Ontem eu fiz um teste bobinho desses de facebook e olha só o que deu:
Siemocionei!

😛

Bom, verdade é que esses testes são totalmente manipuláveis e uma bobeira sem tamanho, mas eu fiquei felizinha mesmo assim!

***

E ainda no clima de “você vai ficar grávida esse ano”, eu estive conversando com Maridón sobre esse baby que eu tanto quero. Tivemos um papo muito bom e pela primeira vez eu senti real interesse dele. Acho que ele quer muito ser papy também. Falamos sobre datas, custos, medidas a serem tomadas, possivelmente comprar um carro… foi muito legal.

Descobri que ele tem medos muito parecidos com os meus: criar um filho em outro país, longe da família e ainda sem ter certeza do apoio dos nossos amigos daqui. Não é que eles não irão nos apoiar, nada disso, mas é que estão em outra fase da vida deles, construindo carreira, pensando em sair pra night, pensando no living la vida loca, essas coisas. Tanto que sempre que eu falo que tenho vontade de ser mãe, eu escuto: “você é doida”.

Sinceramente acho que não sou doida não. Sou nova, eu sei, estou começando uma carreira, eu sei. Maridón ainda nem sabe bem o que quer da vida profissional dele, eu também sei. Não temos casa própria, nem carro (mas isso será resolvido em breve!) e nem sei se vou ficar na Argentina pra sempre. Antes de decidir completamente que chegou a minha hora, eu estava muito em dúvida se fazia um pós-graduação. Conversei muito sobre isso na minha análise e descobri que não, eu não quero fazer pós agora! Eu simplesmente não quero.

As pessoas ficam me dizendo que eu tenho muita coisa pra fazer ANTES, como se a vida ACABASSE depois que se tem um filho. Ai, gente, não sei se concordo. Meus pais, por ex., não deixaram de fazer nada por causa dos filhos, viveram bem pra caramba, viajaram, estudaram, ralaram, sofreram e também foram muito felizes. E pronto. Sem neuras. Minha mãe adorava ser nossa mãe (e o fazia muito bem), mas também adorava ser ela mesma, Ana, com vida própria, trabalho, amigos, atividades só dela.

Claro que eu não sou de ferro e às vezes me pego hesitando… achando que realmente estou doida, como meus amigos dizem… fico criando necessidades (que acho que não tenho de verdade), só pra ter a sensação de que estou vivendo SUPER a vida e de que não vou me arrepender de nada depois.

E vocês, o que acham? Fizeram tudo que queriam antes de ter o baby?

4 respostas em “Você vai ficar grávida esse ano

  1. Oi Carol!
    acho que fiz quase tudo que eu queria sim. depois que nasce dá vontade de viver pra sua filha, mas não pode, tem que manter a vida própria a todo custo – para o bem dela inclusive…

    E lembre que não existe hora ideal de ter filhos. Até os mendigos tem filhos…

    Mas, note, dizem que sexo tem um papel importante nesse processo…

  2. Carol,
    por um lado me indentifico com o que vc falou, já que moro fora, minhas amigas por aqui nem sonham em ter filhos, e ter um baby sem ter a familia por perto é mais dificil sim.
    Mas por outro lado, eu já tinha mais de 30, e a sensação de que já tinha feito tudo o que eu tinha direito. Saído, fumado, bebido, altas baladas, viajado, namorado um monte, etcetcetc…

    Esse medo que a gente tem, não passa com a idade, e arrisco dizer que não passa nunca, sempre estaremos nos questionando se estamos realmente preparados…

    Só você pode saber a hora certa (e o papi tambem claro…) O que eu posso dizer, é que no meu caso, foi sem duvida a melhor coisa que me passou na vida.

    beijos

  3. Ainda não tive filhos… mas penso em ter depois de um ano de casada, afinal quero aproveitar só um pouquinho a minha nova rotina, né?

    Ah, e pretendo passar o natal em NY antes também! Rumo a 2011!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *