Passei o final de semana todo pensando em foto, foto, foto. Já contei pra vocês que sou metida a fotógrafa? Pois é, eu sou. Tenho até pensado em fazer faculdade de novo, de repente reorientar minha profissão, sei lá. Estou sonhando com novos cursos, novas possibilidades. Essa coisa da fotografia é todo um mundo novo pra mim, que eu amo, mas que ainda to desvendando.

Mas fora os momentos em que estive imersa na cosia fotográfica, tava por aí passeando, curtindo. Não fiz uma refeição decente, dormi a hora que quis, acordei tarde, relaxei.

Super final de semana de pessoa sem filhos, certo? Pois bem. E eu achando que finalmente tinha encontrado meu caminho. Mas aí ontem, Maridón já roncando, baby dog também, minha cabecinha desanda a pensar em filho de novo. Abro um fórum argentino de maternidade e vejo que responderam a minha pergunta sobre o espermograma de Maridón (ps. rápido: no fórum daqui tem um andrologista que tira as dúvidas das meninas, avalia resultado de exame, indica bons médicos, bons laboratórios, é um amorzinho). Daí que o tal Dr Fórum reitera o que já sabíamos “el espermograma de tu marido es normal. Paciencia que luego llega el embarazo. Suerte!”. Ahm. Depois disso, me lembro da noitada do sábado anterior com as amigas. No auge da cachaça na mente, desandei a choramingar minhas pitangas não-engravidatícias pras meninas ouvirem (como se não bastasse já fazer isso aqui no blog). Elas, tadinhas, não entendem lhufas desse processo, né. Daí ficaram assustadíssimas de saber que estou sem pílula desde novembro do ano passado e até agora não rolou nada. “Como pode?”, elas perguntavam. “Como, né?”, eu pensava. Aí expliquei toda a teoria do 1 ano, que não é igual pra todo mundo, que o organismo de cada uma funciona diferente, que além disso, ainda acredito da Lei do Universo, essa que decide sozinha quando chegou a hora de cada uma (e a gente custa em aceitar porque né, eu não quis ter filhos por anos e consegui, por que o contrário não acontece?). E elas, totalmente out desse assunto, ficaram me olhando com cara de “tadinha, ela é infértil”, enquanto eu tentava reverter o processo e fazer uma carinha “descolé, to nem aí”. Tomo mais um gole de vinho, pego a minha câmera e resolvo fazer umas fotos artísticas bêbadas, que é a melhor coisa a se fazer depois dessa conversa. Mas tenho vontade mesmo é de pedir um abraço e ficar quietinha no colo de alguém. Mas não faço, que eu sou muito boba (vide o nome deste blog). Por fim, penso que, antes de tentar dormir, tinha acabado de falar no telefone com meu pai e como tive vontade de contar a historia toda das tentativas pra ele. Esse papo de ficar escondendo de alguns às vezes me agride, me sinto falsa. As pessoas me perguntam “e aí, como tá a vida em Buenos Aires?” e eu fico super afim de mandar o link do blog pra ler ou fazer um resumão de 8 laudas contando tudo que eu já passei até aqui. Mas, instead, eu respondo “tá tudo ótimo!”. E meu pai é um dos que recebe essa resposta-mequetrefe-padrão. Quando não deveria ser assim, ele tinha que ser um grande amigo meu. E muitas vezes até é, mas sei lá, que porra de grande amigo é esse que não sabe sobre um dos maiores processos de autoconhecimento pelos quais já passei? Acho que a culpa é minha também. Porque se eu quero que ele saiba, eu deveria abrir a porra da boca e falar.

Pensando nisso tudo, no escuro do meu quarto, arregalo os olhos e não consigo mais dormir. Não de preocupação, mas simplesmente de estar pensando sem parar, tudojuntomisturado como esse parágrafo anterior que ficou enorme e não teve respiro. E fui nessa até as seis da manhã, quando meu relógio começou a despertar pra eu acordar. E eu nem tinha dormido nada ainda.

Alguém pode dar um puxão na minha orelha? Que não tem mais motivo nenhum pra eu ficar assim? (também to aceitando colo e declarações de amor) Grata.

***

E só pra vocês não ficarem achando que eu sou muito doidja ou muito depressiva (só um pouquinho, mas continuo recusando a sugestão de ida ao psiquiatra e os remédios indicados), deixo uma auto-foto, eu e Maridón felizinhos no parque (antes de todo esse devaneio, quando eu ainda só pensava em foto mesmo):

17 respostas em “Quase indo

  1. Ahh Carol, queria estar ai do seu lado e te dar colo! E bem que eu queria, mais não consigo te dar puxões de orelha, pq eu sou mais doida que vc!! Rsrs
    Mas acho que vc devia contar pro seu papis sim, imagina no dia que vc engravidar, tadinho, ele vai pensar: Poxa, ela tentando e eu nem sabia? Rs
    Fica Bem Amore
    Um BeijO

  2. Achismo puro, barato e absoluto…mas acho mesmo tá Carol! hehehe
    Tu luta demais pra ficar bem, sabe?!
    Tenta me entender que eu também não sou muito normal! Precisas de colo, de carinho, chorar sem culpa…e não falo só do Pedro (que ele é parte do processo, então não conta (nessa parte)falo de ir mais além)
    Estás aí sem família, e aí ninguém além do Pedro divide essa angústia contigo. Claro que é importante tentar ficar bem, se manter ocupada..blá blá blá…
    Mas onde está aquele colo amigo que a gente apenas abraça e chora quando as coisas não estão bem? Simples assim, e sem maiores explicações…
    Se esse colo é o do teu pai, se te sentes assim, traindo a confiança dele, então fala logo, talvez ele tenha mais a dizer do que tu imaginas…
    Já conversamos sobre isso, eu não falo porque tento evitar qualquer tipo de pressão sobre mim, mas mesmo assim minha irmã e mãe sabem que estou tentando, nunca disse claramente, mas sei que elas sabem. Nunca mostrei o blog, mas já falei para as duas que tenho um. E se algum dia elas quiserem poderão ler (se é que já não fizeram isso)
    O que eu mais queria era poder te dizer isso pessoalmente, aquelas conversas demoraaaaadas sabe?!
    Aquelas entre vinhos, lágrimas e risadas!
    Tô quase indo, mais um post desse e eu me convenço!!!!
    Abraço bem apertado em ti!!!!
    Beijo!

  3. Que delícia de foto!!

    É complicado… minha mãe agora lê o meu blog de vez enquando e veio puxar a minha orelha dizendo que eu to me expondo demais… A questão é que por mais que eles sejam nossos amigos, eles são de outra geração e nem sempre podem receber mt bem o blog e tal. Mas vc pode aproveitar apra conversar com ele pessoalmente da próxima vez que vier no Brasil – meu casamento 😉

    bjus

  4. ai Carol, eu já gosto tanto de vc q tenho até vergonha de dizer, pois vc me acharia uma doida q "logo se apega às pessoas q conheceu virtualmente e falou umas 5 vezes no msn"… mas sei lá, é q nossas semelhanças e o fato d estarmos nesse mesmo universo (de modos diferentes, mas estamos) bebezístico, aproximou mto e deu abertura para conversarmos hooooras assuntos q não temos coragem de contar nem pros íntimos (ou q deveriam ser – como vc com seu pai)
    sinto mta falta d nossas conversas no msn, mas tá tão dificil aqui no trabalho, e como tudo conscidiu com minha "auto-conscientização", fico com medo d q vc pense q sumi pq "to em outra", q deixei d gostar de vc e das outras amigas daqui só pq não há mais data pro meu baby, enfim… sei lá… ouvir vc falando de colo, de chorar as pitangas, me deu um nozinho por dentro, uma vontade de correr pra BA pra dar um abraço, me diz se não é estranho isso?! a gente nem se conhece pessoalmente e eu com uma vontade enlouquecida de te dar esse tal colo, como se eu já tivesse dado um dia, e hj sinto falta do mesmo… como a vida é incrível! e o ser humano, surpreendente, em todas essas infinitas emoções…
    desculpe o desabafo, acho q deveria ter recorrido ao e-mail, mas acho q não falei nada íntimo demais… apenas q descobri uma amizade incrível e uma pessoa incrível à qual tenho um apego enorme, da qual lembro ao ver certos livros, ao ouvir certas músicas, ao ler certos textos, e nem sequer a conheço pessoalmente. Fico impressionada. Sei q vc não gosta, q vc já reclamou e me mandou "relaxar", mas sempre fico meio "avexada" de falar contigo, seu lá, sempre parece to incomodando, q to falando baboseira, q não acrescento em nada sei lá… Não pense q é vc q proporciona isso, jamais! é besteira minha mesmo, puros problemas existenciais q espero resolver na terapia kkkk
    adoro vc, beijo enorme!

  5. Carol,

    também não contei para minha mãe a longa novela de "estamos tentando engravidar". Nem pra ela nem pra ninguém, justamente para não me olharem com essa cara de "ai coitada não pode ter filhos". talvez, se tivesse contado, tinha ganhado esse colo aí que você precisa tanto. Mas a poupei de preocupações, já que só soube das tentativas no dia do positivo.
    Enfim, sei lá, mil coisas.
    Mas nós estamos aqui, para o colo, para o puxão de orelha e para o que você quiser.
    E repito: acredito muito na teoria de um ano. Haja paciência e estabilidade emocional.
    beijos e adorei a foto.

  6. Amiga xara, puxões de orelha estao fora de cogitção ok?! A nao ser pelo fato de pedi-los… amiga se permite ficar triste, se permita ficar alegre… se permita ter noites de insonia pensante… afinal vc é ser humano… e infelizmente ou felizmente… ainda não decidi… não temos aquele famoso botaozinho ON e OFF… saiba q aqui vc tem pessoas q estao inteiramente disponiveis pra te "ler" a qq hora e muitas se identificam com o q vc esta passando… nao seja tao dura com vc mesma e peça colo sim… eu tenho um colo enorme e bem fofinho heimmmmm te dou ele =)))Pena q esta no Brasil… mas ja sabe heim qdo vier ao Brasil nos avise… faremos um super mega encontro pra nso conhecermos e te conhecer né!

    Bjusssss

  7. Ai como eu amo ter coisas em comum com vcs aqui do blog, alem de qrer ser mamae…hehehe
    Sou fotografa. Nao tenho curso nisso menina!
    Se vc gosta só praticar, confere algumas fotos minhas….tem mtas desse findi!
    E esse auto-retrato mara….AMEI a composiçao,claridade,cores e vcs…. s2

    Bjokas

  8. Ai Carol, tem dias q a gente enlouquece de vez ne?
    Mas tem q deixar essa onda passar e viver o agora.. eh uma frustracao enorme eu sei, uma raiva do mundo, um sentimento de inferioridade para com aquelas gravidas ao nosso redor q nao existe palavra q caiba!
    Mas a sua hora tbm vai chegar, cria nisso!
    uma boa semana pra ti!
    bjkas

  9. Oi Carolzita,
    Amei a autofoto do casal, são lindos!
    Eu acho que a fotografia é um ótimo passatempo para distrair dessa nossa trajetória! Tb amo amo amo fotografia, tenho apenas um curso básico, para aprender a usar a velocidade, abertura, essas coisas! Faça um tb!!
    Tenho mta vontade de fazer um profissa! Someday!
    Amigua, tb moro longe da família! Encontro mais compreenção conversando com minha mãe e meu pai do que com minhas amigas! Todos sabem que estamos tentando! Eu sou daquelas que não consegue esconder nada, sabe.. parte disso é culpa da ansiedade!
    Talvez seja legal você abrir essa portinha para o seu pai! Não precisa contar cada detalhe, mas apenas dividir com ele um pouquinho da sua ansiedade! Vc vai ver o alívio que dá! E ele tb ficará feliz, com certeza!
    Qualquer coisa passa lá no meu cantinho pra conversar! Vou colocar lá o link para vc ver umas fotinhas minhas de qdo fiz o curso de fotografia!
    Bjinhos!

  10. E amiga… tem vezes que a cabeça nao dá sossego e a gente arregala o olho de uma maneira que nem durex faz a papelbra abaixar..ainda com esses pensamentos..rsrs.. e ja to dando o puxao de orelha viu..rsrs
    Aqui.. porque vc n comenta com teu pai.. acho que é uma maneira de vc receber este colo tao desejado.. principalmente de alguem que tanto te conhece… vai ser otimo e te fazer só bem.. garanto que mal nao há de fazer..
    Agora quanto as fotos amigas… tb to começando a me apaixonar por esse mundo.. e foi por isso que me "ferrei"no mercado livre.. fomos comprar uma Nikon D90 mais em conta e deu nisso… mas depois me responde como fez p pegar pelo menos metade do dimdim… ontem que meu marido recebeu um e-mail do mercado livre dizendo que o nosso ccadastro tava bloqueado pq eles confirmaram que foi invadido..aff.. é uma demora as coisas lá… estou aguardando resposta p ver se consigo pelo menos metado do dindin…
    Nós vms fazer um curso em bh final do mes.. mas quando souber de algum site interesante me avise eu tb fico de te avisar…

    Ai ta bom.. o recado ficou mega imenso né.. sorry..
    Bjoos!

  11. Então Carol, como as coisas são né… sua história é muito parecida com a minha, sabe?
    Primeira coisa, acho que vc tem que falar sobre sua intenção e tentativas de engravidar com as pessoas mais próximas. Não que amigo não seja legal, mas é que fica este ar mesmo "coitada, ela é infértil…" – o que sabemos não é verdade.
    Se você esta tentando desde novembro, relaxe. Espere dar o deadline. Não vale sofrer por antecipação. Se em um ano nada acontecer, daí tem que procurar médico mesmo, porque neste período 85% dos casais engravidam, outros 10% em dois anos e 5% tem que fazer algum tipo de tratamento (acabei de ir ao médico, depois vou postar no meu blog).
    Eu escondi as investidas em engravidez da minha família por um pouco mais de um ano. Hoje meus pais sabem e me dão a maior força. Meu pai, nos seus sábios 85 anos, me disse ontem: "Plante, mexa com terra, indiquei isso para 'fulana' (não lembro agora o nome) e ela engravidou". Meu pai não tem formação, mas teve muito ensinamentos de médicos e ajudou muita gente. Eu vou plantar, buscar fertilizar o mundo. Minha mãe fala para eu mentalizar a minha gestação, o meu bebê a minha vida de mãe. Está sendo muito, muito, muito bom para mim ter o apoio deles. Família é essencial e fundamental. Hoje, apesar de bater ansiedade e tristeza pelas frustações de meses, sinto um alívio em poder contar com eles.

  12. Ale, querida, eu sei, mto obrigada pelo carinho! Estou pensando em contar pro meu pai mesmo. Agora em junho vou ao Brasil e de repente é uma oportunidade, né? Contar ao vivo e tudo mais. Beeeijo!

    Jordana, amiga! Já falamos bastante, né? Te digo que to ansiosa com a tua vinda e animadíssima com os planos! Se prepara que vou MIJOGAR no seu colo! Beijo, brigada por tudo!

    Ju, querida noiva do meu corazón, tb já falamos bastante, né. Eu nao pretendo mostrar blog pro meu pai nao, acho que ele nem entenderia o quanto isso aqui alcanca (ou nao, sei lá). Acho que vou conversar com ele ao vivo, estou pensando. A gente atura a exposicao e em troca faz lindas amizades, acho que vale a pena. Beeeejus.

    Nat! Nem acreditei nesse comentário, amiga! Eu é que vou puxar a sua orelha! Tu é doida! É CLARO que pode (e deve) falar comigo no msn e mais onde der! Eu tb fico impressionada que estanmos passando pelo mesmíssimo processo e acho isso demais! O "meio" pelo qual nos conhecemos acaba que nao é tao importante qto as coisas em comum que descobrimos. Acho o máximo! E to super feliz que vc tá se descobrindo tanto na terapia, foi super assim comigo tb! Vamos que podemos, querida, nao se desculpe por nada. te adoro mto, viu? Bejus.

    Liaaaa! Já te falei que adoro seus comentários, nao já? Voce me lembra mto uma amigona que tenho no Rio, que fala todas as coisas pra mim sem papas na língua e que sempre me ajuda muitao. E se vc continuar falando que a gente é bunito, capaz deu acreditar, hihih! beijao!

    Patrícia querida, eu tb cada vez mais acredito na teoria do 1 ano, mesmo sem ter conseguido prova-la pessoalmente. Acho que minha hora tá chegando, nao sei pq, mas sinto isso. Aos poucos (e com os devidos puxoes de orelha e colinhos de vcs), estou me tranquilizando e aprendendo a esperar! Obrigada, viu? beijos.

  13. Carol xará, querida, obrigada pelo colinho! Sabe que as vezes eu fico doida pra ir ao Brasil só pra conhecer vcs? Ou armar um mega encontro mundial das blogueiras em Buenos Aires, já pensou? Hihihihih. Obrigada pelo apoio, mesmo de longe, ele é super importante!

    Nusah, amiga, eu sempre vejo suas fotos! Pra essa daí que publiquei, eu mesma medi a luz e a velocidade no Maridón e botei a camera num tripé. Liguei o timer e saí correndo pra deitar do lado dele, hihihi! E nao tem photoshop nenhum (embora eu ache que ainda precisa)! Acho que to indo num caminho legal, nao acha? To tentando montar um blog só de fotografia, vc tem algum pra mostrar seu trabalho? Beijo beijo!

    Renatinha, brigada pelas palavras! É mto dificil esse processso todo nao? Por mais que a gente tente sempre pensar em outra coisa, acaba voltando ao assunto sem querer. Mas estou confiante que minha hora vai chegar!

    Maya, olha só, mais uma fotógrafa entre nós! Que legal descobrir essas coisas! Eu tb tenho um curso básico, foi ótimo e aprendi o mínimo pra brincar com a camera. Estudo mto pela internet e acompanho vários blogs de fotografia, agora to pensando realmente em entrar nessa profissao. Nao sabia que vc tb morava longe da familia! É complicado, né, as vezes precisamos mesmo de um colo. Vou ver se converso com meu pai, vou ao Brasil em junho, talvez fale sobre isso com ele… Vou passar no teu blog pra ver as fotos, eba!!! Brigada! beijos!!

  14. Marcella, eu li tua história da camera no blog, que melecas, hein? Eu comprei uma lente pelo Mercado Livre, mas eu mesma fui buscar, aí nao corri mto esse risco, pq eu morro de medo dessas coisas. A minha camera é uma Canon EOS, eu comprei em NY, num ótimo preco. E to pensando em fazer um blog de fotografia, pra trocar ideias sobre o assunto (ai, como eu amo um blog!), o que acha? Aí a gente fala mais sobre o tema lá, pode deixar que eu te aviso! Sobre meu pai: é, to pensando mesmo em conversar com ele… acho que vai ser bom pra gente. beijos!!!

    Ana Paula, vou no teu blog já já ver como terminou a história. Sobra família: como eu falei acima pra algumas meninas, to pensando mesmo em contar, pelo menos pro meu pai. Acho que cansei de guardar isso comigo e nao ser sincera com ele, acho que vai ser bom. Depois eu conto como foi. beijos e boa sorte pra gente!!!

  15. putz, carolzinha, fica longe dos foruns, please!
    eu tenho 100% de certeza que o tempo estava só esperando esse amadurecimento pra fazer as coisas acontecerem.
    vê se ouve essa música "Tempo", de Caetano hoje por mim.
    beijo grande grande!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *