Ou senta que lá vem a história

Cada dia que passa, eu me convenço que to ficando doida. Só pode. Mas aí vou nos blogs das mommys e vejo que todas têm seus rompantes de insanidade, daí fico mais calma (midentifico!). Isso pra contar sobre a minha ida ao médico ontem. Foi legal, gostei dele, mas tive efeitos colaterais estranhos, com requintes de pura loucura.

Exagero número 1: saí do trabalho às 16h pra uma consulta que era as 18h15 (pq, meu deus?). Queria me assegurar que não ia chegar atrasada (num lugar que fica a dois bairros de distancia).

Exagero número 2: Durante as duas horas que me separavam da consulta, estava sozinha (larguei o celular em casa, pra piorar) e comecei a pensar um monte de loucuras. Explico: é que mais cedo, tinham me perguntado no trabalho se eu tava grávida (muito sono e espinhas no rosto). Eu já tava desconfiando disso, sei lá, essas coisas acontecem, né? Tinha as dores no peito, mudança brusca de humor, fome excessiva. Em vez de colocar a cabeça no lugar e me lembrar que o nome disso é TPM, lá fui eu nervosa pra farmácia comprar um teste de gravidez. Queria saber logo, antes de chegar no médico, afinal, se tivesse grávida, o papo com ele seria outro. Daí entrei num banheiro de Mc Donald’s fedorento e fiz o teste ali mesmo. Ca-la-ro que eu não tava grávida. Duh.

Exagero número 3: Chegando no consultório, não-grávida, percebo que tem pá base dumas 10 humanas na minha frente. Faltavam uns 15 minutos pro meu horário e eu me desesperei, já que é claro que ele ia demorar mais de 1,5 minutos com cada uma. Mas elas não pareciam se importar com a demora e, cada vez que ele aparecia na sala de espera pra chamar a próxima, elas olhavam pra ele com uma certa admiração. Isso me deixou animada. Só que conforme o tempo foi passando, eu fui imaginando todo tipo de situação, fui entrando cada vez mais num mundinho só meu e, quando chamaram meu nome, eu não ouvi. Aí ficou ele, as mulheres da sala de espera e a secretária olhando pra minha cara, esperando a minha boa vontade de voltar pro Planeta Terra. Duh 2.

Exagero número 4: vamos à consulta em si, chega de enrolação. O GO é legal, tentou falar em português comigo, fez as perguntas-padrão gringas (porque você tá aqui? Você gosta da Argentina? Ah, mas o Brasil é tão lindo, praia, carnaval! Tem marido argentino? Quando você volta?), eu aturei, respondi com calma e falei de Olimpíadas no Rio. Passado o papo quebra-gelo, ele quis saber do meu histórico (normal), perguntou há quanto tempo eu não vou ao médico (vergonha: 1 ano e 8 meses) e disse que não tem como afirmar nada sobre ovários policísticos ou de pólipos sem antes pedir um exame (ultra). Pediu também uma ultra dos seios (não sei se é uma mamografia, mas é pra ver as dores que eu tenho), mas disse que quase com certeza não é nada, pediu o exame só pra eu ficar mais tranqüila (ponto pra ele!). Além disso, pediu um papanicolau (que nao é feito no consultório aqui). Estava atento as minhas dúvidas, mas eu, nervosa, me atrapalhei toda e não perguntei as coisas com a calma e a clareza que eu queria. Ele repetiu algumas vezes “você é tão nova, certamente vai dar tudo certo, mas vamos confirmar tudo pra você ficar bem tranquila”. Me receitou outra pílula (a minha é brasileira e não existe igual aqui) e disse que só é pra suspende-la um mês antes de quando eu pretendo começar a tentar. Nessa ocasião também começaremos com o ácido fólico. Enfim, até aqui tudo bem, né? Supostamente sim. O exagero dessa parte é que eu fiquei meio triste. Não sei o motivo, pode ser que eu estivesse esperando uma super reação de alegria do cara. Sei lá, eu falaria pra ele que quero ter um filho e ele, muito feliz, sairia correndo de alegria pelo consultório, enquanto as 10 mulheres do lado de fora me aplaudiriam e eu, emocionada, agradeceria pelo carinho.

Acho que fiz uma super expectativa pra uma coisa que era óbvia: o médico ia me pedir exames e depois veríamos como seguir. E foi o que aconteceu. Fora que não estou grávida, nem tentando há séculos, ele não tem pq me pedir dosagens hormonais ou pedir pra acompanhar de perto meu ciclo.

Mas cheguei em casa tão triste. Maridón ficou espantado e foi aí, quando eu realmente precisei, que ele se colocou: disse que o projeto mais lindo e romântico e feliz das nossas vidas não pode ser acompanhando de tanta tensão. Que se eu quiser, ele vai comigo nas próximas consultas e fica do meu lado o tempo todo que eu precisar. Pra me lembrar que o que queremos é maravilhoso, será resultado de muita alegria, amor e só algum planejamento (o necessário pra estarmos seguros com a decisão).

Eu falei que me senti muito boba por tudo isso, de ter feito um teste de gravidez totalmente desnecessário (eu nunca fiz isso na vida!), de ter ficado abobada na frente do médico e depois triste. Ele reafirmou que não tem nada de bobeira, é só uma insegurança que vamos tentar afastar. Me abraçou muito forte e eu dormi, finalmente segura com as coisas.

***

Com a experiência e com a fofíssima ajuda de Maridón, finalmente estou relaxando.

E vamos relaxar ainda mais a partir de amanhã, já que estou indo passar o feriadão com a família, no Rio (!!). Vou dar um pouco de folga pra esse assunto, acho que é o momento.

Um bêju e bom feriado pra vocês, mocinhas e mocinhos (tem algum mocinho por aqui?)!

12 respostas em “Sobre o médico

  1. É louco, mas é normal, hehe. Quando a gente tem de lidar com uma coisa importante para nós não passa o dia inteiro pensando nisso? Mas o conselho do maridón é sábio; tem que relaxar um pouco mais,. tensão assim atrapalha.
    Eu sou uma pessoa tensa, não sirvo de exemplo, mas dou o meu testemunho de que sempre que consigo relaxar as coisas saem melhores (e eu também). Boa viagem!

  2. eeeeeeeeeeeeee!!!!
    vc vai relaxar!!!!!!!

    gostei do medico.. de trouxe ao mundo real.. uhauuahuhauha

    se o teve ponto pro medico… entao o pedro fez um golaço!!! uauhauhau

    faz um caderninho de perguntas.. qq duvida anota e nas proximas consultas leva o caderninho, ajuda a tal amnesia do jaleco branco.

    um beijo

  3. Ahh, mas quem é que não tem um desses momentos que seja? Ainda mais quem tá tentando ter um baby. Eu já fiz cada uma…………….
    Mas aí depois eu comecei a cair na real e foi bom, pois não ficava me estressando à toa.

    Pela descrição do diálogo, eu acho que o médico é ótimo. E isso já é meio caminha andado, pois um médico que deixa a gente segura e tira todas as nossas dúvidas nos deixa menos ansiosas (lembra do meu penúltimo post, aquela médica que me deixou "uó").

    Ahhh, e isso é só o começo…hahahahaha
    Acho que a ansiedade ou momentos loucos como esse fazem parte do processo. Ainda mais em TPM!

    Beijos, e aproveita a viagem!

    =*

  4. Ta no caminho certo, Carol, relaxa, mas relaxa mesmo, hein? Passar por essa tensão toda sem nem estar tentando ainda pode te trazer muito sofrimento quando se tornar tentante, digo por experiência própria…
    Beijo grande, to torcendo pra fazer sol, porque aqui no ES e RJ tá uma nuvem enorme em cima…ehehehe

  5. ó, não dá bobeira com pedrinho, não, hein? com essa propaganda que vc está fazendo, vai ter fila querendo roubar ele de vc… 😛

    carol, gostei do médico (duh! com base em quê, hein?). mas gostei.

  6. Kakakaka….Carol, fiquei aqui rindo sozinha imaginando a cena do médico correndo de alegria e as pessoas te aplaudindo. Demais.

    Flor, a primeira consulta ao médico realmente não tem nada demais, mesmo. Nós é que criamos expectativas. Quando eu fui ao meu médico (que é mega despachado)ele me falou a seguinte frase antes de sair da sala dele: Você vai engravidar logo, você deve ser daquelas que encostou, engravidou, você vai ver. E eu saí rindo à toa.

  7. Pois é, Carol, eu também fiquei meio surtada quando começamos a tentar. Mas depois que engravidei, todas as minhas angústias foram embora. E até agora não voltaram.

  8. Carol,

    Aquela demonstração d mim 'fora da ordem mundial' não é uma exclusividade d grávidas, e sim d mulheres! Temos nossos momentos d megalomania, onde queremos q o mundo pare e nos dê exclusiva atenção. Super normal. Q o feriado sirva para refrescar a cabeça e t fazer seguir em frente. Eu segui, e até fiz fazina na cozinha hj sem reclamar, com a chuva desabando lá fora e u a cantarolar, como se eu nunca tivesse surtado antes.

    Beoa Sorte!

    : **

  9. Carol eu me divirto com você kkk…é muito engraçado e mais ainda quando além de ler fico montando a cena na minha cabeça hahaha… Vc mora na Argentina minha irmã morou até o começo desse ano em Porto Madero.
    Aproveita o Rio.
    Beijocas e boa semana.

  10. Eu sou a ULTIMA pessoa no universo que pode te dar conselho anti-ansiedade. Sou daquelas que adianta relógio, chega no aeroporto quando o check in ainda nem abriu e tem pontadas abdominais de todos os naipes quando está deveras ansiosinha.
    (E gente como eu não compra 1 e sim 8 testes de gravidez de uma só vez)
    Fica tranquila, a hora tá chegando! Por enquanto curte o maridon que parece bem bacanon.
    Beijo!
    ps: eu me acabei com a sua resposta no 3 la no blog…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *