Gentes, mas antes: eu tô com uma gripe DO MAL desde sábado. Na segunda piorou demais (e ainda por cima eu tava naquela deprê) e eu estou sem ir ao trabalho desde então. Hoje dei uma leve melhorada, mas mesmo assim, ainda sigo trabalhando de casa, com fotofobia, tosses, espirros, dores no corpo, corisas e demais sensações deliciosas que só uma boa gripe pode te dar. Enfim.

Daí até estive com a minha sogra em duas ocasiões desde que ela chegou em Buenos, mas eu não tinha forças nem pra ficar em pé, quanto mais pra falar de métodos contraceptivos (até porque o meu tem sido GRIPE, é ótimo, funciona super bem).

Maaaas. Ontem de noite ela teve aqui em casa. E a gente tirou vááárias garrafinhas de vinho da adega pra simostrar pra oferecer e daí a coisa rolou (uia!).

Eu deitada no sofá espirrando e usando mil lenços de papel, Maridón na fanfarronice, Sogrona degustando vinhozinho e eis que… surge o assunto da Flanelinha (não sabe do que eu tô falando? Leia a primeira parte desse causo aqui).

FLANELA


Do dicionário web (eu consultaria o Aurélio ou o Houaiss se os tivesse):

flanela (fla-ne-la)
s. f.

Tecido feito geralmente de lã macia ou de fibras de lã penteadas. A flanela também pode ser feita de algodão ou raiom. Algumas flanelas, como a flanela para roupas de bebê e a flanela para vestidos finos, são delicadas. Outras, como o tipo usado para camisas pesadas, são grossas e rústicas.

Da cabeça desta que vos fala:

Paninho de limpeza. Amarelo-alaranjado. Nunca vi vendendo em loja. Assim como os rolos de papel higiênico e os paninhos Perfex, já nascem ali onde estão, por geração espontânea. Mas, se alguém encontrar para comprar, provavelmente já os trará da loja com cheiro de Poliflor, que era o uso que a minha mãe dava: limpar móvel de madeira com flanela besuntada no Poliflor.

OU

Flanelinha: rapazinho chato que te ajuda a estacionar o carro e que teoricamente fica cuidando da segurança do veículo enquanto você está fora – e te cobra (muito) por isso, lógico. Existe em grandes quantidades, principalmente no Rio de Janeiro, minha cidade natal. Quando eu morava lá, achava que eles também nasciam por geração espontânea, como o rolo de papel higiênico e os paninhos Perfex. Só que em velocidade reprodutiva muito maior, afinal sempre tinha um porra dum flanelinha mala esperando pra arrancar o seu pobre dinheiro enquanto você ingenuamente estaciona seu carro. E não, infelizmente eles não tem cheiro de Poliflor. Aqui em Buenos Aires não tem muito Flanelinha não, mas eu já vi e prontamente quis sair correndo (e o olha que eu estava de taxi, pra vocês verem o tamanho do trauma).

Dos conhecimentos milenares da minha sogra:


Método contraceptivo das antigas. Uso masculino. Conta a lenda que o avô do meu marido usava esse método (percebe-se que não é muito eficaz, visto que ele teve 4 filhos). Propriedades: não faz sujeira e mantém a área quentinha. Modo de usar: é um avanço do coito interrompido, na verdade. O rapazinho tá lá no meio da ação e sente que chegou sua hora de terminar o serviço (gozar, em português mais claro). Ele prontamente retira o meninão da amiga (deu pra entender isso? To péssima no papo erótico. Empregador, por favor não me demitir). Então, em vez de exibir o meninão aos 4 ventos e gozar ao gosto de sua vontade de sujar o que tiver pela frente, ele enrola o meninão na flanela (sem cheiro de Poliflor) e termina o serviço ali, de forma segura, limpa, indolor, sem som, sem nada. Um gentleman da esporrada, não incomoda ninguém e não tira (quase) nada do lugar. E, como bônus, o meninão fica todo reconfortado ali na flanela quentinha, mantendo por alguns momentinhos mais a sensação de torpor pós-coito.

(e sim, é inacreditável que eu tenha conversado sobre isso com a minha sogra com tamanha riqueza de detalhes. E ainda por cima publico no blog. E ainda por cima acho normal. Ai ai)

Querido internauta que caiu aqui por acaso: não leve nada disso a sério. Tá procurando método pra não engravidar? Recomendo: camisinha (a melhor amiga do sexo seguríssimo), pílula, DIU, camisinha feminina, entre outros (consulta aqui, ó: http://www.metodoscontraceptivos.com/).

Agora vou voltar pra programação normal deste blog, que é totalmente PRÓ-BABYS, né gente?
*
*

30 respostas em “A flanela – desvendando o mistério

  1. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Vc e suas histórias…essa da flanelinha pra mim era novakkkkkkkkkk
    Agora esses flanelinhas q se dizem guardar o nosso carro, Ninguém merece! guarda o q nda!
    Tem uns q até ajudam mesmo a arrumar um tão disputado estacinaento, porém, é mto difícil..aff!
    Agora a flanela, flanela mesmo…essa eu conheço, uso e recomendo.
    bjokas1 e boa semana.

  2. Não…

    Tu deve tá querendo me matar amiga!!!
    Tô quase tendo um troço de tanto rir de imaginar o cara todo-todo…na hora H …tira a "paradinha" de lá…enrola numa flanela…e….pronto!Não sujou nada, não vai engravidar ninguém e o "bichinho" continua continho, num pano fofinho, com a sensação de estar…lá!!!!
    AMEI O POST!

    BJS!

    P.S: Tb acho que a gripe é um otimo metodo contraceptivo..esse mês não vai rolar nada…estou quase uma semana gripadérrima!!!

  3. rsrs… vc é otima pra falar nesse assunto… eu não conseguiria escrever com esse seu jeito bem humorado e descontraido!!! Parabens!!!

    agora foi assim tirando o meninão q eu egravidei do meu menininho!!! realmente se vc quer engravidar ´mas não quer assumir que quer, é so namorar com flanelinha, paninho, lencinho q engravida!!!…rsrs…

    bjs

  4. Ah rá!!!!!

    Imaginei que seria algo disso mesmo!!!

    Enrola o meninão cuspidor e deixa ele quentinho!
    Que coisa fofis!!!!

    Agora fica a pergunta: E aí? Vão usar o método da flanelinha???? hihi!

    Bjs

  5. Que plano maléfico, Carol!!
    Você embebedou a sogra para ela contar tudo e não lembrar de nada depois, né?

    A Flanelinha é praticamente uma camisinha, então. Com a diferença que a camisinha se usa antes, durante e depois e a flanelinha é só no depois… E a camisinha é descartável, a flanelinha não… Vou para de soltar minha doce imaginação.
    Beijão!

  6. Ieca, meio nojentinho, heim?? Quem lava a flanelinha depois??? kkkkk

    Que vinho foi esse mulher??? Fazer a sogra abrir o jogo da flanelinha tá mais para soro da verdade do que pra porre.. hahahaha!!

    Me acabei de rir, melhor explicado impossível!!

    bjos

  7. hahahaha
    Coisas que só depois que temos blog somos capazes de compreender: Estes dias estava em casa e fiquei pensando nas muitas possibilidades da flanelinha… E pensei que um ótimo método contraceptivo com a dita seria um pijama roto neste tecido… Quem se atreve a desejar alguém vestido assim? É semelhante à função da sua gripe, e também é quentinho, como bem afirmou sua sogra!
    kkkkk
    Adorei a resolução do mistério… Ele já me consumia!! kkkk
    Beijos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *