Tava perambulando pelos blogs, como sempre. Aí li o post da Paloma e comentei, lembrando do quanto sentia ciúmes da minha irmã. Contei do dia que eu a tirei do berço com vontade de jogá-la no chão, de tanto que eu enciumava aquela criaturinha.

Ok, o dia passou e eu fiquei me sentindo tão mal. O dia todo meio estranha, meio alheia. Esqueci de uma reunião importante, esqueci das pendências. Não comentei mais em blog nenhum e não consegui mais me empolgar com papos maternos. Essa celebração coletiva à vida que são esses blogs. Me faz bem todo dia, mas hoje não.

Voltei lá no blog da Paloma e vi que alguém tinha escrito “meus irmãos são tudo pra mim”.

Entendi tudo.

A minha irmã era tudo pra mim. Pra quem não sabe: ela já morreu (falei um pouco disso aqui). E me deu uma puta culpa de ter escrito lá essa história do dia do berço. Do dia que eu teoricamente quis mal a ela.

E só de escrever essas linhas, minhas mãos tremem, meus olhos enchem d’água, dá um nó na minha garganta. Sou tomada por todas as culpas, por todas as dores, todos os arrependimentos. E é tudo muito estranho, porque ao desviar o rosto e olhar pra janela (pra ninguém do trabalho me ver chorando) começa a chover.

Não sei que relação tem isso com as baby-bobeiras que eu proponho e, sinceramente, acho esse papo meio pesado pra ser publicado aqui.

Mas bem.

Talvez seja uma notinha de rodapé pra explicar um pouco da minha enorme vontade de ver uma nova vida acontecendo.

14 respostas em “Vai minha tristeza e diz a ela que sem ela não pode ser

  1. Não sei se ajuda, mas saiba que estou aqui chorando junto com você. Fui eu que escrevi que meus irmãos são tudo pra mim. Não posso dimensionar o tamanho dessa dor, mas posso te estender a mão e te dizer que daqui do outro lado do computador rezei por ela. E por você.
    Fica bem, tá?
    beijos

  2. Carol,
    Você era uma criança. O que você escreveu, de forma alguma, caracterizou que você amava menos ou mais a sua irmã do que qualquer outra pessoa ama seus irmãos. Por mais que os irmãos sejam tudo para alguém, certamente já teve dias em que eles se estapearam quando eram pequenos ou que desejassem que o outro sumisse.
    Não se culpe pelo que escreveu. E certamente sua irmã deve estar rindo em algum lugar por ver que você ainda se lembra dessa história.
    Fica firme, querida.
    A gente não gosta de te ver triste.
    Beijos

  3. Ai Carol, nem sou intima sua, mas quero t dizer q seu texto me tocou mto, pude sentir daqui seu "no na garganta" … olha, use seu blog pra desabafar msm, sobre qualquer coisa, e fale ateh o ponto q vc queira falar, entrando em detalhes ou nao. Pelo menos eu, vou estar sempre aqui pra dizer uma palavra d carinho e conforto, espero q ajude.
    Força. Bjos

  4. ai carol, não consigo imaginar que tamanho de dor é essa.
    nao consigo passar nem perto.

    e quando você fala da sua irmã me aperta o coração porque não consigo me imaginar sem nenhuma das minhas irmãs (tenho três).

    mas essa história do baby realmente é um renovo.

    sabe, meus avós são como segundos pais para mim, mas estão muito doentes, ambos com câncer e fazendo quimio. no dia que fiz o ultrassom e confirmei minha gravidez, meu avô estava internado em um hospital perto da clínica que eu fui.
    eu corri lá e contei a ele. ele foi o primeiro a saber, antes mesmo da minha mãe ou irmãs.
    aquela notícia foi como uma nova injeção de ânimo pra ele. foi lindo vê-lo assim, tão contente!

    e é como eu falei no meu último post: a vida é um milagre e a gente não tem controle nenhum sobre ela.

    então vamos torcer pra que ela perca o controle, te encontre e faça brotar uma nova vidinha aí, dentro de você 😀

    beijinhos, minha querida!
    e que o dia de amanhã te traga um novo ânimo!

    :)***

  5. O que se pode dizer diante das suas palavras? A dor é tão egoísta e pessoal, não há nada que eu fale que poderá amenizar. Estou triste mesmo, mas torcendo pra que vc encontre as respostas.
    Um abraço linda.

  6. coisa de criança menina…
    a guria que trabalha comigo martelava os dedos da irmazinha…. e hj moram bem distantes ahahaha e elas morrem de sauades uma da outra e a mais nova tem as marquinhas nos dedos ngm mereci

  7. Dizer o que?
    Logo hoje que me sinto a pior pessoa do mundo por meus irmãos estarem saúdáveis, pq serei tia em algumas semanas, me sinto mal por isso pq ontem descobri que um primo mto próximo e querido, de 16 anos, está com Leucemia pela segunda vez, e agora de uma forma muito agressiva, provavelmente precisará de um transplante. Me sinto mal por abraçar meus irmãos e sentir-me feliz por eles estarem bem, me sinto mal por ver alguém que tenho muito carinho sofrer. Me sinto péssima por imaginar que não temos o controle, que não posso fazer absolutamente nada por ele.
    Me sinto mal por não saber o que te falar e ainda por cima desabafar aqui… óh céus!

  8. Carol,
    Sinto mto pela sua irmã. Eu só de pensar de ficar sem minha mãe e irmãos (tenho 3) já fico mal, não consigo nem morar longe deles!!
    Tenta não pensar no que aconteceu de ruim, guarda só as lembranças boas, ela com certeza ta olhando por vc.
    E eu vou continuar colocando vc nas minhas orações, pelo nosso positivo!
    Um Bjo
    Se quiser conversar, sei la, me add no msn, letchuly@hotmail.com

  9. Carol, antes mesmo de ler este seu post, eu escrevi lá no blog que vc não deve se culpar. Que irmão já não quis mal a outro? Todos! Em determinado momento, a gente quer mesmo é que eles morram para que nossos pais sejam só nossos. E vc era uma criança, não tem como se culpar hoje pelo que vc pensou aos cinco anos. Eu já detestei muito a minha irmã também, já nos pegamos muito, como eu disse lá nos comentários.
    Fico triste de ter escrito algo que te deixou assim, mas quero que vc saiba que ciúme entre irmãos é normal e vc era apenas ma criança.
    Mas entendo que isso tenha te despertado uma saudade grande da sua irmã e gostaria de estar aí para te dar um abraço apertado e dizer que vai passar (a tristeza, porque a saudade boa fica).
    Beijo enorme.

  10. Carol, Quando postei sobre minha história para conseguir engravidar, você disse que talvez não tivesse força para passar por tudo aquilo.
    Menina, você é MUITO forte e tem uma história de vida que mais do que prova isso!
    Acredite em você e em todas as coisas boas que estão a sua volta. E se precisar de um ombro ou ouvido virtual, pode contar com o meu, rsrs.
    Beijos.

  11. Carol, eu tenho um irmão dois anos mais novo, que olha… perdi as vezes de quantos "atentados" tramei – e executei – contra ele. Quebra paus eram corriqueiros em casa, e eu não conheço NENHUMA criança que não tenha desejado que o irmão morresse / se machucasse / sumisse ao menos uma vez.
    Não se culpe, não sofra por isso.
    Também queria estar perto para te dar um beijo e um abraço bem carinhoso. A tristeza vai passar, você sabe. Se apegue aos momentos bons e às boas lembranças que você tem da sua irmã, que isso que vocês viveram é o mais importante.

  12. Carol,
    Fica até redundante falar… mas meu irmão mais novo tem 6 anos de diferença pra mim… e eu tinha muitooooo ciúme dele… minha mãe até me colocou na terapia na época… hehehe… faz parte… já sai muito no tapa com meu irmão mais velho… é assim mesmo… irmãos é uma relação de amor e ódio intensa, mas que passa, graças a Deus, quando crescemos!
    Não fique tristinha! ânimo e cabeça erguida!
    Adoro seu blog!
    Bjinhos!

  13. Querida Carol, ontem ouvi esta mensagem pra vc!
    O corpo é novo mas o espirito é antigo! Responda a si mesma o que sente por sua irma hoje?! Esse sentimento éo que vale aos olhos de Deus! Nao se remoa, tenha certeza que um dia ja fomos bem piores.
    Beijocas!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *