… que já briguei com o Maridón. Nada de anormal, mas o suficiente pra eu ir pro quarto chorar e ficar fazendo bico por um tempo (é, eu tenho 7 anos).

O que aconteceu foi o seguinte: acordei cedo e fiquei grudada no laptop vendo coisas de preparação pra gravidez (vou ao médico dia 08 e tô ficando cada vez mais tensa com a coisa). Maridón dormindo tranquilo. Eu lendo que ovários policísticos são a causa número 1 de infertilidade nas mulheres (pode ser tratado, mas essa linha da reportagem eu resolvi ignorar e preferi ficar desesperada com os meus poli-coisos). Resolvo me “acalmar” e ficar pensando nos gastos que vamos ter com o projeto-baby. Fico ainda mais tensa. Ele acorda. Eu (sem dar nem “bom dia”) vomito nele um monte de medos, contas, medidas dos cômodos (a essa altura a doida aqui já tinha tirado medidas da casa toda). Ele atura tudo com certa calma, mas sinaliza que gostaria de mudar de assunto. Eu ignoro. Seguimos nessa – eu falando, ele não ouvindo durante a preparação do café da manhã. Aí ele me chama na cozinha e fala:

– Amor, olha só a nossa espátula, tá com o cabo todo derretido. Não podemos deixar isso dentro da panela quando vamos cozinhar.

Oh my god, who cares about ESPÁTULAS??? Só ele. Eu, simpática, respondo:

– Pedro, dane-se essa porra de espátula, né? A gente compra outra.

Ahhhh. Pra quê. Ele ficou revoltadíssimo e falou:

– É, só o que importa agora é essa tua chateação de ter filho, né? Saco isso.

Eu achei de uma falta de sensibilidade enorme da parte dele (ignorando o fato de que eu era quem tava fazendo A louca). Foi aí que fui me trancar no quarto pra chorar. Mas até foi bom, sabe. Meus 7 anos de convivência com ele (e não de idade mental) às vezes me são úteis. Respirei fundo, pensei com calma nas coisas e voltei tranquila pra cozinha:

– Olha, eu entendo que tenho estado meio louca, meio “mono-assunto”. Mas essa semana eu descobri algo importantíssimo na minha vida, talvez a coisa mais importante, e ainda estou digerindo tudo. Te falei que estava insegura e você me ficou ao meu lado. Acho maldade você jogar minha vontade de ter filho na minha cara como se fosse um defeito, ainda mais quando você ficou o tempo todo me apoiando, me convencendo exatamente do contrário.

Acho que fui bastante razoável. Ele também achou, concordou comigo, pediu desculpas e falou que também estava inseguro e queria mudar um pouco de assunto. Eu mudei de assunto.

Alguém tem que ceder, né? Casamento é isso. E eu tava exagerando com Maridón mesmo, vamos dar o espaço que ele precisa.

(enquanto isso eu sigo com minhas baby-leituras, hohohoh)

4 respostas em “Foi só eu abrir a minha boca pra elogiar…

  1. Olá Carol!!
    Achei seu blog através do Blog da Grávida… Li alguns posts seus… E me identifiquei com algumas coisas, como por exemplo o fato de ainda não ter filhos e viver há anos visitando blog de mamães e bebê… Isso tudo começou há mais ou menos 5 anos, quando minha cunhada ficou grávida do meu primeiro sobrinho…
    Já tive uns blogs que deletei algum tempo depois… Fiz outro que ainda está no ar, só anda pobre de atualizações… Falta de animo sabe!? rs Quem sabe um dia ainda volto… Mas a mania de visitar sempre os outros blogs e na maioria das vezes quietinha ainda existe…
    Ainda vou voltar por aqui pra ler mais sobre vc… Mas olha, tive lendo uns post onde vc falou sobre a Michele, mãe da Júlia e que vc nunca mais achava o blog dela… Me diz uma coisa… Vc está falando da Mic, mãe da Júlia e do Rafa?? Se for, aqui vai o link pro blog dela… http://micdani.com.br/blog/
    Espero que seja esse…
    Beijinhos…

  2. é… no outro dia aconteceu algo do genero. Não, não foi por conta de filhos, mas durou uns quinze minutos, ele cedeu e eu tb… ele cozinhou, fez meu almoço na maior fofurice e ficou tudo bem.

  3. Oi Carol, olha eu nem sei se vc realmente vai ler este comentário, a…atrasada, rs. Mas eu só descobri o seu blog agora exatamente a 3 dias e não paro de ler tudo e me deu uma vontadezinha de comentar este post e um outro que li sobre o quanto custa um bebê, pois estou passando por este momento em minha vida, estes dois posts dizem muito sobre mim, pois meu maridon (Argentino afff) quer sempre esparar e diz que não temos dinheiro e condições e blá blá blá que eu só falo neste assunto o insensível briga comigo e eu que sou uma tentante chorona me acabo no lencinho, rs. Eu acho que estou pronta já tenho 32 anos, sou funcionária pública, tenho casa própria(financiada) terminei a faculdade, a pós graduação fica para depois quando der e eu não sei porque cargas dágua ele não quer me fazer feliz, quer dizer sei ele quer outro emprego e ganhar mais, mas meu corazon doi em ter que esperar mais meio ano, talvez você nem leia mas eu precisava desabafar com alguêm que não vai me julgar e fazer aquela cara de tédio dizendo pra si mesmo lá vem de novo esta chata com este assunto. Bom ainda tenho muita coisa pra ler e talvez para comentar estoy amando o blog,. Ahhhh que filho lindooooo Deus abençoe. Bjus

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *