Daí que não teve menstruação.

Claro que eu sei que é uma loucura pro corpo esse momento pós-abortivo, tudo pode acontecer e eu posso menstruar hoje ou daqui a 15 dias. Por isso e, dentro do possível, estou bem calminha aguardando os próximos capítulos.

Mas, como tenho bebido e living a minha vida bem loca, achei por bem fazer um testezinho de gravidez. Eu não estou tentando baby (longe disso) e usei proteção bonitinha, mas sim eu namorei e, putz, quem tá na chuva, acaba se molhando. Até porque, to cansada de ouvir histórias doidas de gente que engravida com camisinha, pílula, DIU, lençol em volta, ziploc, flanelinha ou o que seja. O melhor método contraceptivo é a abstinência, meu povo. Fora isso, tudo é possível.

Caminhando em direção a farmácia, eu fui pensando em tudo que já me aconteceu e na fortíssima sensação de estar vivendo tudo de novo: a expectativa, os testes de gravidez, os falsos sintomas, as grandes esperanças. Pensei nas minhas perdas, nas minhas vitórias, no meu pai que acabou de voltar pro Brasil, no meu marido que nem fazia idéia que eu tava indo comprar teste. Nas pequenas e nas grandes coisas.

Acabei entrando na primeira farmácia que vi e era uma dessas de pedir tudo no balcão. Eu nunca vou nessas, prefiro as que você pega o que quer, passa no caixa e vai embora. Não gosto de ficar falando com o mocinho balconista, sei lá, me dá vergonha.

Mas bem, não tem tu, vai tu mermo, fui naquela que já tava ali. Perguntei quais testes de gravidez ele tinha pra vender e escolhi um. Estava ainda muito distraída e imersa nos meus pensamentos, quando fui interrompida pelo mocinho: “o que você quer que saia nesse teste, positivo ou negativo?”.

Que pergunta boa que ele me fez.

Dentro de tudo que pensei, eu ainda não tinha me perguntado o que eu queria.

No susto, respondi “positivo, claro”. E sorri.

Ele também sorriu e falou “que bom”. Depois me contou que a imensa maioria das mulheres que vai lá comprar teste, está completamente desesperada com a situação, todas querem um negativo. E que torceria pro meu ser positivo mesmo. Me deu a impressão de que estava sinceramente satisfeito que alguém nesse mundo ainda queira ter filhos.

Eu sorri mais um pouco. Atrás daquele meu sorriso tinha tantas coisas… mal sabia o mocinho balconista. Tanto tempo perdido, tempo ganho, sonhos, ilusões, desilusões, derrotas, recomeços, aprendizados. 

Mas, ele não precisava mesmo saber. O que precisava, foi feito. Não me questionou, não julgou, não atirou pedra. Só sorriu e disse que torceria pelo que eu quero pra mim.

Fui embora feliz. Pela beleza de coisas pequeninas como essa.

4

4

22 respostas em “Dos velhos sentimentos, das pequenas alegrias

  1. É amiga…

    Alguém que nem ao menos nos conhece acaba nos fazem bem…pelo simples fato de "torcer" por nós…
    E é assim…um simples sorriso, um simples…"Torço por vc" faz mt diferença…e ainda mais numa hora em que nosso sentimentos ficam misturados….!!!
    Assim como o balconista…e acredite…ainda mais que ele…torço mt, mt, mt, mt por vc Carol!!!!!!

    Seja lá qual for o resultado…seja feliz amiga….

    BJS!!!

  2. Aina amiga….esses testes nos angustia.
    tb se pudesse ñ pediria no balcão, aff!
    tb tô aqui nas argurias de um positivo, mas q porém meu corpo, os sintomas da TPM, da monstra q tá pra vir…estáa aqui firme e forte e tb meu médico q me disse, esse mÊs esqça baby, pq é impossível..aff! ninguém merece! nós já recebos tantas notícias ruins q a M q insiste em os pirraçar e ainda ouvir uma desse de médicos, ninguém merece!
    Em meio aos meus argurios meses de tentante eu só fiz dois testes, um de sangue e outro de farma´cia, haja vista q foi assim q comecei a fzer o tatoo pq a M atrasava, daí qnd comecei a acostumar com o atraso dela, ñ mais cair na besteira de ficar recebendo um newgativo pelos lombos, dói d+.
    bjokas migas e boa sorte.

  3. Oi Carol, eu já trabalhei em farmácia e sempre ficava curiosa como o mocinho, sou desse tipo que fica torcendo pelas pessoas sem nem conhecer elas. Essas coisas pequenas são o que fazem nossos dias felizes. Também torço por você. Um beijão e espero que o tão sonhado positivo chegue logo e vingue dessa vez.

  4. … já dizia o ditado: às vezes, topamos com aquele minutinho de felicidade nas pequenas coisas da vida… tbm torço(cemos) muito muito muito por você!!

    bjs e mais bjs

    Bel

  5. Que texto delicado, Carol

    Dá para perceber a maneira mais branda/sutil que vc tem vivido essa situação.

    E que gentileza do balconista.

    Querida, quando a gente quer muito o universo conspira a nosso favor.

    Bjs

  6. Por mais louco que possa parecer… eu gostaria que desse positivo, porque isso mostraria para gente, como esta vida é louca e que tudo é possível e que a gente não deve perder a esperança nunca, nunquinha!
    beijos, ju

  7. Muito bom saber que ainda existem pessoa educadas e gentis como este balconista, né?

    Mas a pergunta que não quer calar é: qual foi o resultado do teste?!!!

    Estava crente que no final do texto iria ler um lindo positivo!!

    bjss

  8. Bacana seu texto! E mais bacana ainda a atitude do balconista, nunca topei com um gentil e solidário como esse. E olha, fazendo coro com ele: todos que te acompanham aqui também torcem pelo que você quer para você.
    beijo!

  9. Oi Carolzinha!!!
    Sabe, uma vez aconteceu isso comigo. Fui comprar e o cara ficou com aquela cara de "mais uma irresponsavel torcendo para nao estar gravida", dai me falou um Boa sorte, mais foi na maldade sabe? Dai falei obrigada, se der um positivo como eu quero, volto aqui para te contar, ele ficou super sem graça, idiota!! rs
    Mas, como toda treinante doida, mesmo com tudo isso que vc disse de camisinha, flanelinha, etc, quero saber, e o teste, o que deu? Rsrs
    BJOOOS
    To de volta =D

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *