Tenho namorado muito a idéia de ter um parto natural.

Nem estou grávida ainda, mas acredito que a mulher precisa se preparar para o momento e informação nunca é demais.

Sendo assim, tenho lido bastante e começo um trabalho de convencimento interno (como se morassem várias pessoas dentro de mim!) para fazer a vinda do meu futuro baby ao mundo ser da forma mais natural e com o mínimo de intervenções possível. Sei que esse é um tema de muita discussão e vejo as mommys se agredindo por aí, falando que uma é melhor que a outra por causa de coisas que, na verdade, só interessam a cada uma. Então já estou consciente de que, antes de tudo: os buracos são meus e eu sou a melhor pessoa pra decidir o que quero fazer com eles. Acho os debates saudáveis, mas tudo tem limite.

Pois bem. Meu estudo está só no começo e ainda não decidi nada.

Mas aí tava conversando com a minha prima sobre o nascimento do baby de uma conhecida e pude sentir uma certa “desinformação” dela, que as mommys mais “engajadas” tanto recriminam. E confesso: fiquei desapontada de saber o que ela pensa.

Era uma conversa super básica: eu perguntava como estava o baby da conhecida, se a mommy tava bem, se já tava dando de mamar numa boa e que tipo de parto ela tinha feito. Minha prima responde:

– Cesárea, lógico.

Eu, assustada:

– Porque “lógico”?

Ela:

– Já o terceiro filho, todos foram de cesárea. Ela aproveitou e ligou as trompas.

Eu, ainda assustada, pensando na mulher que passou 3 vezes na faca e ainda por cima decidiu ser estéril (pode super ser que eu esteja cuspindo pra cima e que morda a minha língua daqui a alguns anos, mas eu MORRO DE MEDO dessas práticas):

– Olha, não sei da historia dela, mas eu quero tentar o parto natural, com certeza. E não só isso. Se der, queria domiciliar, com luz baixa, musica. Não quero nada de soro no meu braço, nada de carregar meu filho pra longe de mim logo que ele nasce. Só se for indispensável, claro.

Ela, taxativa:

– Você ficou louca. Acho que é o frio que tá fazendo isso com você, tá congelando seus neurônios.

Eu continuei falando que era sério e que ia fazer campanha entre as mulheres da minha família pra todo mundo tentar o parto normal. Ela falou pra eu limitar as minhas campanhas aqui por Buenos Aires mesmo. Eu amo demais a minha prima, ela é como se fosse minha irmã. As meninas (fofas!!) que comentaram no meu post anterior falavam que eu poderia ter outro tipo de “tia” pro meu filho e ela com certeza será uma dessas. E nós temos esse linguajar irônico entre nós, meio de nos sacanear mesmo. Não me incomodo dela me chamar de louca ou coisas nesse sentido.

Mas aí, vendo que eu tava realmente falando sério, ela começou a conversar comigo mais calmamente e falou que pra que meu desejo aconteça, minha saúde e a do baby têm que estar “100%”, perguntou o que farei se houver rompimento do períneo, já que teria que costurar e não teria onde etc.

Eu não sei a resposta pra essas perguntas. Mas que tenho o sonho, ah tenho. Que eu acho que o corpo da mulher é preparado para o parto, ah acho. Que acredito que o parto natural (ou normal, como queiram) deveria ser a primeira opção pra todas as mommys, ah ACREDITO.

Disso tudo, o que me chamou a atenção foi que ela, como deve existir muita gente, nem considera outra possibilidade. A cesárea é a única forma plausível/saudável/limpa/livre de riscos de um bebê vir ao mundo na cabeça dela. Fiquei assustada. Acho que minha pré-decisão de manter o caráter fisiológico do parto ainda vai dar muito pano pra manga.

(e eu ingenuamente achava que não, que todo mundo ia achar lindo!)

10 respostas em “A ponta do iceberg

  1. eheheheh
    eu sou adepta do parto normal SEM dor. Não acho que necessariamente a mulher tenha que sofrer pra trazer o filho ao mundo, principalmente com tanta tecnologia à disposição, pra facilitar a tornar tudo muito mais seguro. Eu, pessoalmente, morro de medo do parto natural e domiciliar, pois como disse sua prima, não só um rompimento de períneo pode acontecer, como coisas mais graves e por em risco a sua vida e a do bebê. Pra citar um exemplo, minha mãe, quando me esperava, teve uma gestação super tranquila e normal, estava tudo certo pra um parto normal… porém, ela não dilatou. Ficou horas em trabalho de parto e nada de dilatar. Resultado: teve que fazer uma cesárea de urgência.Quando nasci, estava toda enrolada no cordão umbilical e já tinha até liberado o mecônio. Já pensou se ela tivesse optado por um parto natural domiciliar? Meu filho nasceu de cesárea, porque tenho um problema sério de coluna na lombar, e quando tenho crises, travo que é uma beleza, tenho que ficar de cama e depender dos outros pra tudo. Não quis arriscar uma travada dessas durante o trabalho de parto – quem ia cuidar do meu anjo? Eu não ia poder amamentar, pois os remédios pra dor são muito fortes… enfim, não estou querendo te convecer de nada, mas certifique-se bem de ter todo o suporte necessário ao seu dispor, seja num parto natural domiciliar, seja num parto em hospital – normal ou cesárea.
    Beijo grande!

  2. Carol:
    Eu acredito que a maioria das mulheres poderiam parir naturalmente se quisessem…
    É o melhor para o bebê e o melhor para a mamãe. Claro, que a cesárea algumas vezes é inevitável, mas você que anda metida nessa blogosfera materna já deve saber que nem sempre é necessária, e as mamães que fazem essa opção se sentem ofendidíssimas por se sentirem julgadas por ter feito uma cesárea eletiva. Por outro lado, as mamães que optaram por parto normal sem anestesia, ou um parto domiciliar, são chamadas de xiita, loucas e irresponsáveis.
    E o parto, claro, é só o começo dessa longa e desnecessária batalha, depois vem as discussões sobre amamentação, deixar o bebê chorar no berço ou não, que colo demais vicia, etc., etc., etc…
    Mas como vc mesma disse, você é a dona dos teus buracos, e só você decide a maneira que você quer que teu filho chegue ao mundo. O único que eu te aconselho é que você se informe (hahahaha) e se cerce de profissionais responsáveis e que realmente apóiem a tua decisão.
    E sobre parto domiciliar, parir em casa, acompanhada de parteiras (comadronas) competentes e com experiência é tão seguro quanto parir em um hospital. Isso claro, se você tiver uma gravidez tranqüila, e você estiver bem e o bebê também. Sobre o períneo, já no finalzinho da gravidez as parteiras me ensinaram a fazer exercícios de elasticidade e eu não tive que levar nenhum pontinho (e olha que o “pequeno” nasceu com 3.8 kg) mas as parteiras são enfermeiras formadas e poderiam dar os pontos se necessário.E uma ultima coisa, antes que esse comentário não caiba na pagina… Sentir dor nas contrações e no expulsivo, não tem nada a ver com sofrer (juro!) E estar 100% presente, na hora mais importante da tua vida, não tem preço.

    beijos

  3. Concordo com a Flávia!

    E contigo! Eu tbm quero um parto normal, humanizado, com o menor número de intervenções possível. Não me acho louca, acho absolutamente normal e saudável. Tenho verdadeiro pavor de cesárea por achar agressivo, invasivo demais. A minha impressão é de que arrancam o bebê da casinha sem ele querer.

    Óbvio, tem casos onde é obrigatória a cesária, mas não é a maioria. E no entanto a maior parte das mulheres opta pela cesárea sem motivo.

    Fiquei feliz em saber que não estou sozinha nessa! hehhehhe

    Obrigada pelo carinho lá no blog, mesmo! Eu fico muito feliz!

    Beijos!

  4. Cheguei aqui nem me lembro mais como…Bem, eu tive parto normal, mas antes de ficar grávida nem pensava nessa possibilidade…nada como informações. Meu parto foi normal, no hospital…e foi a melhor escolha que eu fiz!!

    bj

  5. Carol, acho o máximo você já estar se informando e pesquisando sobre o parto, mesmo antes de engravidar. Esse planejamento todo fará muita diferença na sua gravidez, quando ela acontecer! Mas tenha sempre em mente que você PODE ouvir o que os outros dizem, mas NÃO DEVE seguir as outras pessoas só por que elas falam que isso ou aquilo é melhor. Cada pessoa tem uma história, uma bagagem de vida…por isso as experiências são únicas e cada um é que sabe de seus buracos! Beijo! Boa semana!

  6. Carol,

    Começo agradecendo o comentário lá no blog e pelo link aqui : **

    Qt ao assunto parto, vc falou tudo lá em cima: os buracos são seus e vc é quem escolhe o q fazer deles. As pessoas as vezes pesam a mão ao exprimir suas convicções e acabam nos convencendo exatamente do contrário.

    Eu gostaria mto d fazer o meu como vc disse: da forma + natural possível, luz baixa, som, em casa. Infelizmente, aos 5 meses eu já sei q vou ter d apelar pra cesárea por conta da pressão, mas é com tristeza. É inquestionável q o corpo da mulher seja fisiologicamente preparado p/ 'parir' d forma natural. A recuperação é imediata, no outro dia vc tá lá, sassaricando, andando, cuidando do pequeno e sem remendo nenhum pra contar história.

    Boa sorte com o processo p/ engravidar. Mas, + importante, cuide da cabeça, ela mtas vezes nos impede d fazer e obter aquilo q + queremos.

    : **

  7. Esse assunto é polêmico mesmo. Acho que você tem de encontrar o que te faz sentir mais segura. Por isso não critico de forma alguma minhas amigas que optaram por uma cesárea, mesmo eu sabendo que o parto normal é o mais saudável em pelo menos 90% dos casos.
    No meu caso, optei por uma médica que não é militante do parto "humanizado", mas que tem a fama de respeitar as opções da paciente. Como ela já fez o parto de uma amiga minha, que amou, e foi chamada pela enfermeira de uma maternidade que eu visitei de "anjo", decidi ficar com ela e pendurar as neuras.
    Pra mim, ler blogs sobre parto natural e pesquisar demais sobre o assunto só me faz mal, porque parece que o mundo inteiro quer te enganar. Simplesmente não consigo viver de uma forma tão defensiva, pronta o tempo todo para contestar médicos e enfermeiros.
    Minha escolha foi confiar na minha obstetra e relaxar, porque acho que já tenho informações suficientes sobre o assunto (melhor fonte pra mim: OMS) e referências suficientes sobre minha médica.
    Mas, como eu disse, VOCÊ tem de encontrar a maneira que te faz ficar mais tranquila. Pode ser acompanhar grupos e blogs que defendem o parto natural; pode ser achar uma doula que te agrade; ou pode ser simplesmente encontrar um bom obstetra, em quem você confie.
    Boa sorte!

  8. Oi, Carol.
    Também acho que essa é uma decisão que deve ser tomada por você, baseada em muita informação.
    Para te ajudar, vou te contar minha experiência (se você quiser, pode ler o meu relato de parto no meu blog). Tive um parto normal maravilhoso e praticamente sem anestesia (meu trabalho de parto foi super rápido, cheguei no hospital com 6 cm de dilatação e duas horas depois meu bebê já estava em meus braços. O anestesista chegou às 15:50, e meu bebê nas ceu às 16:38!). Meu filho nasceu numa sala de parto humanizado, que nada mais era que um quaryo todo decorado, com uma uma cama enorme e que reclinava para a posição de parto normal, sem aquelas luzes de centro cirúrgico e tal. Tudo correu maravilhosamente bem. Meu bebê veio para o meu colo assim que nasceu, depois foi examinado, limpo e vestido e seguiu junto comigo para o quarto, onde mamou pela primeira vez. Não senti nenhum tipo de intervenção nociva em seu nascimento. Foi tudo perfeito. Sou 100% favorável ao parto normal e optei por passar por essa expriência no hospital porque acreditei que isso era o mais seguro para mim e para o meu bebê. Passar por isso em casa é muito bonito, mas quando tudo corre bem. Sempre tive medo de que houvesse uma situação de emergência e meu bebê precisasse ser removido às pressas para o hospital. Acho que o risco não vale a pena. A segurança do meu bebê sempre foi o mais importante, e acho que isso só um hospital, com médicos e equipamentos, poderia me garantir.
    Então, pesquise bastante e faça o que o seu coração mandar. Eu segui o meu! =)

  9. Engraçado, para mim nunca houve a opção de fazer cesárea!! Sempre quis parto normal… não sei se em casa, pq descobri que a perinatal aqui no rio faz escova na mammys depois de tudo… heheh gostei da idéia de ficar bonita nas fotos… mas com certeza será parto normal.

    Meu maior incentivador disso foi a recuperação da minha mãe (que fez parto normal) e minha madrasta (cesárea)… no dia seguinte minha mãe me deixou com a minha irmã e foi na feira fazer compras, tem noção??

    normal na veia!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *