Tá tudo muito bom, tudo muito bem, mas vamos falar de uma coisa mais séria? Estive a semana toda pensando sobre médicos. Fiz a minha primeira consulta de gravidinha na semana passada e não gostei nada. Algumas moças comentaram que é normal, que não tem muito o que falar pra uma pessoa que está de 4 semanas de gestação. Que a próxima será mais completa. OK.

Esse é o segundo GO que tento aqui em Buenos Aires. O primeiro, não sei se lembram, fez uma consulta muito express comigo da ultima vez que fui, desesperada que não conseguia engravidar. Ele disse “calma que o baby já vem” e riu. E me falou pra eu parar de ser ansiosa, que isso era o que estava me atrapalhando. E nem deu bola pra minha prolactina, que estava alta na época, o que poderia estar dificultando a minha gravidez.

Quem me acompanha há mais tempo concorda com ele e gosta de falar que sou neurótica e talz, mas juro que não me sinto tão assim. Não sou das mais tranqüilas, mas acho que minhas preocupações são bem normaizinhas. Inclusive, há um lado meu que pouquíssimas conhecem, que é da minha paquera com o mundo mais natureba. Acho que a gravidez é um momento único da mulher, de conexão com ela mesma. É extremamente sensacional pensar que tem outro ser crescendo dentro de você. Não há nada mais mágico que isso é um puta milagre. Mas é milagre, nao é medicina. Eu nao fiquei grávida porque algum médico falou alguma coisa. Fiquei grávida porque transei com meu marido e ponto.

E eu e Maridón pensamos parecido nesse sentido: já que é tão natural e fisiológico, queremos que continue assim. Com ajuda médica, claro, mas que esse médico nao simbolize A REGRA de como viver a vida, que seja apenas um apoio. Queremos evitar remédios (eu sofria muito com a possibilidade de induzir uma gravidez, embora considerasse a possibilidade), exames, medições mil, comparações, padrões, verdades absolutas. Quero parto natural, com tudo que tem direito (ou sem nada do que tem direito: nada de sorinho, nada de cortes, nada de eu não sentir o que tá acontecendo, nada de meu baby sair de perto de mim). Se eu botei pra dentro sem ajuda de ninguém, me sinto capaz de botar pra fora. Eu, meu marido e demais pessoas de confiança que eu julgue importantes farão parte disso. E se por acaso eu for pra uma cirurgia, vou numa boa, mas tranquila de que fiz tudo o que podia pra não ir.

Aí entra o médico. Porque natural não seria apenas o parto, mas tudo que envolve a gravidez. Queria alguém que me acompanhe sim, mas que me entenda, que me ouça, que vibre comigo e não me deixe sair do consultório com dúvidas. Achei que não era o caso do primeiro médico e seguramente não é o caso do segundo.

Estou meio perdida com relação a isso. Foi apenas uma semana consciente da gravidez e já escutei todo tipo de opinião: pessoas defendendo consultas particulares (porque os planos de saúde que seriam os culpados dos atendimentos-express e sem sentimento), pessoas falando pra eu tomar bastante remédio e fazer tudo que o médico mandar (porque bom mesmo é prevenir todo o possível e o impossível) e até mesmo pessoas que não ligam nada pra isso, que só querem fazer suas ultras e tudo certo (porque o mais legal é ter vídeo pra postar no orkut).

Só que vejam bem: nada disso é uma crítica. Eu acho que os planos de saúde são sim uma puta máfia e pagam honorários ridículos aos médicos, o que realmente inviabiliza a possibilidade deles fazerem um atendimento ok pras pessoas (até porque gente, eles tão trabalhando como eu e você, quem não quer ganhar de acordo com o que faz?). Eu também me sinto relativamente segura tendo mil recomendações médicas e remédios à mão e correria pro hospital no primeiro sintoma de merda acontecendo. E sim, eu também vou achar o máximo postar os vídeos das minhas ultras, por mais que ninguém entenda o que está vendo.

Mas mesmo amando a proposta natureba (sério, eu amo tanto que é papo de chorar lendo os textos), eu sou uma pessoa junkie. Viciada em coca-cola, me alimento mal, quase não como frutas, verduras, legumes. Não faço exercícios e tomo remédio no primeiro sinal de dor de cabeça que tenho. Tá, desde a semana passada, que descobri a gravidez, cortei a Coca, melhorei a alimentação e estou tentando incluir mais variedade nos meus pratos. Também não tomei mais remédios e estou tentando caminhar de vez em quando. Mas daí a degustar grãos e sucos naturais com felicidade no coração… falta um pouco. Estou tentando, mas tenho que admitir que ainda não faz parte de mim. Daí penso: será que esse papo natural não é uma mentira que conto pra mim mesma? Será que eu terei coragem e força pra encarar 30 horas de doloridas contrações quando não consigo encarar uma dor de cabeça?

E qual médico vai me ajudar nisso? Será que aquele meu primeiro que dizia “calma, que daqui a pouco acontece” não tinha mesmo razão? Esse sim pode ser o cara que vai saber esperar o meu momento e vai me apoiar nas minhas decisões. Ele esperou que eu engravidasse normalmente e nunca me medicou pra nada, porque ele sempre soube que eu não tinha problemas.

Estive olhando também os nomes (e preços) dos profissionais humanizados daqui. E juro, ainda estou sem saber o que fazer. Dá pra eu pagar? Dá. Só que não será o único gasto com essa pessoinha que me habita e também tenho uma certa briga moral interna de pagar médico por fora do plano… mas estou pensando com carinho. Recebi um email lindo da Lia (brigada, bonita!!) que me fez repensar bastante esse conceito.

Decidi, por agora, dar uma segunda chance ao meu médico calminho, que me acompanhou nas tentativas e conhece meu histórico. Consegui um horário agora pra quarta-feira. Vamos ver o que ele me diz. Mas, certamente, essa discussão está apenas começando pra mim.

(gatinhas do Hall, amei a participação de vocês, hoje a noite eu atualizo todo mundo, ok? Aqui do trabalho é complicaaado.)

31 respostas em “Sobre médicos e escolhas

  1. Eu acho que você está certa, você tem que procurar um médico que tenha um procedimento de acordo com o que você acredita e acha melhor nesse momento. Acho que o papel do médico durante a gravidez é orientar, tirar dúvidas e até tranquilizar a gestante que se enche de medos infundados (eu era assim na primeira gravidez!!!rs!). O médico tem que respeitar a posição e o desejo da gestante e não o contrário e eu, sinceramente, acho que um bom médico independe de ser ou não através de plano de saúde!!
    Boa sorte na escolha.
    beijos, Re

  2. Pretendo começar a tentar engravidar no ano que vem (super planejada hehehe) e já até parei o anticoncepcional p/ ver se a coisa vai mais rápido quando eu decidir tentar. Aí decidi tb que queria achar um médico (a) já para me acompanhar quando eu começar a tentar… E eu sou super exigente p/ médico. Quero médico que me dê o celular, que responda meus emails, retorne as ligações, que lembre de mim quando me encontrar… Tentei vários de plano de saúde e nenhum cumpriu meus requisitos mínimos. Agora achei uma médica que eu amei, mas é particular e é realmente uma facada! Fico imaginando quando estiver grávida e tiver que ir frequentemente… Sem falar o parto. Mas eu ainda não sei exatamente como funciona, preciso pesquisar também a questão de reembolso de plano de saúde.
    Mas sinceramente? é um momento muito especial e acho que você tem que se sentir muito segura e confortável com seu médico, ainda que isso implique em alguns apertos financeiros… Procura mesmo e só fica com um médico que voce realmente gostar, seja ele do plano ou não! Boa sorte! Tati

  3. Carol, confiança no médico é um item fundamental no processo. Porque de nada adianta você desconfiar de tudo o que ele te falar. Uma amiga ficava me ligando toda hora pra eu confirmar com o meu médico aquilo que o dela tinha falado, vê se tem condições? A confiança tem que ser a tal ponto de vc acreditar inclusive se ele disser que você terá que fazer uma cesárea se for realmente necessário. Se você não confiar nele, vai sempre carregar o peso de achar que foi enganada.
    Não sei como funciona aí em BAs, mas por aqui infelizmente concluo que, por mais que sejam bons profissionais, médicos que atendem convênios nunca terão horas para falar com você em uma consulta.
    Vá em diversos médicos se for preciso, até sentir que "bateu o santo", sabe? Esse é um momento importante na sua vida e que não tem como voltar atrás.
    bjs e good luck

  4. eu acho que é isso mesmo. vc é uma mulher de atitude e não quer simplesmente ser atendida por qq um. que uma pessoa legal pra ter ao lado nesse momento especial. tá certíssima, gata!
    eu, quando engravidei, fiquei mega perdida tb. inclusive quando engravidar de novo ainda estarei pois não topei com alguém ok que dissesse, é esta pessoa. mas vai em frente. quando li o post meio que pensei que vc teria mesmo que procurar o primeiro médico, mais light e sussa. e no final vc só confirmou isso.
    boa sorte, flor. estou aqui pro que der e vier, torcendo e vibrando por você. beijo

  5. Carol, uma dica que dou é procurar médicos através de hospitais que você considera bons. Você busca pelo nome do Hospital e tenta achar nomes de Obstetras que atendam lá. Acho que fica bem fácil… Aí é marcar e ver se gosta, né? Tati

  6. Bem flor como eu te disse nada pode ser usado como desculpa por mal profissionalismo afinal fazer bem o q se faz é gostar e amar a profissão acima de tudo… entao amiga de sim uma segunda chance mas nao se acamnhe de procurar qtos medicos forem necessarios pra te fazer se sentir segura =)

    Bjussss

  7. Ola Carol, conheci seu blog hj atraves da homenagem que a Edi fez para as gravidinhas do mes de maio, então resolvi entrar e te dar os parabens, fui homenageada pela Edi no mes passado qdo consegui o positivo…agora estou com 9 semanas, vou acompanhar seu blog ta?
    bjinhus

  8. Owwwww Carolzita tá certinha muié , tem que procurar um médico onde se confie nele , se sinta a vontade e que pelo menos não seje um zé mané que vc pergunta A , ele responde A !
    E sobre ser um puta milagre crescer um ser dentro de vc concordo é magico mesmo !

    bjô

  9. Carol, procure, sim, um médico de confiança, de preferência um mais calmo mesmo, daqueles que não procuram doenças e anormalidades.
    Tenho algumas sugestões para vc: – Começar a fazer exercícios específicos para o parto (faço ioga e é bom demais) a partir da 12a. semana.
    – Procurar ler os livros "Parto ativo" (Janet Balaskas) e "Quando o Corpo Consente". Se não achar aí, compre no Brasil. O segundo tem no site da Saraiva.
    – Tentar cortar (ou minimizar) mesmo a Coca e as comidas com poucos nutrientes, porque além de uma gravidez saudável, depois vc vai ser exemplo para o seu bebê.
    – Participar de grupos de grávidas que buscam o mesmo objetivo. No Rio, tem o Ishtar (vc pode participar da lista on-line) e deve haver grupos semlehantes em BsAs.

    Se ter um parto natural é mesmo o seu desejo, se permita viver este processo. Eu acredito que seja um processo, estas coisas não vêm de uma hora pra outra e é importante vc se conectar com pessoas e grupos que apoiem a causa.

    [No México, a parteira Naoli Vinaver é referência e certamente conhece gente na Argentina para te ajudar – ela dá cursos para parteiras do mundo inteiro. Googla ela que vc acha o email]

    Beijos e conte comigo para o que precisar (por email talvez seja melhor, pois este comentário ficou gigante)

  10. Oiii Carol, acho que você está no caminho certo, procura esse médico conversa muito com ele e se tranquiliza, é conversando que você vai se sentir segura e saber se é à ele que você vai confiar seus medos e decisões e com certeza dúvidas sempre vai ter e estas sempre vão se renovar. Quanto a alimentação também não sou muito natureba não, gosto de tudo que não pode e de tudo que engorda, rss, ou seja, de tudo que é bom, mas agora, pelo meu tão sonhado baby, estou fazendo esse sacrifício da comida natureba, mas nada radical, aumentei, verduras, legumes, sucos naturais isso tudo que estamos cansadas de saber, não abandonei o chopp, ainda, e diminuí tudo que é muito bom de se comer, que eu amo, me permito só de vez em quando, e a verdade é que a gente acaba se acostumando, e no seu caso vc pode conversar com seu médico tb sobre uma atividade física, aqui as gravidinhas fazem muito a hidroginástica, daí vai da sua disponibilidade e vontade. Bjosss td de bom pra vc!

  11. Carol, só pra compartilhar com você a minha experiência:

    Na primeira gravidez não quis pagar um médico por fora do plano porque achava um absurdo, embora, no fim das contas desse pra encarar, financeiramente falando. Procurei, dentre aqueles do plano, um que tinha uma certa fama de fazer partos normais, coisa e tal. O resultado é que acabei na faca e fico com essa pulga atrás da orelha: será que a cesárea foi mesmo necessária?
    Dessa vez estou com um médico ultra-mega-pró parto normal. Estou pagando tudo particular e acho que vale a pena. Se não der certo no final, vou estar com a consciência tranquila de que fiz tudo que estava ao meu alcance.
    Se a grana não for um impeditivo, acho que vale (muito) a pena investir no médico e na equipe humanizada, se é isso o que você quer.

    beijocas

  12. Parabéns!!!
    Fiquei muito feliz com a notícia!
    (Tá, sei que vc não me conhece, mas leio teu blog sempre e torcia muito por vc!)
    Parto natural rules…
    Um profissional de confiança nessa hora é tudo.
    Beijo!

  13. Nossa Carol, este tema é super complicado e acho que é muito muito pertinente para o seu momento, porque a gente pensa em engravidar e automaticamente procura um médico para acompanhar a gente neste super momento…mas a gente muda, nossas expectativas também e a gente grávida é diferente da gente não grávida ou seja, agora é que vc vai ver se o médico se encaixa ou não no seu perfil, e não perca tempo, se não encaixar parte pra outra, tenho uma amiga que trocou de obstetra com 7 meses de gestação porque se ligou que o médico dela queria encaminhar pra uma cesárea e ela queria parto normal, não é o ideal, mas acontece de vc mudar no final, então tenta achar o seu agora e vc vai achar, mas conheça vários para saber qual tem a ver com vcs (vc e o marido) e que atenda parte das suas expectativas, tente saber o que ele já fez, qual a porcentagem de cesáreas e parto normal que ele faz, essas coisas… vc sabe o que quer e vai saber se o médico é "a pessoa " na hora que ele aparecer.
    Ponto principal é: tem que te dar o celular na primeira consulta, obstetra já sabe que vai ser incomodado o tempo todo no celu, igual pediatra, e se não quiser isso da vida, muda de profissão porque tem bicho mais aflito que grávida e mãe de primeira viagem? rs
    bjs querida

  14. Oi Carol… como diz meu maridinho, médico bom é aquele que a gente se identifica. Tem que seguir seu perfil, talvez o primeiro vc não tenha gostado por estar na ansiedade de querer engravidar e agora ele pode ser perfeito pra linha que você quer, mais natural e com menos intervenções! Tem que gostar, ir com a cara, se sentir a vontade.
    Qt ao parto, acho que tem que ser o que tiver que ser, sem cobrança, sem estresse… num momento tão mágico, meio que deixa acontecer, curti seu bebezinho fofo que estará nos seus braços, esse milagrezinho que cresce a cada dia na sua barriga… se conseguir natural showzinho, se for normal com anestesia, que tudo e se for uma cesária, iupi… hehehe! Meio comercial mastercard… "ver pela primeira seu bebezinho.. ahhh, não tem preço!"

    bjos
    Boa sorte com o médico!

  15. Amiga, pelo menos eu pago dois palnos de saúde para que quando meu bb vier eu não precise pagar particular, nineugem merece né?
    Mas olha, fica tranquila, quando damos sorte de pegarmo um bom médico, independe de palno de saude, ele é bom de atende bem e ponto final, digo isso por experiencia própria.
    Quanto a ter parto normal, te acho super corajosa, pq sou mulher, mas não pra isso, Deus me livre, ñ me imagino sentindo aquelas dores, que diga-se de passagem, são terríveis, pois, sei bem o q são cólicas mestruais, eu cehgava a desmaiar de tanta dor, como dizer q a dor da cólica passa longe da dor de parto q é bem pior, confesso q se eu senti-la, morro.
    pq se existir dor pior do q uma dor de cólica, essa eu não quero conhecer não.
    Ai, se posso ter meu bb sem dores, pq senti-la?
    Mas, parabens, com certeza o parto normal é bem mais saudável para a memae e para o bb.
    bjokas no coração e obrigada pela postagem em meu blog.

  16. Oi Carol! Essas dúvidas e ansiedades digamos assim é como a fase dos porquês das crianças, logo nós, eles aprendemos e com o tempo desaparece sem ser percebido!

    Bom, o que posso relatar aqui é uma visão que tenho hoje do assunto, garanto que é bem diferente daquela que estava acontecendo na época da gravidez!

    Quando fui na minha médica, que anteriormente era APENAS minha GINECOLOGISTA (SÓ há 11 anos), e na ocasião estava passando a ser minha GO OBSTETRA, te juro que desanimei! hehe
    Eu pensei que ao chegar no consultório e descobrirmos que eu estava grávida, nossaaaaa, ia ser aquela festa toda, que ela ia me enxer de mimos e tals, affff que nada menina! Nenhum carinho se quer! kkkk e o pior como tive descolamento ovular ela simplesmente me deu um atestado de um Pré Aborto!? é mole… resumindo, depois que passaram os 3 primeiros meses e que ela levou a sério minha gravidez e começamos a conversar "civilizadamente" éeeeee, já notei que quase todos são bem assim.
    Mas se quiser um conselho, vou te dar alguns, posso???? heheheheh
    * Não pague consultas extras além de seu plano, imagine, para mim e para meu filho (meu marido não tem e não quer! :() pagamos R$ 350,00 por mês, acho um assalto já!!!
    *Tente com esse "calminho" aí, rsrsrs, agora no inicio da gestação não tem muito o que conversar, vai tirando as suas dúvidas aqui com a gente! rsrs
    * Concordo que as coisas devem ir se encaminhando naturalmente, claro, com acompanhamento médico, LÓGICO! Mas assim… será que eles não tratam a gente até um pouco mal justamente por tantas futuras mamaes neuróticas que querem tudo na hora???? Pode ser né?
    * Já falei pra vc, mas vou repitir, a cabecinha das mamaes são muito parecidas no periodo da garvidez! hehehe
    * Cai de boca em muitas frutas e verduras principalmente pq vc quer um parto normal, acredite, vai valer muito o esforço!
    O Pedro Augusto nasceu de cesariana, engordei pouco, cheguei aos 10 kilos e esperávamos um bb médio á grande, mas ele nasceu Gig amiga, kkk Gig é a forma que tratam na maternidade – verdade! rsrs ele nasceu com APENAS 4,205 Kilos e 53 centimetros, o maior bb de 2009 de minha cidade!
    Ufaaaaaaaaa, escreví não!?

    Bjocas e muita calma nessa hora! rs

  17. Nosssa Carol! Escolher medico e' super complicado! Eu mesma ja' troquei varias vezes ate acertar!
    Vc tem que confiar no medico, ele tem que te passar confianca, ouvir suas vontades e te explicar tudinho o que vc tiver duvida!
    Na minha primeira consulta com esse meu medico ate livrinho ele mostrou.
    E quanto a pagar ou nao o medico, nao e isso que vai fazer ele ser ou nao bom, ou e' ou nao e', idependente se e' convenio, publico ou particular.
    Eu tb defendo o parto natural, quero o meu assim tb (ja que a concepcao vai ter que ser com inducao, pq eu nao tenho ovulacao regular, so ovulo umas 2 x ao ano e nao sei qd acontece), logo que comecei o tratamento tinha optado por remedio fitoterapico, mas a unica coisa que consegui foi uma p#t% hemorragia. Me rendi ao indutor.
    Acho que com o parto tb tem que ser assim, tentar que seja natural, mas estar pronta para uma cesaria se nao der, sem maiores riscos para mamae e para o bebe.
    Acho que vc esta no caminho certo Carol! procurando melhorar a alimentacao, buscando o medico que vc melhor se identifique (pq o que e bom para uma pessoa, as vezes nao e bom para outra), e principalmete amando muitooo essa pessoinha que esta crecendo dentro de vc!
    Estou torcendo por vcs!!!

    Bjnhus

  18. Carol, eu acho que com algumas coisas não se economiza. Com certeza, saúde é uma delas.
    Para mim – que sou super ansiosa – é super importante ter uma médica de confiança, e que tem idéias alinhadas com as minhas, acompanhando minha gravidez. Tenho muita sorte, porque a minha obstetra é uma amiga de muitos anos, então eu já sabia como ela pensava e o que eu ia encontrar. E olha, te digo: faz toda a diferença do mundo ter alguém que te ouça, te entenda e TE ACALME numa hora destas.
    Obviamente ela não atende plano de saúde. Mas a consulta dela tem um valor que é coberto integralmente pelo meu reembolso, então ok. Mas se não fosse assim, pagaria a diferença do bolso, sem pensar duas vezes (eu pago a diferença do preço da consulta de uma dermatologista super cara, não ia de jeito nenhum miguelar na obstetra).
    Acho que o mais caro de toda a assistencia à saúde não são os honorários médicos, com certeza. O caro é a internação hospitalar, os exames laboratoriais. É para isso que eu tenho plano: para pagar eventuais internaçoes e os exames que eu faço. Para o médico, prefiro pagar e ser SUPER bem assistida. Lógico que se encontrar um médico bom que atenda meu plano, melhor. Mas caso contrário, prefiro deixar de comprar um sapato, ou uma bobagem qualquer, e ter uma assistência de alguém em quem eu confie. Ainda mais neste momento, que a gente fica mesmo super ansiosa. E que sabemos que a chance de cair em uma cesárea sem indicação é grande.
    Eu penso assim… você não precisa concordar comigo, é claro, mas dê uma pensada sob este ponto de vista.
    Super beijo

  19. Miga, eu tive que mudar de médico na gravidez, pq minha ginecologista não faz mais obstetrícia. E ela me indicou somente homens, dois bam-bam-bans do negócio. Um,. descartei de cara, pq apesar de ser um puta médico, é super requisitado e vive viajando, dando palestras Brasil afora – já pensou se eu fico na mão, na hora do parto?! então, optei pelo segundo fera. Extremamente prático, gostei muito dele, porque vai direto ao ponto, não enrola, mas pra saber das coisas, tem que perguntar pra ele, ele não é daqueles que sai falando e explicando tudo…eheheh resumo, gostei muito dele, me atendeu super bem, as consultas demoravam o tempo necessário (de convênio, acho que essa história de zup-zup é falta de sorte, médico de VERDADE dá atenção, seja no SUS, seja no convênio, seja particular – eu, particularmente, se não gosto da atenção dada, não volto mais. Mas enfim, voltando ao assunto, gostei muito dele, ele só tem um defeito: é HOMEM e não sabe o que é estar grávida, o que a grávida sente de verdade, e como todos os homens, tem uma tendência a minimizar muita coisa que acontece com as mulheres.
    Por que você não procura se consultar com uma mulher, só pra ver como é? Eu já decidi, se for engravidar de novo, vou procurar uma GO "muié"…eheheh
    Uma dica: quando ligar pra marcar a primeira consulta com o/a obstetra, informe que é gestante, eles sempre têm horários separados pras gravidinhas…ehehehe pelo menos aqui em Vitória é assim…
    Beijo grande!

  20. Carol, o importante é você descobrir o que VOCÊ quer e correr atrás disso. O e-mail que eu te mandei era só pra te ajudar a achar o caminho prum parto mais natural, SE você assim o quiser.
    Quanto ao seu medo de não aguentar a dor porque você toma remédio pra dor de cabeça, não tem comparação. A gravidez e a maternidade foratelecem a gente de uma forma e a gente se vê capaz de fazer coisas antes impensáveis pelo nosso bebê (até parar de tomar coca-cola)!
    E lembre-se: a dor do parto a gente esquece. Uma cesárea desnecessária, jamais.
    Beijos e boa sorte, tranquilona porque você ainda tem tempo pra achar seu médico. E eu também simpatizo mais com o primeiro, viu?

  21. Esse lance de médico é complicado, pq acho que durante a gravidez temos que confiar no GO.
    Aproveita o inicio da gravidez pra testar tooodos os médicos que puder!
    Vc vai conseguir ter a gravidez 'natureba' que vc quer, mas se não conseguir ser tããã natureba, o mais importante é aproveitar o neném!!!!
    Bjinhosssss

  22. Carol, não sou entendida do assunto, não tinha plano de saude e muito menos $$ para particular e por tanto me joguei no sus e graças a Deus correu tudo bem comigo e com o baby, por isso não tenho muito o que reclamar.

    Acho que você deveria procurar uma doula. com certeza ela vai te dar mais segurança durante essa fase.

    Bjs

  23. Ai Carol, médico e maternidade é o que me tiram o sono e olha que num tô grávida, e no momento também não estou tentando..planejo para ainda este ano começar os treinos.Mas á fiz uma busca por maternidades e fico com receio de não encontrar um bom médico até lá mas..tomara que a gente consiga.
    Ah, adorei a frase:

    "Se eu botei pra dentro sem ajuda de ninguém, me sinto capaz de botar pra fora" rs..muuito bom.

    Beijo Grande

  24. Amiga q bipolar hein??? hehehhe
    o fato de pensar em outra possibilidade, além do pra q diqa marcamos a sua cesárea.. já ´[e excelente. Digo que ng acorda e diz.. vamos lah baby tah na hora de sair. Deus é sábio, os 9 meses sao de adaptação do bînômio (mãe-baby). Importante é achar alguem q te traga confiança , segurança. No entanto eu acho mais que é uma questão de segurança íontima, de poder msm. Afinal, todas as mulheres são capazes de parir!!!

    Qq coisa call me( msn) hehhehe
    beijocas

  25. Darling, acho que vc deve dar uma segunda chance, mas vá sem pré-conceitos! E se ainda sim vc sentir que não ficou satisfeita procure outro… Só não entre em uma neura de achar q ngm é bom o suficiente! beijinhos ju

  26. Sabe que eu não tinha parado pra pensar nisso das consultas serem mais rápidas quando é por plano de saúde? Por isso que os médicos marcam de 20 em 20 minutos! Às vezes menos ainda.

    Mas do meu obstetra não tenho do que reclamar. As consultas demoram pelo menos 40 minutos, eu pergunto um monte de coisas que vou anotando ao longo do mês e ele responde sem pressa nenhuma. Ainda bem!

    Eu passei por 5 médicos até me decidir por esse. É uma decisão bem importante mesmo, por isso pense com calma!

    Bjos

  27. Oi Carol,
    não tinha tido tempo de ler esse post inteiro ainda.
    Calma, mulher, respira. Acho mesmo, que no meio desse papo todo, o que deve ser natural em vc daqui pra frente é a paciência. Até porque ansiedade, numa situação em que esperar é o jeito, não ajuda em nada.
    Qdo se fala em gestação com alguém que esperou muito por isso,já é de se esperar que vc esteja apreensiva, cheia de dúvidas, angústias e principalmente expectativas em relação aquele cara que vai te acompanhar muito de perto por todas as longas e deliciosas semanas de gravidez (e ó que não estou falando do maridón).
    vc já deve estar na consulta do médico número 1 agora, dê uma nova chance a ele. Se não se sentir segura, visite qtos especialistas forem necessários. Mas sinta-se segura e paciente para curtir a sua gravidez sem maiores neuras (elas existem sim e aos montes, mas há uma porção que vc conseguirá controlar com uma mão nas costas).
    Daqui há umas semanas vc vai estar mais tartaruga do que lebre, sendo mais racional e menos apressada, então vai olhar tudo de outra maneira.
    Esse lance da escolha do médico é importantíssimo, mas não para ser resolvida a toque de caixa.
    Respire.
    Passe tranquilidade desde cedo pro seu baby. Escolha uma música que seja só de vcs dois. Cante qdo estiver em momentos difíceis (lembre-se, vc vai chorar até em propaganda de papel higiênico).
    Ele já está aí e sentindo os agitos de uma mama que parece ser mais que elétrica.
    Sobre a qualidade de vida. Acho que é mal de carol ser chegada numa porcariada, mas isso passa, os instintos maternos dão um jeito danado na gente. Hidroginástica só para gestantes (assim que o dr liberar) ajuda não só para fortalecer os braços (e isso é muito útil), mas ouvir histórias e ver que não está sozinha em um monte de dúvidas e inseguranças é uma mão na roda. E ver tbm que sua bunda não é tão grande…
    no final, o que vai importar mesmo é ter uma familia saudável e feliz.
    Respire.
    Se permita ser a carol e a mãe que vc sempre quis ser e a que vc já é e gosta.
    bjo bjo
    carol
    viajandonamaternidade.blogspot.com

  28. Carol,

    imagino q vc já recebeu milhoes de nomes, mas tenho uma ginecologista aqui em Bs As que é um amor, super fofa, calma, boazinha… e atende plano de saúde! Se quiser, te dou o numero, me manda um email.

    Uma vez eu tive uns desmaios, umas dores, ela foi maravilhosa. Recomendo, mesmo.

    Espero te ver logo, por enquanto acompanho sua vida por aqui!

    beijos!

Deixe uma resposta para Elaine Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *