Ontem Maridón foi no Urologista. Não tínhamos indicação de nenhum profissional, então escolhi pela cartilha do plano de saúde e fomos na sorte mesmo.

Segundo o que ele me contou em parcas palavras (homem é fogo e nunca detalha as coisas num nível satisfatório pra mulher), o médico é bom e pelo exame físico, está tudo bem. Mandou ele fazer o tal do espermograma e, caso volte normal, não há nada pra fazer, é esperar a natureza agir pra gente engravidar.

Só que Maridón (pessoa tranquila e despreocupada) voltou do médico sem indicação de laboratório pra fazer o exame e lá fui eu procurar um bom pra ele ir. Porque morar fora é assim, gente, até pra comprar um pão precisa de indicação, senão a gente fica perdido comendo pão ruim, sem saber que tinha outro bonzão que ficava ali pertinho.

Enfim.

Daí que achei um fórum argentino de maternidade, tipo esses do e-family (aliás, iNgual, só que escrito em espanhol), e mijoguei nele. Li um montão, até as duas da madrugada. Descobri um laboratório legal pro exame de Maridón e, de quebra, aprendi um monte sobre doenças dos rapazes, que eles chamavam de “fator masculino”. Que é quando a infertilidade é causada por problemas no homem e não na mulher. Li vááários diagnósticos tenebrosos, vários problemas, li vários espermogramas e fiquei – duh, óbvio – preocupadíssima. Tanto que até sonhei que tava numa clinica de fertilidade fazendo inseminação.

Tenso. Acordei ligada na tomada, mandando Maridón ligar djá pros laboratórios que eu descobri e marcar logo esse exame, pra não atrapalhar o período fértil desse mês (porque ele tem que ficar 5 dias em abstinência sexual). E ainda fiquei meio desconfiada, porque nas clínicas daqui não tem essa de fazer o exame na salinha. Pega o potinho esterilizado, leva pra casa, faz o serviço e leva correndo de volta pra análise, no máximo uma hora depois de realizada a ejaculação (“realizar ejaculação” é uma expressão muito lindja pra GOZAR, né não?). Juro que procurei a beça, mas não tem muita opção, é isso aí. Inclusive em um dos sites de clínica dizia que era bom fazer em casa pra manter a alta “inspiração sexual” do homem. Dizia até pra mulher ajudar (sem tocar no pênis do mocinho, claro).

Bem. Aí Maridón, bom de matemática que é, marcou a entrega do material pra segunda, sendo que já estamos sem o sequisso desde ontem (a ultima vez foi no domingo). Maridón-ô, se liga… tu vai me condenar a SETE dias sem sexo e ainda vai matar o nosso período fértil!! Aí pedi pra ele remarcar. Aí a paciência dele acabou (porque tudo isso que tô falando aqui já falei 8 vezes pra ele) e meio que tivemos uma DR no meio da rua, a caminho pro trabalho. Não foi nada demais, mas enfins. Ruim, né.

Ele acha que eu não preciso dessa neurose, eu também acho que não preciso dessa neurose. Que é só chegar lá e entregar o potinho. Mas e se não for? E se não aceitarem e ele tiver que ficar mais 5 dias sem sexo e atrasar ainda mais a coisa toda? Sei lá, não custa prevenir, né?

***

Enquanto isso, no meio do feriado, eu refiz o meu exame de sangue pra ver a prolactina. Dessa vez, respeitei todas as CNTPs necessárias e o resultado sai no dia 19.

***

Não sei se foi o espermograma, os fóruns que li ou o desentendimento bobo com o Maridón, mas novamente, dei uma desanimada. Sei que, por enquanto, não tem nada de muito errado acontecendo com a gente, mas é que bateu um puta medo de infertilidade. Acho que ainda tem um longo chão pela frente até que se descubra qualquer coisa relacionada a isso. Eu sei. Mas é que não sei se tenho energia e disposição pra esperar e seguir o caminho.

Não é porque tento ter filhos há muuuito tempo. Mas é porque eu sei o que é ter esperanças profundas em algo e o algo não acontecer.

Quando houve o acidente com a minha família, minha irmã não morreu na hora, como a minha mãe. Ela entrou em coma e foi internada. E assim ficou por mais um dia. Abriu os olhos, apertou as mãos de alguém que estava do lado dela. Os médicos diziam que o quadro era muito grave, mas a esperança não tinha acabado, Fernanda estava ali ainda, viva. Conseguimos transferi-la pra um hospital melhor e passamos o enterro da minha mãe nos preparando pra conviver com muitas idas ao médico, com a recuperação de uma pessoa que poderia ter seqüelas e tudo mais. Pensava que poderia ter que sair do meu trabalho. Planejei toda uma nova vida de luta e recuperação ao lado da minha pequena. Estranho como a mente consegue se readaptar tão rápido. Me enchi de força.

Daí, acabou o enterro da minha mãe e fomos pro hospital ver a minha irmã. E no carro, conversando com meu pai, fomos os dois definindo essa nossa nova vida com ela, embora arrasados com a morte de mommy, nós dois nos agarramos a essa crueldade chamada esperança.

Quando chegamos ao hospital, meu pai foi chamado lá dentro e não me deixaram ir com ele. Acho que eu já sabia. Ele voltou carregado e gritando “mais uma, mais uma!”. Todo mundo que estava com a gente caiu no choro, todos se desesperaram. A Fernanda tinha morrido.

Pra mim, foi como se o dia tivesse virado noite. Eu não reagi. Eu não chorei. Eu segurei o meu marido, que pela única vez em 8 anos de relacionamento, vi chorar. Acho que foi o momento mais profundamente triste da minha vida.

Desde então, eu sou assombrada pela perda. Eu não quero, não posso, não tenho estrutura pra perder mais. Se a infertilidade bater na minha porta, eu vou ver a morte de novo. A morte de alguém que eu ainda nem conheci, mas já amo demais.

Quando as pessoas me falam pra ter calma, às vezes eu acho que elas não sabem o que estão dizendo. Não é que eu esteja tentando há seis meses e seja ansiosa demais. Não é só isso. Tentar engravidar sou eu dando uma nova chance pra vida.

“É preciso força pra sonhar e perceber
Que a estrada vai além do que se vê”

31 respostas em “Sobre médicos, exames, esperança e vida

  1. ai gente, to relendo aqui e vendo um monte de erro de portugues, o post ficou sem final… mas enfim, vcs entendem, né?

    acho que nao vou corrigir nada nao, vou deixar assim.

  2. Não vou te pedir que tenha calma. Mas sim, desejar que Maridón não tenha nada de problema e que a cegonha bata à sua porta em breve, de forma natural. Esses fóruns enchem a nossa cabeça de caraminholas, e acaba que ficamos mais preocupadas com supostas possibilidades de problemas…então não encana. Esses exames de Maridóns são rotina…o meu também estava com o pedido na mão…me enrrolando é claro pra fazer o exame, quando veio o positivão e ele nem precisou passar por esse "constrangimento" que para eles homens é o terror entrar naquela salinha…ainda bem que aí o selviço pode ser feito em casa…menos mals. Então não encuca que vai dar tudo certo!!!

  3. Carolzinha, toda vez que vc comenta sobre mamys e Fernanda, me arrepio toda e quase choro na frente do micro!! Vc é uma guerreira e eu torço muitoooo pra vc ter o seu baby, mtoo mesmo e sei como é, as vezes eu penso nessas coisas de infertilidade (minha irma tenta a 8 anos e nada) e meio que bate um desespero, e acho bom vc ir atras mesmo, pesquisar … pq agente nunca sabe, nao é? E esse negocio de esperar, ta cedo, bla bla bla meu nao rola, so agente sabe como é, dois meses parece 2 anos e assim pra pior Rs
    Força Flor! To torcendo mto pros sapinhos (Não achei uma palavra bonitinha para esperma rs) do marido estarem perfeitos Rs
    BjAOO

  4. Carol, vc é afobada que nem eu. E os homens nunca seguem o nosso ritmo. Eu tambpem buzino as coisas mil vezes na cabeça do maridón e ele fqaz ao ritmo dele, que, para mim, é extremamente lento e beira a negligência. Argh!
    Quanto às perdas, vc tem todo o dieito de chorá-las e é claro que isso deixou marcas profundas em vc, que se refletem em medo e insegurança. Mas não deixe estes sentimentos te dominarem.
    E não se preocupe, o filho virá. Mesmo que houvesse infertilidade (não acredito, mas vc vai checar), existem hoje muitas formas de ter um filho. E vc, mulher antenada e bem informada que é, vai encontrar a sua.
    Beijo

  5. Carol, como disse a Viviane aí em cima, os fóruns enchem mesmo a nossa cabeça de caraminholas!!
    Eu tb estou na fase de tentante e parei um pouco com os fóruns sabe.. fiquei mto ansiosa.. dei uma melhorada!
    Não se esqueça que a porcentagem de chance de vcs terem problemas é beeeem menos do que as chances de estar tudo ok!!!
    Menina, a cegonhada tá chegando com nossos bebezinhos!!!
    É normal essa ansiedade, eu te entendo!
    beijinhos!

  6. Oi Carol,
    Qto. à moleza de maridón, acho que é o cromossomo o (ir)responsável, pq todo homem é assim… nós é que somos nervosas mesmo, também é o cromossomo.. hehehe..
    Imagino a barra que vc sustentou com essas perdas, perdi minha mãe tb e sei como é a dor, mas ao mesmo tempo que dói, nos fortalece pra vida!! Fique tranquila, tenho certeza que dará tudo certo, seu baby vai vir, cheio de saúde e lindo!
    bjinhos e fique tranquila, na medida do possível!

  7. Carol… Acho que já comentei aqui em algum lugar sobre tbém ter perdido 2 entes queridos… Primeiro uma irmã, depois um irmão… Não de uma vez como aconteceu contigo, mas em um intervalo bem curto de tempo tbém… Mesmo depois que seu bebe chegar, sim, porque ele vai chegar! Vc se verá invadida por medo de perder essa nova pessoinha para sempre!!! Pietro não costuma adoecer, mas em uma situação em que esteve doente quase enlouqueci… revivi os mesmos temores de quando vi meus irmãos num hospital, foi complicado… Mas confesso que a mesma força que te envolveu e ajudou naquela época, sempre dá o ar da graça em momentos necessários… Não acho que seja o caso de infertilidade, mas se for, a mesma força virá e te dará direção… Eu prefiro chamar essa força de DEUS!!! Não vou te pedir calma… Não vou te pedir para não ficar ansiosa… Eu mesma ficava enlouquecida na fase dos treinos… lembro-me que marcava os dias férteis e ia de dois em dois dias treinando, medindo temperatura, ficando em posições esquisitas depois que marido realizava a ejaculação …rsrsrsrs Carolzinha, é uma espera tensa, mas não sei, tenho certeza que as coisas acontecerão no momento certo! Apesar de triste, algumas marcas ficam conosco para sempre e nos fazem, de certa forma, melhores…. Vc será uma grande mãe! Beijos

  8. Nossa Carol fiquei mal lendo seu blog, realmente entendi o pq dessa pressa toda, vá em frente com força total. Vai dar tudo certo o exame será só para vcs tirarem esse grilo da cabeça, já torcia muito por vc agora então torço mais ainda.
    Um pedido me coloqueno Hall das Treinantes tá.
    Beijos linda e boa semana.

  9. Carol do céu..tô me acabando de chorar, igualzinho choro no último capítulo da novela..
    Li seu post aqui e a curiosidade me levou ao outro que vc indicou..
    QUe triste…gente, sabe que eu admiro quem consegue passar por tudo isto assim como vc que apesar de todo sofrimento, encara as dificuldades com bom humor..
    Não vou pedir pra vc ter calma, acho que ter esperança é o melhor..aliás, sinceramente acho que vc sempre teve..A semana passada eu recebi a notícia que uma amiga minha que já tem mais de 40 anos engravidou..depois de 2 abortos, depois de ter desistido totalmente de tentar engravidar..no meio do nada ela descobriu a menstruação atrasada..e lá estava um coração batendo dentro dela..As coisas contrariam nossas vontades,não acontecem na velocidade ou da forma como desejamos e as vezes (sempre!!) é difícil conseguir entender e aceitar..Tenho certeza que sua hora vai chegar..
    Que vc vai ser uma mãezona e que lá de cima vc terá dois anjos a mais olhando por vcs!!!
    bjs!

  10. É…pedir calma não dá né.

    Eu posso até fazer algo do tipo, mas tenho que te dizer: Esse medo é comum.

    Se vc olhar meus posts da época de treinante vai ver lá, todo o meu medo de ser infértil ou de o Willian ser infértil, ou os dois.
    Eu achava que era quase impossível de acontecer. Eu "sentia" que nunca ia conseguir, era quase que uma certeza. Eu me culpava tanto, eu sentia que tava cada vez mais longe.
    Os meses passavam e eu já cogitando fazer uma videolaparoscopia pra ver se não tinha endometriose ou algo do tipo que não estivesse aparecendo nos exames.
    Mas não era nada.
    Era tudo coisa da minha cabeça.

    Claro, eu não posso afirmar que vocês não tem nada. Mas a porcentagem de casais inférteis é baixíssima. E como já disseram, mesmo que haja infertilidade, é possível sim que vocês tenham filhos.

    Você já está dando uma chance pra vida, logo logo a vida te presenteia com uma nova vida.

    Beijão!!!

  11. Ai, gata, eu sou mega ansiosa sabia! Tento me controlar e nunca consigo, sempre estrago tudo. Desde o dia que decidi engravidar até o lance da gravidez ectópica eu e maridão brigamos tanto que pensei que a gente não ia aguentar o tranco. Ele brigava pela minha ansiedade insana rs e eu pela calma e tranquilidade dele diante daquela situação toda. Daí quando soubemos da fatalidade com o bbzico tudo acalmou e agora estou tentando me recompor e ser mais tranquila. Mas ó, vou assumir que não consigo viu? Consigo sim ser ansiosa com tudo. E sei como vc se sente por não conseguir aiai mas vai dar tudo certo. Estou torcendo por vc. Sei como é isso da perda! Fica bem que estou rezando por vc!!!!!
    ****
    Florzinha do meu jardim, não sabia dessa história com sua mãe e irmã. Ai menina…. não sei nem o que dizer, viu!

    Beijo enorme!

  12. Carol… com certeza vc tem um motivo a mais p ficar ansioca.. sao todas suas esperancas voltando a tona… mas tenta controlar sua cabeça.. sabe o que eu to fazendo?.. toda vez que começo a querer achar que to gravida eu digo p mim mesma: nao eu n vou ficar procurando sintomas….
    Quanto as preocupacoes.. com certeza sempre vms ter, depois que engravida é com bebe, quando nasce é com o filho.. e assim por diante.. mas temos que ser positivas.. e esses foruns falam muuuita coisa.. e a gente que dá mais atencao as coisas ruins… vai dar tudo certo acredite nisso…
    Bjo!

  13. Carolzinha, meu primeiro impulso foi te escrever o que você já ouviu bastante: seu bebê virá na hora certa, Deus sabe todas as coisas e tals. Tive um devaneio e vi a possibilidade da Mariana um dia se encontrar no seu lugar e eu, sabe-se lá, não estar por perto para dar esse colo todo.
    Mas, talvez, você precise, não de colo, mas de um chacoalhão de mãe, desses que nos fazem voltar à realidade. Portanto, vou falar o que falaria para Mariana se fosse ela, e não você nessa situação: você não tem nenhum problema de fertilidade. Seu marido idem idem. Um filho pode demorar bastante e em geral, um ano. Você tem saúde, um marido que te ama e ainda mora na capital do tango. A vida já foi cruel com você. E NÃO vai ser de novo. Tenha certeza absoluta disso. Já disse e repito: você ainda vai dar muita risada de todo esse episódio bebezístico.
    Sossega a periquita e tamos aí pro que você precisar!
    beijo querida!

  14. Lindona, voltei pra responder seu comentário lá no meu blog. Eu já contei aí arriba que sou mega ansiosa, sim e continuo, só dei uma acalmada e mega tranquilizada por que rolou todo aquele lance da perda do bb e tal e só assim eu percebi que me antecipei muito às coisas e que talvez minha ansiedade tenha atrapalhado super a minha vida… e percebi que aquilo não era o fim do mundo. Que a vida continua… aí o sofrimento foi passando e a calma reinando… mas com as outras coisas eu continuo SUPERRRRR ansiosa. Vc nem imagina menina. Affee maridão que me aguenta sabe…
    Que lindo isso de Maromba… hehehe temos algo em comum… e teremos mais ainda eu estou com um pressentimento sabia… hehehe quero ir pra Buenos Aires passar uma semanita e treinas meu castelhano que já está ficando fraco (faz 5 anos que voltei da Espanha) e com certeza iremos nos conhecer pessoalmente! =) daí que tô pensando começar as tentativas de novo por aí… hehehe imagina se engravido em terras porteñas??? rs E o melhor, acho que até lá vc tb vai estar garvidinha… os deuses que me disseram hehe e eu poderei levar um presentinho pro futuro bbzico!!!!!!!!!!!!! Beijos mil!

  15. Aí, Querol… chorei aqui deste ladinho de cá… quando vejo esta musica em algum lugar já sei o que me espera… Ô e como sei que como foi difícil e complicado pra vc… Mas enquanto não tiver nada concreto dizendo que não há esperança… vamos tentar pensar positivo… até pq não só eu, mas todas essas mamães e tentantes aqui estamos numa corrente de pensamentos positivos… te amo, viu? bêjá

  16. Amiga, no meu primeiro surto de tentante, também estava com a cara enfiada em fóruns de tentantes, tinha um monte de conhecidas tentantes no msn… marido surtou junto e pediu pra eu sumir desses foruns e cia ltda. Acatei o pedido e melhorei bastante – a gente ficar "bitolado" em coisa que a gente ainda nem sabe se vai acontecer (infertilidade) faz um mal danado.
    quanto à esperança, amiga, ela nao morre nunca! Fique certa que sua história já está escrita, e Deus não dá um fardo mais pesado do que podemos aguentar. Confie Nele, em sua irmã e sua mãe, esteja certa que elas te acompanham em sua cruzada, que mal começou, mas já te dão forças pra não surtar e sofrer. No mais, aguente firme, chore, esbraveje, ria e viva a vida!
    Beijo grande!

  17. Não sei se alguém já disse, porque fiquei com preguica de ler os comentários, mas tem tempo máximo de abstinência pra fazer o espermograma, viu? Acho que com 7 dias sem ejacular, ele já dá alterado (os zozos ficam velhinhos, deformados e lerdos…). Verifica lá pra não ter um mal resultado que não reflete a realidade.

  18. Lia, brigada! Eu tinha visto isso aqui tb e comentado com ele. No lab que ele vai, a pessoa falou cinco dias, nem mais, nem menos. Ou seja, se nao for na sexta, ele terá que "esvaziar" antes. Hehehehe

    beijos!

  19. Queria poder falar alguma coisa pra ajudar. Mas nem sei que te dizer.

    Não se cobre "demasiado" é normal ficar ansiosa e com neuras na cabeça.
    Vai dar tudo certo!!!!!! Daqui a pouco vc vai ver as tão sonhadas listrinhas rosas e vai pensar que nem demorou tanto assim.

    Fica bem! To aqui na torcida por vocês!! bjs

  20. Só quem passa por tudo isso que vc passou que sabe o que está sentindo, achei otimo seu marido fazer o espermograma, a maioria não faz e fica achando que é só com a mulher meu esposo já fez 3 e está indo pro quarto, tratando os dois as chances são maiores e ter real noção de qualquer possibilidade de problema ou vitória, boa sorte, que o senhor esteja com vcs nessa caminhada, estou passando por ela e sem bem como é, Deus é fiel vai dar tudo certo pra gente, bjos grande.

  21. Carol, li um livro esses dias que acho que pode ajudar. Na da de auto-ajuda, é um romance mesmo, da Danielle Steel e se chama 'preces atendidas'.
    Fala exatamente pelo que você está passanso, contando a históra de três mulheres. Se puder procure e leia, é bem bom.

    E sobre a 'lerdeza' dos maridóns, parece ser universal. Mas fazer o que, se eles fossem que nem nós certo que um homicidio já teria ocorrido….

    Beijos

  22. Ah Carol, acho triste considerar a esperança algo cruel. Acho que ela é sim uma faca de dois (le)gumes, mas acaba alimentando a nossa vontade de continuar na luta.

    Beijos

  23. Carol
    Em primeiro lugar, entendo muito a sua vontade de esganar o teu marido. Hahahaha. Eu sou surtada igual a você e tenho um marido (acho que todas as mulheres têm) que não se abala com nada. Quando no fim tudo dá certo (porque dá) e ele dá aquela risadinha de "viu? eu tinha razão e você é louca que sofre a toa" minha vontade de esganá-lo é maior ainda. Mas no fundo no fundo, ainda bem que eles são assim… senão a gente surtava MESMO.
    Bom, também tenho CERTEZA que daqui a bem pouco (talvez menos do que você imagina) você vai estar lindona desfilando o barrigon pelas lojinhas descolés de baby do Palermo. Você nem seu marido têm problemas de fertilidade. A vida já te tirou muitas coisas e, por uma questão de estatística (caso fé não seja o seu forte) não vai te tirar mais nada. Acredite em mim. Nem precisa ter calma. É só acreditar. Você ainda vai ajudar – e muito – a povoar este mundo com babys fofos. E com VIDA, VIDA, VIDA.
    Beijão bem grande.

  24. Carol, não vou te pedir calma nem falar frases "clichÊ" pq vc já deve ouvir bastante né. Só quero dizer q t admiro mto, vc é uma guerreira, uma pessoa iluminada, tenho certeza d q vc não sofrerá outra perda (ou falta do ganho) tão grande.
    sei q o desanimo vem a todo momento, acho q pelo conjunto e não por um fator isolado, essa montanha-russa é bem conhecida por mim, e olha q nem entrei nessa fase, super t entendo e t ofereço meu ombro (eletrônico, mas ofereço rs) pra qualquer coisa q precisar. Te adoro, beijocas!

  25. Viviane, obrigada por não pedir calma, rs! Obrigada pelo carinho e pela torcida – assim que souber o resultado de Maridón, volto aqui para contar! E concordo sobre os fóruns, eles só enchem a nossa cabeça de coisa doida. Eu evito sempre eles, só entrei mesmo pq queria indicações de serviços. Mas, tá resolvido: por enquanto, vou dar um tempo neles. Beijos!!

    Ale Ribeiro, eu sei, é um assunto emocionante mesmo. Obrigada pelo companheirismo de SEMPRE, viu? Estou sempre no seu blog, mas sou péssima comentadora, admito. Mas faz partes dos planos comentar mais nos blogs que eu gosto. Eu tb torço muito por vc! Que os “sapinhos” encontrem os caminhos logo, rs!

    Paloma, eu sabia que sofríamos do mesmo mal do afobamento, hehehe. Hoje, conversando com o Maridón sobre isso, ele falou que é assim mesmo, as nossas funções são: ele me acalma eu o empurro pra frente, por isso estamos juntos e nos completamos (é um poeta ele, fala aí). Obrigada pelo apoio! No fundo, eu sei que esse filho virá, sabia? De alguma forma que eu ainda não sei qual é, o amor que eu tenho pra dar não vai ficar solto aí pelo mundo, seguro que logo chega um candidatinho pra recebê-lo! Beijos!! (e um especial pra Clarice, a mocinha que agora tem nome!!)

    Maya, concordo com você e com a Viviane sobre os fóruns. Não gosto muito e depois dessa experiência, ficou claro que é “proibido” pra mim! E essas porcentagens são um fator que me acalma, sabia? Me apoio nelas! E tem mto tempo que vc tá tentando? Não quer entrar no Hall aqui do blog? Beijo!

    Fabiola, é o Maridón padece do cromossomo irresponsável, mas como eu disse pra Paloma aqui em cima, acho que isso nos completa, sabia? E você tá certa quanto a dor, é duro de admitir, mas a verdade é que nos ensina e nos fortalece. Só que tem dia que dóoi. Voce sabe, já viveu isso. Obrigada pela torcida! Beijão!

    Alê, eu lembro do seu comentário sobre as suas perdas, foi lá no primeiro post que eu contei a história da minha família. E também já pensei sobre esse medo de perder o baby, pq logo depois que aconteceu o acidente, eu desenvolvi esse medo com relação ao meu pai e ao Maridón. Ligava pra eles a cada 30, 15 minutos. Ficava o tempo todo pensando que eles poderiam estar morrendo, foi um caos. Agora já estou mais calma, mas ainda tenho compulsão de ficar ligando e controlando. E tento me agarrar nisso, de que as coisas virão no tempo certo! É difícil ver, mas eu to tentando!! Obrigada pelo carinho, querida!! Beijao!

    Cá, poxa, desculpe, sei que o post era pesado, mas não queria deixar ninguém mal!! Muito obrigada pela torcida! Assim que tiver novidades do exame do Maridón, eu venho aqui contar. Tomara mesmo que seja só um grilo da minha mente!! Voce já está no Hall, confere lá! Beijos!

    Aline Milanez, querida, não chora!! É, foi triste mesmo, muito complicado, mas sobrevivi! E acho que o processo todo (das perdas, da tentativa de ter o baby) são uma forma de me ensinar isso que você tá falando, de que as coisas acontecem como devem ser e não necessariamente respeitando a minha vontade. Eu Tb espero que minha hora chegue e que seja daqui a pouquinho, hahahaha! Obrigada pela torcida! Beijos!

    Débora, você não pede calma nada, você é a mestra das treinantes menina, relaxa! Eu li seu blog todo já (as vezes até volto num posts, hehehe). Me sinto como vc conta que se sentia mesmo. E tua história é um exemplo de força pra eu continuar! E comentei aqui em cima: essa porcentagem me acalma e sei que esse filho vai chegar, não sei de que forma, mas vai! Obrigada pelo apoio de sempre! Beijos

    Dani (Trocando Ideias) – tomara que passe rápido meeesmo! Na verdade, até acho que já passou desde que comecei a tentar até agora, sabia? Obrigada pela torcida! Beijos!

  26. Patrícia Boudakian, se vc não tivesse falado que é mega ansiosa, eu juro que não ia acreditar! Pq vc tá numa fase tão light e inspirada… bonito de ver! Mas é isso, né, a vida acaba ensinando pra gente determinadas coisas. Obrigada pelo carinho e pelas preces! Um beijão!
    ps: Ahhhh e que emoção os planos de vir a Buenos!!! Venha venha! Amei a idéia! E Buenos Aires é super fértil, a Paloma mãe da Ciça e da Clarice engravidou aqui (da Ciça) e tenho uma amiga que engravidou agora na virada do ano! Óóia! Te incentivei ou não?

    Marcella, controlar a cabeça é complicaaado, mas eu faço isso Tb, tento não catar sintoma. E não leio mais fóruns! Seguimos na luta!! Beijos!!

    Patricia querida, esse teu comentário foi forte, vou te contar. Foi o que me fez por os pés no chão mesmo. Você é sempre tão boa com as palavras, é impressionante isso, adoro! Eu posso até tentar, mas não terei palavras pra agradecer a altura… mas fica certa de que me fez muuuito bem. OBRIGADA! Beijos!

    Ju querida, acho engraçado responder a um comentário seu. Pq você sabe bem o que eu penso, o que as minhas musicas querem dizer, meu tom de voz, minha inabilidade em comentar nos blogs alheios… mas, vamos lá: Tb te amo querida. E sabe que sonho em estar grávida no seu casamento, né? (acho essa possibilidade mto remota agora, mas enfim, eu sonho, ué!). E obrigada por se unir a corrente dos pensamentos positivos! Ela é forte! Beijão e saudades!!

    Cynthia Santos, sobre os fóruns, já tá decidido: nada de fórum mais pra mim. Não faz bem nenhum, seu marido tinha toda razão. Orbigada pelo apoio, vou tentar seguir firme e aproveitar o processo!! Beijao!

    Lia, já tinha te respondido, né? O que não tinha te contado é que Maridón (a pessoa das parcas palavras) já sabia que era de 3 a 5 dias e não tinha me falado, tinha falado que era apenas 5. Arfe. Mas enfim, ele já ligou e já remarcou pra sexta, então tá tudo bem e dentro do prazo! Beijos, obrigada pela ajuda!

    Flavia, parabéns pelo aniversário! (ainda tá valendo isso?). Não se preocupe com a falta de palavras, você sempre me ajuda e só pelo companheirismo, já vale E muito. Meu sonho dourado são essas listrinhas, ai ai! Beijao!

    Sincera D+, menina, to sempre no seu blog, só não sei se já comentei lá (e aos poucos você vai descobrir que sou péssima comentarista de blogs). O espermograma do seu marido deu normal? Espero que o do meu esteja, mas vamos ver, acho melhor que ele faça logo e trate o que for do que ficar tomando negativo todo mês sem saber por quê. To torcendo pela gente, viu?! Beijos!

    Amanda Lima, obrigada pela indicação! Mesmo se fosse auto-ajuda eu leria, menina, na dificuldade, a gente se apega a tudo, né não? Beijos!!

    Rebeca, querida, a esperanca já foi cruel uma vez comigo, mas tento acreditar que não será novamente. E agora a sua experiência tá me ensinando que não é bem assim, né? Parabéééns de novo!!!! Beijocas!

    Dani, esse mal da TRANQUILIDADE acho que pertence a todos os maridos, hahaha. Tb tenho vontade de dar uma esganadinha as vezes, mas vc tem razão, é bom que eles sejam assim, nos acalmam! E eu vi seu comentário aqui e no seu blog, hihihih. O copy/paste deu super certo, boa idéia! Obrigada pelo apoio e pela torcida de sempre! Espero mesmo muito em breve colocar uma foto aqui no blog deu andando a minha beleza barriguda pelas ruas chiques de Buenos! Beijão!!

    Natália querida! Pode falar o clichê que vc quiser, eu gosto deles! Obrigada pelo apoio e pela amizade, viu? E por me oferecer o ombro eletrônico!! Beijao!!!!

  27. AÍ CA-RO-LI-NA! vc me faz chorar… é… eu conheço mesmo, como vc me conhece!

    Eu tb sonho em ter uma madrinha gravidissima e de barrigas (lembra os vestidos q te mandei? poderosérrimos!)… Mas confesso que ao mesmo tempo, a idéia de não poder brindar com vc e com vinho, e com o prosecco, me faz ficar pensativa! hahahahaha

    ok, esse foi um comentário pra te fazer rir!! Diz que riu? há

    Enfim, brincadeiras a parte… é só para reafirmar que estou do seu lado (virtual ou não) para o que der e vier!

    bêjá-flor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *