faz um post explicando como vc foi parar aí, vai?! Adoraria ler. Adoro mesmo saber o que leva uma pessoa a outro lugar, a outra cultura, e o que ela sente depois de alguns anos por lá.

    Um beijo grande em ti. Em breve conhecerei sua Buenos Aires. hehehe

    Beijos

  10. Ah, que delícia! Eu tenho muita vontade de conhecer Buenos Aires! Quem sabe um dia, né?

    Eu nunca morei fora do Brasil, mas atualmente estou morando bem na fronteira com o Uruguai, o que nos dá muita mistura de costumes e estou bem mais pertinho daí!

    Comemore, comemore, sempre e muito!

    Beijos!

  11. Tô bem no seu clima esses dias. Claro que estou no mesmo país, só troquei de estado. Mas acredite em mim: sair de Minas e morar em SP é quase o mesmo que estar em outro país!

    Beijos

  12. Caramba, cheguei aqui através daquele post do muitosecreto e entendi todo aquele sucesso que a Mari tinha dito. Que blog más rico de ler! E que vontade de acompanhar as baby-bobeiras e ir voltando e lendo os post passados e uma sensação de “onde é que eu tava mesmo que num tinha passado por aqui antes”! (bem, digo que toda essa coisa de blog ta só começando aqui pra mim e há menos de um mês era algo de lá loooooonge, e ta crescendo num ritmo assustador que imagino familiar pra quem ta lendo isso aqui, num é?).
    Com certeza voltarei!
    E quanto ao post, poderia descrever os arrepios que me visitaram lendo mas acho que precisa não, né?
    Beijos e obrigada, viu Carol!
    Natalia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *