Ontem foi/seria o aniversario da minha irmã (mais sobre a vida, aqui).

***

Como todo bom serumano, aprendi muitas coisas ao longo da minha vida. Mas, também aprendi com a morte.

A mais positiva e a que mais me “atormenta” é o gosto pela vida. Me atormenta porque fica muito difícil balancear as coisas. Ao mesmo tempo em que acho que tenho que ser uma pessoa razoável e planejar bem as coisas, penso que o amanhã não me pertence e que tenho que ser feliz e viver tudo que posso AGORA. Porque o amanhã não me pertence.

Então fico pendendo entre viver responsável e com planos e viver um relativo carpe diem.

Só que como ontem foi aniversário da minha irmã e ela só viveu 16 anos e ela não fez nada do que tinha se planejado (nem sexo, nem andou de avião, nem se apaixonou, nem dirigiu um carro, nem quase nada), eu atualmente estou pendendo mais pro ser feliz aqui e agora. Não consigo entender por que passamos a vida colocando condições pra fazer algo que nos deixaria felizes. Não sei por que não nos arriscamos. Se pensarmos bem, esses medos não tem tanto fundamento.

De tudo que pode dar errado, o pior é morrer. Eu sei, eu vivi isso. Eu vi minha mãe passando por muita coisa nessa vida (entre passar fome, ficar deficiente, perder empregos, ser roubada, ter a casa incendiada) e digo, com certeza, que não foram essas coisas que marcaram a vida dela. Foi a felicidade. O pior que aconteceu foi ela não poder mais estar aqui pra curtir as coisas boas. As ruins aconteceram e ela aprendeu com elas e seguiu.

De forma ou de outra, desde que estejamos nesse mundo com uma oportunidade de recomeçar, vamos ficar todos bem. Tudo vai dar certo.

Por isso, eu insisto:

Vou começar um curso de dança no ano que vem – mas porque não essa semana?
Daqui a dois anos vou me preparar pra fazer uma grande viagem – mas porque não começar a guardar a grana agora?
Quando eu tiver mais 3 anos de experiência nesse trabalho, vou procurar um melhor – mas porque não já olhar pras possibilidades essa tarde?
No ano que vem, estou planejando ter um filho – e porque não hoje?

Com esse pensamento, eu fui passear na Europa, seis meses depois do acidente com a minha família. Quando deveria haver luto, tinha eu curtindo a vida e andando de avião pela primeira vez (já que a minha irmã não pode, eu estava viva e nada me impedia).

Ainda pensando assim, um ano depois, eu me arrisquei a casar, com direito a uma puta festa. Eu festejei o amor, quando todos me criticavam por estar “abandonando” o meu pai.

E de novo, com esse mesmo pensamento, um ano depois do casamento, eu vendi a casa recém-montada e fui embora do país. Eu arrisquei, quando todos diziam que era hora de ficar quieta.

Com esse mesmíssimo pensamento, eu vou gastar um dinheiro que teoricamente não existe em mais uma grande, feliz e sonhada viagem, agora pra Nova Iorque.

E, finalmente, esse pensamento que impulsiona a minha vida me põe em cheque: se você quer tanto ter um filho, se acha que está preparada e já avaliou com cuidado todos os prós e contras, porque ainda está esperando?

Não tem motivo.

Sendo assim, Maridón e eu resolvemos que não temos mais nada pra esperar. Tivemos um final de semana de conversas importantes e plenas e maravilhosas. O que parecia ser um plano distante há dois meses atrás, agora é realidade.

Chegou a hora de realizar o maior sonho de todos.

***

Uiiii

Friozinho na barriga de ter escrito essas coisas.

Wish me luck, girls!

13 respostas em “Sobre a vida II

  1. Com certeza te desejo toda a sorte do mundo. Mas sem estresse com isso, tá? Vamos combinar que, quando vier, vai ser bom!
    E sua irmã nasceu no Dia de Todos os Santos, que coisa linda!
    Beijo grande, Carol. Seus planos são muito bons!

  2. I wish YOU luck!

    feliz, muito feliz por vc!!
    E concordo com a Paulinha, faz filho em NY… pq além de ser chique de doer… ele será ainda mais um cidadão do mundo!!

    Rio – BA – NY

    beijo grande

  3. Que legal! Agora vocês já deram o primeiro – e talvez o mais importante – passo. Acredito realmente que um filho nasce primeiro na cabeça (sonhos!) e no coração. Depois disso, o universo parece conspirar a nosso favor e a realização do nosso grande sonho é uma questão de tempo. Então, prepare-se para passar pela maior emoção da sua vida e conhecer um amor maior que tudo nesse mundo. Bjs

  4. Carol,
    por razões diferentes das suas compartilho do mesmo pensamento. Me emocionei com o post e com a sua vontade de viver o hoje. Penso igual, idêntico, sem tirar nem por.
    Que venha o bebê e com ele alegrias e emoções que você nem imagina!
    beijos

  5. Adorei o Post! Lindo mesmo!

    Boa sorte, viu? Vc fez os exames, está tudo bem com vocês, vocês querem muito e isso é o mais importante. Agora é só esperar e sei que não vai demorar muito não!

    Beijinhos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *